Links que valem o share: semana #151

dom

kesha-praying
10. Rosa Millenial: você não vai conseguir fugir dessa cor

9. Depois de Homem-Aranha: o calendário de estreias da Marvel

8. Mulher-Maravilha é a maior bilheteria de filme de herói solo no Brasil

7. Anos 80: o figurino da série “Glow” do Netflix

6. Instagram quer acabar com falsos influenciadores

5. “Presença” de Bruno Gagliasso em supermercado vira assunto

4. Os números poderosos da carreira de Anitta

3. Um adeus à Funhouse, a balada que ajudou os indies a transar

2. Afinal, por que o crossfit faz tanto sucesso?

1. Após quatro anos, Ke$ha volta à cena com belo clipe e música emocionante

Glow: a nova série empoderada da Netflix tem tudo para virar hit

qui

Mulheres no controle de seus corpos, carreiras e do rumo de suas próprias vidas: são assim as personagens de “Glow”, a nova série original da Netflix que tem tudo para ser mais um sucesso da plataforma de streaming! O seriado das mesmas produtoras de “Orange is The New Black” mergulha no universo da luta livre feminina pegando carona no programa de TV “Gorgeous Ladies of Wrestling”, que existiu de verdade e foi ao ar nos Estados Unidos nos anos 80!

Além de muita música e moda 80’s, a série traz nada mais nada menos que 14 mulheres lutadoras na tela e, entre elas, rostinhos famosos como o de Alison Brie (“Mad Men”) e Kate Nash (sim, a cantora britânica!). Dá o play no vídeo da crítica para entender porque já tem tanta gente torcendo por uma segunda temporada! <3

Aproveita e se inscreve no canal  para receber os vídeos primeiro!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

Links que valem o share: semana #150

sáb

 

links149

 

10. Coca-cola distribui a “Coca que é Fanta”

9. 29 filmes que chegam à Netflix em julho

8. Subcelebridades pagam diária do Fasano para abastecer o Instagram

7. O empreendedorismo Kardashian: quais são os negócios das irmãs

6. Facebook alcança a marca de 2 bilhões de usuários

5. Inspiração: o apartamento mais coloridão que você já viu

4. Mel C e Anitta cantam juntas em programa do Multishow

3. O que ainda rola no Bate-papo do UOL em 2017? Matéria investiga

2. A pressão de ser uma super-heroína o tempo todo

1. Para pensar: o minimalismo enquanto estética de consumo misógina e aporofóbica

O mundinho “Black Mirror” do filme “O Círculo” e as séries canceladas pelo Netflix

sex

Fazendo um compiladão dos vídeos da semana, hoje trago a crítica do filme “O Círculo” e também um papo sobre porque a Netflix está cancelando diversas séries de uma vez. No filme, acompanhamos a jornada de uma jovem profissional tentando crescer na carreira dentro de uma empresa gigante do ramo da tecnologia e comunicação e as implicações que o fim da privacidade pode trazer para quem topa esse acordo de compartilhar tudo (ou quase).

A ideia é boa, de fato, mas o que se vê no filme com Emma Watson e Tom Hanks é uma mistura nauseante de “Black Mirror” com “Malhação”: um roteiro leve e tão ingênuo quanto ir correr ali e tomar um suco no Gigabyte. Por outro lado, o filme acerta na mosca ao criticar o ambiente de trabalho desse tipo de empresa e suas ocasiões sociais infinitas, que sugam o que ainda há de vida lá fora de profissionais sobrecarregados.

Veja a crítica para entender:

Enquanto isso, o mundo das séries do Netflix segue abalado com o cancelamento de “Girlboss”. “Sense8” está fora, mas ganhou um episódio de duas horas e “The Get Down” também foi eliminado do jogo. Pelo menos “Dear White People” volta para uma segunda leva de episódios – obrigado!

Para entender por que a Netflix tá cancelando e vai cancelar ainda mais, dá o play:

 

 

Links que valem o share: semana #149

dom

links149

10. Assinatura independente da HBO GO chega à América Latina

9. Como crianças da pré-escola receberam o filme da Mulher-Maravilha?

8. Por que o dia dos Namorados no Brasil acontece em junho?

7. Novo reality da Record coloca 100 pessoas em casa que só comporta 4

6. Nascem os gêmeos da Beyoncé – e o signo das crianças é gêmeos!

5. As 7 caras do cinema, um show de interpretação de Marlon Teixeira (!)

4. Cuca é o novo ícone LGBTQ dos gringos

3. Anitta: um caso de marketing que vale a pena ser estudado

2. O curioso caso da companheira do herói que nunca envelhece

1. Clichês e estereótipos subvertidos em “Mulher-Maravilha” (e outros nem tanto)

Então, como seria a festa do “deu tudo certo”?

sex

Depois do episódio polêmico da festa “se nada der certo”, fiquei com uma pergunta na cabeça: mas e se der tudo certo? Com que roupa essas pessoas iriam para uma festa com esse tema? E por que nossa geração tem a mania de achar que um diploma é sinônimo de sucesso na vida, mesmo se tornando um ser humano muitas vezes ruim ou “pobre” de inteligência emocional? Pois bem, vamos discutir tudo isso no vídeo de hoje, afinal, dar certo é tão relativo quanto dar errado…

Aproveita e se inscreve no canal  para receber os vídeos primeiro!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.