Sem perder o foco: 20 centavos e 20 outros problemas

ter

Imagens lindas povoaram o noticiário ontem à noite: centenas de milhares de pessoas saíram por todo o Brasil para um grande protesto. Um protesto tão grande que sua causa inicial, o tal aumento de 20 centavos na passagem de ônibus, não comporta mais o significado do movimento.

Vi de perto os trilhões de cartazes que se espalharam pela Faria Lima em São Paulo, cantei junto o “3,20 é um assalto” e outros gritos de guerra que levavam o povo para a rua. Até mesmo porque três reais já era um assalto, não? Qualquer pessoa que discorde disso provavelmente nunca teve de usar ônibus ou metrô além da linha verde em São Paulo por mais de um mês na vida.

Agora é certo que esses 20 centavos são a ponta do iceberg. Apenas a ponta: via-se reivindicação também a respeito de absolutamente tudo (anti-PEC 37, anti-Globo, anti-corrupção, anti-Alckmin, anti-Dilma, anti-Copa…) e até recados fofos e vagos como “mais amor por favor”. É uma gracinha, mas é inútil. Ninguém quer amor dos governantes. Esperamos ação, esperamos respostas (Dilma, estou falando com você), esperamos mudanças. E para as mudanças acontecerem, precisamos ter foco e clareza, até mesmo para não deixarmos esse tipo de coisa acontecer. Aproveitadores não faltarão.

Em Porto Alegre, por exemplo, o dia já começou com uma boa notícia: o prefeito anunciou redução no preço das passagens e vai negociar com os vereadores a possibilidade da tarifa baixar ainda mais. Não dá para perder o foco. É claro que os 20 centavos são a gota d’água, mas que este seja o primeiro problema a ser resolvido. Não sei para vocês, mas para mim parece muito mais simples do que “acabar com a corrupção”. Vamos por partes.

Ao contrário do que disseram os esclarecidos representantes do Movimento Passe Livre no Roda Viva na noite de ontem (os quatro blocos do programa estão no Youtube), essa causa não é mais só sobre o transporte. Nossa insatisfação pegou o bonde andando e sentou no primeiro banco que lhe deu voz. Só que isso tudo começou com o transporte e que este seja o ponto de partida, por que não?

Não podemos só ir para rua pedindo amor, precisamos organizar as coisas para mudar algo além do transporte. Precisamos diminuir o preço da passagem para depois ir para a próxima pauta. Já mostramos que somos muitos e estamos de parabéns, agora precisamos mostrar que somos fortes – com um objetivo definido, principalmente.

.

ps: acompanhei e participei de um trecho da manifestação pela Faria Lima ontem e contei o que vi aqui no Facebook.
. 

Comentários via Facebook

1 comentário

  1. Alessandra

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=fZL5Yak1dhQ#!
    Aconteceu em brasília dia 18… Não sei se já viu… :)

    Responder

Deixe seu comentário