#Girlboss: crítica da série e o que realmente aconteceu na vida real

sex

Quem acompanha este blog há algum tempo, deve saber que acompanho o trabalho da Sophia Amoruso há muitos anos. Mesmo se envolvendo em polêmicas, ainda acho incrível a história de empreendedorismo dela, que saiu basicamente do nada. Tendo isso em mente, era impossível não ficar ansiosa e criar expectativas quando a Netflix anunciou uma série que contaria a vida dessa mulher.


Sophia pôde contar sua história no livro #Girlboss, que é direto e divertido, e agora pôde mais uma se ver retratada na ficção. Mas não é que eles conseguiram pasteurizar os fatos e ainda tirar umas coisas da cartola que, não só não tem nada a ver com a realidade, quanto são inclusive menos interessantes (e menos polêmicas)? Pois bem.

No vídeo de hoje, explico um pouco da história da Sophia da vida real e faço uma crítica do seriado que, sim, tem um monte de coisas bacanas e diverte, mas que passou longe de ser tão bom quanto poderia. E, pior: não empodera ninguém. Dá o play!
.

Aproveita e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro!

.

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

Girlboss: série do Netflix sobre Sophia Amoruso e sua grife ganha o primeiro teaser

qua

Bem-sucedida, dona da própria empresa de moda e do próprio nariz, Sophia Amoruso inspirou mulheres mundo a fora com seu livro “#Girlboss”, que entrou para a galeria de best-sellers do New York Times. Mais que um “guiazinho” (ou menos que um guiazinho, dependendo do ponto de vista) para se tornar CEO, o livro traz histórias, conselhos e até mesmo dicas de moda da mulher que levantou a grife Nasty Gal a partir de um mero brechó do Ebay. Sonho impossível? Talvez! O fato é que desde o livro, Sophia mostrou que é uma criativa de mão cheia e transformou seu título-hashtag em marca e acabou animando jovens mulheres a encontrarem o empreendedorismo dentro de si.

Criadora e criação: Sophia Amoruso e o livro “#Girlboss”

Em paralelo, negociou com a Netflix uma série homônima com produção da atriz Charlize Theron e de Kay Cannon (do filme-hit “A Escolha Perfeita”) para mostrar de forma ficcional como todo esse sucesso (e dinheiro!) entrou em sua vida antes mesmo dos 30 anos.

No papel de Sophia, a atriz Brit Robertson dá as caras e o teaser-trailer acaba de sair do forno. Dia 21 de abril os 13 episódios da primeira temporada estreiam no mundo todo e estaremos com pipoca em mãos para assistir.

tmg-article_default_mobile

A atriz Brit Robertson na primeira foto oficial da série

Só eu já estou ansiosa para essa aula de como comprar num brechó e como administrar uma empresa mesmo sendo uma pessoa de humanas? Já prevejo vários figurinos bafônicos que vão ganhar nosso coração.

Para quem perdeu, já falei sobre esta nova série e muitas outras séries lá no meu canal no Youtube! Quem perdeu, aproveito para deixar as dicas abaixo! Tem muita coisa boa ainda para estrear! ;)

VEJA TAMBÉM: 

5 Séries novas de 2017 para deixar no seu radar:

Courtney Love lança coleção em parceria com a Nasty Gal

ter

Aparentemente, não há fim para a quantidade de tendências que podem ser ressuscitadas dos anos 90. Olharemos com desprezo para taaanto revival depois? Veremos. Enquanto isso, as ‘novinhas’ de hoje podem sentir um belo gosto do grunge da época trazido por ninguém menos que Courtney Love. E sem precisar ter o bom gosto necessário  que ela tinha para vasculhar um brechó, veja que coisa! rs

nastygal_courtneylove2

Courtney Love e Sofia Amoruso, a fundadora da Nasty Gal

nastygal_courtneylove3

O ensaio com a modelo Hayley Clauson

A cantora que virou ícone do estilo da época está lançando uma coleção de 18 peças em parceria com a Nasty Gal – sim, a grife da #GirlBoss! A coleção tem muita lingerie para deixar por baixo da roupa e, como não podia deixar de ser, muita lingerie para ser usada como roupa

São muitos vestidos-camisola e alcinhas espaguete, além de algumas peças bem interessantes com renda. Apesar de amar o estilo, é impossível não notar que talvez a coleção seja um pouco ‘literal’ demais… Vale a pena apostar ou parece festa à fantasia?

nastygal_courtneylove4

Os preços ficam entre US$48 e 188 e os produtos começam a ser vendidos no dia 14, quinta-feira. O Nasty Gal entrega no Brasil e ainda te mostra o preço em reais, só é preciso ficar ligado com as taxas extras de importação que são aplicadas em território nacional. O Fashionista tem todas as fotos da coleção aqui. 

Girl Power: 5 livros de mulheres poderosas para ler em 2015

qui

Cameron Diaz, Lena Dunham, Alexa Chung, Amy Poeler e Sophia Amoruso: o que elas têm em comum, fora o fato de serem bem-sucedidas no que fazem? Todas publicaram livros contando suas histórias. Ou pelo menos o que é publicável – se bem que, no caso de Lena, isso não se aplica.

Enquanto Sophia se dedica ao empreendedorismo, Lena e Amy vão te fazer rir e chorar com histórias de suas vidas, Alexa vai te despejar um balde de referências de estilo e Cameron vai mostrar que todo aquele corpão aos 42 anos de idade não é só sorte e genética: é sim muito treino e boas escolhas ao longo da vida. Ainda bem, ela compartilhou tudo em detalhes num dos livros a seguir!

 

5. “#GirlBoss”, Sophia Amoruso
.

Quando resolveu publicar “#Girlboss”, a primeira coisa que Sophia Amoruso ouviu de editores foi: “As consumidoras da Nasty Gal não gostam de ler”. Empreendedora que é, Amoruso não desistiu e foi bater em outra porta. Publicou a obra e vem vendendo desde então – e muito. A dona da grife que revolucionou o e-commerce de moda conta seu caminho das pedras, desde vendedora de “achadinhos” no eBay até a abertura da primeira loja física de sua grife, em Los Angeles. Mais sobre ela aqui.
.

4. “It”, Alexa Chung

It girl mundialmente reconhecida, apresentadora de TV e nome de bolsa que também virou it. Alexa Chung mostra, em seu livro “It”, suas paixões e uma coleção de referências que a tornaram um ícone de estilo, por mais que ela não assuma o título formalmente. Falando em ícone de estilo, é nesse livro que ela revela seu maior influenciador: o avô chinês, que não aceitava de forma alguma sair de casa sem se preocupar com o “look”. Veja a resenha completa.
.

3. “Yes Please”, de Amy Poehler

Atriz da série “Parks and Recreation” e de uma boa temporada do “Saturday Night Live”, Amy Poehler põe na roda em “Yes Please” uma série de conselhos e também histórias de sua carreira. A frequente companheira de Tina Fey tem muito para contar e revela, inclusive, que tem a “Angelina Jolie das vaginas”. Ainda não há tradução, mas as risadas certamente valem o esforço de treinar seu inglês.
.

2. “Não sou uma dessas”, Lena Dunham

Durante a leitura, vai ser fácil esquecer que a autora produziu filmes independentes e escreve, dirige e protagoniza uma bem-sucedida série de televisão. “Causos” estranhos e problemas com auto-imagem dominam o início de “Não Sou uma Dessas”, em que Lena Dunham escracha sua vida amorosa em detalhes antes de juntar os pontos sobre como sobrevive e prospera na mídia mesmo se sentindo com alguns kilos a mais. Ainda prefiro o título original: “Not That Kind of Girl”.
.

1. “O Livro do Corpo”, Cameron Diaz

Depois de empreendedorismo, humor e estilo, o livro de Cameron Diaz fecha a conta falando do essencial: o seu corpo. As primeiras páginas de “O Livro do Corpo” parecem ter sido escritas pela personagem de “Quem Vai Ficar Com Mary”, com texto simplório e animado demais. Porém, ainda bem!, aos poucos Cameron se aprofunda e mostra a que veio, criticando dietas da moda e passando longe de loucuras fitness. A atriz divide sua sabedoria sobre alimentação e exercícios com informações detalhadas e sugestões preciosas para o leitor mudar como cuida de si mesmo. Perfeito para quem colocou na lista de resoluções de Ano Novo as palavras “emagrecer” e “academia”.

 

Sophia Amoruso: a CEO mais sexy do mundo e os achados que valem 100 milhões de dólares

qui

você nem sabe, mas já adora o trabalho dela

Esta moça bonita da foto é Sophia Amoruso. Aos 29 anos, Sophia foi eleita a CEO mais sexy do mundo pelo portal “Business Insider” em 2013. Tudo começou revendendo roupa usada na Internet, com direito a garimpos até mesmo do Exército da Salvação. E o negócio de Sophia hoje movimenta US$100 milhões por ano.

Você com certeza já ouviu falar do business dela, a loja online Nasty Gal. Se nunca ouviu falar da loja multimarcas com curadoria das boas, agora vai ouvir com certeza: a dona da parada está lançando um livro para contar como fez isso tudo dar certo (mas eu recomendo também uma visitinha virtual à loja, porque é realmente legal!).

O livro “#GirlBoss” chega às prateleiras (e aos kindles) no dia 6 de maio e tem o pretensioso subtítulo de How To Write Your Own Rules While Turning Heads And Turning Profits – algo como: “Como escrever suas próprias regras enquanto chama atenção e lucro”. Patroa de 350 funcionários, Sophia promete contar no livro um pouco do seu jeito “diferente” de liderar. Para ela, por exemplo, é ótimo quando os funcionários discordam, pois isso agrega novos pontos de vista ao negócio.

Já tem até um book trailer bem humorado de #Girlboss:

.

.

Pelo tom divertido e até meio juvenil da divulgação, pode ser que o livro seja uma espécie de “diarinho da chefe”, mas a verdade é que é no mínimo curioso uma obra que promete contar como uma pessoa que saiu de casa aos 17 anos, pulou a faculdade e aos 22 anos começou a vender roupa velha no Ebay, hoje tem um pequeno império de estilo e emprega 350 funcionários.

Em entrevista ao Refinery 29, Sophia contou como era cara de pau na época em que garimpava para pagar as contas. Ela não tinha medo de pedir descontos em suéteres com pequenos furinhos no Exército da Salvação e era capaz de passar horas no bazar procurando preciosidades. Ela menciona que chegou a comprar blazers Chanel por US$8 e vendeu por US$500 ou US$1.000. Parece uma boa margem de lucro, não? rs

.

Sophia e seu #Girlboss

O livro já está em pré-venda na Amazon e não vai ter nenhum conselho sobre como garimpar em bazar. Diz Sophia que quis escapar de um livro sobre estilo para fazer um livro sobre negócios. Bom, se as coisas já iam de vento em popa, agora devem nadar de braçada: a Nasty Gal está prestes a ganhar sua primeira loja física em Los Angeles. Suce$$o!