7 Filmes Girl Power na Netflix e porque você deveria assistí-los!

qua

No nosso vídeo mensal de dicas do que assistir na Netflix, trago dessa vez o tema “girl power”! Indico e comento 7 filmes com personagens femininas poderosas nos papeis principais (ou pelo menos muito relevantes para a história!) e explico porque você deve assistir a esses filmes. A lista vai desde “Meninas Malvadas” a “Star Wars” passando, é claro!, por “Spice World”, para relembrar ou conhecer a história da melhor girl band de todos os tempos que cunhou o termo nos anos 90.

Gosta desse tipo de vídeo com dicas para surfar pelo catálogo da Netflix? Comente qual tema você quer ver na próxima lista! Dá o play e se inscreve no canal  para receber os vídeos primeiro!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

15 filmes de 2017: os 10 melhores e os 5 piores do ano

qua

Continuando a retrospectiva de 2017, vamos falar de um dos meus assuntos favoritos da vida e do ano: cinema! Este ano foi incrível para a sétima arte e perdi a conta de quantos finais de semana fui mais de uma vez ao cinema. Assisti bastante coisa boa, tentei me poupar ao máximo dos filmes ruins – aqueles que a gente já meio que sabe que vai ser uma bela de uma buemba – mas ainda assim me decepcionei um bocado.

Por isso, no vídeo de hoje faço o ranking dos 10 melhores filmes do ano e também elejo os 5 piores, porque né? Ninguém merece perder tempo e dinheiro vendo coisa ruim! Dá o play para ver e ouvir tudo e se inscreve no canal  para receber os vídeos primeiro!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

Liga da Justiça: afinal, o filme da DC passa de ano?

sáb

Depois de muita espera, finalmente “Liga da Justiça” chegou aos cinemas! Num misto de ansiedade com ‘medinho’, fui aos cinemas querendo ver minha infância na tela com tantos heróis importantes juntos, mas ainda reticente graças aos muitos comentários mundo a fora dizendo para ir “sem expectativas”. Pois bem: o filme novo da DC está amargando 41% no Rotten Tomatoes, nosso maior termometrão de estreias a nível mundial, mas ainda assim diverte bastante. Mas é o que a gente queria e esperava? Ahn… Provavelmente não.

Como sempre, crítica e comentários completos no vídeo abaixo, só que desta vez com spoilers para falarmos livremente sobre o assunto, especialmente nessa semana pós-estreia.  Aproveita para se inscrever no canal  e receber os vídeos primeiro!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

No hype para Liga da Justiça: camisetas, moletons e até bodies dos heróis do filme

seg

Não dá para salvar o mundo sozinho! <3 Se você também está no hype para assistir “Liga da Justiça”, com certeza esses achados vão te deixar com ainda mais vontade de ver o filme e de sair por aí uniformizadão, declarando seu amor para o mundo! rs Na wishlist de hoje, camisetas, bodies, bonecos, chinelos e muito mais com os personagens do filme – Mulher-Maravilha, Batman, Super-Homem, Acquaman, Cyborg e Flash!

Para quem perdeu, já fizemos uma seleção só da Mulher-Maravilha também, vale ver clicando aqui!

 

1. Body vermelho da Mulher-Maravilha  – R$79,90 na Riachuelo
2. Camiseta “Heróis tem problemas também!” – R$39,90 na Renner
3. Moletom fofinho da Mulher-Maravilha – R$99,90 na Renner
4. Chinelo Rider do Flash – R$59,99 na Dafiti
5. Camiseta Wonder Woman de paetês – R$35,99 na C&A
6. Moletom clássico do Flash oficial DC Comics – R$149,90 na Dafiti
7. Boneco do Cyborg da Funko Pop – R$87,90 no Walmart
8. Boneco do Aquaman da Funko Pop – R$106,00 no Walmart
9. Body com onomatopéias e logos clássicos da DC Comics – R$39,90 na Riachuelo
10. Moletom cropped da Liga da Justiça – R$49,90 na Riachuelo

A força é fashion: a coleção inspirada em Star Wars da Rag & Bone

sex

Se quando você pensa em moda inspirada no universo nerd tudo que lhe vem à cabeça são meia dúzia de camisetas e pijamas com estampas legais, a Rag & Bone vai dar um bom motivo para você rever seus conceitos. A marca nova-iorquina famosa pelos jeans perfeitos e pelas jaquetas com inspiração militar fez um baita mergulho no universo de Star Wars para criar uma coleção bem a tempo de “Os Últimos Jedi” e o resultado passa longe de ser mais meia dúzia de camisetas licenciadas legais. Nada contra ~camisetas licenciadas legais~, tenho até amigos que são rs, mas isso aqui é moda de verdade:

  

Esta não é a primeira vez que a marca trabalha com o universo de Star Wars: em 2015, próximo ao lançamento de “O Despertar da Força”, algumas poucas peças foram confeccionadas para caridade no projeto Force 4 Fashion, que contou também com marcas como Opening Ceremony e Diane von Furstenberg. Agora uma coleção maior e mais parruda chega às lojas no dia 2 de Dezembro com preços variando entre $95 e $1295.

O processo de criação envolveu utilizar cores e simbologias chave do universo de SW e aplicar o “twist” moderninho característico da marca. No vídeo de lançamento, Marcus Wainwright, CEO da grife e diretor criativo, apresenta a coleção e fala sobre o quanto ele, fã da franquia, precisou resistir à tentação de ser óbvio quando se tem na mão um design tão icônico e marcante quanto o dos Stormtroopers. Vale o play: 

 

Mais informações no site oficial.

 

Afinal, dá para separar o artista da obra em meio a tantos problemas em Hollywood?

qui

Depois das denúncias envolvendo o produtor Harvey Weinstein, muitas outras estão vindo à tona e numa velocidade que fica até difícil de acompanhar. Nomes como o dos atores Kevin Spacey (“House of Cards”) e Ed Westwick (“Gossip Girl”), do humorista Louis C.K. e até mesmo o do físico e apresentador Neil deGrasse Tyson (“Cosmos”) vieram à tona em uma série de acusações de assédio, abuso e até mesmo estupro. Tudo isso reacende aquela velha pergunta: afinal, dá para separar o artista da obra?

Para ter essa conversa que não tem respostas fáceis nem definitivas, sentei com a querida Alice Aquino do Ali e Aqui para discutirmos que armas temos, enquanto público pagante, para ir contra certos comportamentos. O boicote é realmente a única arma que temos enquanto público? Existem casos ‘mais complicados’ que outros? E como ficam as pessoas inocentes da indústria que se prejudicam e perdem seus empregos quando um cancelamento de seriado, por exemplo, acontece sem mais nem menos?

Dá o play no vídeo e aproveita para se inscrever no canal  e continuar acompanhando esta e outras discussões.

 

Para mim, fica cada vez mais clara a importância de termos mais mulheres nessa indústria: um ambiente pelo menos um pouco mais seguro para outras que chegam. Por isso, indico fazer a dobradinha e assistir o vídeo que gravei com a Alice para o canal dela sobre mulheres diretoras de cinema. Quais são as de maior destaque? Por que tão poucas? Recomendo!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.