Links que valem o share: semana #75

dom

10. CL, do 2NE1, pode assumir lugar de Fergie no Black Eyed Peas 

9. Sacolé gourmet: turma passa de porta em porta vendendo geladinhos de bike

8. Whatsapp lança versão web – mas, por enquanto, só para Android

7. Previsões para o BBB15

6. Dakota Johnson ganha capa da Vogue América

5. Spin ‘n fit: academia para fazer aulas de bike quando der na telha

4. Pote de geléia virou mania de decoração; veja como usar

3. Dicas: os melhores hambúrgueres do Rio de Janeiro

2. Mini-guia para manter a dignidade nesse calorão

1. Resposta da escola que usou macbook no lugar do iPad faz pensar

Links que valem o share: semana #74

dom

10. O teste de personalidade baseado no Facebook que está deixando todo mundo noiado

9. Como andar de metrô em Nova York: linhas, estações e afins

8. “Girls” retorna com cena ousada e o sexo que não se vê na telinha

7. Rio de Janeiro vai receber exposição de 25 anos da Pixar

6. Tendência de volta: o ‘bico de pato’ ganha novas roupagens

5. 7 marcas de biquínis gringas que você precisa conhecer

4. “The Sims 4″ ganha expansão; versão para Mac sai em fevereiro

3. Receita: petit gatêau de goiabada e mascarpone

2. “This girl can”: porque mulheres reais devem se exercitar sem neuras

1. 19 provas de que 2015 começou com tudo

Emojização: a palavra mais usada de 2014 foi um simples `<3′

qui

Ainda dá tempo de mais uma retrospectiva de 2014? Pois essa é bem surpreendente. Entre ebola, #selfies, #gamergates e #sonyleaks, a palavra mais usada do ano não foi sequer uma palavra, mas sim um emoji. Eis que o termo mais usado na Internet em 2014 foi ele, o coraçãozinho vermelho cheio de amor pra dar: “<3″.

emoji1

“<3″: o emoji universal

O site Global Language Monitor analisa o conteúdo publicado online há mais de 10 anos e, pela primeira vez, o ganhador não é sequer uma palavra, mas um ícone. Na sequência, outra não-palavra: a boa e velha hashtag, impulsionada por praticamente todas as redes sociais. Já no ranking de nomes mais mencionados, o vencedor foi, infelizmente, “ebola”.

emoji2

A internet clama por “mais amor, por favor”? Estamos ficando mais fofos? Ou estamos empobrecendo todos os idiomas do mundo em troca de algo que simbolize simpatia quando não temos nada além a dizer? Hm… Acho que fico com a última opção. E é uma pena que, além de idiomas, essa escolha empobreça também relacionamentos. Afinal, o que responder para o seu amigo fofuxo quando o assunto é sempre continuado com um simples “<3″? Um cocozinho, talvez?

Em outros anos, o monitoramento indicou que o nome mais mencionado foi “Papa Francisco” (2013), a principal frase “Gangnam Style” (2012) e a palavra mais citada “occupy” (2011). Para os curiosos, a lista completa fica aqui.

Três blogueiras dão uma celebridade?

seg

Capa de revista com blogueiras já não é novidade no Brasil: apesar do acesso fácil à informação de moda ter chegado bem atrasado por aqui, em julho de 2013 já tínhamos a primeira revista reconhecendo o poder da internet quando o assunto é estilo.

bloggers_br

Camila Coelho, Thássia Naves, Lalá Rudge, Camila Coutinho e Helena Bordon em ensaio da “Glamour”

A “Glamour” foi pioneira ao colocar cinco influenciadoras no lugar geralmente destinado a celebridades ou modelos internacionalmente famosas. Depois de Camila Coelho, Camila Coutinho, Thássia Naves, Helena Bordon e Lalá Rudge, muitas outras blogueiras brasileiras apareceram em capas e recheios, inclusive em outras publicações e para públicos diferentes, como a “Capricho”. Este mês, inclusive, a guru de maquiagem Camila Coelho é a estrela da “Women’s Health”. Curiosamente, a chamada pouco tem a ver com sua especialidade, mas sim com sua boa forma. O mesmo já tinha acontecido com Lalá Noleto.

A questão acaba de ganhar nível internacional com as primeiras três blogueiras a conseguirem uma capa de moda nos Estados Unidos. A edição de fevereiro da “Lucky” traz a italiana Chiara Ferragni, que já figurou em outras capas no seu país, e mais duas australianas mundialmente famosas, Nicole Warne (“Gary Pepper Girl”) e Zanita.

bloggers_lucky

Chiara, Zanita e Nicole: italiana e australianas nas bancas norte-americanas

Não é novidade ver blogueiras em páginas internas, mas num universo editorial extremamente competitivo como o americano, vê-las na capa demonstra uma mudança e tanto do mercado. Encontrar mulheres ligeiramente mais próximas da realidade numa revista que você pode comprar pode significar muita coisa, desde uma crise até o empoderamento absoluto destas self-made women. Por aqui, vamos ficar com a segunda hipótese.

Com milhões de seguidores no mundo todo, essas três com certeza inspiram muito mais o público do que uma modelo qualquer dando declarações sobre como beber 2L de água e usar protetor solar faz bem. Ah, e também há outro diferencial nesse caso: nenhuma delas é uma girl next door qualquer. Além da boa presença online, todas tem aparência acima da média. Pode ter sido só uma coincidência, mas a “Lucky” também optou por mais de uma garota por vez – seria uma alternativa de se destacar no mar de retratos das bancas ou um jeito de dar “peso” à capa, unindo a força digital de cada uma das garotas? Fico, novamente, com a segunda hipótese, embora a própria “Glamour” vá desafiar a fórmula colocando Thássia sozinha na revista de fevereiro.

Vai ser interessante observar os próximos capítulos desse fenômeno do avesso: a mídia se virando para entender um novo tipo de celebridade e a nova celebridade, por sua vez, escolhendo cuidadosamente todas as suas fotos, como uma Beyoncé. E, pasme!, passando a usar grifes tão absurdamente caras que a realidade pode até ir embora pelo ralo. Ficarão as leitoras órfãs de suas bff ou ainda mais aficcionadas por acompanharem suas vidas, agora incríveis? Ao estilo Criolo, convoco Chiara Ferragni: ajude-nos a entender.

Se até pouco tempo era inimaginável uma estrela “B” de reality show estampar a capa da “Vogue”, agora podemos dizer que Kim Kardashian abriu as portas para outras superpoderosas das redes sociais entrarem, independentemente de onde esse “reality” foi exibido. Doa a quem doer.

paris

Links que valem o share: semana #73

dom

10. A diferença entre o politicamente incorreto do Charlie Hebdo e de humoristas brasileiros

9. Nintendo encerra suas operações no Brasil

8. 15 séries para ver nas férias no Netflix

7. 10 vídeos no Youtube para você se exercitar de graça, na sala de casa

6. Exposições de São Paulo continuam com longas filas (#quepreguiça!)

5. Como surgem as tendências de moda e comportamento?

4. Veja as obras que entram para domínio público este ano

3. Para ser mais inclusiva, a moda precisa ser ensinada de outra forma

2. A camarotização de Trancoso não é nem um pouco chique

1. “Gabriela Pugliesi e a camarotização da vida”, por Marcos Hiller

Links que valem o share: semana #72

dom

Kate Moss curtindo o Revéillon cas amigue

Happy New Year/Summer/Retrospectiva/Tudojuntoemisturado edition!

10. Os 14 melhores filmes de 2014

9. 15 estreias de cinema em janeiro

8. Quatro retornos musicais promissores deste ano

7. Aplicativos para manter a forma neste verão

6. Todos os topless de 2014: perdeu algum?

5. Naomi Campbell persegue paparazzi em Trancoso

4. Cinco hábitos para quem quer continuar viajando em 2015

3. Os fatos que marcaram a internet brasileira em 2014

2. Agenda de shows internacionais no Brasil em 2015

1. As previsões astrológicas para 2015, com Mainá Mello