Links que valem o share: semana #155

sáb

 

10. As dez casas do AirBNB mais desejadas do Brasil

9. Estudo sugere que homem está produzindo 50% menos espermatozóides que 40 anos atrás

8. A disparidade entre maternidade e paternidade numa capa de revista

7. Estas vagas de emprego reais vão fazer você rir de nervoso

6. Leonardo Di Caprio e Kate Winslet estariam juntos :O

5. Sobre milkshakes e um bando de idiotas sem ter o que fazer

4. Um certo “fantasma” pode ter dado as caras em #GameOfThrones (tem spoilers!)

3. Injeção de vitamina: a vaidade foi longe demais?

2. O que substituirá o hipster?

1. Com estrutura gigantesca, Youtube Space no Rio quer profissionalizar creators

 

Links que valem o share: semana #154

dom

 

10. Pão de açúcar descobre um tesouro nos algoritmos

9. Saída de Evaristo Costa parece um “tapa na cara” da Globo

8. Pai constrói robô Mecha que funciona de verdade para as filhas

7. Por que mulheres se agredindo na novela ainda dá ibope?

6. Roteiro de Mulher-Maravilha 2 já está sendo escrito

5. Apps prometem ajudar a emagrecer com base no seu DNA

4. Beleza íntima: iluminador para vagina é lançado – estamos indo longe demais?

3. “Boys”: novo clipe da Charli XCX faz a gente refletir sobre objetificação 

2. Contardo Calligaris: “Nosso passado é sempre um peso que a gente carrega”

1. Rihanna engordou. E a gente com isso?

Links que valem o share: semana #153

sáb

links153

10. Esta capa da “Capricho” é a prova de que sobrevivemos aos anos 90

9. Jornalista não planeja o futuro e não reflete sobre a própria profissão, diz estudo

8. Com compra de seguidores, é possível criar uma “celebridade” gastando R$8 mil

7. 25 tweets que vão fazer as mulheres rirem alto na frente do computador

6. Mattel lança coleção de Barbie’s da Mulher-Maravilha

5. Drags de “Ru Paul’s Drag Race” dublam Pablo Vittar

4. Os produtos para pele da Kim Kardashian e como ela mesma se maquia

3. Sapatos masculinizados: por que temos que usar coisas femininas o tempo todo?

2. Entre brinquedos de criança e colecionáveis tem um mundo de ódio

1. “Não vim ao mundo ser mãe de quem deveria ser parceiro”, Flavia Azevedo

Links que valem o share: semana #152

dom

links152

10. Amazon: a maior loja de moda do mundo

9. Jay-Z diz que casamento com Beyoncé não era formado por “100% de verdade”

8. Mick Jagger e 6 tendências de moda que o cantor sempre usou

7. Emmy 2017: a lista completa de séries e artistas indicados

6. Dica de viajante profissional: onde encontrar passagens aéreas baratas?

5. Chineses ficarão 200 dias debaixo da terra para simular vida no espaço

4. Os atores da versão live action de “Aladdin” da Disney

3. Lua encerra ciclo “maldito”, um dos piores dos últimos 10 anos

2. Padrão de beleza e maquiagem, uma reflexão

1. “Baby Driver: o filme mais hypado do mês e por que você vai querer ver

Links que valem o share: semana #151

dom

kesha-praying
10. Rosa Millenial: você não vai conseguir fugir dessa cor

9. Depois de Homem-Aranha: o calendário de estreias da Marvel

8. Mulher-Maravilha é a maior bilheteria de filme de herói solo no Brasil

7. Anos 80: o figurino da série “Glow” do Netflix

6. Instagram quer acabar com falsos influenciadores

5. “Presença” de Bruno Gagliasso em supermercado vira assunto

4. Os números poderosos da carreira de Anitta

3. Um adeus à Funhouse, a balada que ajudou os indies a transar

2. Afinal, por que o crossfit faz tanto sucesso?

1. Após quatro anos, Ke$ha volta à cena com belo clipe e música emocionante

Links que valem o share: semana #150

sáb

 

links149

 

10. Coca-cola distribui a “Coca que é Fanta”

9. 29 filmes que chegam à Netflix em julho

8. Subcelebridades pagam diária do Fasano para abastecer o Instagram

7. O empreendedorismo Kardashian: quais são os negócios das irmãs

6. Facebook alcança a marca de 2 bilhões de usuários

5. Inspiração: o apartamento mais coloridão que você já viu

4. Mel C e Anitta cantam juntas em programa do Multishow

3. O que ainda rola no Bate-papo do UOL em 2017? Matéria investiga

2. A pressão de ser uma super-heroína o tempo todo

1. Para pensar: o minimalismo enquanto estética de consumo misógina e aporofóbica