Rádio e TV, jornalismo e comunicação: tag da faculdade e o que eu só descobri trabalhando

sex

Como muitos sabem, estudei Rádio e TV na Cásper Líbero e trabalho com comunicação há uns bons anos – já passei por redação, agência de publicidade, produtora, emissora de TV e por aí vai. Por isso mesmo, resolvi gravar uma TAG bem famosa do Youtube que fala sobre faculdade: a autoexplicativa TAG da Faculdade. rs

Embora seja fácil entender a realidade de cursos mais tradicionais, não é raro todo mundo ficar cheio de dúvidas quando o assunto é comunicação, que dirá RTV. Pois vos digo: é bem misterioso mesmo. Nenhum guia que eu li me ajudou a entender o mercado de fato como ele era e ainda hoje me surpreendo – para o bem e para o mal. De qualquer forma, é uma aposta alta deixar para descobrir tudo depois que já entrou na faculdade, não é? Enfim, o objetivo é não só revelar algumas curiosidades como também ajudar quem está pensando em prestar o curso.

Dá o play e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro! ;)

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

Guilty Pleasure? 6 filmes ruins que eu adoro e não nego

qua

Sabe aqueles filmes que são tão ruins que dá até vergonha de admitir que, lá no fundo, você adora? Pois é disso mesmo que estou falando no vídeo de hoje: dessas nossas intimidades de entretenimento. Todo mundo adora ostentar um filme cabeça, uns diretores fodões, mas ninguém fala dos caça-níqueis que não só te pegaram quanto você curte em segredo, né? rs

Indico hoje no canal 6 filmes ruins, mas que eu adoro, e explico o porquê. Quem sabe pode te entreter num Netflix mais próximo? ;) Dá o play e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro! ;)

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

Uma vida normal não tem (muita) graça

seg

Há uns dias atrás eu estava com vontade de chorar de tanto cansaço. O sentimento virou vídeo e resolvi tirar uma semana para fazer somente o mínimo necessário para minha convivência em sociedade – o que incluía respirar, me alimentar, trabalhar e fazer meus exercícios físicos. Esses aí que poderiam ser além do mínimo para a maioria das pessoas, mas que garantem minha sanidade, física e mental. E assim foi: cinco dias sem me preocupar com produzir roteiro, editar vídeo ou vir aqui postar alguma coisa. Aliás, só de escrever essa última frase já tenho vontade de vomitar uns 394893 posts que tenho na cabeça mas simplesmente não tenho tempo de desovar. O vídeo e o Youtube, meus amigos, são sugantes demais. Especialmente se você também trabalha, estuda… Enfim, especialmente se você tem uma vida normal em paralelo acontecendo e boletos chegando.

Dei essa pausa por pura necessidade de organização, mas me peguei no meio da semana tendo um bilhão de ideias e anotando – o que foi ótimo! -, mas ao mesmo tempo percebendo o quanto viver assim, sem produzir nada além do esperado de mim enquanto adulta & cidadã de uma cidade grande, é chato. Não me leve a mal agora: muitos bilhões de pessoas vivem assim e são felizes, completas, plenas, com sua rotina, sua família, suas coisas todas… Eu, não. Eu preciso de 500 milhões de coisas acontecendo ao mesmo tempo para não morrer de tédio. Mesmo que eu reclame disso na sequência.

Foi uma semana necessária, mas a verdade é que independente de blog, youtube, curso de teatro ou aula de espanhol, eu tenho essa necessidade absurda de fazer umas milhões de coisas ao mesmo tempo e de sentir que faço aquilo por mim, porque eu gosto, e não simplesmente porque preciso fazer. Foi assim desde a infância: eu era aquela criança que fazia 5 cursos aleatórios ao mesmo tempo (vôlei, handball, inglês, piano e canto?) e ainda tirava boas notas. Pode parecer um pesadelo daqueles para a psicologia infantil, mas funcionava. Eu tinha até agenda com horários para fazer lição e ver TV – elaborada por mim mesma, tá? Não perdia tempo de estudo nem o horário do meu desenho favorito. Enfim, um dia perdi esse bom hábito, mas que era uma baita ideia e funcionava, era… rs

Hoje, bem grandinha, a ideia de entregar todo o meu tempo a somente uma coisa sobre a qual tenho pouco controle (leia-se: emprego) e não fazer nada além-expediente me dá calafrios. Acho que até por isso desde que adquiri o hábito e a disciplina de treino, jamais abandonei: é o meu tempo comigo mesma e nada mais, fora que faz um bilhão de bens que talvez eu nem tenha total ciência agora, mas que provavelmente meu corpo daqui 30 anos vai agradecer. E aí entra o meu “sharear” de conteúdo, o dar opinião, falar, comentar, indagar… É claro que faço porque gosto, já estamos nessa internet há no mínimo 13 anos, mas faço também na expectativa de crescer e de ter o meu negócio, por que não? E, ainda mais, viver sem fazer nada disso simplesmente não está nos meus planos. Pelo menos por enquanto, e pelos últimos 10 anos de existência deste blog, essa vida normal não tem (muita) graça.

Perdão pelos vacilos, mas eu adoro isso tudo aqui. E vou continuar.

cool-iphone-ipod-life-normal-favim-com-356140

Links que valem o share: semana #123

dom

links123_

10. Dez experiências diferentes em São Paulo para sair da mesmice

9. Vila Butantan reúne comidinhas, lojas e programação cultural

8. Scarlett Johanson realiza sonho de abrir uma loja de pipocas (own!)

7. Black Mirror: quatro conexões entre os episódios que você não percebeu

6. Como “Jovens Bruxas” mudou o jogo dos filmes para meninas adolescentes

5. Cara Delevingne detona fofoca sobre estar “gorda demais” para a Victoria’s Secret

4. O novo trailer incrível do filme da Mulher-Maravilha

3. “Trainspotting 2” ganha seu primeiro trailer; sequência chega 20 anos depois do original

2. Beyoncé canta “Formation” e mais sucessos em comício de Hilary Clinton

1. Por que só o esforço individual não garante o sucesso?

Sempre atrasadas: nossa vida corrida e como (tentar) dar conta de tudo

qua

Aparentemente a quantidade de coisas que temos para fazer sempre anda de forma inversamente proporcional ao tempo que temos disponível. Isso porque nem entrei no tema: tenho tempo, falta dinheiro x tenho dinheiro, falta tempo, porque ele ainda pode piorar quando a gente não tem nem tempo, nem dinheiro. rs

Estamos sempre respondendo “na correria” quando alguém pergunta se está tudo bem e nos virando em 30 para dar conta do mínimo necessário. Ler, então, virou um passatempo de luxo para muita gente – eu mesma: com canal, blog, trabalho fixo e treino diário, li pouquíssima coisa esse ano todo e morro de vergonha disso. Por essas e outras, resolvi falar dessa correria toda no vídeo dessa semana: ela gera ansiedade e MUITO atraso.

Quem nunca se sentiu atrasada para dormir? rs Dá o play e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro! ;)

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

Vai ter Funko Pop de Stranger Things!

ter

A Internet já clamava por versões Funko dos personagens de Stranger Things e agora finalmente imagens oficiais foram divulgadas! Os brinquedos são lindos – e assustadores também! Acredito que os fan-favorites que vão sumir das prateleiras são Barb, essa versão da Eleven no tanque – de capacete e descalça – e o queridinho Dustin, que infelizmente ficou com o charme dos dentinhos escondido! rs

strangerthings-2

Barb, Eleven e Demogorgon <3

Além dessa novidade-desejo, hoje mesmo a Netflix divulgou um vídeo em inglês recapitulando a primeira temporada, como se fosse um jornal de TV, e deu também algumas leves diquinhas do que podemos esperar para a segunda. Os bonecos começam a ser vendidos no início de 2017 e a próxima temporada da série chega ao Netflix completa, com um total de 9 episódios, também no próximo ano.

Confira todos os bonecos e veja o vídeo de divulgação da série depois do pulo! ;)

 strangerthings_eleven

Continue lendo →