Presente de Natal: o documentário de Britney Spears com os ensaios para Las Vegas

qua

vai ter o troço da água de novo! SDDS “Dream Within a Dream! 

Britney Spears começa sua residência em Las Vegas nesta sexta-feira, dia 27, e para aquecer os motores, um grande especial foi exibido no canal E! Entertainment no último final de semana. Os shows serão no hotel e casino Planet Hollywood e algumas datas já estão com os ingressos quase esgotados – acredite se quiser! Na página oficial do casino é possível ver todas as datas (algumas semanas terão até 3 shows!), valores e mapa de assentos.

Mas voltando ao documentário: além de ter provado por a+ b que vai botar para quebrar nos números de dança, Britney mostrou momentos divertidos dos bastidores e também contou mais sobre seu trabalho como artista, assunto sobre o qual ela não costuma tratar muito – especialmente quando a mídia tem tantas coisas a mais para especular a seu respeito.

Já dá para assistir o documentário na íntegra aqui:

.

Alguns dos melhores momentos de dança aqui:

.

Segundo o site X-Britney, o canal E! Entertainment do Brasil já confirmou que irá exibir o especial legendado em janeiro. Enquanto isso, também dá para baixar tudo em boa qualidade através dos links deste site. Não sei vocês, mas eu já fiquei com vontadinha de dedicar (novamente!) um pouco das minhas férias a Las Vegas… Esse programa conseguiu deixar bem claro que a residência, no caso de Britney, só vai fazer bem.

E FELIZ NATAL! :D

.

Profissão: fotógrafo de GTA V

sex

Se você não está jogando ainda, o namorado já joga. Se não for o namorado, o primo com certeza. E se não for nem seu primo, tá na hora de fazer uma visita para aquele seu vizinho esperto: GTA V está vendendo mais do que pão quente e certamente será lembrado como “o jogo” de 2013.

Mas não quero falar do jogo pura e simplesmente, não. Quem acompanhou as façanhas loucas que pipocaram na internet, certamente deve ter notado que o cenário é no mínimo interessante e um tanto quanto vivo. A história se passa na cidade de Los Santos, uma fictícia Los Angeles, e tudo ali segue seu caminho independente do que você faça:  o trânsito, as pessoas, o nascer e o pôr do sol… Quase uma cidade real.

E não à toa já apareceram jogadores inspirados o suficiente para fazerem verdadeiros ensaios da cidade. São cantinhos que ninguém reparou e um jeito de colocar a câmera que fizeram toda a diferença.

Estas são algumas fotos do pool “Landscape Photographers of Los Santos and Blaine County” e servem quase como um mapa da mina de coisas lindas para se ver no conforto do seu sofá, entre um assalto e outro. Eu gosto!

.

 

Via Papo de Homem

Love and the city: beijos em Nova York

ter

existe amor em NY

O fotógrafo Matt Weber registra o cotidiano de Nova York há 30 anos. Embora mostre muito da solidão e da dureza da cidade em seu trabalho, a série Urban Romance quebra o gelo com casais da metrópole que não tem medo algum de dar demonstrações públicas de afeto. Embora todas as fotos tenham sido feitas em público, algumas são tão íntimas que nos sentimos vendo pelo buraco da fechadura do quarto alheio.

É possível ver (muitas!) outras fotos da coleção no site oficial de Weber e mais um pouquinho no livro “The Urban Prisoner”.

Via My Modern Met.

.

Justin Timberlake aparece filosófico e poderoso em revista do NY Times

qua

Justin Timberlake e a fórmula do sucesso

É o homem da semana, o homem do mês e provavelmente o homem do ano: Justin Timberlake e seu “The 20/20 Experience” lhe rendeu apresentações memoráveis pelo mundo (e no Brasil <3) e a revista Time, do jornal New York Times, foi atrás de descobrir os segredos do recém-empossado príncipe do pop e deu a ele o título de “mestre de cerimônias” desta geração.

A entrevista mostra um lado um tanto quanto filosófico de Justin e o ex-‘N Sync tem a oportunidade de explicar como tem pensado sua carreira nos últimos anos. Num dos trechos ele explica finalmente porque ficou sete anos afastado da música, pausa que fez todos os fãs morrerem de saudade e que seria capaz de jogar muitos artistas pop que vivem da mídia no ostracismo. A resposta do porquê? Simplesmente “porque sim”.

Como era de se esperar, a entrevista vem acompanhada com belas imagens (!) clicadas por Hedi Slimane. Abaixo, outros trechos bem legais de Justin no modus operandi “filosófico”.


.

“Eu tenho certeza que deve existir algum tipo de auto-ajuda boba sobre a área ‘cinza’. Eu venho conversando sobre isso com meus amigos que têm todos mais ou menos a mesma idade… Sabe, a vida não acontece em preto e branco. É na área cinza que você se torna um adulto… À temperatura média, na cor cinza, no lugar entre o preto e o branco. É aí que a vida acontece”.

“I’m sure there’s some self-help cheese-ball book about the gray area,” he says, “but I’ve been having this conversation with my friends who are all about the same age and I’m saying, ‘Y’know, life doesn’t happen in black and white.’ The gray area is where you become an adult . . . the medium temperature, the gray area, the place between black and white. That’s the place where life happens”

 

.

.

“Não há muita substância na música. Toda a alma da música foi retirada. Agora a música é feita atrás do que está na mídia. Você tem duas ou três cantoras cantando literalmente a mesma música, só com títulos diferentes. Elas dizem a mesma coisa com a mesma melodia e com o mesmo BPM”

“There’s not as much substance [in music]. All the soul of it was removed. It was made for whatever the trending medium was. You had two or three different female artists who were doing literally the same song, just different song titles. They are saying the same thing with the same melody, with the same B.P.M.”

.

“Eu tento explicar para as pessoas o quanto de atuação vai na música. O quanto de um personagem vai naquilo que você mostra no palco. Você já sentou com o Jay-Z? Ele não é o cara que ele é no palco. Eu não sou o cara que eu sou no palco. Eu sou um performer.”

“I try to talk to people about how much acting goes into music,” he says. “How much of a character goes into what you put on stage. You ever sit down with Jay? He’s not the guy he is on stage. I’m not the guy I am on stage. I am a performer.”

Na entrevista, JT também reforça que a segunda parte de seu álbum, chega às lojas já no dia 30 de setembro, é como uma “irmã mais velha, mais intigrante e mais sexy” do primeiro CD. Como não querer ouvir tudo agora depois dessa descrição? Para quem quiser, a matéria completa está aqui.

You go, Justin!

Comidinhas na Casa Nero: Imagens da Semana

sex

A tag fantasma retorna com tudo, com dicas & mais. Para ver todos os posts do Imagens da Semana, clique aqui.

 

UPDATE: O RESTAURANTE ENCONTRA-SE FECHADO DESDE O FINAL DE 2013. 

 

Casa Nero: cerveja gelada, carne boa e drinks bem feitos. Precisa mais?

Uma das minhas hamburguerias favoritas na cidade morreu há algum tempo: era o Chez Burger, ficava na Al. Lorena, e era um dos restaurantes do grupo do Bar Secreto. Depois de alguns meses de tristeza, o grupo relançou o endereço no final de 2012, com uma nova proposta, novo nome e nova decoração – e ainda bons hambúrguers no cardápio: nascia a Casa Nero. E aí eu ganhei outro restaurante favorito.

O nome do imperador só tem a ver mesmo com o fogo da bela churrasqueira que ocupa a cozinha do local, já que a especialidade da casa são as carnes. Também é um bom lugar para pedir uma cerveja e dividir comidinhas de boteco (queijo coalho, pastel, pão de alho, salaminhos…) e petiscar porções de “churrasco” bem mais interessantes que a já batida picanha no rechaud servida por aí.

Carnívora que sou, já perdi as contas de quantas vezes fui na Casa Nero e de quantos dinheiros deixei por lá. Sei que já provei quase o cardápio inteiro e até hoje nada me desagradou. A frequência é ótima, o som é bom, o ambiente bonito e o preço razoável também contribui para o local ser uma ótima opção diante dos abusos que andam rolando em São Paulo. Abusivo mesmo talvez seja só o preço do valet, mas eu estaria sendo injusta se não dissesse que infelizmente é o mesmo valor praticado em toda a região – com sorte, encontra-se uma vaga na vizinhança.

Bem, depois de tantas idas e vindas, tava na hora de contar por aqui, certo? Eis alguns dos pedidos da última vez que estive por lá:

Pastéizinhos de queijo: ou de carne, ou de palmito ou de camarão. Você escolhe ou pede tudo misturado, tanto faz. Massa leve, recheio abundante. Alegria frita de boteco, não há quem não goste!

Bloody Mary: é meu drink favorito já há tempos e infelizmente não é tão fácil de achar boas versões da mistura em São Paulo. Com sorte, a Casa Nero repete a receita impecável do Chez Lorena (do mesmo grupo) e tudo fica dentro dos conformes! <3

Carpaccio rústico: a tradicional salada de carpaccio tem uma pegada bem roots por aqui. Vem numa ótima quantidade, é feita na casa, super saborosa e ainda é acompanhada de um delicioso molho mostarda e desse pão tostado que faz toda a diferença! É meu prato favorito no momento!

 

Gorgonzola Burger: carne ao ponto bem rosada com queijo gorgonzola e a porção de batatinhas fritas crocantes e fininhas que acompanham todos os sanduíches

De sobremesa, o pudim da casa é um must-eat: essa calda leva laranja e é simplesmente de delirar! A receita da sua avó vai ficar com ciúmes depois que você provar esse! hauahauh

.

Outras boas pedidas do cardápio que recomendo: queijo coalho na grelha, batatas fritas (perfeitas!), porção de lingüiça toscana, porção de azeitonas pretas e salaminho para acompanhar uma cerveja gelada, o Black Burger, o steak tartar, o bife de chorizo e o frango desossado. Quando o assunto é bebida, a cerveja de garrafa vai bem, o Bloody Mary é meu favorito e o milk shake de pistache continua 5 estrelas –  já era excelente na época do Chez Burger e continua por lá!

Preço médio: R$60 por pessoa, com entrada e prato principal. Indo em turma, dá para pedir várias porções e provar de tudo.

E só para não dizer que não falei do serviço: já dei pinta lá tantas vezes, que o gerente já chama pelo nome e pergunta se eu quero meu drink. <3 kkk

Coffitivity: barulho de “café” para te manter concentrado

ter

Um sonzinho para te manter produtivo

Quem trabalha em casa sabe da agonia que é não ter nada além do absoluto silêncio para incentivar a criatividade. Você pode ligar uma música ou deixar a TV ligada, mas há momentos que pedem nada menos que um silêncio levemente confortável, algo que não atrapalhe, mas que te impeça de ficar com sono. O mesmo acontece com quem trabalha em empresas e divide o ambiente com mais gente: com muito barulho, fica impossível de se concentrar. Com muito silêncio, até tossir incomoda. Com muita música no ouvido, você não ouve se for solicitado pela chefia. O que fazer, então?

O site Coffitivity trouxe a resposta: o ruído de uma cafeteria seria o som ideal para o ambiente de trabalho. No site, eles falam de algumas pesquisas que relatam justamente o desconforto de se manter produtivo num lugar muito silencioso ou muito barulhento e tiveram a ideia de captar o áudio de uma cafeteria. Basta por o fone, regular o volume e mergulhar no trabalho.

Conforme você vai ouvindo o som, percebe gente falando, xícaras batendo, algumas pessoas que entram e falam levemente mais alto, algumas risadas e outros sons assim que se sobressaem, ótimos para manter a atenção. Se você não abre mão da música, a sugestão do serviço é ouví-la levemente mais alta que o som do Coffitivity. Se você não abria mão de ir até um café para terminar seus trabalhos freelance, agora tem uma alternativa mais barata.

O Coffitivity é gratuito e vai virar app em breve. Já é promessa de sucesso, hein? ;)

Dica do @cprandoni