Afinal, quem é Teyana Taylor, a estrela do clipe de Kanye West?

ter

Numa noite em que Britney’s se redimiram, Beyoncé’s se superaram e Drake’s voltaram no zero a zero, uma mulher aparentemente se destacou no VMA e sequer pisou no palco ali, fisicamente. O nome dela é Teyana Taylor, ou: a dançarina lindíssima do clipe “Fade”, de Kanye West, que foi lançado durante a premiação e fez o Twitter inteiro ficar de boca aberta em casa.

teyana1

Teyana Taylor appreciation gif

Mas afinal, quem é essa moça com um corpo forte e escultural que conseguiu usar uma tanga tão pequena na frente (fiquei incomodada só de ver) e ainda fazer movimentos com músculos que a gente nem sabe se tem em casa para tentar igual?

teyanataylor

Teyana Taylor é o nome da moça de 26 anos que, apesar de dançar muito bem e já ter sido jurada de um reality de dançarinos, é na verdade uma cantora. Ela já teve contrato com a gravadora do Pharrell Williams e hoje faz parte do selo dele mesmo, do santo Pablo, Kanye West. Teyana já fez diversas participações em músicas de outros rappers e tem um álbum e um EP lançados – este último com o nome maravilhoso de “The Cassete Tape 1994”. O clipe mais recente é bacaninha, mas a música nem tanto. Este ano um novo CD deve vir por aí, quem sabe mais interessante.

Embora os trabalhos dela mais recentes não tenham aparecido tanto, é provável que você tenha ouvido falar dela em 2008 por conta dessa música aqui, “Google Me”! Eu já tinha ouvido e lembro que achei genial na época. Mas sabe quando você não liga uma coisa à outra? Então, nem lembrava que era dela!

Se Kanye West queria trazer mais visibilidade para sua “pupila”, certamente conseguiu – até porque, aposto que neste momento tá todo mundo “googlando ela” mesmo. Só não sabemos se pelos motivos certos, já que ficamos todos realmente chocados foi com a aparência. Eu mesma, só consegui pensar numa mistura de Rihanna com Kim Kardashian quando a vi.

teyana2

Só que agora, senta aí que vem a cerejinha do bolo dessa história toda: há 8 meses, em dezembro de 2015, ela estava dando a luz seu primeiro filho. Sim, este é o corpo dela depois de 8 meses de ter tido nenê. O marido dela, aliás, é o rapaz que também aparece no clipe de Kanye no final – tudo em família!

Olha, se ela quiser tentar uma carreira como blogueira fitness em paralelo… Eu certamente acompanharia! E aposto que o Twitter inteiro também! :O

kimkvma

Kim aprova!

A galinha de corset: o novo clipe viral vem da China

ter

Dois anos depois do hit “Gangnam Style”, vem da China um novo vídeo maluco para bater de frente com o posto deixado por PSY. A chinesa Wang Rong e seu clipe de “Chick Chick” cruzaram a fronteira do ocidente nas últimas 24 horas e tomaram a imprensa gringa com uma música grudenta cheia de sons “da fazenda”.

Dançando de corset ao lado de bailarinos mascarados de cavalos, galos ou cachorros, a chinesa entoa sons bizarros que dizem apenas “Mãe galinha”, “Pintinho”, “Galo” e “Quem roubou a ração do meu frango?”. A música mesmo fica em segundo (ou terceiro?) plano. É provavelmente a coisa mais absurda que você vai ver hoje – e não se espante se em muitos momentos você se lembrar de “What the fox say?”. Parece que é proposital.

A música é uma chatice sem sentido e pior que PSY, mas isso prova que o som, enfim, pouco importa para emplacar um vídeo na internet. O mais curioso é que na própria China, o vídeo não tem todo o sucesso que já conquistou no Youtube. Por lá, o acesso ao player de vídeos do Google é bloqueado e a publicação oficial do clipe tem “apenas” 2,5 milhões de acessos. No YT, o número já passa de 6,5 milhões.

“Hashtag My Ass”: música faz serenata interativa com seu Instagram

qui

Só falar de “Selfie” e cantar nomes de filtros no Instagram, como fizeram os Chainsmokers, não basta mais. Para aparecer mesmo, precisa criar um ambiente interativo em que o ouvinte possa se encantar com a sua música enquanto ele fica impressionado vendo as próprias fotos do Instagram invadirem a tela. Ah sim, ter umas buzanfas balançando ajuda também.

Foi essa a ideia do produtor francês Etienne de Crecy para divulgar a música “Hashtag My Ass”. É só ir no hosite e logar com o seu instagram para experimentar. O engraçado é que ao invés de promover um OLÉ nos indivíduos que enchem suas fotos de #hashtags #muito #chatas #e #inúteis, o hotsite da música cria um clipe interativo em que o vocal canta as tags que você anda botando nas suas fotos.

Depois de viver a experiência conectando com o instagram, o vídeo sobre também no canal do projeto no Youtube. Este é o meu, feito com minhas fotos e hashtags postadas no meu perfil:

Para ouvir a música (quase) inteira sem intervenções de #selfie #tbt e #aboutlastnight, dá pra ir no Beatport.

Anjos de patins: matando as saudades dos clipes simples e bem executados

qui

Ando com preguiça de clipes pop. Somos bombardeados com teasers, pequenos vídeos no instagram, longos vídeos no Youtube. Clipe gigante com 300 trocas de figurino, outro com efeitos absurdos trabalhados à exaustão e com espaço para todos os merchands de celular que você puder imaginar. Isso sem contar os músicos que tentam atuar e definitivamente não nasceram para isso.

Tenho visto muito menos clipes por aí, até mesmo porque largo no meio com muita preguiça da egotrip de alguns artistas. Acontece até com gente de quem gosto, juro! E alguém precisa avisar que uma referência que deu certo uma vez não dará certo para sempre, a não ser que o seu intuito seja fazer o público derreter de tédio em frente a sua videografia inteira. Sim, Iggy Azalea, eu olhei pra você nesse parágrafo. Sim, Lana Del Rey, seus últimos vídeos deram preguiça. 

Penso que tudo o que uma boa música precisa é de um clipe que não a atrapalhe, apenas encha os olhos de curiosidade para te manter assistindo. E então hoje vi o clipe de “Gold”, do Chet Faker.

Coisa simples: uma ideia bem executada e exímias dançarinas desfilando de patins pela tela. Coisa que custa mais barato e aparentemente dá mais prazer pra quem faz. O próprio Chet faz uma ponta dramática e misteriosa lá pelo final, e é suficiente.

Em tempos de vídeos que parecem engolir manuais de tendências e coolhunting, é bom lembrar que dá para ser inovador usando a velha carta da coreografia. Sim, encaminhe essa indireta para Katy Perry.

O clipe:

.

A música é fantástica, mas este clipe entra facilmente para minha lista de referências audiovisuais incríveis & simples. Apesar de ter tabalhado numa série de vídeos de músicos alternativos, o diretor de “Gold”, Hiro Murai, também já esteve com gente bem conhecida, como Queens of The Stone Age, David Guetta e Bloc Party. Vale a pena ver outros trabalhos dele.

Sobre as patinadoras, não encontrei muitas informações, mas elas são Appleusa McGlynn, April Corley e Candice Heiden. Certamente merecem todos os louros pelo trabalho!

.

John Mayer e Katy Perry dão amostra do que fazem em casa em novo vídeo

ter

…E não é impressão só minha, não! Pesquisas apontam que mais de 80% das mulheres que assistiram ao novo clipe de John Mayer em parceria com Katy Perry, “Who You Love”, se sentiram com uma grande vela nas mãos!

Katy Perry e John Mayer em “Who You Love”

A música faz parte do mais recente álbum de Mayer e traz cenas de casais se divertindo num touro mecânico, inclusive ele e a namoradinha. Intercalando com as imagens cheias de pó, a dupla se olha, se cheira e Katy parece estar sentindo aquele frenesi adolescente que a gente não sabe o que é há pelo menos uns 10 anos. Brincadeiras à parte, a gente até entende que se trata de um casal e tanto, mas veja: get a room! rs

A música é uma baladinha suave e, podem me crucificar, mas o vídeo repetitivo ainda contribuiu para aquele soninho esperto. O que me fez acordar foi essa super cola de cílios postiços da Katy, que aparece quase o vídeo inteiro quando ela está de lado. Quedê o maquiador de sempre, hein?

.

.

Depois desse vídeo super *íntimo*, é bom mesmo que o John Mayer não faça nenhuma bobagem...

Beyoncé muda as regras do jogo e lança CD “visual’

sex

Nesta madrugada, Beyoncé lançou de surpresa seu quinto álbum de estúdio, chamado também “Beyoncé”. Com 14 faixas, o disco é um projeto visual que conta com 17 vídeos acompanhando-o. Quem compra o álbum no Itunes, recebe um super pacote de música e vídeo como nunca antes tínhamos visto.

.

Beyoncé: a frente das outras?

Se Beyoncé gastou muito dinheiro com isso? Com certeza. Se ela vai lucrar em dobro? Talvez. Se ela mudou as regras do jogo? Bem provável. No primeiro vídeo explicativo do projeto, ela conta como tomou a decisão de lançar o disco desta forma e fala o quanto todo mundo achou que ela estava louca ao propor a ideia.

.

Só ficamos com a dúvida de quando a cantora vai publicar os vídeos de forma oficial na internet – se é que ela irá fazer isso, já que está vendendo também os vídeos. Por enquanto, em seu perfil oficial existem apenas alguns teasers de 30 segundos de cada clipe.

Obviamente alguns já vazaram, como “Grown Woman” (vídeo que é bônus no grande pacote do disco), Haunted e “Pretty Hurts”, mas a polícia Youtúbica está lá tirando tudo do ar, o jeito é pesquisar mesmo, pois é possível que quando você ler este post, o material não esteja mais no ar.

Não dá para saber o quanto as pessoas estão dispostas a pagar para ver vídeos de artistas na internet, mas acho que com certeza já ultrapassamos da fase do “ninguém paga por nada na internet”, vide o sucesso do Netflix e por aí vai. Para quem se interessar, deixo os teasers postados pela cantora, com destaque para “Blue”, gravado aqui no Brasil.

.

.