Fomo: o que é e como diminuir essa ansiedade nas redes sociais

qua

Se você gosta de ler matérias gringas sobre comportamento, certamente já se deparou com a expressão que simboliza a grande ansiedade do momento: ‘FOMO’, que significa ‘fear of missing out’. Em português, daria para traduzir e adaptar para ‘medo de ficar por fora’, algo tão comum atualmente e que, neste caso, está diretamente relacionado à overdose de informações e experiências que chegam até nós via redes sociais.

No vídeo da semana, resolvi explicar um pouco sobre o que é isso e o que fazer com essa ansiedade generalizada e com a constante sensação de que não estamos aproveitando bem as milhares de possibilidades que se apresentam à nossa frente. Afinal, quem nunca acabou optando por pegar o celular num jantar em grupo, só para não acabar ficando ‘sozinho’? Parece loucura, mas acontece cada dia mais!

Dá o play e inscreva-se no canal para receber os vídeos primeiro! 


Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

 

Salto alto: dresscode ou imposição?

sex

É difícil, mas a gente tenta sim se empoderar cada vez mais e trabalhar muito para ir descontruindo algumas coisas na nossa cabeça. Porém, algumas imposições parecem continuar no fundo do nosso subconsciente e custam a nos deixar. Uma delas é a obrigação do salto alto em eventos sociais ou mesmo em situações específicas de trabalho.

Já está provado por a+b que ninguém precisa de salto para estar arrumada, sexy ou poderosa (e os 3 juntos inclusive), mas quem nunca botou um salto simplesmente porque se sentiu “obrigada”, porque queria estar bem na foto ou porque o chefe não acha que você vai estar apresentável pra reunião se não estiver 10cm acima do solo? Devia ele estar mais preocupado com sua performance na reunião e não com o que você calça, não é mesmo? É.

No vídeo de hoje, falo sobre o ocorrido no Festival de Cannes (beijo, Julia Roberts!), que segue um ‘dresscode’ violento que exige saltos nas alturas no tapete vermelho, sob o risco da convidada ser barrada do evento. Além disso, do lado gente como a gente, há o caso triste da garçonete inglesa que se machucou feio graças a um suposto ‘uniforme’ de trabalho que exigia saltos. Até quando? Dá o play e vem pra discussão! 

Inscreva-se no canal e receba os vídeos primeiro! 


Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

 

Não tem blog, agora é só canal? E outros comentários comentados!

qua

Vídeo de hoje é um papo sincerão sobre Youtube e também meu obrigada pelo crescimento do canal no último mês! Foi realmente incrível e não quero parar! Agora, há uma parte do vídeo que é dedicada especialmente a você, que lê (ou lia)  o blog e talvez esteja se espantando com menos posts escritos.

Tive pouco retorno de vocês leitores com relação a isso, então acredito que a maior parte das pessoas curtiu a mudança, mas mesmo assim achei importante falar – de forma clara – porque mudei meu foco na produção de conteúdo. Não foi algo muito planejado, mas aconteceu e meu dia continua tendo 24 horas apenas. rs Acredito que os espaços possam se complementar, mesmo que com níveis de prioridade diferentes, mas tô contando tudo e explicando meu posicionamento aí depois do play! ;)

Inscreva-se no canal e receba os vídeos primeiro! 


Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

 

Procrastinação e preguiça crônica: quem nunca?

sex

Eu sou super certinha com prazos, entregas, estudos. Mas quando se trata da vida pessoal, minha organização é caótica – para não dizer inexistente! No vídeo de hoje, um papo sobre procrastinação e preguiça crônica de fazer aquelas tarefinhas chatas que sempre podem ser adiadas para amanhã.

Ligar no cartão de crédito, lavar o carro, marcar um médico, buscar uma encomenda… Se você entende do que eu tô falando, certamente vai curtir o vídeo! rs

Antes de dar o play, inscreva-se no canal e receba os vídeos primeiro! ;)


Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

 

[VÍDEO] Beleza real ou ditadura do Facetune?

qua

Primeiro vídeo da semana no ar e dessa vez com uma discussão diferente: será que quanto mais falamos sobre ‘beleza real’ e naturalidade, menos espaço damos para isso acontecer? E será que a obrigação pelo amor próprio não pode ser tão prejudicial quanto um padrão estético inatingível? Trouxe a Camys do Pensando Magro para conversar comigo sobre essas questões e o papo foi ótimo!

Antes de dar o play, inscreva-se no canal e receba os vídeos primeiro! ;)


Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

 

Crash de gerações: conversando com a mãe sobre casamento, drogas e balada

sex

Dia das Mães chegando e convoquei a minha para gravar um vídeo bem especial para o meu canal. Aliás, acho que mesmo com todos esses dez anos de blog, minha mãe nunca deu as caras por aqui né? Vai entender! haha

Convidei a famosa tia Sonia para conversar sobre alguns temas que a gente pensa diferente ou que tivemos experiências totalmente distintas, desde casamento até política, drogas, gravidez e baladas. É muito curioso ver como as coisas mudaram: com a minha idade minha mãe já estava casada faz tempo e, aos 35, quando ela se separou, achava que não tinha mais tempo pra ‘se reinventar’. Louco, né? Espero que vocês curtam!

Antes de dar o play, inscreva-se no canal e receba os vídeos primeiro! ;)

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.