6 clipes de 2015 que parecem de outra época

qui

Pelo que se lê nas timelines da vida, 2015 não foi um ano assim que se possa chamar de a-gra-dá-vel. Crise política e financeira, dólar nas alturas, vários famosos queridos nos deixando e os problemas pessoais que cada um pode por na conta e refletir aí em casa. Será que essa torta de climão generalizada influenciou os artistas a ficarem mais nostálgicos que o normal?

hello_adele2

Hello?

É claro que qualquer relatório de tendências mostra os anos 90 bombando e que qualquer artista pode, a qualquer momento, lançar um trabalho que pareça deslocado de sua realidade, seja com uma cara retrô, seja com um quê de futurismo. Mas o fato é que esses vídeos não só homenagearam o passado quanto emularam suas roupas, tecnologias e até o formato. Não tem aquele quê de sátira ou ‘remake’, mas sim de produção original da época – como seria feita na época -, se é que me entendem.

adele_hello_

há quanto tempo cê não usa um orelhão?

Seis clipes de 2015 que parecem de outra época

Separei seis vídeos de 2015 que tenho certeza que podem causar muita confusão num quiz de ‘em que ano esse vídeo foi feito?’ daqui a um tempo! Dá pra responder se foi em 94, 99 ou 2015? Você me diz!

6. “Lista VIP”, Karol Conka e Boss In Drama

Tirando a palavra ‘insta’ da letra da música, dá até pra cair na pegadinha! O clipe evoca uma grande festa digna de “Embalos do Sábado à Noite” featuring Village People – isso graças ao time de figurantes masculinos muito bem paramentados! Os cabelos também são ponto alto para reparar, muitos cachos bem naturais e de todos os tipos, como era de se esperar lá pelos 70’s.

ps: amei Jana Rosa de hostess.

Continue lendo →

Festival Planeta Terra e a euforia por Lana Del Rey

ter

.

Por onde começar a falar sobre o Planeta Terra 2013? Em sua sétima edição, o festival que tem mais cara de São Paulo marcou mais uma vez seu nome na agenda dos amantes de música e trouxe headliners que há muito o público queria ver. Estreou num novo local, o Campo de Marte, e com louvor: fácil de chegar, sair, estacionamento a preço justo e horários adequados para quem queria pegar metrô.

Por outro lado, sentimos saudades principalmente dos talentos “intermediários” que faziam nosso coração balançar entre um show e outro –  o que assistir? Como vou me dividir assim? – e das atrações eletrônicas incríveis, que sempre davam conta de fechar o festival de forma épica. E bem mais tarde da noite.

.

foto: reprodução/Terra

.Entre Blur, Beck, Travis, The Roots e Lana Del Rey, o público parecia ter chegado ali já com seus favoritos de cabeça. Blur veio com um setlist preciso e mostrou a que veio de cara ao abrir com “Girls and Boys”. Por coincidência (ou não!), os maiores hits do grupo estão compreendidos bem na “era” da modinha atual, os anos 90. Foi um retorno ao Brasil que veio bem a calhar, já que na última passagem dos caras em 99, dizem os críticos, a comoção não foi das maiores. Fato devidamente corrigido.

The Roots foi, para mim, uma grata surpresa. Uma música forte, que bate no peito e uma apresentação feita para qualquer ser humano que goste de música curtir. Fazia tempo que não via um show feito com tanto gosto e paixão. E eles ainda tinham uma tuba no palco, quer dizer… Eles fizeram valer o dia.

Travis fez um som delicioso, gostoso de ouvir e embalou bem tanto fãs quanto quem estava ali apenas aguardando o nome que mais causou euforia na noite: Lana Del Rey.

foto: Reprodução/Veja

Depois de ver vídeos e mais vídeos de Lana Del Rey beijando e abraçando fãs em Belo Horizonte, sabia-se que o mínimo que a cantora faria em São Paulo seria tentar repetir o calor. De fato: logo após cantar “My pussy tastes like pepsi cola….”, a cantora desceu do palco como que para deixar os fãs provarem um pouco de seu mel.

Foi uma comoção do início ao fim do show e de uma forma que, eu juro, só vi no show da mãe mostra Lady Gaga – e olhe lá. Era fácil olhar para o lado e ver rostinhos que se sentiam profundamente representados pelas músicas melancólicas e fatalistas de dona Del Rey. E como soam bem as músicas ao vivo.

Embora tenha uma voz um pouco “menor” do que o que aparenta nos álbuns e nos shows gravados, Lana-Lizzy Grant entrega exatamente o que se ouve num single. Canta com vontade e passeia pelo palco com a presença de uma diva das antigas – com seu rosto das antigas e até seu tipo físico que lembra alguém de outros tempos. Tudo envolto por um clima etéreo bucólico e com guitarras pesadas, que por muito tempo solaram no palco enquanto Lana distribuía amor e simpatia na plateia.

Foi um show bastante especial para os fãs, disso não tenho dúvida, mas faltou algo que talvez falte no próprio repertório de Lana: o tal do punch, que os colegas do outro palco The Roots tinham até para distribuir. As músicas de “Born To Die” e sua “Paradise Edition” são lindas, são densas, são intensas, mas falta uma batida, um sobressalto, algo que faça o coração explodir de tesão, nem que seja antes de dizer adeus.

Se as músicas de Lana são cheias de melancolia e pulsão de morte, falta agora a ela descobrir o que a move para frente. Talvez isso nem seja tão difícil assim, não. Com um público caloroso destes, a resposta deve estar bem à frente. Como ela mesma disse ao abrir o show: “Vocês me lembram porque eu gosto de fazer música”.

O show completo:

.

Sem dúvida, o Planeta Terra foi recheado de ótimas canções e, quem diria, de hinos de gerações tão diferentes, mas tão parecidas. Se antes o tédio 90’s era de “Coffee & TV”,  agora é de “Summertime Sadness”.

E que venha ano que vem: em 2014 tem mais Planeta Terra!

Lana Del Rey vem para o Planeta Terra 2013!

ter

Lana Del Rey se apresenta no festival Planeta Terra 2013

Dia 9 de novembro: é este o dia em que os fãs brasileiros poderão ver e ouvir Lana Del Rey, nome mais comentado da música em 2012 (principalmente neste blog!), que chega com delayzinho ao Planeta Terra 2013. Ao lado da musa, a produtora dos shows anuncia também Clarice Falcão, O Terno e BNegão, que se juntam aos já anunciados Blur, Beck e Palma Violet.

Os ingressos começam a ser vendidos no dia 22 de julho, à 0h01, no site da Tickets for Fun, em pré-venda exclusiva para clientes que possuem o cartão Ourocard, do Banco do Brasil. A partir das 0h01 do dia 26 de julho, a venda é aberta ao público em geral, portador de outros cartões. Os preços do primeiro lote são de R$300 (inteira) e R$150 (meia). A edição deste ano do festival acontece no Campo de Marte, na zona norte de São Paulo.

Será um dia de muitas emoções, dia para cantar bem alto “go play a videogame”, “my pussy tastes like pepsi cola” e “will you still love me when I’m no longer young and beautiful”. Sei lá, já tô ansiosa. E pra descarregar dessa melancolia toda, se o headliner mandar “Song 2” no fim do dia, tudo certo!

.

– Woo-hoo, When I feel heavy metal!

Na cabeça: orelhas de gatinho ou guirlanda de flores?

sex

Nas primeiras fotos em alta qualidade que o mundo viu de Lana Del Rey, ela estava lá. Em meia dúzia de frames do clipe “22” de Taylor Swift, ela estava lá também. Endossada pelas duas cantoras, a tiara já é o acessório da vez há algum tempo e não há previsão da modinha passar. Como tem acontecido com toda muita “modinha”, se no Coachella os moderninhos ainda estavam usando, pode apostar que  muitas coleções vão continuar insistindo no assunto. 

.

gatinho ou florzinha: qual faz sua cabeça?

Enquanto Lana Del Rey apostou por muito tempo nas guirlandas florais e era tida como esquisitinha, o acessório ganhou adeptos e até a própria Lana acabou abandonando as flores. Enquanto isso, outras fãs famosas aderiram ao visual de *musa campestre* e várias lojas fizeram suas versões.

Lana Del Rey e as adeptas: Alexa Chung, Katy Perry, AnnaSophia Robb,
V
anessa Hudgens e Lucy Hale

Taylor Swift deu espaço para a tiara com orelhas de gatinho aparecer bem no momento de festa do clipe “22”. O modelo já tinha aparecido há algum tempo na coleção de acessórios da Topshop (chegou inclusive a vender aqui em São Paulo)  e bombou mesmo com a aparição no clipe.

Não à toa surgiram ordas de tutoriais mostrando como fazer sua “kitty headband” em casa. Eu não sou prendada e sinto que é preciso ter menos de 18 anos ou estar em um clipe para usar, mas o que estou dizendo, não é mesmo? É uma gracinha e acabei comprando uma versão baratex no Ebay. Aguardem fotos! rs

Taylor Swift e as adeptas: Lena Dunham (no ensaio para a Asos), Pixie Lott e a blogueira Alix

Enquanto a tiara de gatinha te deixa com um ar de “wannabe princesa da festa”, a “guirlanda”, coroa de flores ou tiara de flores, como quiser, tem um ar mais romântico e até um pouco sério. Agora chegou a hora de escolher: com qual você fica? Escolheu? Então tá, porque essa mistura de gatinho com florzinha é simplesmente inaceitável.

.

.

A mistureba é culpa da Urban Outfitters. O horror!

 

Lana Del Rey cantando “Blue Velvet” na festa da H&M

qui

É claro que o comercial da H&M com Lana Del Rey não seria lançado sem uma festinha, né? A propaganda está na TV, a coleção já chegou às lojas e agora é hora de comemorar!

segura essa secada que ela tomou do músico gatinho! 

Ontem à noite rolou uma festa fechada em Nova York e é claro que a estrela da coleção “LA Noire” fez um show especial. Lana cantou seus hits, incluindo “Blue Jeans” e  “Video Games”, fez “Body Electric”  também e, claro!, apresentou sua versão para “Blue Velvet”.

Vê só o vídeo, que lindinha!

.

E o melhor de tudo é: a montaçãoLana voltou com uma versão moderada do topete, agora sim usável. Do pescoço pra baixo, vestido mullet “pretinho básico” e blazer com destaque para a lapela, renovação de um clássico daquelas que vale a pena investir. Fez a lição de casa direitinho! Fofa!

.

Anão corta o barato da Lana Del Rey: veja o comercial da H&M e o making of

seg

Lana Del Rey e o namorinho com o microfone das antigas

Desde que Lana Del Rey foi anunciada como garota-propaganda da H&M, a expectativa era de que o comercial fosse algo “bizarro e lindo”, já que a inspiração vinha do universo de David Lynch, algo que também já é de costume dos clipes da moça.

Para a propaganda, Lana regravou a canção “Blue Velvet”, de Tony Benett, vestiu as roupas da coleção, foi hipnotizada e enfrentou  um set cheio de sósias. Mas o mais engraçado mesmo é que o vídeo acaba quando um anão corta o barato de Lana e desliga o som! hahaha

.

Achei o vídeo meio bizarro e não muito bonito, confesso. As roupas muito claras não foram favorecidas pelo cenário e o começo e o fim são bem sem pé nem cabeça, mas não de um jeito bom como num filme do Lynch. hehe

Por outro lado, o making of do comercial ficou bem legal e conseguimos ver mais detalhes das roupas e até da montação da Lana:

.

Topetão x Lisão

Falando de montação, logo depois que o comercial vazou na internet, Lana já foi vista com o cabelo sequinho, liso, escorrido e dividido no meio do jeito que as mamães mandam. Será o fim do topetão?

.