Onde me hospedei em Nova York: Hotel x AirBNB

sex

Depois de definir duração da viagem e comprar passagens, escolher onde ficar é com certeza a decisão mais difícil e essencial para uma viagem ser bacana, até porque é aí que morre a maior parte do orçamento das férias. Já fiquei em hostels bons e ruins, hotéis bacanas e pega-trouxa, mas ainda não tinha testado alugar um imóvel, uma terceira opção que se mostrou muito interessante, especialmente para quem vai para grandes metrópoles.

podhotel51

Pod Hotel 51: saguão, quarto duplo simples e roof top

Quando fui para Nova York em 2012, fiquei no Pod Hotel, uma opção econômica, bem localizada, que recebe seus pacotes sem cobrar taxa (<3!) e, sobretudo, limpa! Pausa para um parênteses importante: antes de fechar qualquer hospedagem por lá, leia reviews no Trip Advisor e se alguém reclamar sobre bed bugs, nem pense em ficar neste lugar. É um problema sério e, depois de passar o dia todo na rua e em metrô sujo, tudo o que você quer é banho e cama limpa, pode acreditar. Ah, sim, como você é esperto, nem preciso falar que esse tipo de coisa não necessariamente tem a ver com o preço, né? Então tá!

Fechado o parênteses, a verdade é que mesmo o Pod sendo uma opção mais em conta, os preços de hospedagem da cidade estão cada vez mais surreais, principalmente para quem vai ficar mais de 10 dias. Alguns hostels e pousadas à la bed & breakfast, inclusive, nem aceitam essa quantidade de diárias. Portanto, para comportar meu pequenino roteiro de 16 noites, o AirBNB acenava como uma opção absolutamente viável.

airbnb

A tela de busca do AirBNB: você pode buscar imóveis por localização,
datas, valor e também selecionr a moeda de preferência

E assim foi. Mesmo sendo uma viajante acostumada a fechar todos os detalhes por conta própria e pela internet, o sistema me dava um pouco de medo. Achava que podia tomar calote ou que o dono do imóvel poderia cancelar tudo em cima da hora – esse era meu maior temor, à bem da verdade. Depois de conversar com amigos que só viajam nesse esquema e ler um pouco mais, descobri que há todo um sistema de segurança para contornar tragédias do gênero. O site penaliza o dono do imóvel e também paga ao viajante uma nova hospedagem. Ou seja: DE BOA NA LAGOA.

Depois de selecionar as datas, pagar (bem mais barato que hotel) e confirmar o apê, embarcamos super tranquilos com a opção que fizemos. Chegamos em Nova York, enrolamos no aeroporto, enrolamos num café na vizinhança, e finalmente fomos até o apartamento no East Village no horário do check-in – tipo hotel mesmo, só que sem lobby para aguardar. Encontramos o marido da locatária na porta e ele simpaticamente nos ajudou com as malas escadaria acima, além de mostrar os segredos do prédio antigo e tradicional.

airbnb2

Home sweet home: alguns detalhes do estúdio que nos hospedou tão bem nas férias!

Assim como as reviews do imóvel adiantaram, o estúdio era uma graça, bem como nas fotos, limpo e com uma cozinha razoável para fazer pratos rápidos ou aquecer comida pronta. O sonho de cozinhar em Nova York ficou no Brasil, mas todo o resto foi realmente incrível e relativamente espaçoso durante os mais de 15 dias seguintes.

Metrô a duas quadras e uma vizinhança tão tranquila e ao mesmo tempo bem localizada que muitas vezes esquecíamos que estávamos na cidade grande – além de, claro!, andarmos para absolutamente tudo. No fim das contas, peguei apenas um táxi para sair do aeroporto e usei um Uber para voltar – carro executivo e ainda mais barato que os yellow cabs. Melhor impossível!

Veja mais posts de Nova York!


ps: tenho uma pequena lista de lugares que hostels e hotéis que adorei e outros nos quais não ficaria nunca mais. Faço um post? ;)

Comentários via Facebook

11 comentários

  1. Fernanda, faz o post da sua lista sim! Me tira uma dúvida no apê que vc alugou, os locatários ficam em casa?!

    Bjos!

    Responder
    1. Fernanda Pineda

      Oi Ana!
      Não, nós alugamos o apê inteiro. Ele só nos recebeu para entregar as chaves e explicar o apê. Quando fomos embora, deixamos a chave na mesa e batemos a porta – simples assim! rs Foi super tranquilo.

      Responder
  2. Thiego

    Gosto do seu blog porque me faz conhecer lugares novos, e ficar por dentro das novidades de viagens que um dia irei

    Responder
    1. Fernanda Pineda

      Eba! Que legal ouvir isso! <3 VIajar é uma das melhores coisas da vida!

      Responder
  3. Danilo

    estou em paris e vou ficar em londres todos em airbnb!! Pra mim é muita vantagem, escolher o bairro e o melhor, muito mais barato que muitos hoteis! Vale a pena!

    Responder
  4. Lilian

    Qdo fomos a NY tbm usei o Airbnb, foi bem tranquilo, estavamos em 5 e ficou bem mais em conta.. publique a lista sim, please :) bjos

    Responder
  5. Gisela Moreira

    Fernanda, faça o post sim, adoro ler sobre hoteis. Estou indo a NY em maio/15 com meus pais, e, como eles já têm uma certa idade, optamos pelo Novotel Times Square (maravilhoso, já ficamos lá antes). Minha primeira experiência com o AirBnb será em fevereiro/15, quando estarei na Itália. Optei por alugar 2 apês, um em Roma e outro em Florença. Saiu muito em conta. Acontece que meus pais fizeram uma viagem em setembro a Roma e eu pedi que eles dessem uma olhadinha antes na região do ap… quando eles voltaram, contaram que acharam o lugar um tanto esquisito, pixado.. Sabe como é, né? Eu sou carioca, apesar de achar que me viro em todos os lugares, e que as pessoas são meio neuróticas, tb sei que nós temos “cara de turista” e somos facilmente identificáveis. Conclusão: cancelei com antecedência o ap de Roma e não tive problema algum (eu tinha optado por um ap com cancelamento fácil – isso tem que ser verificado sempre), conversei de boa com o proprietário (inventei uma desculpa plausível), e ele foi extremamente educado. Reservamos outro hotel e vamos experimentar o apartamento em Florença, espero que dê tudo certo.

    Quanto a NY, eu só fico com receio daquela proibição de aluguel por menos de 30 dias, vc sabe se isso ainda rola?

    Bjos!

    Responder
  6. Larissa

    Faz o post sim!
    Adorei esse!

    Responder
  7. Liz

    Fe, você pode postar o link do apê do Airbnb que você alugou? Estou indo pra NY pela primeira vez em Maio. Estou fazendo um roteiro não tradicional e a maior parte das coisas que quero conhecer fica no Brooklyn, mas todas as recomendações que leio é para ficar em Manhattan na primeira hospedagem. O que você acha? No Harlem achei uns apês bacanas, mas também li uns comentários desfavoráveis, você chegou a conhecer esse bairro? Beijos!

    Responder
  8. Carol Neumann

    Fernanda, conheci seu blog hoje e já fui lendo todos os posts, estou adorando! O que mais me chamou atenção nesse post, foi você citar o AirBNB. Conheci esse site essa semana e fiquei meio na dúvida se realmente funcionava, não estava pesquisando sobre ele em si, mas sim visitando seu blog e aí surge uma experiência sua com o site. Adorei, com certeza planejo usá-lo em minhas futuras viagens e gostaria de ver mais dicas como estas sim!

    Parabéns pelo blog e pelo conteúdo que você desenvolve, é muito bacana!

    Um beijo
    http://www.carolneumann.com.br

    Responder
  9. lari

    Eeee feeeeer! Depois posta sua lista de hoteis! E compartilha cas amiga o ap que vc alugou no airbnb!

    Responder

Deixe seu comentário