Britney Spears em São Paulo: Imagens da Semana

sáb

Para ver tudo o que já postei nesta tag, clique aqui.

Neide, sua trupe e mil e uma câmeras a postos

Nesta semana, Britney Spears quebrou o jejum de dez anos sem vir ao Brasil e se apresentou no Rio de Janeiro e em São Paulo. Ao contrário do que os fãs cariocas andaram dizendo por aí, nossa princesinha não se empolgou tanto com o show aqui na capital paulista nesta sexta e talvez este tenha sido o grande motivo da minha impressão final do show: um misto de alegria com decepção.

Sou fã de Britney Spears incondicionalmente e acompanhei muitas turnês dela pela internet, especialmente as da era de ouro, como “Dream Within a Dream” (2001) e “The Onyx Hotel Tour” (2004), por exemplo. É claro que muita coisa aconteceu e muita coisa mudou dessa época até agora, mas ao final do show por aqui não tive como não querer dar o play no meu DVD e imaginar tudo o que poderia ter sido e não foi.

A tão criticada forma física de Britney está em vias de melhora e as dancinhas da cantora não foram tão prejudicadas assim. Não houveram, é claro, os grandes momentos de coreografia a que fomos acostumados, mas não dá pra dizer que a cantora “não dança mais”. Deixo isso para os críticos. Brit está sim mais magra, está naquela fase de quem emagreceu e ainda não definiu, e está a caminho de ficar perfeita novamente. Está completamente aceitável, apesar de alguns fãs ainda criticarem a cantora, mamãe de dois filhos recém-recuperada de uma má fase emocional, cabe lembrar.

A questão é que o show para os 30 mil que estiveram na Arena Anhembi ontem à noite foi lindo, foi perfeito mesmo, produção impecável. Das pops todas que passaram pelo Brasil este ano, sem dúvida Britney teve a melhor estrutura; fora os bailarinos excelentes – e gatos! Mas, vamos chegar ao “mas”, o problema foi que a estrela maior do show esqueceu de brilhar para seus súditos.

Todos os fãs já estão acostumados com o fato da cantora não cantar ao vivo; nas eras “antigas”, aliás, isso era até disfarçado e a cantora chegava a soltar a voz em alguns momentos, mas hoje a coisa é assumida  e apenas dois DJs fizeram o papel de músicos no segundo andar do palco.

Mesmo sabendo de tudo isso, a apresentação teria sido perfeita se Britney tivesse se divertido mais, se jogado mais, conversado mais com o público. Ela parecia insegura para dominar o espaço que lhe foi dado e seus olhos pareciam procurar aprovação, ao invés de reinarem absolutos para a multidão que vibraria ainda mais a qualquer movimento que ela fizesse. Faltou espontaneidade.

Sabemos que o pai da cantora tem controlado com mãos de ferro sua carreira e talvez hoje seja este o problema para que ela recupere o brilho de artista de antes. Ou talvez não. Talvez ela precise ficar fora dos holofotes para voltar renovada daqui uns anos, criar os filhos e namorar mais um pouco seu Jason, sei lá.

Sei que eu, como fã, fiquei feliz de ver minha ídola ali na frente, mas ao mesmo tempo fiquei triste de encontrá-la com tanto desânimo. Ela dançou, ela rebolou, ela riu, ela falou “olá, São Paulo”, mas faltou emoção. Como comentei com as amigas no show ontem: foi ótimo pra mim, cantei, gritei e só não chorei porque faltou mais uma música lenta para o meu gosto. Só queria ter visto tudo isso em 2004.
 .

 Para fechar, algumas fotos que consegui fazer do show de ontem e o lindo encerramento ao som de “Till The World Ends”:

.

o maiô preto e as asas de Britney no final do show com “Till The World Ends”

a entrada da cantora em “Gimme More”, minha performance favorita do show

no segundo andar, em “Gimme More”

Na penúltima parte da apresentação, que contou com medley de “Baby One More Time” e “S&M”

.

Comentários via Facebook

8 comentários

  1. Fernanda

    Eu acho que, quando a gente é fã, é muito difícil o show ser realmente ruim. Mas saí com mais decepção do que alegria do show da Britney. Nem tanto pelo fato de ela não cantar e não dançar como antes, mas pelo fato de ela ‘cantar’ um monte de música do cd novo desconhecida pela grande maioria da galera que estava lá e cantar pela metade e com remixes horríveis praticamente todas as músicas antigas! Achei simplesmente falta de respeito ela cortar Baby One More Time (numa performance meio que de má vontade, parecia) pra cantar S&M. Ela quis pagar de sexy o show inteiro, mas deu a impressão que empolga muito mais nos clipes do que ao vivo.

    Responder
  2. Tati Lopatiuk

    Ela é tão linda e merece muito voltar a reinar absoluta! Pode parecer bobagem, mas salvas as devidas proporções, vejo um pouco da história do Michael Jackson na história da Britney: o potencial está ali, mas é preciso saber lidar melhor com o emocional. Britney tem tudo pra voltar a ser A diva que foi antes, só precisa ela mesmo tomar as rédeas da sua carreira. Será que ela consegue? Será que deixam?

    Responder
  3. Vivi

    Eu sai com uma sensação de sonho realizado e um pouco de insatisfação, enem foi pela Britney em si, mas pela falta de educação a galera colocando câmera na frente, tampando minha visão, namorada pendurada no pescoço de namorado, o som péssimo, enfim… consegui curtir o show dps de I Wanna Go pq fui mais pro fundo e consegui ver pelo menos o telão.

    Eu amei o show pela realização do sonho e pq já fui sem grandes expectativas. Claro que eu gostaria de ter visto a Britney de Onyx, mas já sabia que não a encontraria por lá. O que me decepcionou mesmo foi o lance dela ter sido pouco espontânea, principalmente pq meus amigos que foram no do RJ derramaram elogios para a simpatia dela e falaram que ela sorria muito. Fora isso, achei que tem muito exagero qnd dizem que ela não dança nada (ok, longe dos aureos tempos, mas ainda assim dança bastante como em Slave) e que ela está gorda (se for assim, 70% das mulheres estão obesas).

    O que eu tenho a impressão é que existe todo um esforço em manter a imagem de sexy dela e ao mesmo tempo, e acaba ficando tudo muito forçado. Ai fico imaginando como deve ser a vida dela tendo 92038449493 empresários em cima, ter que lidar com a pressão da imprensa. Ela é um produto comercial, não dá pra negar, mas gostaria ainda assim de vê-la mais livre, fazendo as coisas do jeito dela. O Blackout, por exemplo, foi todo produzido por ela e a crítica ama.

    Enfim, amo a Britney, amei vê-la, mas acho que ela precisa de umas férias, descansar a mente, a imagem e voltar fazendo as coisas do jeito dela, sem a pressão da mídia, dos empresários e dos fãs.

    Responder
  4. Anne

    Eu estou triste por não ter conseguido ver o show inteiro, me senti assistindo atrás do muro, tentando pular, ficar nas pontas dos pés e me mexendo para os lados para conseguir visualizar alguns relances…
    Tenho consciência dos aspectos negativos do show, da fase atual dela, mas eu só queria vê-la, e sem ser pelo telão…
    Meu coração de fã iria se satisfazer pela simples visualização da mulher que sempre fez parte da minha vida.

    Responder
  5. Carolina Presotti

    Se lá na frente faltou um pouco de emoção no show, imagina pra quem estava lá atrás, como eu. Além de td o som estava péssimo, o volume estava inconstante e, em algumas vezes, chegou a falhar. Não entendi também o pq a organização colocou a barraca de comida BEM NO MEIO da pista. Quem estava nos fundos conseguia ficar e ver somente um dos lados do palco. Apesar de tudo, valeu muito a pena. Esperava por isso desde os meus 14 anos. Foi um sonho de adolescente realizado!

    Responder
  6. Yagho

    Ai, essa turnê dela tá um saquinho. Olhei um show do FF dela no Canadá com meu amigo, e porra.. coisa mais parada!

    Ela deve ter ficado com um certo receio dos brasileiros agora, com aquela mordidinha inesperada. rs

    Responder

Deixe seu comentário