Mesa para um

sex

bolo para um.

Greta Garbo pediu para ser deixada sozinha. Diva que era, queria espaço, queria respirar, queria ficar longe de tanto assédio. Tá, nós, reles mortais, no máximo queremos respirar em paz, e isso muitas vezes se dá em ambientes públicos. Respirar no cinema, respirar no restaurante, respirar no shopping, no parque, empurrando um carrinho de supermercado, sei lá. Ficar sozinho faz bem e te faz muitas vezes limpar a mente e reorganizar as ideias.

Há também quem prefira ficar sozinho integralmente, que goste da paz da casa vazia, do silêncio de trabalhar por conta e, obviamente, acabam fazendo muitas outras coisas na companhia de si mesmo. Por isso, sempre que vou ao supermercado, fico de olho nos produtos únicos ou menorezinhos sendo lançados. Num mundo em que cada vez mais gente prefere não estar com mais ninguém, faz-se necessário uma caixinha com meia dúzia de ovos ao invés de doze.

O triste é querer fazer alguma coisa e observar olhos atentos em cima do sozinho, pensando: “mas uma moça tão jovem, está aí assim por que?”Porque sim, oras! Almoçar sozinho durante os dias úteis é comum, muita gente faz, agora saia para jantar ou passe numa lanchonete para ver o que acontece. Ou você senta no balcão, para mostrar que passou ali só para se alimentar mesmo, ou sinta-se fitado dos pés à cabeça por todos os grupos do lugar.

Bares de sushi, bares mesmo e botecos geralmente tem balcões respeitosos. Você senta ali e tudo bem, ninguém vai te encher o saco. Podem até mesmo sentar do seu lado e não abrirem a boca. Sem problemas. Só que é como se uma pessoa sozinha só pudesse ir… beber. Quantas vezes já não fui comer alguma coisa e tive de ocupar uma mesa maior por simplesmente não existirem mesas para um?

Não seria essa uma mentalidade bastante limitada: achar que quem está sozinho é porque está triste e tem que engolir as mágoas junto com whisky ou que está ali, na pista para negócio, só bebendo para tomar coragem? Eu acho.

Depois da mesa para um, espero que também surjam leite longa vida para um e poltronas solitárias tão confortáveis quanto um sofá inteiro.

Comentários via Facebook

10 comentários

  1. Mari Castro

    É tão bom fazer coisas sozinho!!

    Eu, por exemplo, sempre faço coisas para mim e por mim, mas sempre tem mesmo aqueles olhares de absurdo, ou até de piedade, quando você entra na sala de cinema e senta numa fileira vazia…

    Desnecessário, óbvio, porque quer companhia melhor que você mesmo!?

    Realmente, ainda faltam muitas mesas para 1…

    Responder
  2. Lya

    gostei. passei tanto tempo sozinha, anos mesmo, que aprendi a me virar. aquela coisa de ir sozinha no cinema, sabe? mas sinceramente espero que eu não precise voltar pra essa vida, haha porque sou muito mais feliz hoje.

    Responder
  3. Anne

    Adorei o post!

    Eu sinto isso na pele quando vou ao cinema! Começa quando comento do filme e alguma amiga pergunta: “Com quem você foi?” e eu naturalmente: “Fui sozinha!” e a amiga fica espantada e diz que não sabe como eu consigo, ela nunca foi ao cinema sozinha e nem se atreveria…
    Para mim é extremamente normal e não considero nada audacioso, é simplesmente maravilhoso ir assistir um filme que você quer muito e desfrutar dele do começo ao fim, mas logo ao entrar na sala já percebo casais, grupos de amigos e todas as demais pessoas devidamente acompanhadas lançando olhares curiosos como se eu fosse uma pobre solitária.

    Responder
  4. gi

    eu tb necessito desses momentos de solidão. almoço sozinha no centro do Rio sem nenhum ressentimento e estranho muito, muito mesmo essas pessoas que necessitam da família inteira pra comer, todos juntos. veja bem, não que eu esteja criticando isso, mas já reparei que tem gente que não se sente bem fazendo uma refeição que seja all alone. fico pensando como será que essas pessoas lidarão com aqueles momentos em que nós nos vemos realmente sozinhos e assim precisamos ficar para que tudo fique bem no final? não é possível que essas pessoas não tenham aqueles momentos de “eu PRECISO ficar só com meus pensamentos”! e tb já reparei isso, de que, dependendo do local, as pessoas estranham se vc estiver sozinho; ainda mais aqui no RJ, em que há essa exigência implícita da malandragem, ou seja, todos temos que ser simpáticos e acessíveis o todo tempo. moro em copacabana e, certamente, não me adapto a isso. mas talvez eu esteja mau humorada hoje (na vdd estou mesmo) e por isso esse comment esteja meio ranzinza! :) have a nice weekend.

    Responder
  5. gi

    ps. onde se lê “mau humorada”, leia-se “mal humorada”

    Responder
  6. Melissa

    eu moro sozinha e ás vezes sinto falta de quando morava no Japão e lá tinha mais pratos feitos sendo vendidos em pequenas porções pros solteiros que não sabiam cozinhar. E ainda é complicado comer uma pizza realmente gostosa, como você vai pedir uma pra si somente?
    Concordo com você que deveriam surgir mais produtos feitos para somente UM

    Responder
  7. Carol

    Fernanda, tu tava muito gata no scrap Mtv, parabens pelo blog.
    Beijos

    por Carol

    Responder
  8. Ana

    Com tantas pessoas morando sozinhas hoje em dia, está cada vez mais comum encontrar coisas desse tipo.. atividades individuais :)

    Responder
  9. Priscila

    Não costumo sair sozinha e nem moro sozinha, confesso que esse “mundo” é meio desconhecido para mim kkkk
    Mas, eu já vi pessoas comendo sozinha, andando sozinhas no shopping e fazendo outras coisas sozinhas, enfim…não sei qual é o problema nisso, uma pessoa sozinha pode ser alguém feliz e uma pessoa rodeada de pessoas pode ser uma pessoa infeliz, não da para saber!!!
    No dia que eu sair para comer sozinha, eu confesso que não quero uma mesa para uma pessoa, eu já vi, nossa é muito pequena kkkkk acho que a de duas pessoas ta bom kkkk mas, normalmente mesa de restaurante é de quatro e seis – já restaurante que tem a maioria com mesa para duas pessoas normalmente é aquele restaurante que você vai para ir com namorado/marido/noivo

    Responder
  10. Nicas

    Sempre fui dessas de fazer tudo sozinha (morava no fim do mundo e o pessoal da escola dispensava qualquer programa que pedise mais que 10 reais e um ônibus). Fui assim ver Madonna, Guns N Roses, Engenheiros do Hawaii e muitos outros, não acho nada de assustador, mas as pessoas ficam com dó na fila e começam a se aglomerar e puxar conversa com a “coitadinha solitária”, nunca dei bola, fiz bons amigos que aderiram ao costume tempos mais tarde. ;)

    Responder

Deixe seu comentário