10 linhas para: “Tiny Wings”

qua

Inaugurando agora uma nova tag: 10 Linhas Para, com resenhas rápidas e rasteiras para tudo o que der na telha, com no máximo 10 linhas. De produtos a comidas, bebidas, games e revistas, o objetivo é explicar rapidinho porque tal coisa vale a pena – ou não!


.

“TINY WINGS”
O QUE É: Game para iPhone, iPad e iPod Touch
QUANTO CUSTA: $0,99
PÚBLICO: Donos dos gadgets compatíveis que gostem de games viciantes com jogabilidade simples
ONDE VER MAIS? Na app store.
.


.

EM ATÉ 10 LINHAS
Passarinhos tem tudo para serem o novo bicho-hype. Depois do bem-sucedido game “Angry Birds” (que pessoalmente não gostei) veio a animação “Rio” e agora “Tiny Wings” tem um excelente timing para fazer sucesso.

Encontrei o game entre os mais baixados da App Store argentina e  fiquei curiosa com a jogabilidade simples prometida. Como o próprio nome diz, este pobre passarinho tem um par de tiny wings (asas pequenas) e não consegue voar por conta própria, só decola pegando impulso nas montanhas.
.


.

Seu objetivo é tocar na tela e fazer o pássaro escorregar na curva certa para conseguir voar por mais tempo. E é preciso ser rápido: a noite vem vindo e o bichinho dorme no meio do caminho. Ao longo do jogo, você também vai trocando de ninhos, que te garantem mais pontos conforme você cumpre os desafios propostos por cada um deles.

EM UMA LINHA
Hiper viciante. Vai fazer você até desejar salas de espera lotadas pra não ter que parar de jogar!

.

ps:curtiram a ideia da tag? Querem ver algo especial por aqui? Vale tudo (produto de beleza, game, livro, CD, filmes que não mereçam uma resenha longa… hehe)!

Pimp your Apple gadget

qui

agora a maçãzinha pode ter sua cara

Se deixarmos a parte tecnológica de lado, podemos dizer que um dos maiores atrativos dos produtos da Apple é a tal maçãzinha que estampa as costas dos Macbooks, iPads, iPods e iPhones.

Além de simbolizar um certo status e estilo de vida, muita gente gosta tanto que faz questão de por o adesivo da marca de Steve Jobs no carro (quem aí nunca viu uma maçã numa traseira?), mas agora imagine se desse para personalizar a própria apple?

A Maison Binoclette deu um jeito de “pimpar” o gadget e  inventou adesivos de óculos para colar na tal maçãzinha e deixá-la com a cara do dono:

.

.

Cada adesivo custa 6€ e serve tanto nas maçãs de Macbook quanto nas de iPad. Achei uma graça, pena que não tenho um iPad! heh

E se as redes sociais estivessem no colegial?

sáb

social media high school

Se há um tempo atrás nossa vida se resumia em checar scraps no Orkut, hoje o próprio fica de lado diante de tantas outras opções – e melhores opções. Para os fãs de música, há last.FM, MySpace, Hype Machine. Para os fotógrafos e “aspiras”, Flickr, Tumblr e Instagram. Para os blogueiros, WordPress, Livejournal, Blogger e muitos outros. Para quem fala pelos cotovelos, Twitter. Para quem não tem paciência para nada disso, Facebook. E, claro, para todos os mortais, Google e Wikipedia.

Não é preciso nem dizer que cada pessoa usa aquilo com o que mais se identifica, então que tal transformar as redes sociais em “panelinhas” do colegial? Pois sim: o infográfico resume o perfil de cada usuário de acordo com aquelas turminhas do colégio.

Várias definições são geniais, mas meus favoritos são os twiteiros, gossip girls de plantão, e os orkuteiros, alunos de intercâmbio!

Clique para ver maior:

Class Of 2011: If Social Media Were a High School

.

Se você gostou muito, deixo a dica de decorção: tem poster desse infográfico para vende por $16,99 na Flowtown!

.

Mr. Facebook, o partidão!

qui

Afinal, quantas pessoas de 26 anos você conhece que viraram tema de filme, dão palestras e tem uma fortuna maior que a de Steve Jobs?

who wants to be a millionaire?

Sim, caríssimos, segundo a “Forbes”, Mark Zuckerberg, o Mr. Facebook, hoje acumula uma fortuna de $6,9bi contra a poupança de “apenas” $6,1bi de Jobs, fundador da Apple.

Espantoso? Certamente. Em 2008, a mesma “Forbes” indicou que a fortuna do jovem rapaz era de $1,5bi. Então, veio em plena crise econômica o milagre da multiplicação  dos pães e tornou o programador prodígio um belo partidão para as solteiras a perigo nos Estados Unidos.

Ainda este ano, dois filmes sobre a grande invenção do cara chegam aos cinemas: o “A Rede Social” (The Social Network), sobre a criação do site desde seu primeiro dia, quando Mark ainda era só um estudante aplicado de Harvard; e “Catfish” (ainda sem tradução para português), longa-metragem misterioso no estilo “Bruxa de Blair” que conta a história de um rapaz que resolve ir conhecer pessoalmente uma garota por quem se apaixonou no Facebook. O mistério do filme é absurdo e, segundo conselhos por aí,  não vale a pena ler nenhum spoiler. Veja o trailer aqui.

Neste exato momento, podemos concluir que obviamente Zuckerberg está nadando numa piscina de royalties, mais rico que eu, você e seu vizinho juntos. E, lógico, também significa que os filmes vem num bom momento para refletirmos sobre o quanto a internet mudou o nosso comportamento social e a nossa forma de pensar. Parece batido? Então pense naquele seu amigo que perdeu o tema da conversa porque estava twittando.

“Catfish” estreou nos Estados Unidos na última sexta e “A Rede Social” estreia também por lá dia 1º de outubro e no Brasil, dia 3/12. Já para ver o Mark de verdade, o Facebook no seu celular resolve.

.

ps: e, sim, eu acho o rapaz bonitinho, e já achava mesmo antes da conta bancária dele ser multiplicada por 5. Ele tem senso de humor, ó:

Fonte: UOL Economia

Vogue embarca na onda 3D

qua

3d é modinha?

O efeito 3D realmente está dominando o mundo e todas as mídias possíveis. Depois de ser considerado a salvação do cinema e virar adicional nas televisões hipermodernas, as revistas parecem também estar abraçando a “tecnologia”.

Depois da “Playboy” gringa, a brasileira deu seu primeiro passo com um pôster na edição de Cléo Pires e agora anda junto a outras revistas gringas, uma vez que o ensaio completo da paraguaia Riquelme promete pular das páginas.

Não sei muito bem o porquê, mas o universo “sexy” parece adorar mesmo a novidade, já que os chineses estão produzindo o primeiro pornô em terceira dimensão para Imax e, incrivelmente, até editoriais de moda estão dando este tom para suas primeiras experimentações.

O primeiro ensaio de moda que precisa de óculos para ser devidamente apreciado foi de Baldovino Barani em fevereiro e tem um quê moderninho, porém agora a “Vogue Itália” de setembro traz uma sensualizante Miranda Kerr saltando do papel.

As fotos, apesar de assinadas por Steven Meisel, são muito mais sensuais do que qualquer outra coisa:

Podem chamar o ensaio de conceitual, mas para mim isto é puramente sensual. E ainda estou para entender se a grande revolução do 3D não é tornar o 5 contra um cada vez mais interessante.

Em todo caso, a visão de um rapaz de óculos de papel mandando ver no banheiro é hilariante – assim como essa capa, zuuuper conceitual para ser sensual:

oi?

Uma campanha pró-vida real

ter

não deixe seu gato chegar a esse ponto.

A campanha “look up, stop texting” começou em Nova York com o simples intuito de fazer as pessoas largarem seus smartphones, olharem para cima, respirarem ar puro e, por favor, se olharem nos olhos.

Criada pela blackberry-maníaca Cat Greenleaf, a campanha tem diversos slogans, como “stop texting, start real writting” e começou quando, um belo dia, a moça se deu conta de um maravilhoso prédio novo na saída do metrô. Alguma espécie de maravilha arquitetônica que ela deixou passar porque estava muito preocupada com o sinal do celular. Afinal, vai que ela perde algo importante durante o trajeto subterrâneo?

Aqui no Brasil, a coisa ainda pode soar um pouquinho exagerada, já que os planos de internet estão começando a baratear e ainda estamos em vias de observar toda a população mergulhada em seu pequeno mundinho de bolso. No entanto, já existem diversas regras de etiqueta se proliferando em revistas por aí, lembrando elementos básicos, como não mexa no celular no meio do almoço, não interrompa uma conversa para dar uma checadinha no Twitter e por aí vai.

No site do projeto nova-iorquino, existem até sessões especiais para as pessoas contarem  como conseguiram olhar para cima e o que de bom elas viram quando fizeram isso – bem no estilo alcoólicos anônimos, só faltou um “só por hoje”.

Brincadeiras à parte, gostei e muito da proposta, especialmente porque também sofro dessa ansiedade generalizada de ler todos os feeds, acompanhar todo novo vídeo bombando no youtube, zerar a caixa de e-mail a qualquer custo e por aí vai. Sabem bem o que é isso, né?

Como toda campanha americana que se preze, ainda existem mil e um produtinhos fofos para você comprar, usar e mostrar que está dando força à causa.  Os itens vão desde capinhas para os celulares até camisetas e colares, só não vale colocar uma camiseta dessas e usar o celular no meio do bar:

.

Para saber mais sobre o projeto, acesse o site do Look Up Stop Texting.