Eu testei: pulseira inteligente Mi Band da Xiaomi

ter

Adoraria começar este texto fazendo uma excelente apresentação do meu know how com gadgets de saúde e fitness, mas a verdade é que tenho pouquíssima experiência no ramo. Não por culpa minha, que fique claro, a culpa é dos preços absurdos desse tipo de produto e daquela incerteza constante de que vão cumprir o que prometem depois de tanto investimento.

Já ‘paquerei’ diversos itens por aí e, tirando uma boa balança digital, só utilizei mesmo o chip de passadas da Nike, que ficava dentro do tênis.  A empresa aposentou a tecnologia e, para a minha surpresa, na mesma semana recebi a tal da Mi Band, que a Xiaomi acaba de trazer para o Brasil. E a surpresa foi dupla: ela custa (apenas) R$95 e não só mede os passos do usuário e estima as calorias gastas, quanto também dá reports sobre a qualidade do sono.

miband1

a Mi Band disponível no Brasil, com pulseira de silicone preta

A Mi Band vem numa caixinha discreta, com o sensor separado da pulseira, e com um pequeno carregador USB que pode ser plugado no seu computador ou em qualquer outra tomada USB que você já tenha. A carga da bateria, aliás, pode durar cerca de um mês (!) e todos os materiais são leves e resistentes à água – o fabricante garante até 1m de imersão por 30min. A ideia, afinal, é que você não a tire do braço e o seu banho não fará mal nenhum para o material.

A pulseira vai te acompanhar em tudo ao longo do dia: uma pequena caminhada até o banheiro, o passeio no shopping, o rolêzinho na hora do almoço. Quando quiser sincronizar para ver a quantas está o seu progresso, é só ligar o bluetooth do celular e entrar no aplicativo dela, o MiFit. Lá ficarão armazenadas todas as suas informações, inclusive sobre o sono – e juro que não incomoda pra dormir!

miband3

reports de passos e sono – e, ops, domingo eu tirei a pulseira por algum motivo, olha que feio no gráfico!

Continue lendo →

Como filtrar as memórias indesejadas do Facebook

qui

Quem nunca abriu as ‘lembranças’ sugeridas pelo Facebook e teve vontade de cair pra trás de raiva, tristeza ou até de auto-inveja ao relembrar o que estava fazendo de mais incrível? Pois bem, não só isso aconteceu comigo mais de uma vez, quanto falei sobre o assunto nesse vídeo aqui:

Para minha surpresa, descobri hoje que há sim um meio muito simples de não deixar o sistema da rede social trabalhar para o mal – mas, para isso, quem vai ter de trabalhar é você. É fato que o Facebook se torna um tanto quanto irritante porque nós também não fazemos bom uso da ferramenta. Damos pano pra manga em discussões desnecessárias, não selecionamos nossos contatos e continuamos seguindo gente que só adicionamos por educação. Bem, se você quiser ver alguma mudança, pelo menos no que diz respeito às memórias, vai precisar fazer alguma coisa, afinal, quem manda é você. Pelo menos por enquanto.

Para restringir o que o sistema pode ter acesso nos próximos anos, basta acessar a página ‘Neste Dia’ (On This Day), clicar em ‘Preferências’ no topo direito e filtrar o que você não quer que apareça mais pra você. É possível escolher datas específicas e também pessoas.

memoria2

memoria1

É rude o Facebook ser incapaz de perceber que você não tem mais nada com aquela pessoa ou que aquele ali no canto da foto faleceu no último ano? Talvez. Mas é mais rude ainda se você não fizer nada para resolver o problema. Ainda são poucas as possibilidades, mas já dá pra aliviar a barra. De nada!

Aplicativo transforma iPhone em câmera descartável

ter

Calma: não é que você vá jogar seu celular pela janela logo que acabar o filme. Na verdade, o aplicativo quer mesmo é incentivar todo mundo a imprimir suas fotos mantendo o mistério de não poder corrigí-las ou olhar como ficou. Resumindo? Eles são mais um querendo trazer a surpresa da câmera de filme de volta.

belos prints de cliques feitos com o Disposable Camera

A ideia do app Disposable Camera não é exatamente nova, uma vez que já passamos por vários flashbacks de câmeras analógicas e até de câmeras instantâneas, que viraram modinha. O grande lance aqui é que o investimento é menor para o usuário, o aplicativo vai no celular e não vira um trambolho extra para carregar, e, por fim, mas não menos importante, é uma mão na roda para os preguiçosos.

O app manda suas fotos para impressão automaticamente e você só precisa esperar o envelope chegar na porta da sua casa. Ah sim: as fotos vêm num papel boníssimo.

A brincadeira é dos caras da lojinha maravilhosa Photojojo e custa $12,99 a cada 27 cliques. Por enquanto, só está disponível para quem mora nos Estados Unidos. Please come to Brazil? :'( 

A emojização continua: teclado vai fazer os desenhos dominarem o mundo

qui

A linguagem universal do Emoji já levou a melhor em 2014, quando o “coraçãozinho” foi a palavra mais publicada do ano nas redes sociais. Agora vai é ficar pequeno para qualquer outra palavra normal bater esse recorde!

tecladoemoji

Diga olar para esta maravilhosa capa de teclado de emoji!

Os desenvolvedores da Disk Cactus estão caprichando para transformar seu teclado numa máquina de emojis. Com um software e uma capa de silicone, você vai poder digitar todas as mensagens sem sentido do whatsapp agora num e-mail de trabalho (tomara que isso não aconteça, aliás). Apertando o caps lock, os desenhos vêm e vão para sua alegria e nossa diversão. Coraçãozinho + rezando + chorando de felicidade!

O projeto entrou não faz muito tempo no Kickstarter e já é um sucesso. As primeiras cotas ao custo de US$10 esgotaram e agora, para poder adquirir o produto, é preciso pagar US$15. De qualquer jeito, taí uma bugiganga que eu queria ter, se brasileiros pudessem apoiar a causa nobre.

Seria tuuuudo com a desculpa, claro!, de proteger o teclado do meu notebook. <3

emoji

Atualização vai trazer emojis novos e diversificados!

ter

Ninguém mais se expressa na Internet sem emojis. Há inclusive pessoas que conseguem se comunicar única e exclusivamente com carinhas. Essas criaturas vão, sem dúvida, amar a novidade!

emoji

Uma grande atualização está vindo para os Emojis em março e eles finalmente vão ganhar variedades de tons de pele. Todos, SIM, todos!, os desenhos que representam humanos vão ter variações de cor e tom de pele. Para ativar, basta tocar no desenho e segurar para ver as opções. Outros emojis, como os de família, também ganharam um update simpático que deve agradar os casais gays! <3

emoji2

O tecladinho também ganha adições legais, como o relógio em formato de Apple Watch e mais bandeiras de países, incluindo a do Brasil. Tudo isso só foi possível graçar a uma atualização geral do Unicode, linguagem que torna possível que os desenhinhos sejam vistos de forma universal online.

emoji3

BRASIL SIL SIL

Riffsy: fonte de gifs para uma vida mais feliz

sex

Pare tudo o que você está fazendo agora, porque há uma nova rede/aplicativo que promete tornar a zoeira internética ainda mais sem limites. O Riffsy é uma ferramenta fantástica para criar, encontrar e trocar gifs – ou RIFFS, a evolução do gif, pra galera que criou a parada.  À bem da verdade, são pequenos vídeos, com áudio ou não, cujo arquivo não tem a extensão .gif. Não dava para ser perfeito, mas a gente aceita a ~revolução~ simplesmente porque é…. DEMAIS!

meu gifzinho em homenagem à menina que bota Nicki Minaj no chinelo!

Há uns tempos vi algo semelhante no Relay, que serve para buscar e trocar gifs entre os amigos, mas logo larguei porque a diversão é muito restrita e a gente gosta de diversão sem limites! kkk Neste ponto, o Riffsy é imbatível, levou a experiência para outro nível, deixando você montar o seu próprio riff~gif, usando um vídeo seu, do youtube, incluindo caption e até áudio extra.

Depois dá para mandar direto para o Instagram ou para o Whatsapp, além de aparecer ali no seu perfil público, como uma rede social. Outra feature fantástica: usar seus riffs como imagens de um teclado extra, à la emojis (!), mas essa só está disponível para quem está com o sistema operacional atualizadíssimo.

fazendo meu riff…

…e mandando meu riff conquistar o mundo!

O Riffsy está disponível apenas para iOS, mas quem não tem cão, também pode caçar com gato no site.