Show do Prodigy – Imagens da Semana

qua

Quase que eu não faço o “Imagens…” por falta de tempo. Finalmente estou mandando meu TCC pra gráfica e ficando maluca com os ajustes finais. Mas, olha, terça-feira, dia 3 (anotem!) ele estará entregue na mão dos meus mestres e eu vou postar até vocês enjoarem.

.

prodigy.

Aquilo lá no fundo é o Prodigy, eu juro.

Sexta-feira, eu e o Rafa imendamos o show do Prodigy no Via Funchal diretão do trabalho.  Ganhei convites de presente e fui com a única esperança de ouvir “Smack My Bitch Up” ao vivo – e, sinceramente, tive medo que eles não tocariam, já que sempre existe aquele estigma das bandas detestarem suas músicas velhas.

Mas, não foi o caso! Ouvi trocentas músicas e inclusive “Smack…”! O som dos caras é muito mais pesado ao vivo e eu me senti num capítulo a parte de “Trainspotting” o tempo inteiro, já que todas as músicas tem aquele quêzinho épico e parecem uma viagem de ácido com uma bateria quase drum ‘n bass às vezes (palavras de Rafa, o DJ).

Vídeo sem edição mesmo, só para mostrar o clima do rolê  e o maluquinho fazendo um belo rebolation!
(e não, esse vídeo não foi feito com a Kodak ZX1.  Sentiram a diferença?)

Depois de mais ou menos uma hora e quarenta minutos de show, tudo acabou, as luzes acenderam e saímos pensativos para comer no Burdog. Enquanto devorei um cheese bacon (é, fazer o que!), fiquei pensando que ok, o show foi bom” mas não sei se eu realmente pagaria para assistir, já que não sou maníaca por eles.

Em todo caso, para os fãs da banda deve ter sido bem bacana, já que ouvi vários comentários na fila de quem estava indo para o Rio de Janeiro assistir a apresentação novamente.

Por mim, valeu! – e, se for pra recomendar uma faixa do último álbum deles, o “Invaders Must Die”, fico com “Warrior’s Dance“, que também é excelente ao vivo.