Guia de viagem: como escolher um bom lugar no avião

sáb

Há algum tempo, escolher um bom assento no avião não parecia uma tarefa tão difícil. Na verdade, era muito mais uma questão de se programar para chegar cedo no aeroporto para fazer o check-in o mais cedo possível. Como hoje em dia todo mundo pode fazer check-in pela internet, conseguir um lugar bacana no avião, tem se tornado uma missão quase impossível e um sofrimento antecipado ao ver que só restam os lugares do meio e lá do fundão, onde a porta do banheiro abre e fecha toda hora.

Antes de entrar em pânico, o jeito é fazer como todos os outros passageiros mesmo: ficar de plantão esperando seu check-in ficar disponível online pra garantir um lugar legalzinho sem pagar nada mais por isso. Mas não se trata só de conseguir um lugar confortável junto dos seus comparsas de viagem: tem gente que enjoa no avião, que morre de medo de turbulência, que não aguenta criança chorona do lado (eu!) e que não pode ficar um segundo extra esperando pra sair, porque tem uma reunião logo mais.

Por isso mesmo, não teve como não compartilhar esse infográfico da Super Interessante: eles analisaram todas as poltronas de um avião comum e organizaram os melhores lugares de acordo com as necessidades ou problemas dos passageiros. Por exemplo, se você morre de medo de pegar turbulência, tente escolher um lugar próximo da asa da aeronave: o centro do avião é o local mais estável que você poderá estar.

As dicas da Super estão aqui. Eu adorei!

.

Dica da Mari!

Guia de viagem: roupas para passear o dia todo

seg

Como  já deve ter ficado bem claro aqui nesse blog, eu adoro viajar. Trabalharia só pra pagar minhas contas de viagem e levo meus roteiros muito a sério, o que me faz preencher cada dia de minha estadia com mil e uma atividades. Por conta disso, acabo tendo que montar a mala de forma sábia (ou fazer compras sábias) para estar com roupas minimamente aceitáveis ao longo dos mil e um passeios que programei fazer num só dia.

 É claro que nem sempre é possível manter a dignidade lá em cima – e é claro que o meu jeito de me vestir nem deve ser “digno” aos olhos de quem passa o dia num salto, mas sou feliz assim. rs Só que, tenho que dizer: meu lado de turista vaidosa gosta de se gabar de conseguir sempre viajar com menos de 15kg na mala e não passar perrengue. Dessa vez, aliás, saí com uma mala dentro da outra pesando no total 12kg e voltei com as duas cheinhas dentro do limite permitido e com muita coisa bacana (e em conta!) que eu não encontraria por aqui.

Por isso mesmo, resolvi que o primeiro post sobre a viagem seria para mostrar alguns looks que usei durante os 14 dias que passei nos Estados Unidos, entre Las Vegas e Nova York. Como a mala é econômica tem muito repeteco: eu acho o cúmulo levar coisa e não usar. Vira peso morto e eu prefiro me virar lavando, se for o caso. rs

Logo depois de cada foto está o crédito das peças, com coisas compradas aqui e lá, e a ocasião em que usei o “look” – mas já saibam que muita coisa aí foi de fato única e exclusivamente para bater perna o dia inteiro. Espero que vocês curtam e aproveito para pedir  desculpas pelas qualidades variadas das fotos. Infelizmente não consegui levar minha câmera “boa” em todas as saídas noturnas. :/

.

QUANDO? Semi city-tour andando o dia todo no sol escaldante (mesmo!) de Las Vegas
O QUE? Camiseta: Topshop (São Paulo); short: Shoulder; tênis: Converse (velhão de guerra!);
relógio: Casio (Asos); óculos: Wayfarer, Ray Ban

QUANDO? Passeio pelos casinos da Strip à tarde
O QUE? Regata: Bershka (Barcelona); short: Farm; sapatilha: Capodarte; óculos: Wayfarer, Ray Ban
.

QUANDO? Jogatina no casino Paris e jantar no restaurante do chef Gordon Ramsay (<3)
O QUE? Vestido e bota: H&M (da magnífica loja de Las Vegas, a maior dos EUA), bolsa: lojinha aleatória em Madrid; colar: abençoado seja o Ebay (esse foi do vendedor gofavor2011)
.

QUANDO? Primeira saída do hotel em NY, indo checar se a Times Square continua incrível e jantar umas chicken wings no Hard Rock Café por lá mesmo
O QUE? Camiseta do Pink Floyd: H&M (Las Vegas); legging com lateral em couro fake: Topshop (São Paulo); bota: Schutz; jaqueta: Forever 21 (Las Vegas); colar de dente: presente do namorado
.

QUANDO? Passeio por Downtown em NY: Wall Street, Battery Park, Pier e almojanta em Little Italy no fim do dia
O QUE? Camiseta: Forever 21 (Las Vegas); jeans: Ellus 2nd Floor; tênis: Converse; casaco: Forever 21 (Nova York); colar de triângulo: Ebay (vendedor xiaojion); óculos: Wayfarer, Ray Ban
.

QUANDO? Compras, passeio de tarde pelo Brooklyn e noitinha vendo as luzes se acenderem em Manhattan nos banquinhos embaixo da ponte, em Dumbo
O QUE? Repeteco da camiseta: Forever 21 (Las Vegas); jeans: 7 For All Mankind (Nova York); cinto: H&M (Las Vegas); sapatilha: Capodarte; relógio: Casio (Asos); repeteco do colar de dente: presente do namorado

.

QUANDO? Saindo à noite para o espetáculo “Sleep No More” (vou falar a respeito, mas se você já tá com viagem marcada, google it e vá assistir!)
O QUE? Camiseta: H&M (Las Vegas); jeans: Marc By Marc Jacobs; bota: Schutz; cinto: H&M (Las Vegas); colar: Bleudame; repeteco da bolsa: lojinha em Madrid

QUANDO? Tarde de sol gostosa no calçadão de Coney Island
O QUE? Blusa: H&M (Nova York); short com respingos de tinta: Levi’s by Urban Outfitters; tênis: Converse; relógio: Casio (Asos); repeteco do colar: presente do namorado

.
Mas e a bolsa caramelo? Essa bolsa é da Siberian e me acompanhou quase todos os dias mesmo. Além de ter um tamanho ótimo, ela ainda tinha fecho com pressão por cima do zíper, o que é um belo dispositivo anti-batedores de carteira de metrô. hehe E digo “tinha” porque a bolsa terminou de ser devidamente detonada nessa viagem e hoje jaz no lixo. Já estava usando a coitadinha há muito tempo e resolvi levá-la para terminar o serviço passeando também no chão sujo do avião. Valeu a pena! rs

E aí, será que deu para ajudar na mala de alguém? Aliás, para sair daqui com a mala leve, deixo apenas uma dica: quanto menos sapatos, melhor. Eu só levei  a bota com tachas, a sapatilha e uma Havaianas, o Converse foi no pé. Isso já é mais do que suficiente para revezar os calos causados por cada sapato de tanto passear. rs Se você não abandona o salto, recomendo trocar a sapatilha pelo sapato mais arrumadinho, pois botas fechadas e sem salto hoje já são tão confortáveis quanto um tênis de passeio.

Tapa na cara de realidade: Sephora dos EUA x Sephora do Brasil

ter

Quando a Sephora chegou ao Brasil, o susto com os preços foi geral: após convertermos os valores de dólares para reais, o preço dos produtos ainda seguiam de duas a três vezes mais caros em relação aos praticados no exterior.

Como tive a oportunidade de comprar as coisas com um preço melhor, para não dizer “justo”, durante a viagem para Nova York, resolvi botar no papel algumas coisas que comprei e comparar os preços. E, claro: peço desculpas aí pelas facadas dos valores que vêm na sequência!

.

SEPHORA DOS EUA X SEPHORA DO BRASIL

.

Esses foram apenas alguns produtos que comprei na Sephora dos Estados Unidos e consegui encontrar iguais (ou similares mais baratos, né?) na loja brasileira para comparar os preços.

Muita coisa que comprei não está disponível no Brasil e muitas marcas nem chegaram (caso da Smashbox, por exemplo), mas já deu para ter uma ideia, né? Além do preço ser melhor lá fora, ainda encontramos mil e um kits com vários produtos em tamanhos reais e travel size – quase do tamanho do produto real – por preços bem apetitosos, coisa que também não rola por aqui.

A CONTA, POR FAVOR!

Nos Estados Unidos essa compra sai por $242, considerando os valores mais elevados dos produtos listados. No Brasil, a mesma compra sai por R$920, considerando que nem todos os produtos são vendidos aqui e estamos considerando os similares com preço inferior disponíveis.

Só para provar que não é impossível melhorar, marcas como Zara e Topshop apresentam preços no Brasil bem semelhantes aos praticados no exterior, fora de seus países de origem. Nunca fui para a Inglaterra e não sei como são os preços da Topshop por lá, mas na Espanha e nos Estados Unidos o preço deles é bem parecido com os da filial brazuca; converta o dólar e quase empata (uma calça que paguei R$89,90 aqui custava US$45 em Nova York). O mesmo acontece com a Zara, que na Argentina, nos Estados Unidos e na França tem preços parecidos com os daqui – só achei os preços melhores mesmo em Portugal e na própria Espanha, casa da marca.

Essa polêmica é velha e a própria Sephora já se defendeu falando dos custos de importação para o nosso país, mas mesmo assim fiz questão de colocar no papel e comparar. Não vi tentativas para melhorar os preços nem vi os kits bacanas para que conheçamos vários produtos sem gastar rios de dinheiro. Será que é porque a loja lá do Shopping JK ainda tinha fila na porta até outro dia…?.

 .

Opa, tô de férias!

seg

parte do Grand Canyon pela janela do avião!

Quem me segue no Twitter e no Instagram (é tudo @loverox, clica aí!), já andou vendo uma prévia das peripécias que aprontei em Las Vegas junto com o namorado semana passada. Não, não nos casamos (hunf! Enrolada até em Las Vegas!), mas apostamos horrores na roleta, torramos no sol do deserto, tomamos os melhores bloody mary de nossas vidas e descobrimos a magia dessa Disney adulta. Acreditem: qualquer pessoa, de qualquer idade ou estilo, pode se divertir em Las Vegas!

 

Agora estamos em Nova York e, enquanto não voltamos para a terrinha, mais posts especiais entram aqui pra vocês. A cidade esfriou, o Central Park está cheio de folhas e quero me divertir muito aqui ainda essa semana e compartilhar o passeio com vocês depois!

Beijos e até a volta! <3

 

Road trip: fotos da Beyoncé viajando

qua

Road trips estão definitivamente na moda e, se você não viu o post sobre isso, recomendo que o faça agora. Pois eis que eu estava navegando nessa grande rede e encontro fotos lindas de dona Beyoncé viajando de carro com a maninha Solange e outras moçoilas.

As fotos foram postadas no Tumblr da cantora em agosto, o que significa que Queen B é uma verdadeira trendsetter e eu sou uma verdadeira perdida que só vi agora. rs Os registros são de uma viagem de carro até a casa dela no Texas.

As imagens são lindas e alguns dos looks da cantora parecem ter saído do gramado de um festival de música. Quem disse que para se fantasiar de ~indie~ tem que vestir manequim 34? Tapa na cara da sociedade!  hehe

.

Amo esse look Coachella-baby de bota étnica e camisetona larga, no maior clima “tô linda, f*da-se”. Um belo PÁ na face das brasileiras cheias de curvas (incluindo eu mesma!) que ficam babando nas menininhas mignon super alternativas achando que não podem usar isso ou aquilo. Tem que usar o que tiver vontade, com a cor do batom que tiver vontade e o cabelão solto no vento. Anotou?

Viagem-tendência: as “road trips” estão na moda

sex

ficou com vontade de pegar o carro e ir por aí?

Se antes a “it-viagem” entre os descolados era botar a mochila nas costas e se aventurar, a moda agora é pegar o carro e get on the road Jack, ou em bom português, a moda agora é cair na estrada mesmo e sair fazendo várias viagens em uma.

Não sei se é tudo uma grande coincidência com o lançamento da versão cinematográfica do clássico da literatura “On The Road”, de Jack Kerouac, e de um aproveitamento da indústria para lucrar com o tema, mas a questão está tão forte que de cara dá pra lembrar pelo menos de três campanhas bem legais feitas baseando-se nisso.

DR. MARTENS + AGYNESS DEYN

A top Agyness Deyn comprou seu primeiro coturno Dr. Martens aos 13 anos e agora lança uma coleção em parceria com a marca totalmente baseada no grunge, estilo que dominava naquela época e tomou conta dos anos 90, especialmente da primeira metade.

As peças pensadas pela modelo trazem releituras dos clássicos coturnos e creepers, além de peças de roupa diferentonas. Tudo foi mostrado numa bela viagem de carro, com desertos, paradas em mercadinhos sem uma alma viva e mergulhos em piscinas abandonadas. Basicamente uma “road trip” com a cara que o espírito noventista da coleção pede – pura melancolia:

NASTY GAL

O lookbook de agosto da loja virtual Nasty Gal levou o estilo rebelde de butique para o meio do deserto, para dentro de um carrão antigo, para lanchonete de beira de estrada e até mesmo para aqueles motéis toscos também às margens das rodovias – bem tipo de locação que a gente vê em filme.

.

BILLABONG

Em maio quem também entregou sua versão de road trip foi a Billabong, que levou modelos jovens, lindas e talentosas para dar um rolê pela Europa e fez fotos incríveis das garotas passeando de verdade, tanto de carro quanto de moto e trem. De todas as campanhas, essa é a mais “quente” e alegre: as fotos tem um clima super voyeur e o vídeo ficou com cara de “amador bem  feito”, e digo isso no bom sentido. Parece até que foi feito pelos próprios modelos, de tão espontâneo.

.

Se falta algo a dizer para endossar a vontade de pegar o carro por aqui, por aí ou em outro país, as blogueiras “trendsetters” Tavi Gevinson e nossa amada Betty também estão inteiradas do assunto.

Enquanto Tavi tem feito vários posts falando sobre filmes com road trips e recentemente elegeu os itens indispensáveis da mochila de quem está viajando, a francesinha de Paris pegou o avião e foi para os EUA fazer sua viagem acontecer. O resultado? Fotos absurdas, é claro:

foto do post “White Sands”

ETA vontade de viajar! <3