Os dez melhores posts de 2009

qua

É claro que eu não ia resistir fazer essa lista, né? Confiram os 10 melhores posts de 2009!

foi difícil decidir, viu?

Para fazer a lista, considerei o quanto gostei de fazer o post, o grau de utilidade pública ou divertimento proporcionado, variação de temas e, claro!, o que vocês comentaram, de forma que priorizei o que vocês mais curtiram, já que nem tudo que é meu favorito é o favorito de vocês, né?

1. Dez Dicas Básicas para viajar pela Europa

2. Sozinha no Cinema: “Jean Charles” às 15h

3. 10 Comerciais que deveriam ser curta-metragens

4. Speed Dating Trident Fresh – Imagens da Semana

5. Fantasiar não faz mal

6. Moonwalk: o guia definitivo

7. Ao Natural: elas não usavam Photoshop

8. Mashups de pôsteres de cinema

9. Eu odeio morar aqui (esse post fez um sucesso que eu jamais imaginava! Olha que eu nem ia publicar esse texto, hein?)

10. Dez flmes que a gente vai querer ver (post pra guardar, já que alguns ainda não estrearam!)

Bônus: os 100 fatos sobre a Europa, divididos em cinco partes. O primeiro post foi esse aqui.

.

Lembra de algum post que você adorou e não está na lista? Conta nos comentários! 8)

.

A evolução dos hipsters ao longo da década na Paste Magazine

sex

Se todo ano nós temos retrospectivas de melhores do ano, este ano é mais especial, porque vamos ver e ouvir muitas listas de “melhores da década”. Enquanto em 1999 as pessoas só se preocupavam mesmo com o bug do milênio, em 2009 as listas de melhor e pior vão rolar mesmo.

Neste quesito, essa retrospectiva de moda “moderninha” me chamou muito a atenção e vale a pena entrar na revista digital Paste Magazine, que teve essa idéia de pauta genial, e ler tudo com detalhes.

O que mais me chamou a atenção é que muitos estilos aí continuam em voga e realmente modernos, vide o tal “Vintage Queen”, estilo que bombou em 2007 segundo a revista, mas que, ao meu ver, continua bem forte no Lookbook, especialmente entre as européias românticas de plantão. E, como eu não poderia deixar de citar, vejam o ano de 2009 com zoom: a modelo está usando uma camiseta do Threadless com o Keyboard Cat!

Para completar os melhores da década 00’s, a revista fez listas dos melhores livros, CDs e filmes – e adivinha quem ficou em primeiro na lista da 7ª arte? “Cidade de Deus”, de Fernando Meirelles. É, não é lá dos meus favoritos, mas a técnica é boa e dá aquele orgulhinho patriota.

Aproveitem para folhear a revista, é realmente muito boa! 8)

Dica do Rafa e do Fabio Rex

Já viu esse filme? Duvido!

sex

Se você é cinéfilo ou um mero aspira, com certeza sabe que existem filmes importantes. Filmes que você tem que ver para se considerar um entendedor da 7ª arte. Meia dúzia de filmes essenciais  para participar ativamente de uma conversa de bar pós filme chinês.

E aí você, encolhido no cantinho da mesa, fica sem alternativas quando te perguntam: “e agora José, que você acha do filme XXX que Fulaninho Importante dirigiu em 1900 e bolinhas?”. O que você faz, José? Logo você, leitor atento de contracapa de DVD? Você MENTE!

Quem diria que “Dirty Dancing” seria o segundo filme mais “mentido”? Johnny Castle tem o poder!

Pois foi isso que motivou a Orange, produtora do Reino Unido, a fazer uma lista com os dez filmes que as pessoas mais mentem que assistiram. Como amante do cinema e produtora, achei genial – e sei que realmente as pessoas mentem horrores quando o assunto é cinema, pelo menos na minha área. E confesso: eu não vi “O Poderoso Chefão”. Prontofalei!

Os 10 filmes que você deve duvidar quando alguém disser: “eu assisti”

1.O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola
2. Dirty Dancing, de Emile Ardolino
3. Um Sonho de Liberdade, de Frank Darabont
4. Rocky, de John G. Avildsen
5. E o Vento Levou, de Victor Fleming
6. Cidadão Kane, Orson Welles
7. Taxi Driver, de Martin Scorsese
8. A Felicidade Não se Compra, de Frank Capra
9. Os Bons Companheiros, de Martin Scorsese
10. Fugindo do Inferno, de John Sturges

Certo. Agora se fizessem uma lista entre alunos de comunicação, tenho certeza de que os dois do topo seriam “Laranja Mecânica” e “Pulp Fiction”. Duvida? Eu assisti e eu aposto. 8)

Fonte: Portal Virgula

ps: em todo caso, é um dos primeiros DVDs da minha lista “filmes de todos os tempos que eu tenho que ver”. E provavelmente eu vou ver sozinha, já que os meus amigos realmente assistiram esse.

ps 2: tá, mas dá um desconto. Eu vi metade da lista! E eu vi filmes de D.W.Griffith.  E eu adoro a estética do expressionismo alemão e, e…  Ok, nada justifica. Eu sei. Saco!

Mentirinhas e a regra dos 7

sáb

“Eu não minto, eu omito”. Esta é a frase dita por mais de 60% das pessoas que se acham super sinceras. Mas até que ponto omitir é estar sendo verdadeiro, tanto para com o outro quanto com você mesmo? E quantas desculpinhas entram em cena quando uma omissão apenas não convence, quando não dá pra fugir do assunto e bancar  o sabonete liso?

Bridget, ele não te ama.

Homens e mulheres mentem todo santo dia, ou quase. São desculpinhas, meias-verdades e as famosas mentiras grandonas que ganham perna curta com o passar do tempo – e, claro, as falcatruazinhas necessárias para assegurar a mentira maior.

Dizem por aí que as mulheres mentem melhor, porque sabem caprichar nos detalhes, tem boa memória e não deixam rastros. Talvez. Não é nenhum segredo que portadores do “XX” são muito mais multitarefa do que os “XY”. Se você consegue dirigir, olhar o bebê no banco de trás, passar batom e ouvir música sem provocar nenhum tipo de freada brusca, com certeza administrar meia dúzia de desculpas é tarefa fácil. Mas não é só isso.

Enquanto meninos mentem para o mundo para melhorar o que pensam de si mesmos, como por exemplo naquele caso típico do rapaz que passa horas fazendo propaganda de suas estripulias na internet e depois não corresponde nem a meio terço da missa que rezou; as meninas mentem para si mesmas para ficarem melhores diante do mundo.

É o famoso caso da mulher que repete tanto que pesa 55kg que ela já nem sabe que seu peso original é 60kg. Faz tanto tempo mesmo que ela não suporta olhar para uma balança, que a mentira torna-se extremamente agradável. Quase um doce. Vai mais um chocolate aí? …

Alfie, você nem é tudo isso.(tá, tá, tá)

Obviamente que mentir para você ou para o mundo não traz lá tantas vantagens, considerando que mentiras podem ser descobertas e que você perde um tempo precioso de amor próprio se amar as suas mentiras. Há quem conte uma inverdade simplesmente por medo de dizer a verdade, ou porque acha que não vai ser tão ruim assim. Por covardia. Nem todos mentem para sair por cima  – e nem dizer toda a verdade vai te “elevar”.

Se vai mentir ou não, a escolha é sua, mas saiba que sempre irão mentir pra você. Mentirinhas e desculpinhas estarão ao seu lado. E só cabe a você ligar o desonfiômetro e acreditar ou não no que andam te dizendo. Seja prático: ela está com dor de cabeça ou a cama anda mesmo uma droga? Já deu tempo dele se apaixonar por você, ou dá pra confiar nesse “eu te amo” falado baixo e com olhar perdido? Taí um belo exercício. Diário.

Aprendi a praticar isso tão bem que a desconfiança chega a me incomodar, mas ainda assim eu erro sobre os fatos. Um dos culpados para isso, fora a quantidade de “desculpinhas” do tipo “não é você, sou  eu”, foi o teatro. Quantas vezes não fiz exercícios simples, porém difíceis, de só olhar para trás quando a pessoa realmente me convencesse? Quandos laboratórios ouvindo “me abraça” até que eu sentisse uma verdade profunda por trás daquela mentira e aceitasse?

A canção do Depeche Mode é sábia:  Come on and lie to me, tell me you love me. Say I’m the only one. É toda aquela relação doentia de paixão e obsessão que te obrigam a pedir mentiras para continuar suportando o que você mesmo aceita pra você. É a sedução dos mentirosos. É suor no escuro. E não é aí mesmo que se mente mais?

Uma vez me contaram da tal “REGRA DOS 7”, que tem aplicação bem óbvia. Quando uma mulher diz que transou com X caras, sempre acrescente + 7 no resultado final. Para os rapazes, a história é outra: se ele disser que dormiu com X meninas, – 7 para o resultado final. Alguém concorda?

Poderia listar quinhentas mentiras de homens e de mulheres, mas o jornal britânico Daily Mail fez um top 10 sobre isso essa semana por mim:

As mentiras que ELES contam:

1. Não aconteceu nada, eu estou bem.
2. Esse é meu último chope.
3. Não, seu bumbum não é grande demais…
4. Meu celular estava sem sinal.
5. A bateria do celular acabou.
6. Desculpe, perdi sua ligação.
7. Eu não bebi tanto assim.
8. Já estou chegando.
9. Não foi tão caro assim.
10. Estou preso no trânsito.

As mentiras que ELAS contam:

1. Não aconteceu nada, eu estou bem.
2. Ah, isso aqui não é novo, tenho há séculos.
3. Não foi tão caro assim.
4. Estava em liquidação
5. Já estou chegando.
6. Eu não sei onde está, nem cheguei a mexer nisso.
7. Eu não bebi tanto assim.
8. Estou com dor de cabeça.
9. Eu não joguei fora!
10. Desculpe, perdi sua ligação.

… E depois dessa não acredito mais em “tudo ben’s” com cara de nada nem que meu bumbum não é grande demais. Mas já falei um pouco sobre isso no “O que eles querem dizer quando…”. Meninas, leiam pra rir. Meninos, pra rir também.

Fiquei inspirada porque ando numa ânsia louca de dizer a verdade fora do tempo. Tem hora pra dizer a verdade? Ou é melhor omitir até ter certeza? E se a certeza vier de uma mentira?  Como saber? Boa pergunta. Pergunta pra vocês responderem e desangustiarem esta pobre garotinha.


ps: e a Fox vai estrear uma série com esse nome da música do Depeche, “Lie to Me”, sobre um especialista em desvendar inverdades. Esperamos que seja realmente muito boa e faça jus à música. Ou muito louca, a ponto de te deixar com medo de descobriem suas mentiras na próxima vez em que abrir a boca. 8)

Top 10: Coisas que já esqueci.

qui

Fiz um comentário sobre minha memória podre no post das “imagens…” e rapidinho me lembrei dos maiores absurdos de esquecimento que já cometi.

Dizem que você começa a esquecer das coisas quando tem coisas demais para lembrar. É tipo um acúmulo: se você não tem nada para lembrar, não tem nada para esquecer. Agora imagine quando são tantas coisas importantes para lembrar que você começa a se esquecer das coisas…. Hm… Básicas?

agora eu entendo o drama da Dóri.

Sim, é justamente isso que está acontecendo comigo neste exato momento. Justo eu, que sempre fui super “ligadinha”. Estou achando engraçado, pra não dizer dramático. E claro que não poderia deixar de registrar um pouco da minha tragicomédia recente de perda de memória aqui.

O curioso é que o impacto de esquecer as coisas bestas é tão grande que é impossível esquecer que eu  as esqueci depois do estrago que provocam. Entenderam? Ah, esquece. Pode rir da minha cara com o best of de coisas que já esqueci.
.

1. Já esqueci de colocar o sutiã pra sair (e reparei no meio da manhã que tinha alguma coisa solta dentro da blusa quentinha – era inverno, ainda bem);

2. Já fui para um primeiro encontro e esqueci de passar desodorante (e tomara que ele não tenha percebido);

3. Já saí naqueles dias e, enfim, adivinha só o que eu esqueci…? (nestas horas agradeço por ser prevenida – e por não ter esquecido a necessaire!);

4. Já esqueci chave de casa dentro da geladeira;

5. Já esqueci de comprar comida pro cachorro (quando eu tive cachorro) em plena véspera de natal.  O sortudo foi alimentado com pernil;

6. Já esqueci 8947283947 vezes de levar biquíni pra praia e provavelmente mais da metade dos meus biquinis foi comprada em situações como essa. E não, não era desculpa para comprá-los, ou você acha que eu sempre estava afim de torrar dinheiro com duas peças de roupa que eu só uso vez ou nunca?!;

7. Já esqueci de um encontro. E só me toquei quando a pessoa ligou, da fila do cinema;

8. Já esqueci que uma festa era na sexta. E liguei para as amigas para perguntar com que roupa íam em pleno sábado. Ouvi o seguinte: “não acredito, Fê! Por isso que você não foi?”;

9. Esqueci toda minha documentação do DRT de atriz numa feira. Sim, numa feira. De frutas e peixe. Com feirantes gritando. Ao sair da escola de teatro, atravessei a feira que acontece na rua, paramos para comprar cerejas (adoro!) e adivinha? O envelope ficou e por sorte não foi molhado por água de peixe;

10. E, por fim, as pequenas coisas: num espaço curto de quinze dias eu consegui esquecer um trabalho,  deixar em casa a minha necessaire duas vezes e ainda largar minha máquina fotográfica e meu celular com amigos. Despreendimento? Não. Desencanada? Nunca. Só falta de magnésio – se é que é isso que faz bem pra memória. É isso? Alguém lembra? …

.

Só para constar: o que eu não esqueço mesmo são textos no teatro. E datas, mesmo as mais esdrúxulas.  Pode me chamar de louca, mas até hoje eu confundo o dia do aniversário do meu pai com o do meu padrinho, mas lembro de cada data de aniversário/primeiro beijo/blablabla com ex-namorados. Memória mal alocada? Também acho.

Se eu fosse um pen drive, eu só teria 1GB. Certeza.

10 Comerciais que deveriam ser curta-metragens

sex

.
Comerciais foram feitos para vender produtos, para ressaltar suas qualidades e fazer também saltar a carteira do consumidor. Mas, não há nada melhor (e mais vendável!) quando conseguem fazer mesmo saltar nossos olhos – e, porque não, o coração ou o riso.  Dá até pra dividir os comerciais audiovisuais em três categorias: a) ruins; b) engraçados/originais/aquele que tem aquela musiquinha pentelha, 32244000, mais uma vez!; c) estes que eu quero comentar: comerciais que deveriam ser curtas.

Falo de segundinhos que contam histórias tão bonitas, tão singelas, tão surreais ou tão engraçadas que merecem uma continuação. Um complemento. Que nos deixam com uma pulguinha atrás da orelha querendo um desfecho para além do clímax que tanto vende. E, claro, merecem um ponto de virada também, por que não?
.

1- Chanel nº 5 – com Rodrigo Santoro e Nicole Kidman

.

2- Chanel nº 5 – com Audrey Tatou

Estes dois já são super ultra mega produzidos e ainda assim uns dez minutos a mais (pelo menos!) nos deixariam de olhos cheios e felizes.

.
3- Mercado Livre – “Vendo Beijo”

Fofurinha da titia! Adoro esse comercial. É tão, tão singelo. :)

4- DVB – Grife de Victoria Beckham

Quem disse que dona Posh não pode ser fofinha? Sim, ela pode isso também.


5- Comercial alemão – Sexo virtual dando errado

No dia seguinte, como olhar pra sua maninha, hein?


6- Levi’s – stopmotion ao som de “Mr. Bombastic”

Esse já vem com começo, meio e fim bem definidos e provavelmente não aguentaríamos ouvir essa trilha sonora no repeat por muito tempo, mas quem se importa? Pra mim, esse comercial marcou época. É o que eu mais lembro de toda minha “infância”.

Continue lendo →