Tênis “Isabel Marant inspired” no Ebay: Imagens da Semana

sex

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

.

fofinho, confortável, bonito e barato: o **Isabel Marant** do ebay

Eu sou apaixonada por tênis e sneakers e tenho várias belezuras de cano alto no armário, mas quando o pisante com salto de Isabel Marant começou a virar moda, eu confesso que acheio meio bizarro e até mesmo uma heresia. Tipo, cadê o conforto do tênis se tem salto, né? Mas de tanto ser bombardeada com imagens de moda e looks interessantes com o bendito, resolvi que precisava provar pra ver, nem que virasse um tênis para sair e não para bater perna por aí.

Várias lojas gringas e, finalmente, brasileiras começaram a lançar exemplares inspirados na tendência. A Schutz e a Arezzo, por exemplo, estão com alguns de seus modelos esgotados, tem até fila de espera. Só que a questão é que minha curiosidade fashionista, consumista e investigativa não estava indo tão longe a ponto de pagar 300 realidades numa modinha com alta possibilidade de ser considerada cafonérrima logo no ano que vem. Daí fui na fonte direta dos inspired para ver o que encontrava: o Ebay!

Quando eu postei a foto do tênis no Instagram (me segue, @loverox!), fui bombardeada por mil e uma pessoas querendo saber, afinal de contas, onde eu tinha conseguido comprar um sneaker inspirado no da Isabel Marant: pois foi lá, no Ebay, com o vendedor itemtrend. Anote bem esse nome se você gosta de tênis! Ele tem um montão de modelos e eu já estou desejando um deste tipo em verdinho e amarelo, bem cor de doce!  rs

Entre mil e um modelos, os deste vendedor foram os que mais me agradaram. Optei pelo sneaker preto, pois a gente nunca sabe como vai ser o acabamento real de uma peça por fotos tão gerais. Eu também não tinha nenhum tênis preto e achei que era uma boa oportunidade. E, ó tenho que dizer: o bichinho tem um acabamento super bacana, custou apenas US$57 e chegou lindo e fofo em apenas 15 dias. Antes que me perguntem: paguei via Paypal e não fui taxada! <3

O vendedor só demorou um pouquinho para enviar o valor do frete para mim e isso me deixou preocupada, mas em dois dias lá estava o valor (paguei US$15 de frete). Só que enfim, de qualquer forma, se você considerar que o tênis atravessou o mundo da Coréia até aqui em 13 dias depois que paguei, tá ótimo! rs

O tênis é super acolchoado, quentinho, macio e o salto não é tão alto. Quanto à numeração, eu calço 36-37, mais precisamente 7,5 na numeração norte-americana. Para não ter erro, pedi o tamanho 8 já que vou usar o tênis com meias e veio certinho. Dá até pra por uma meia mais quentinha agora para o frio que não vai ficar apertado!

Usei ontem o sneaker o dia todo e é tranqüilo, tipo, dá para ir num show tranquilamente, trabalhar, ir ao shopping, enfim. O salto não é tão alto, então realmente não cansa! Agora, para bater perna o dia todo viajando, por exemplo, vou continuar preferindo um sneaker true, com amortecimento e tudo mais! hahaha

Dito isso, deixo fotos do tênis em todos os ângulos e também alguns detalhes do acabamento, inclusive por dentro:

.

 

Melhor figurino de clipe: Beyoncé

seg

sneakers + meias + maiô + quepe = sucesso!

Pela minha não tão frequente menção à Beyoncé por aqui, vocês devem imaginar que não sou tão fã assim da garota. E é, realmente não sou. Curto as músicas dançantes para mexer os ombrinhos na pista, mas não me sinto  super atraída pela voz ou personalidade dela, só que acabo sempre acompanhando porque curto pop, obviamente, e ela está por aí nos blogs todos.

Sendo assim, tenho que dar uma menção honrosa à Honey B por seu clipe novo, “Love On Top”. O vídeo é simples, mas o figurino de maiô, meias e tênis é absolutamente sensacional. Fora os bailarinos ali atrás que, combinados com o cenário, dão um ar flashdance meets dirty dancing – e são um colírio, é claro!
.


.

A música é aquela que ela apresentou com a mãozinha na barriga durante o VMA para anunciar a gravidez e tem uma pegada dançante, porém não rebolativa, que é adorável e sai da linha batidona que estamos acostumados a ouvir dela. Gostei da canção pelo seu quêzinho retrô alto-astral (Jackson 5!) e pelo instrumental bem orgânico que passa longe dessa insistência no house e no dubstep da maior parte dos singles pop do momento.

Só não gostei mesmo é de Beyoncé ter abandonado os sneakers por salto e terninho! A coreografia estava se aproveitando disso no início do vídeo e era bem mais divertida. Acho que ela não consegue ficar sem glamourizar, né? rs

.

Um tênis, três looks diferentes

ter

o tênis e uma baguncinha básica, do jeito que o Bacon adora

Semana passada, o pessoal da Converse me convidou para mostrar um pouquinho do meu guarda-roupa usando meu atual tênis favorito, um belo Converse de couro com cano alto.

Como eu adoro sneakers e cia., sou da máxima que nem toda balada pede salto e peguei o meu querido tênis para montar três looks mais “noturnos”:  um rockinho, um romântico e outro para o bom e velho combo de balada + show!

no blog da Converse eu contei mais sobre como pensei cada look, mas vou aproveitar para dar os créditos aqui:
.

camiseta: madeinchina do Sammydress (sim! aquele site doidão das penchinchas que comentei no Twitter!), short: C&A, meia-calça: Trifil, óculos do coração: Wayfarer da Ray Ban
.

mini-jaqueta: Puma, camiseta podrinha: Redley, legging: Riachuelo
.

jaqueta do coração: OMK Couro, camiseta: Threadless, saia: Lefties (Barcelona)
..

Aproveita e passa lá pra ver as outras fotos! ;)

 

Superkix.com: o buscapé dos tênis!

ter

Imagine um Buscapé ou um Jácotei só de tênis… É o Superkix!

A proposta é simples: armazenar os modelos, preços, cores e tamanhos dos tênis presentes nos estoques de mais de 40 lojas online. Você pode buscar por tamanho, por modelo e por palavra chave.

Pesquisei por “dunk” e caí nessa página que mostra direitinho quais tamanhos ainda existem e em quais lojas. O Superkix não armazena nem vende os tênis, mas faz uma bela prestação de serviço para os sneackers lovers. O único problema que você vai ter é verificar se o site que vende o tênis entrega no Brasil. 8)

.

ps nada a ver: gostaram do novo badge do Twitter aí do lado?

Robert Pattinson está precisando fazer uma vaquinha?

dom

Já que faltam menos de dois meses para a estreia de “Lua Nova”, resolvi fazer este post em apelo à produção hollywoodiana para que aumente os cachês dos atores.

Vamos lá, vamos falar a verdade: Robert Pattinson só tem um tênis – e é um tênis feio.  Ainda se fosse um dunk, vá lá… Mas essa chuteira aí me brocha:

Continue lendo →

Rolê internacional

ter
Rufem os tambores, que finalmente vem o post mais aguardado (e maior) do mês (do ano).
Tudo o que descobri nos 12 dias que eu me ausentei, divididos em top’s 5 de cada cidade e mais algumas considerações finais sobre minhas compras. E, claro, as fotos, mas só de SanFran por enquanto, porque virei PRO no flickr ontem e ainda não deu tempo de arrumar tudo!

SAN FRANCISCO

1- O clima. Califórnia. Você pensa em calor, mas não foi bem o que aconteceu em plena primavera… Em San Francisco é sol o dia inteiro, dias lindos, mas o vento é de arrepiar até os ossos. Tá, exagerei. Mas venta MUITO. Esqueça seu cabelo ao tirar fotos e abuse do charme do cabelo ao vento.

2 – Castro. San Francisco não é inteiramente gay, obviamente. A cidade é sim super liberal e sem preconceitos (maconha sob prescrição médica). Lá cabem todos os tipos de expressões e de pessoas: é um choque de cultura incrível. Mas, mais especificamente, San Fran abriga um reduto gay, o bairro Castro, cheio de gente bonita, artistas e cachorrinhos fofos. No cenário, bandeiras de arco íris por todo lugar, sex shop’s explícitos e o bondinho tradicional. Outro choque belíssimo. Ah, é nesse bairro que é realizada a maior parada gay do mundo também.

3 – Golden Gate. Dourada só no nome, ela fica numa espécie de “reserva”, chamada Golden Gate Park. Lá muita gente vai para andar de bicicleta, fazer um lanche e, claro, comprar souvenirs. O lugar é lindo e sim, é a vista mais bonita que eu já vi na vida. Sem a menor dúvida. É emocionante: quando você entra na ponte, o vento parece que te leva junto, e aquilo treme que só! Você sente nos pés, no corrimão da passarela de pedestres, é muito surreal…
4 – O transporte público. Funciona. Além dos lindos bondinhos, cuja passagem é cara: $11 pra andar o dia todo, a cidade tem um sistema de ônibus que nunca atrasa, uma espécie de ônibus-metrô chamado Müni, que anda tanto embaixo da terra quanto fora, e um metrô com nome de BART (Bay Area Rapid Transit), que circula por todas as cidades da baía de SanFran e passa até de baixo d’água. É super legal: você sente a pressão no ouvido quando o trem entra/sai do mar.
5 – As pessoas. Completamente diferentes do lado leste dos EUA e da imagem geral que se faz dos americanos. Lá você se sente num filme (juro!), porque todo mundo é mui-to legal, gentil, alegre e sorridente (e bonito. hehe). É uma sensação de tranqüilidade que paira no ar, mesmo a cidade sendo grande e tão cosmopolita (conheci latinos, italianos, orientais, indianos e até egípcios). Eu moraria lá. Tudo é realmente apaixonante e eu entendi o porquê da música que diz “When you´re going to San Francisco / Be sure to wear some flowers in your hair” .

NEW YORK

1 – Nightlife. New York é mesmo a cidade que nunca dorme. Eu fiquei ao lado da Times Square, num hotel super barato (quem quiser a dica, só pedir), e cheguei lá 9 da noite. Guardei as malas e já fui bater perna. Passei por 500 mil lojas, que ficam abertas até meia-noite/uma da manhã (isso em plena quarta-feira) As luzes são tão fortes que, no fim da tarde, parece que o sol está nascendo, e não se pondo. Aliás, essa impressão sobre as luzes era o que eu mais me lembrava de NY, já que fui pra lá com apenas 9 anos. Nunca esqueço de mim dizendo pra minha mãe: “nossa, parece que tá de dia!”. :D

2 –Rappers. Pode parecer preconceito, mas eu fiquei chocada como os negros de Nova York (pelo menos os que circulam pelo centro), são “padronizados”. Todos andam à la 50 Cent e falam com o mesmo sotaque das músicas. As negras não são tão estereotipadas, ainda bem! Ah! Para completar, os aprendizes de 50 Cent são mais atirados que qualquer maninho ZL de sampa. Ouvi todas as cantadas do mundo, desde “beeeaaauuutiful” até “Good job, mamma, she’s hot!” – minha mãe viajou comigo.

3 – Chinatown. Não tinha ido para lá quando era novinha, e acho que minha mãe fez certo, já que lá é um formigueiro à la 25 de março, com indianos e chineses disputando pau-a-pau pelas barracas. Mas dessa vez eu fui e dei sorte. Estava uma chuva do cão e nós resolvemos então, passear de metrô. No começo parecia idéia de louco, mas eu fiz as maiores pechinchas da viagem!Os chineses/indianos/árabes estavam loucos porque não tinha quase ninguém comprando e, para não sair no preujuízo, eu dei aquela chorada e fiz verdadeiros negócios da China. :D O perfume da Vera Wang, que custava $50 na Sephora, eu paguei apenas $20. $20! Sucesso. E sim, é original, mas antes de levar, tem que conferir, porque lá eles dão golpe.

4 – Comida. Como eu já imaginava, me alimentei muito melhor em SanFran do que em NY. Lá eu acabei recorrendo ao Subway e a restaurantes italianos especializados em pizza. E, claro fui tomar café da manhã no MC Donald’s também. O incrível é que o Subway custa absurdamente barato (tipo, $3,50 o lanche de 30 cm) e o MC serve capuccinos/hotchocolates mais baratos que o Starbucks. Aliás, qualquer MC de São Paulo dá de 10 a zero nos de lá: são bem feios e mal cuidados (os de SanFran são mais bonitos). O mais legal que eu entrei era o da Times Square, por motivos óbvios.

5 – Metrô. O metrô de NY é famosérrimo, leva para todo o lugar, mas desculpa aí! Que coisa mais lusitana! As linhas lá se dividem, tem bifurcações e às vezes a mesma estação está presente em mais de uma linha. É como se existisse, sei lá, a estação “Trianon – MASP” na linha azul, na vermelha e na verde e você escolhe em qual das “cores” é melhor parar. É claro que pra quem mora lá fica fácil, mas eu, acostumada com a organização do metrô de São Paulo, fiquei um pouco perdida. Acabei me achando, afinal metrô continua sendo universal. E, bom, o metrô daqui é melhor: o de NY é imundo (leia-se: pacotes e copos de MC Donald’s jogados no vagão) e até caro, se você considerar a falta de limpeza – a passagem custa $2.

Considerações finais:

Eu abandonei o ipod por lá. Vi a quantidade de roupas legais que eu deixaria para trás se gastasse $200 no Nano e me libertei. E não me arrependo! Mas, se você realmente quiser comprar eletrônicos, NY é mesmo o melhor lugar. Eu comprei minha handycam na Chinatown de San Francisco, mas deveria ter trazido de Manhattan. Não, não fui enganada e nem perdi dinheiro, mas enfim, é melhor comprar por lá: tem mais opções.

Roupas? Fiz as melhores compras em San Francisco! Lá é a sede da GAP, da Banana Republic e da Old Navy, então as lojas são imensas e cheias de promoções enlouquecedoras. Mas… O lugar onde eu vi a maior quantidade de vestidos lindos por metro quadrado foi na Forever 21. Se eu tivesse que escolher uma loja pra ter filial aqui, seria essa! (L)

E sapatos: Não compre lá! Só os tênis valem à pena (valem muito!), a não ser que você esteja nadando no dinheiro e traga algo tipo Manolo Blahnik ou Jimmy Choo. De resto, fique com Via Uno, Arezzo, Melissa e Picadilly daqui. A qualidade brasileira é absurdamente superior e você não ocupa lugar na mala de bobeira.

Quando o assunto é compras, meu destaque vai para as roupas: você consegue comprar muita coisa boa com apenas $10 (ou menos!). Os eletrônicos também são em conta, mas se você pára pra pensar na conversão do dólar, já não é tão barato assim.

Ufa. Com mais de 7000 caracteres, termino aqui o maior post desse blog.
Para as fotos, visite e adicione meu flickr (lá tem as fotos do JUCA também! hehe). E se você não estiver cansado do meu jeito de escrever, visite o ELES 3: lá tem post sobre a Vanilla (L) e outro post sobre a viagem (bem resumidinho).

That’s all folks :)