São Longuinho especial para celular

ter

versão brasileira djá!

Sabe quando você larga seu celular em algum buraco negro da sua casa e não acha o desgraçado de jeito nenhum? E, pior, não tem ninguém para telefonar para ele e ajudar a encontrar? Pois é.

Foi pensando nos casos de quem tem um Triângulo das Bermudas em casa – ou simplesmente é desligado demais – que Dave Dawson criou o siteI Can’t Find My Phone”.

O procedimento é muito simples: coloca-se o DDD, o número do telefone e, com um clique, o sistema te dá uma ligadinha e todos os seus problemas estão a um passo de serem resolvidos.

A única questão negativa é que esta pequena e prática maravilha internética só funciona nos Estados Unidos e eu acabei fazendo um spamzinho para um gringo ao tentar ligar para mim mesma. Portanto, vamos todos pedir a internacionalização do serviço ao @davedawson no Twitter.

Sucesso garantido! 8)

Todas as cartas do mundo

sex

post secret.

As cartas mais importantes da minha vida foram escritas em papel de pão. Guardanapos. Bordas de sulfite.  Improvisadas. Tanto as que mandei quanto as que recebi. E por cartas entenda-se bilhetes, mensagens ou qualquer outra coisa importante o suficiente para ser escrita e não simplesmente dita sem registros, ou para ser escrita simplesmente porque ambas as partes não conseguiriam verbalizar com sobriedade tais palavras ao vivo.

Conversas importantes ganham espaço na tela do MSN ou na telinha do celular, em SMS’s mal digitados, muitas vezes com dedos trêmulos, ou desfalcados por outra atividade mais importante, como dirigir. Em outros casos, assuntos saem debaixo do tapete em e-mails não revisados e cheios de conteúdos mal resolvidos. E-mails e cartas que se repetem, mudam-se os remetentes, não os assuntos. Alguns recados que vamos receber a vida inteira – e de novo e de novo.

Por algum motivo, as cartinhas e cartões bonitinhos, programadinhos e sem sentido amplo vão abandonando nossas vidas conforme ficamos mais velhos, até que se atinge um ápice  e eles voltam a tornar-se simples cartões. De qualquer modo, no meio do caminho os cartões de Natal vão ganhar assuntos maiores do que só a comemoração. Cartões de aniversário vão celebrar outras conquistas. Cartões de desculpas vão trazer uma longa história…

Na infância ficam os greeting cards puros e simples, os papéis de carta perfumados e as sulfites coloridas que só serviam para dizer para tal amiga ou amigo o quanto eram importantes. Lembrar a alguém o quanto ele significa é simplesmente ótimo, mas por algum motivo também deixamos de fazê-lo ao longo da vida, de forma que mesmo com esses tais amigos de infância brigávamos por bilhetinhos mal escritos no meio da aula – e não nos papéis de carta da coleção.

Hoje, essas pessoas não nos mandam mais cartinhas cheirosas, mas lembram vez ou outra de encaminhar um e-mail com piadas, e de uma certa forma você se lembra que aquela pessoinha ali ainda  sabe que você existe, pois enviou a charge sabendo que teria tudo a ver contigo. Ou não. Ou seu amigo encaminha tudo para todo mundo, e se você não passar adiante terá sete anos de azar.

De qualquer modo, a vida também não permite que vocês se encontrem mais. É mais fácil discutir a relação por MSN, se um dos dois estiver online e o outro topar falar mesmo aparecendo offline. Algumas conversas às vezes serão longas, outras breves, porque a internet é fria e sempre alguém não vai entender por completo o que o outro quer dizer. Antes o telefone era assim, hoje é a web, amanhã sabe-se lá o que.

Sei que muitas dessas conversas eu gostaria de ter guardado, gostaria de não ter perdido de um chip de celular para o outro, de ter arquivado os papos no computador aquela semana, de não ter deletado aqueles e-mails todos num momento de raiva. As fotos até entrariam na mesma categoria dos bilhetes, mas elas são só versões para papéis de carta perfumados.

As mensagens mais importantes vieram por escrito e estão guardadas. As que sumiram durante um momento de fúria talvez não valessem espaço na minha memória.  Posso até não procurá-las, posso até não abrí-las, mas o fato de estarem ali me fazem pensar que guardei vivo o acontecido, algo que eu jamais seria capaz de fazer com uma conversa ao vivo.

Tá numa crise? Não liga para a Onofre.

qua

Conversa às 15h com o centro de atendimento da Onofre:

– Boa tarde, eu gostaria de pedir um medicamento.
– Pois não, a senhora tem cadastro?
– Sim.
– Qual o número de seu CPF?
– XXX.YYY.ZZZ-XX
– Certo. A senhora confirma o endereço….
– Este é o endereço da minha casa, gostaria que o medicamento fosse entregue em meu trabalho.
– Claro. Qual endereço?
– Av. Brigadeiro Faria Lima.
– Correto. Qual o medicamento?
– Rinosoro spray 3%.
– Está certo, senhora. O valor é de R$13,98 e a taxa de entrega é de R$3, totalizando R$16,98.
– Obrigada. Você pode trazer troco para R$20?
– Claro, senhora. Tenha uma boa tarde.
– Igualmente!


Conversa às 19h:

– Boa tarde, sra. Fernanda?
– Sim, eu mesma.
– Aqui é Joãozinho da Onofre, nós gostaríamos de confirmar o seu pedido. É um Rinosoro 3% spray?
– Exatamente.
– Correto. A entrega estará sendo feita (sic) em até duas horas e meia, tudo bem?
– Como assim,  duas horas e meia?
– É o prazo, senhora, provavelmente o medicamento deve chegar antes.
– Mas está errado, vocês dizem no site que o prazo máximo de entrega é de quatro horas!
– É, infelizmente não foi possível. Mas o remédio está a caminho tudo bem?
– Sim, que eu posso fazer?

Fiquei matutando: vou me negar a pagar o frete e tal e coisa, mas nem precisou, sabe?

Não precisou, porque saí do trabalho 21h45 sem remédio, quase arrancando o nariz de alergia e nada do meu spray 3%. E as meninas do trabalho disseram que ele chegou logo que fui embora. É pra rir, né?

Moral da história: ainda bem que eu não era uma psicótica alucinando por abstinência de remédios, ou em seis horas e quarenta e cinco minutos eu já tinha me atirado da janela do prédio.

ps: Onofre, continuo te amando para maquiagens e afins na loja física, mas delivery nunca mais.

http://bp.imguol.com/out/editorial/ana_carolina_08122009_03.jpg

Encontre o Homem Bem Feito 10 vezes!

qua

Lembram da promoção “Quem é o meu homem bem feito“? Pois ela continua rolando!

Para inspirar vocês a participarem e ganharem presentinhos incríveis, fiz este post para mostrar como  é o homem bem feito em várias situações. Como encontrar o meio termo entre o cara sensível demais, o machão e aquele mais equilibrado, que toda mulher quer.

Esse é o nosso “Sr. bem feito” – e o homem “demais”  está mais pra linha do Maguila, que está na campanha da promoção, e o  “de menos” fica com Sérgio Abreu, também na campanha e macho apesar da minha “designação”, tá? Tô só ilustrando a situação, Serginho! 8)
.

Jude Law e Ewan Mcgregor bem feitinhos numa foto, definitivamente, bem tirada!

.

COMO ENCONTRAR (OU SER) O HOMEM BEM FEITO….

No primeiro encontro:

Depois de escolher um lugar legal para irem, o papo flui naturalmente. Ele fala tanto quanto ela e sabe olhar nos olhos, por melhor que esteja o sushi, a banda – ou até mesmo a programação da TV do lugar. O olhar direto é fundamental, e se um toquezinho ou outro rolarem enquanto isso, bingo!

Se pintar o clima para o beijo, o homem bem feito também não vai deixar passar. E, claro: nada de pressão para irem adiante logo no primeiro dia. O que um não quer, dois não fazem!

Na balada:

Ele vai dançar a noite toda com a mocinha e eventualmente trazer biritas na mão dela. Ele pode até não ser um exímio “bailarino”, mas vai fazer questão de te acompanhar com um sorriso no rosto. Também vai saber lidar com educação se algum engraçadinho chegar perto de sua acompanhante. Nada de brigas – e nem de fazer de conta que não viu.

Com a família dela:

Se ele gostar da sogrona, meio caminho andado. Se a empatia não for muito boa, o bem feito vai saber agir com educação e participar da conversa sem parecer o “namorado chato” (ou grosso) que a garota arranjou. Quem banca o mau humorado nessas horas, só tem a perder. E perder a mãe é também perder um pouco da garota.

Com as amigas dela:

Ele simplesmente vai ser legal com todas, mas terá a manha de dividir a atenção do jeito certo entre as amigas e a garota, mesmo que a vizinha dela também seja uma ávida colecionadora de selos assim como ele (?). Por outro lado, se ele odiar todas, jamais falará mal para a amada. E obviamente um homem bem feito jamais dirá quais delas ele pegaria – em hipótese alguma. Nunca. Jamais. Nem na próxima vida.

Com os amigos dele:

O homem bem feito vai apresentar a garota para todos, fazer questão de incluí-la no papo e também apresentá-la às meninas da turma, se houverem. Principalmente porque é com elas que a fofa vai estar quando surgir o papo de “quem comeu a gostosa ontem” na rodinha do lado, e aposto que ela vai querer estar enturmada o suficiente para não ouvir – e para deixar o rapaz feliz em poder continuar tendo conversas “interessantes” com os amigos.

Na internet:

Sem grudência e sem chá de sumiço, o bem feitinho sabe mandar recados na hora certa, simplesmente para fazer a garota se lembrar dele. Também é bom dizer que esse rapaz equilibrado não vai falar como um bebê nas mensagens nem te encher de 293872 recados por dia. (e eu espero que a menina também não faça isso!)

No jeito de se vestir:

Bom gosto é a primeira coisa que esse rapaz tem, mas tem também a capacidade de aceitar sugestões. Ele não precisa saber tudo sobre a última moda da última semana nem cismar de ir de bermuda num casamento: ele sabe escolher, mas também sabe ouvir se ela tiver alguma sugestão para deixá-lo ainda mais “bem feito”. ;)

Numa discussão:

Educação e diálogo cabem em todo lugar e aqui também. Provavelmente ele conseguirá parar a briga com um “conversamos amanhã” para a coisa esfriar e ninguém fazer besteira de cabeça quente, principalmente porque as mulheres costumam ser mais passionais nessa hora e na pressa de querer resolver tudo o mais rápido possível acabam fazendo coisas erradas ou falando demais.

No telefone:

Um esquema bem parecido com a internet: nada de ficar três horas falando bobeiras, mas nada de telefonar só pra dizer “tô passando aí”, a não ser que seja uma surpresa! Com sorte, o seu Bem Feito também liga “só pra dizer que te ama”, por que não?

E, é claro: na cama!

Cada casal tem sua química e seu próprio modus operandi, mas certamente o Sr. Bem Feito há de ser muuuito dedicado – e caliente, ui! Egoísmo pra fora do quarto já! 8)

.


Agora eu espero que o post tenha servido de inspiração, porque no site da lâmina BIC está rolando uma promoção que dará um XBox 360, um Dell Studio One e um Nokia N97 para os donos das melhores respostas à pergunta: “O que define um homem bem feito?”.

Se eu te inspirei pelo menos um pouquinho, corre lá responder! Tá fácil, fácil! 8)

.

ps: e claro: boa sorte na busca, porque uma hora acontece! Para mim aconteceu – e o Rafa ainda tem de lambuja o meu manual de instruções completo. Fácil assim, né? 8)

Paquerinha com hora certa.

sáb

.

“E agora??” via le love


Timing é tudo num relacionamento.
Numa paquera. Num tête-à-tête. No sexo. Em qualquer coisa envolvendo duas pessoas, duas bocas e muita vontade de ser feliz. É por isso que a frase “quando um não quer, dois não fazem” começa com quando.

A conjunção subordinativa adverbial de tempo “quando” assume não só a função de dizer “em que ocasião” ou “em que tempo” a oração principal ocorre, mas, simplificando tudo, o quando tá aí não só pra determinar o momento em que as coisas acontecem, mas se acontecem né, baby. Sabem do que eu estou falando?

Pois, bem. Paquerar devagar é uma bosta. Tá todo mundo muito afim, a menina, o cara, tudo escrito na testa, todos os fofoqueiros amigos comentando e a coisa não vai pra frente. Paquera rápida também é uma bosta. Tipo, “oi, consegui seu msn, porfavormedáseutelefoneagora?”. Não, não vou dar nada, meu amigo. Até porque a última vez que fiz isso, o infeliz ligou 5 vezes no mesmo dia e eu achei melhor bloquear o cara. E bloqueei, tipo, na vida, morrendo de medo do moço. (mas ok, esse foi um dos poucos casos em que um homem realmente me assustou.)

Os casos são extremos? É lógico que são! E eu acho bom avisar, afinal de contas, a real é que a maior parte dos meninos não é tão desesperado e sem noção, graças à Deus. Aliás, convenhamos: quanto mais você quer ter alguém do seu lado, mais você quer que essa pessoa seja legal, inteligente, tenha um visual bacana, etc.  e não que seja um freak necessitado, certo? Certo.

Aí tu fica nessa mesa de bar contemporânea que é o msn e o gtalk e conhece pessoas interessantes. Vê fotos interessantes. Tem papos interessantes. Acha até a droga da voz do sujeito interessante. Mas o incrível é que ele ainda não pediu seu telefone. Ele ainda acha que vocês vão marcar. Ele insiste que tá louco pra te conhecer. Ele não marca merda nenhuma concreta e ainda acha sacanagem se você não insiste com ele: é como se, além de topar sair, ela  tivesse que marcar tudo, ligar confirmando, buscar o queridão em casa e ainda abrir a porta do carro pra ele. Depois disso, ela pode até coçar o saco imaginário, se quiser. Assim, só pra tornar a coisa mais dramática, sabe? …

Bobeiras à parte, acho que todo mundo super-ama a modernidade, homens e mulheres, e que é bastante provável que agora tudo esteja melhor para todo mundo (pelo menos teoricamente, é claro!) . Só que do mesmo jeito que o rapaz ainda hoje vai achar legal se a garota tiver um certo timing pra “liberar a cerejinha do bolo”, a lindinha também vai adorar se você tiver aquele timing delicioso para agir.

Sim, é verdade que gostamos de homens sensíveis ou compreensivos, pero no mucho. Ser homem de verdade perto de uma mulher conta muito mais do que ter um abdominal rachado ou  decorar meia dúzia de poemas. Saibam disso.

E se você (homem, mulher ou indeciso) não tem idéia de como anda sua noção de timing, simplesmente pense em três coisas:

1. o quanto vocês já se conhecem?
2. já está na hora do próximo passo?
3. ele/ela/xis já está curioso(a)?

Pronto. Se vocês já se conhecem o suficiente para o próximo nível, se o “próximo nível” realmente não for nada absurdo ou incomum e se, ainda por cima, você conseguir ter a mira certeira de atingir o ponto de curiosidade da outra pessoa sem fazê-la esperar, ponto pra você! o/

É uma jogada de sorte? É! Mas simplesmente não é tão difícil!  Saiba que enquanto você está lá no “devo pedir o telefone?”, ela estará no “huum, e agora, quando ele vai pedir o telefone?”. Sendo que o “telefone” obviamente pode ser trocado por N mil coisas. Usem a imaginação.

Yes, you can! Just-in-time. 8)

.
ps: só para relembrar que isso não é um convite para que as mulheres fiquem passivas, mas sim para que os homens ajam mais. Falar de mulher que não age hoje é meio esquisito, já que, pelo contrário, são os rapazes que têm sido alvos da mulherada louca. Logo, não é porque “os tempos mudaram” que eles precisam ser tempos de “algo de podre no reino da Dinamarca”, não é? Pois é.