“Skins” na MTV: será?

ter

duvido que essa festa vai ser tão boa quanto as de Bristol!

Antes era só um boato que ninguém confirmava direito – agora é uma realidade, com teaser e data de estreia. A série britânica e politicamente incorreta “Skins” (a única que acompanho fielmente!) terá uma versão na MTV norte-americana:
.


.

A primeira temporada será rodada em Baltimore e terá 10 capítulos. A previsão de estreia é janeiro de 2011 e,  apesar do trailer nos mostrar o que parece uma baita cópia piorada, o produtor da série Bryan Elsley já falou que não vai ser bem assim: “apenas o início de ‘Skins USA’ será similar e então a série se tornará bem diferente da britânica! Estamos com escritores americanos com histórias americanas. A maioria dos jovens aqui nunca ouviu falar de ‘Skins’”. Assim esperamos.

Para quem não conhece o programa, recomendo um play no teaser da festinha britânica. Aproveite também Nicholas Hoult como eye candy. ;)

MTV produz versão norte-americana de Skins!

qua

Elenco de Skins da 2ª Geração

O meu seriado mais favorito de todos os tempos, daquele que me faz rir e chorar a cada episódio e sofrer muito nos intervalos das temporadas, não é Lost. Não é Gossip Girl. Não foi nem ao menos Sex And The City. Não é True Blood.

    É Skins.

Eu sou louca pelos taradinhos e cheiradinhos da cidadezinha de Bristol, Inglaterra. Eles são politicamente incorretos, eles são uma “Malhação” que não toma suco, são super estilosos e só ouvem música boa. Mas, para os que não são tão bons entendedores, o seriado assim se chama porque “skin” é o nome dado a seda da maconha nas terras anglo-saxãs. E, vou falar só mais uma vez: se você não assistiu ainda, tá na hora de começar, principalmente porque no início de 2010 começa a quarta temporada, a segunda com a nova geração. Dá uma olhada nos trailers das temporadas passadas:

.
1ª GERAÇÃO – Trailer da segunda temporada:


.

2ª GERAÇÃO – Trailer da terceira temporada:

Agora vamos à manchete: a MTV vai criar uma versão norte-americana do negócio. Não sei ainda se fico feliz ou se fico triste, uma vez que a série já era exibida nos Estados Unidos pela BBC América, então não haveria motivo para criar uma adaptação.

Para mim, Tony, Michelle, Sid, Effy e Freddie são insubstituíveis, mas aposto que a tentativa vai ser quente, porque os criadores da série, Bryan Esley e Jamie Brittain, vão supervisionar o roteiro e produzir o seriado também nos Estados Unidos, tudo para garantir que as cenas luxuriosas se mantenham.

Espero que fique excelente assim como o Skins da E4, mas que isso não afete a produção da versão original, com o sotaque britânico lindo! E se vocês resolverem assistir (espero que sim!), corram para o Skins Brasil para baixar – o melhor site brasileiro da série. Quem prefere ver na televisão, dê uma olhada nos horários da HBO. Eu recomendo!

.

Luke Pasqualino: justiça sendo feita.

qui

.
.

à direita: “We’ve got Freddie!”, capa da revista online AXM

No último post com imagens da semana, eu coloquei fotos da edição da Nylon de maio, revista gringa que traz a matéria com os atores da segunda geração e terceira temporada de Skins. O fato é que o meu querido, o meu favorito, o meu xuxu ficou escondidinho na sombra da foto. Então, sim, vou dedicar um post inteirinho pra ele, porque ele é talentoso, tem um personagem fofo e é gato. Ele merece. Simples.

Luke Pasqualino vive Freddie Mclair, um dos personagens da terceira e última temporada de Skins, seriado britânico que eu adoro e acho que você deveria assistir! Apesar da morenice,  o rapaz não tem absolutamente nada de indiano, como poderia se supor depois que a série tornou famoso Dev Pattel, o protagonista de Slumdog Millionaire, descendente de indianos.

Nascido em Peterborough, na Inglaterra, Luke é aquariano do dia 19 de fevereiro e tem 20 aninhos. Batizado como Luca Giuseppe Pasqualino, eis que o mocinho do seriado é unicamente descendente de italianos, tendo mamãe nascido em Nápole e papai, em Sicília – o que talvez explique todo o charme.
.



com cabelinho despenteado, olheirinhas charmosas e skate nos pés: é assim que Luke aparece em Skins!

Antes de virar o “cara sensível” da última temporada da série, Luke concluiu o ensino médio e estudou interpretação no Centro de Artes de Stamford. Para conseguir o papel de Freddie, o ator enfrentou mais de cinco mil concorrentes! E apesar de beber e fumar maconha adoidado na série, o rapazinho declarou nesta entrevista dada à AXM que jamais experimentou erva de verdade:  “Quando saio nos finais de semana na vida real, eu gosto de curtir. Tomo umas cervejas e tal, mas não tô nesse ‘rolê’. Eu nunca experimentei e tomara que eu nunca experimente”. Viu? Pra casar. Aliás, hein? Aquário e libra, par perfeito. Fechou. […]

Sobre ter se tornado o novo namorado-dos-sonhos na Inglaterra (e em muitos países com acesso à internet e à torrents!), Luke comentou nesta mesma entrevista que ainda acha estranha toda essa atenção, mas deixou claro: “não estou reclamando!”. Quer saber mais? Lê a entrevista completa na AXM.

Entenderam agora o que eu quero dizer com “beleza real masculina”? Pois é, ele é o exemplo perfeito para minha teoria. Se o “Luca” também faz seu tipo, tenta a sorte e adiciona o quase-italianinho no facebook. Ou, sei lá, faz igual eu: manda uma mensagem dizendo “you’re delicious”. Vai que ele curte a foto do profile, né? Não custa tentar!

Fontes: AXM, Wikipedia, Skins Brasil
.

ps: mas será possível que eu vá me apaixonar platonicamente por todos os mocinhos desse seriado? Tenha dó! Além de tudo, daqui a poucos meses vira pedofilia pro meu lado. hehe 8)

Ney e Post-It – Imagens da Semana

ter

muuuito mais fotos.


Dan Nakagawa apresenta Ney Matogrosso

Dan Nakagawa apresenta Ney Matogrosso - Show no Teatro Oficina

para ver mais fotos, flickr djá!

Terça passada fui convidada para conferir o show do Dan Nakagawa cantando juntinho com ninguém menos que Ney Matogrosso no primeiro Festival de Outono do Teatro Oficina! A apresentação deles foi incrível e eu agradeço horrores o convite do pessoal de lá! Além de eu adorar o teatro (um dia tenho que contar a história deles!), foi uma oportunidade excelente pra ver de pertinho um dos maiores cantores da música brasileira, carregar mamãe junto e ainda conhecer o Dan, que tem uma puta voz e é um verdadeiro poeta – até porque cantar com o Ney não é pra qualquer um, não. Visitem o Myspace dele!


Post-It, a festa do Papelpop

post-It @Vegas

post-It @Vegas

dançando e tomando só uma cervejinha, porque eu tava dirigindo. Juro!

post-It @Vegas

mãos pra cima pra se jogar ao som da Stephany! Veja todas as fotos.

Eu sempre morri de vontade de ir nas festas do Phelipe Cruz, dono do ótimo Papel Pop e meu ex-primeiro-chefe na Capricho. Eis que finalmente deu certo! Sexta à noite peguei o carro (peguei o carro!!!), peguei a Luísa, pegamos a fila do Vegas e nos acabamos com a tchurma ao som de Britney, The Gossip, Blur, Beyoncée e da diva absoluta, Stephany. Sim, Phelipe Cruz botou Stephany e a pista foi ao chão com as mãos para o alto! Comoção geral. Timais. Quem perdeu, perdeu mesmo. Cheguei em casa quase 7 da manhã do sábado, sem pernas, sem cabelo, sem voz, porém feliz. Parabéns pelo sucesso, Phê!

Nylon de maio

Quando vi no SkinsBrasil que a Nylon de maio traria uma matéria com os queridos da segunda geração de Skins, eu já corri para comprar. O melhor mesmo é que a capa traz  a querida da Kat Dennings – sim, do Nick and Norah’s Infinite Playlist que eu indiquei semana passada – e a Olivia Thirlby, a melhor amiga da Juno em, ahn.. Juno.
.

Para quem não sabe, a Nylon é uma revista americana muderrrninha que faz uma mistura delícia de moda com música. É claro que, exatamente por isso, cada edição vai ser sempre irresistível e você vai querer devorá-la aos pouquinhos para que ela dure o mês inteiro… Mas eu não resisti! Corri direto para a matéria “45 Stars of the New Generation” que traz um montão de atores que nós ainda vamos ouvir falar bastante e os lindos de Skins: Lily Loveless, Lisa Blackwell, Jack O’Connell, Kaya Scudelario (linda!), Ollie Barbieri (alta vocação para beleza nerd), e o meu favorito, Luke Pasqualino, que ficou escondidinho na sombra da foto. Queremos 4ª temporada now! 8)
.

ps: sim, por N motivos eu ignorei toda a programação da Virada Cultural. Ano que vem tô lá – ou não.

25 Things, o meme do facebook

qua

Eu ando passando por uma espécie de crise nas redes sociais (tem algum especialista estudando isso?). Meu orkut não anda servindo para muita coisa, a não ser para rejeitar pedidos de add de pessoas que eu não conheço. Meu facebook se resume a friends for sale, embora eu fique lá para observar a vida de quem usa aquilo furiosamente. Confesso que é interessante, porque o “orkut gringo” dá muito mais gás para voyeurismo que o orkut. Quer coisa mais divertida que poder ver quem está enrolado ou quem começou a  namorar com quem e ainda poder deixar um comentáriozinho em baixo??

Como eu geralmente estou lá só para observar e para descobrir que personagem de Sex and The city eu sou, ou para aceitar todas as solicitações de amizade (lá eu sou facinha), acho divertido quando rola interatividade. Por exemplo, eu não sabia que circulavam memes por lá. Hoje a Vy postou uma nota com o 25 things, um meme em que você posta 25 coisas aleatórias a seu respeito e convida mais 25 amigos a fazerem o mesmo.

imagem via we <3 it

Como eu adoro um meme, não só respondi lá, como colei aqui, já que boa parte dos fatos da listinha eu ainda não contei aqui. Então, vamos lá: 25 things.

Once you’ve been tagged, you are supposed to write a note with 25 random things, facts, habits, or goals about you. At the end, choose 25 people to be tagged. You have to tag the person who tagged you. If I tagged you, it’s because I want to know more about you.

(To do this, go to “notes” under tabs on your profile page, paste these instructions in the body of the note, type your 25 random things, tag 25 people (in the right hand corner of the app) then click publish.)

1. Eu nunca me dei bem com seriados no geral. Comecei a ver “Lost” e “Gossip Girl” e parei. Nunca fui audiência cativa para “Friends”. Assistia as aventuras da Carrie Bradshaw e achava o máximo, mas não tinha a menor freqüência para isso. Até que conheci “Skins”. Conheci, xonei e não abandono mais. Não me importo com o fato de ser uma espécie de “Malhação hardcore made in England”, mas o formato do seriado é estúpido de bom e não tem nada igual por aí. Ganhou meu coração.

2. Eu me rendi a Steve Jobs e comprei um ipod. Tô amanduuu. Mas com os mac’s ele não me ganha. Tenho toda uma relação de amor e ódio/tapas e beijos com o Windows. Gosto dessa coisa intensa, cabeçuda e nada “intuitiva”. Aliás, esse papo de “intuitivo” é a maior mentira da história da tecnologia, a meu ver. Tem lá suas vantagens, mas chamar de “intuitivo” não, né? ¬¬

3. Eu não costumo lembrar dos meus sonhos. Geralmente quando lembro era algo ruim ou bizarro demais. Mas é legal mesmo assim, porque eles são cheios de referências, principalmente porque eu sonho em “terceira pessoa”, me observo num filminho. E antes que alguém fale: eu não comecei a sonhar assim depois de entrar na faculdade e estudar fotografia, posicionamentos de câmera, movimentação e etc. Eu sempre sonhei assim.

4. Eu odeio chuva. Quer dizer, gosto de dormir ouvindo o barulho da chuva, mas não suporto ter que sair num dia mais umidozinho. Só a leve hipótese de ter um “bad hair day” por causa da chuva já me deixa mal humorada pelo resto do dia.

5. Meu celular foi comprado com a desculpa de ter uma patcha câmera, mas até onde me consta eu mal usei esses megapixels todos. Fica entre nós. (Fica entre nós também que eu ainda não consegui arrumar a internet no meu celular. Esse é o único motivo que eu tenho pra me lamentar da Claro.)

6. Eu sou a favor de terapia. Já fiz por algum tempo, quero voltar e não hesito em recomendar pra quem aparentemente tem perrengues contínuos com as mesmas coisas. Penso que às vezes engana-se muito quem pensa “não preciso de terapia porque tenho amigos”…

7. Sou viciada em café. (Essa é novidade, hein? 8))

8. Não sou fã de doces, mas geralmente tenho duas preferências fortes e constantes quando se trata de glicose: chocolate com amendôas e Häagen Dazs de macadâmia. Se tiver Kit Kat, eu aceito também.

9. Eu não consigo me imaginar escrevendo no novo acordo ortográfico. Não consigo, ok? Aonde eu enfio todas as regras de gramática que eu decorei e ainda fazia questão de explicar para os amiguinhos na escola???? Não responda.

10. Preciso desesperadamente de uma internet mais rápida.

11. Eu não fico feliz em saber que conhecidos meus lêem meu blog, comentam entre si a respeito e não me deixam saber disso. Se você que está lendo faz isso, saiba que eu nutro uma raivinha por você.

12. Falando em raivinha, eu não sou do tipo que perdoa. É triste, mas eu geralmente alimento as mágoas e fico pensando em formas cabulosas de vingancinha e  (risada de bruxa) em como amaldiçoar as cinco próximas gerações dos alvos de meus desafetos. Tá, exagerei. A questão é que eu sou bem cabecinha dura, teimosa feito porta e vivo procrastinando aquelas conversinhas necessárias (mesmo sendo a favor de D.R., hein!). Eu vou adiando mesmo, até porque não sou fã de expor minha fragilidade. Ninguém é, né?

13. Não sou do tipo “sincera demais”. Não minto. Eu omito e faço “carão” quando precisa. Aliás, o fato de ser atriz ajuda muito nessas horas, mas obviamente não sei até que ponto isso é saudável.

14. A primeira série de livros que eu passei do segundo volume foi “Twilight” e atualmente estou babando pelo quarto livro. Nunca me empolguei com outras séries fantásticas (tipo Senhor dos Anéis ou Harry Potter). Aliás, eu não passei do terceiro capítulo de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e só li até o segundo livro de “Delírios de Consumo de Becky Bloom”. “Crepúsculo” me ganhou porque é ridículo de realista ao falar de personagens fantásticos e tem uma tensão sexual deliciosa. E, enfim, como eu já falei, eu não sou uma grande fã de coisas seriadas mesmo.

imagem via we <3 it.

15. Eu quero um animal de estimação. Preciso dar amor para alguma criaturinha. :(

16. Não atendo mais o telefone da minha casa se eu não estiver sozinha. Não atendo mesmo. Nunca é pra mim. Quem quer falar comigo, liga no meu celular e pronto. Aliás, nem lembro a última vez que algum amigo(a) pediu o telefone de casa… Alguém lembra?

17. Eu ainda não dirigi esse ano. 8) (juro que eu vou tomar vergonha, jurojuro!)

18. Eu tive uma idéia bem divertida para um documentário hoje. Vou por em prática.

19. Antes de pensar em juntar, casar, amigar, qualquer coisa do gênero, eu quero ter a experiência de viver sozinha.

20. Não vou ao show dos Backstreet Boys porque eles perderam totalmente o sentido pra mim quando o Kevin saiu. Tudo bem que ele não cantava nada mesmo, mas aquele homem é meu sonho de consumo e constituiu todo o meu ideal de estética masculina desde os meus 10 anos de idade, desde os meus primeiros cravos. Ou seja? Sem Kevin, nada de “As long as you love me”.

21. Pílulas anticoncepcionais deveriam exterminar a TPM? Alguém sabe? Por enquanto, eu não sei.

22. Estou procurando emprego. Um job, um freela, anything. Ou algo que me renda dinheiro fácil para sustentar meus vícios e luxos. Aceito sugestões. Sugestões saudáveis.

23. Eu sempre quis ter uma polaroid. (E eu quis mais ainda a polaroid das Spice Girls! <3 )

24. Escrevi tudo isso ouvindo o último cd do Kanye West, 808’s and Heartbreaks. A Lari recomendou e eu recomendo adiante.

25. Aparentemente, estou arranjando mais utilidade pro Facebook. Só falta meus amigos fazerem o mesmo. 8) Quem quiser, pode adicionar.
.

ps: só queria deixar registrado que eu amei a Penélope Cruz ter ganhado o Oscar de melhor atriz coadjuvante por “Vicky Cristina Barcelona”. You go, girl!

(Quase todos) Os cinco melhores de 2008

ter

Como eu não resisto a fazer listas, fiz um montão de top 5’s com um pouco do que eu vi, ouvi e vivi neste ano que chega ao fim depois de amanhã.

5 Filmes no cinema:
1. Um beijo roubado
2. Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet
3. Irina Palm
4. Vicky Cristina Barcelona
5. Rebobine, por favor (que merecia um mega post, mas vou deixar passar. Assistam! É o que importa.)

5 Bandas/cantores novos:
1. MGMT (não é exatamente novo, mas eu viciei total recentemente). Ouça “Time to Pretend” e “Eletric Feel”.
2. Lady Gaga – ouça “Pokerface” e “Paparazzi”.
3. Katy Perry – além de “I Kissed a girl”, ouça a versão dela para “Use your Love”, do The Outfield.
4. The Ting Tings – ouça “That’s not my name” e “Keep your head”.
5. Duffy – ouça “Mercy” e “Delayed Devotion”.
(faltou vocal masculino nas minhas playlists esse ano, definitivamente.)

5 livros lidos:
1. Ele simplesmente não está afim de você – Greg Behrendt e Liz Tuccillo (esse é pra vida toda!)
2. Can you keep a secret? – Sophie Kinsella
3. Crepúsculo/Lua Nova – Stephenie Meyer (<3 porque eu durmo e acordo pensando em Edward e Bella. Jura mesmo que eles não existem num universo paralelo?)
4. Adultérios – Woody Allen
5. Alice Através do Espelho – Lewis Carroll

5 melhores – TV:
1. SKINS (!!!), seriado  que eu só assisti esse ano e morri. É a melhor série ever, nunca fiquei tão presa num produto pra tv. Sei lá, é o tipo de coisa que eu atuaria, produziria, dirigiria…
2. Gossip girl (que eu parei de ver, mas sei que tá incrível!)
3. CQC – eu e todo mundo. hehe
4. 15 minutos – Marcelo Adnet = sex symbol.
5. Lavanderia MTV – é toscon, mas eu rio muito. Gosto da Penélope, ainda mais porque a conheço pessoalmente e ela é daquele jeitinho mesmo.

5 Blogs que conheci:
1. Diário de Solteiro (não só porque eu escrevo lá também, mas porque a gente é foda, ok?)
2. Meu melhor amigo gay
3. Lan House do purgatório
4. Controle Remoto
5. Coma com os olhos

5 momentos inesquecíveis:
1. A ida ao Projac com um monte de blogueiros! <3 (veja as fotos)
2. O primeiro dia dos namorados solteira em anos – e, ainda assim, o melhor de todos!
3. Madonna no morumbi.
4. JUCA solteira, com direito a beber e esquecer, passar frio na barraca, chavecar e ser chavecada e não, não pegar ninguém. E sem maiores descrições. 8)
5. Me ver no jornal da globo. (Pô, isso é memorável, não? hehe)

5 evoluções pessoais:
(porque eu ainda não entrei na academia, mas consegui outras coisas.)

1. Eu definitivamente não sou mais uma maníaca controladora….
2. …Agora eu posso até ser um homem. Ou quase. Quer dizer, nesse quesito “deixar pra lá”.
3. Acionamento do botão foda-se (nunca apertei tantas vezes na vida).
4. O auto-controle financeiro. Isso definitivamente não tem preço!
5. Dirigir, finalmente. Demorou pra essa carta sair, demorou pra eu tirar o carro da garagem, mas o milagre das 4 rodas finalmente aconteceu! Só que eu ainda preciso de estacionamentos com manobrista. O milagre da baliza fica pra 2009. hehe

5 melhores posts:
(porque eu soltei muita pérola esse ano e vocês merecem relê-las – ou não.)

1. Um ano solteira
2. Sobre amor e copos meio vazios
3. Rolê Internacional (relato da minha viagem para San Francisco e Nova York em maio)
4. “Eu não gosto de teatro”
5. Oi, me empresta seu marido?
(e um extra: O fatídico Jornal da Globo – porque eu ainda tenho recebido muitos e-mails perguntando sobre grana e etc.)

5 homens inesquecíveis:
De fato, houveram alguns. Mas seria muito mais divertido se eu fizesse a lista contrária: “top 5 fiascos” ou, sei lá, “top 5 malucos” – se bem que esta última ia virar um top 10. Enfim, acho melhor não. Né?! hehe

Voltarei com as minhas tradicionais resoluções de ano novo. Eu não resisto, okay? :whistle: