Jurada por um dia: show das bandas do “Superstar”

sex

Nesta quinta (24) rolou em São Paulo um show bem especial no HSBC Brasil, o #TributoNovoKa, que recebeu as bandas top 3 do reality show “Superstar” (Globo) e o jurado frontman do Capital Inicial, Dinho Ouro Preto. O show marcou o lançamento do novo modelo do carro da Ford e foi um supercombo de homenagens ao rock nacional! Foi também uma das primeiras oportunidades pós-programa para as bandas Jamz, Suricato e Malta se apresentarem para um público de verdade, sem telão de cenário nem telinha de celular no caminho.

.

HSBC lotadão para ver Malta, Jamz e Suricato

Acompanhei bastante o programa e achei muito bom ter a oportunidade de ver os grupos ao vivo, afinal presença de palco é fundamental para  uma banda de rock – e isso não se aprende rapidinho durante uma competição de TV. Depois de um set cheio de clássicos do rock nacional interpretados muito bem pelo Dinho, vieram ao palco os vencedores do programa. O público estava doidão para ver as bandas ao vivo – e eu agora vou bancar a jurada Ivetona por um dia para analisar! rs

.

Banda Suricato em ação

De cara, deu para notar que banda Suricato tem muito futuro pela frente: os caras sabem exatamente o que estão fazendo e, ainda por cima, tem um visual caprichado e descontraído, sem parecer que é tudo ordem do personal stylist. O que falta, neste caso, é trabalhar realmente o lado autoral. Por isso, faço meus votos de boas ideias para eles nos próximos meses: tá aí um CD que seria bom de ouvir.

.

O quarteto com swing: Jamz

Já o grupo Jamz tem a sorte de trabalhar com uma levada soul pouco explorada no Brasil atualmente, mas para os excelentes músicos decolarem, vão precisar de um pouco mais de carisma e presença de palco, fora as músicas autorais. Como ontem bem disse meu amigo Eddie, do Manual do Homem Moderno, “não dá para fazer uma carreira só no clima de ‘The Voice'”. O programa aqui é outro, com o perdão do trocadilho. rs

.

Banda Malta e Dinho Ouro Preto

E, claro, a banda vencedora do programa também se apresentou: Malta. Eram esses os caras mais aguardados da noite, os que lotaram o HSBC Brasil. Tocaram música autoral (Fábio Jr. pira!) e fizeram a galera cantar junto, pareciam uma banda veterana carregando seus fãs fiéis. Não gosto do estilo, não admiro quem canta de olhos fechados o tempo inteiro, mas a segurança que eles tiveram ao entrar no palco e a alegria da plateia deixam bem claro que o grupo tem vida longa – só não pode achar que o jogo está ganho (e se der para cantar de olho aberto, ganha pontos!).

.

clima de jam session no fim da noite

Durante o show, é claro, aproveitei para encontrar alguns amigos queridos e também conhecer o espaço! Estava tudo decorado especialmente para a ocasião e o público pôde ver de pertinho os novos Ford Ka. Os créditos do look estão na sequência das fotos.

.

jaqueta: OMK Couro
camiseta: PacSun
calça: American Apparel
bota: H&M
esmalte: Desenho Livre, da Avon

Imagens das bandas e shows: Paulo Otero e Mila Maluhy/Divulgação

Vídeo: Diário de bordo do Lollapalooza 2014

ter

.

Era para a distância entre os palcos ser uma vantagem – nada de música de um invadindo o show do outro – mas acabou virando perrengue. O Lollapalooza voltou em 2014 no imenso espaço do Autódromo de Interlagos, lineup de peso & desejo (LORDE!) e novidades de dar água na boca. Como não aplaudir um festival que promove uma feira gastronômica para os visitantes? Ponto pro Lolla!

No vídeo ao melhor estilo ~vlog~, conto um pouco de como foram meus dois dias de festival, destaco pontos positivos e negativos do evento e, é claro!, escolho meus favoritos desta edição. Alguém adivinha quais foram? ;)

Como sempre, jóinhas no vídeo são bem-vindos! Quem quiser, aproveita e se inscreve também! 


Look(s) do(s) dia(s): Lollapalooza!

seg

Para ver mais looks, navegue pela tag.

Segunda-feira pós-Lollapalooza é dia de re$$aca e de mostrar os looks do festival, é claro! Estava difícil encontrar sapato confortável o suficiente para encarar a verdadeira maratona que foi se movimentar pelo Autódromo de Interlagos. Nada foi páreo para o sobe e desce proporcionado pela divisão dos palcos. A única coisa que deu para comemorar nisso tudo é que não choveu – ainda bem!

Para o primeiro dia, não pensei muito: fui no simples e fácil, camiseta, short e botinha. O que acho curioso é quantas combinações diferentes a gente consegue fazer quando escolhe tecidos diferentes para o short ou mesmo cores diferentes de bota. O simples definitivamente não precisa ser banal!

Já no segundo dia, ~caprichei~ um pouco e resolvi usar a jardineira de couro fake que trouxe de Orlando. Cheguei a vestí-la num dia de parque por lá, então eu tinha certeza que a peça ia aguentar bem o tranco do festival. Para quebrar o pretão absurdo, um bom batom vermelho e uma bandana colorida – melhor coisa que fiz pelo meu cabelo até hoje para um evento assim. Quero muitas, todas, de mil cores diferentes! pls tks! 

DIA 1

.

camiseta: Pacsun (Orlando)
short resinado: Toli

óculos: Clubmaster, Ray Ban
bolsa: Asos
open boot: Ebay (é linda, mas não recomendo esse seller!)

Continue lendo →

5 coisas que você precisa saber sobre o Lollapalooza 2014

sex

Já separou aquele tênis confortável ou aquela botinha do coração? Já decidiu o look para festival mais bacana do semestre?  Então tá na hora de falar sobre 5 outras coisas que você precisa saber sobre o Lollapalooza, que rola neste final de semana no Autódromo de Interlagos em São Paulo, nos dias 5 e 6 de abril.

1. O LOCAL

clique e veja maior

Este ano o festival ocupa o Autódromo de Interlagos e promete cansar os pés dos moderninhos com a distância entre um palco e outro e a mistura de gramado com pista. Vá preparado! O acesso estará garantido através de ônibus da SP Trans, trens e bolsões de táxi que ficarão no local para o fim da noite. Veículos que cheguem com 4 ou mais pessoas ao estacionamento oficial vão ganhar também um mimo da organização: voucher de comidinha pela boa ação de dar carona. Quem for vipão e tiver acesso ao Lolla Lounge, deverá fazê-lo através do ponto de encontro no shopping Market Place; o estacionamento para os vips vai ser gratuito.

Os portões abrem às 11h; veja todos os detalhes de locomoção assim como possíveis bloqueios na região aqui.

.

2. “EU TINHA UM INGRESSO PARA O SHOW EXTRA DO MUSE”

Antes do festival, muitas bandas fazem as chamadas Lolla Parties e era esse o caso do Muse, que cancelou seu show extra no Grand Metropole, em São Paulo. Quem comprou ingresso poderá tanto pedir reembolso quanto usar seu ingresso para acessar o festival num dos dias. Caso opte por ir ao Lollapalooza, não é preciso fazer nenhum tipo de troca ou validação, basta entrar na fila e apresentar seu ingresso do Grand Metropole num dos dias do festival a sua escolha. Atenção: o ingresso vale para apenas um dia, não para os dois como alguns vêm divulgando.

.

3. O QUE EU POSSO LEVAR?

A imagem de divulgação do festival já é bastante auto-explicativa, não? Em todo caso, vamos resumir: não será permitida a entrada no festival quem portar objetos de vidro, substâncias tóxicas ou inflamáveis, guarda-chuva  de qualquer tamanho, papel em rolo, bandeiras ou faixas, capacetes de motos, acessórios pontiagudos e, principalmente, câmeras fotográficas profissionais e câmeras filmadoras. Ah: se sua câmera tem lente intercambiável, ela é considerada profissional, sim.

Continue lendo →

Festival Planeta Terra e a euforia por Lana Del Rey

ter

.

Por onde começar a falar sobre o Planeta Terra 2013? Em sua sétima edição, o festival que tem mais cara de São Paulo marcou mais uma vez seu nome na agenda dos amantes de música e trouxe headliners que há muito o público queria ver. Estreou num novo local, o Campo de Marte, e com louvor: fácil de chegar, sair, estacionamento a preço justo e horários adequados para quem queria pegar metrô.

Por outro lado, sentimos saudades principalmente dos talentos “intermediários” que faziam nosso coração balançar entre um show e outro –  o que assistir? Como vou me dividir assim? – e das atrações eletrônicas incríveis, que sempre davam conta de fechar o festival de forma épica. E bem mais tarde da noite.

.

foto: reprodução/Terra

.Entre Blur, Beck, Travis, The Roots e Lana Del Rey, o público parecia ter chegado ali já com seus favoritos de cabeça. Blur veio com um setlist preciso e mostrou a que veio de cara ao abrir com “Girls and Boys”. Por coincidência (ou não!), os maiores hits do grupo estão compreendidos bem na “era” da modinha atual, os anos 90. Foi um retorno ao Brasil que veio bem a calhar, já que na última passagem dos caras em 99, dizem os críticos, a comoção não foi das maiores. Fato devidamente corrigido.

The Roots foi, para mim, uma grata surpresa. Uma música forte, que bate no peito e uma apresentação feita para qualquer ser humano que goste de música curtir. Fazia tempo que não via um show feito com tanto gosto e paixão. E eles ainda tinham uma tuba no palco, quer dizer… Eles fizeram valer o dia.

Travis fez um som delicioso, gostoso de ouvir e embalou bem tanto fãs quanto quem estava ali apenas aguardando o nome que mais causou euforia na noite: Lana Del Rey.

foto: Reprodução/Veja

Depois de ver vídeos e mais vídeos de Lana Del Rey beijando e abraçando fãs em Belo Horizonte, sabia-se que o mínimo que a cantora faria em São Paulo seria tentar repetir o calor. De fato: logo após cantar “My pussy tastes like pepsi cola….”, a cantora desceu do palco como que para deixar os fãs provarem um pouco de seu mel.

Foi uma comoção do início ao fim do show e de uma forma que, eu juro, só vi no show da mãe mostra Lady Gaga – e olhe lá. Era fácil olhar para o lado e ver rostinhos que se sentiam profundamente representados pelas músicas melancólicas e fatalistas de dona Del Rey. E como soam bem as músicas ao vivo.

Embora tenha uma voz um pouco “menor” do que o que aparenta nos álbuns e nos shows gravados, Lana-Lizzy Grant entrega exatamente o que se ouve num single. Canta com vontade e passeia pelo palco com a presença de uma diva das antigas – com seu rosto das antigas e até seu tipo físico que lembra alguém de outros tempos. Tudo envolto por um clima etéreo bucólico e com guitarras pesadas, que por muito tempo solaram no palco enquanto Lana distribuía amor e simpatia na plateia.

Foi um show bastante especial para os fãs, disso não tenho dúvida, mas faltou algo que talvez falte no próprio repertório de Lana: o tal do punch, que os colegas do outro palco The Roots tinham até para distribuir. As músicas de “Born To Die” e sua “Paradise Edition” são lindas, são densas, são intensas, mas falta uma batida, um sobressalto, algo que faça o coração explodir de tesão, nem que seja antes de dizer adeus.

Se as músicas de Lana são cheias de melancolia e pulsão de morte, falta agora a ela descobrir o que a move para frente. Talvez isso nem seja tão difícil assim, não. Com um público caloroso destes, a resposta deve estar bem à frente. Como ela mesma disse ao abrir o show: “Vocês me lembram porque eu gosto de fazer música”.

O show completo:

.

Sem dúvida, o Planeta Terra foi recheado de ótimas canções e, quem diria, de hinos de gerações tão diferentes, mas tão parecidas. Se antes o tédio 90’s era de “Coffee & TV”,  agora é de “Summertime Sadness”.

E que venha ano que vem: em 2014 tem mais Planeta Terra!

Look do dia: Festival Planeta Terra

seg

Para ver mais looks, navegue pela tag.

Sabadão, dia de sol e um monte de shows bacanas para ver: foi com isso em mente que pensei no que ia vestir para o Festival Planeta Terra deste ano. Apesar de já estar acostumada a ir em festivais e adorar essa maratona de diversão, é claro que fiquei em dúvida no que ia colocar (mesmo depois de fazer post com dicas, hein?).

Encanei que queria um short de um jeito xis e me lembrei que há muito tempo a Levi’s me mandou uma 501 Original para customizar. Abri o armário e lá estava ela, me aguardando ansiosamente para ser tesourada! hehe Cortei rapidinho, passei uma lâmina de leve na barra e já deu uma desfiadinha de leve. Agora é esperar o novo short se detonar um pouquinho mais! Só de lavar já abrem bastante os desfiados na barra. ;)

 

.

top de renda: Ebay (velhããão! Achei esse aqui parecido para indicar.)
regata suplex: Forever 21
short: Levis 501 customizado em casa
cinto: vintage
colar: Pacsun (Orlando)
bolsa: camerabag da Urban Outfitters
óculos: Wayfarer, Ray Ban
bota: Zara
.

.