“Girls”: trailer da terceira temporada e mais música boa

qua

Terceira tempora de “Girls” estreia na HBO no dia 12 de janeiro

The girls are back in town! Hannah e suas comparsas estão chegando para mais uma leva de episódios quentinhos. A premiada série “Girls” reestreia na HBO no dia 12 de janeiro de 2014 e desta vez a temporada contará com 12 episódios, dois a mais que nas temporadas anteriores.

Para alegrar nossos corações ansiosos & inquietos, já tá no ar o trailer que não fala um nada sobre o que vai acontecer com a história, mas traz o que há de melhor na série: os diálogos rápidos e maravilhosos!

.

O que dá para esperar da terceira temporada? Hannah feliz e com estabilidade sentimental – destaque para a fantástica frase “eu tenho as chaves para abrir a prisão que é a minha cabeça” -, Jessa finalmente se preocupando com o que faz da vida, Marnie dando a volta por cima do pé na bunda e Shoshana simplesmente causando. Quer apostar quanto que ela será a grande responsável pelas piadas da temporada? rs A maior questão é descobrir que fim eles darão para o Charlie, já que o ator Christopher Abott abandonou a série durante as filmagens.

Como era de se esperar, a tradicional trilha sonora matadora continuará também dando as caras. A música do trailer, aliás, é “Ways to Go”, do Grouplove. Será mais uma música que o seriado vai ajudar a bombar? Quem não lembra do clipão ao som de “I Love It”, do Icona Pop?

.

“Girls” chegando: Lena Dunham por Terry Richardson e as músicas que a gente vai ouvir na TV

seg

Lena Dunham para Terry Richardson na “V Magazine”

A segunda temporada de “Girls” estreia dia 13 – todos ansiosos?? – e hoje a trilha sonora já começa a ser vendida na gringa. O álbum reúne um monte de gente bacana, mas as faixas originais é que chamam a atenção, como a música “Girls” de Santigold e a nova do Fun, “Sight of The Sun”.


E essa última, aliás, já vem até embalada com uma pitadinha de vida real: o guitarrista do Fun, Jack Antonoff tá saindo com a gêniazinha Lena Dunham. Leninha se dando bem ~no pessoal e no profissional~, hein? 2013 com o pé direito!

.

amorzinho hipster

Sobre o sucesso e suas facilidades, aliás, Miss Dunham contou que não supera o fato de ganhar roupas novas de presente: “eles estão me mandando roupas novas e do tamanho certo, ninguém me mandou nada no tamanho 36. Sempre penso que é a roupa mais bonita que eu já ganhei e uso vários dias seguidos”. A entrevista completa está na “V Magazine”.

.

– Tá certo, Lena. A gente também não superaria.

 

“Girls”: indicada ao Emmy, série estreia hoje no Brasil

seg

Lena Dunham na versão “working girl”

Nesta segunda-feira mais gente vai entender porque tem tantas meninas & mulheres se mobilizando em torno da criação de Lena Dunham: o seriado “Girls” estreia hoje na HBO brazuca às 22h. 

Escrita, dirigida e protagonizada por Dunham, a série fala do dia-a-dia de quatro jovens adultas que descobrem que a vida não é um conto de fadas à la “Sex And The City”.  A primeira (e infelizmente curta) temporada chegou ao fim nos Estados Unidos após dez episódios e a série recebeu nada menos que cinco indicações ao Emmy: melhor série cômica, atriz, direção, roteiro e elenco.

Quem gosta de assistir tudo no conforto da TV, bota o alarme do celular pra apitar e assiste que vai valer a pena. Quem gostar tanto a ponto de não agüentar a próxima segunda (há leitoras que assistiram tudo em apenas um dia! rs), saiba que a série já está aí num torrent perto de você.

E, óbvio, quem não entendeu o hype ainda, clica aqui: 5 motivos para você assistir a série “Girls”.

As bonecas de papel da série “Girls”

qui

Depois de explicar tim tim por tim tim porque todo mundo deveria assistir “Girls”, a primeira temporada já está quase chegando ao fim. Pensando nisso, antes de ficarmos orfãos de nossas garotas tão preocupadas com o aluguel quanto com “as coisas bizarras que saem dos lados da camisinha”, o site Vulture lançou paperdolls bem bonitinhas das quatro garotas de Nova York:


Quem vai imprimir e recortar? Não sei! Mas o universo de cada uma está tão representado nesses retângulos que não tem como não curtir a ideia.

Falando em “universo”, o Vulture também publicou uma entrevista bem legal com o figurinista da série, que contou, entre outras coisas, que uma de suas tarefas foi encontrar lingeries feiosas para a personagem de Lena Dunham. Para quem curte bastidores, vale a pena dar uma lida.

.

5 motivos para você assistir a série “Girls” da HBO

sex

O quarteto de “Girls” da HBO: Allison Williams (Marnie), Jemima Kirke (Jessa),
Lena Dunham (Hannah) e Zosia Mamet (Shoshanna) 

Quatro amigas, Nova York, empregos nada definidos, pouco dinheiro na conta e estabilidade zero nos relacionamentos: é este o cenário em que vivem as protagonistas de “Girls”, série da HBO escrita, dirigida e protagonizada por Lena Dunham, que já mostra de cara a que veio quando coloca na boca de sua personagem Hannah que ela pode ser “a voz de sua geração” – ou pelo menos “uma voz de uma geração”.

Hannah quer ser escritora, tem muitos planos, poucas habilidades, pais que ajudam a pagar as contas e um ficante extremamente freak. Suas amigas variam entre uma garota certinha, uma estudante virgem e uma garota megacool viajada e descolada, mas o que importa é que o quarteto representa uma geração em que curso superior não garante nada além de um estágio não remunerado e pais pouco esperançosos em investirem dinheiro nos filhos.

Misture a tudo isso um pouco de piadas relacionadas à internet, Twitter e Facebook, relações sexuais politicamente incorretas e uma trilha sonora bem bacana e temos um seriado não só atual, mas extremamente visceral. É pouca maquiagem e muito texto, o que o torna bem diferente de qualquer outra série para garotas que já tenha surgido – no primeiro capítulo, aliás, a megacool Jessa faz questão de dizer que nunca ouviu falar de “Sex And The City”, enquanto a virgem Shoshanna diz que se sente uma mistura de Carrie com Miranda.

Até agora foram cinco episódios igualmente divertidos e geniais e uma segunda temporada já foi garantida pela HBO para 2013. Se esse seriado “hipster” terá futuro além da segunda temporada não sabemos, mas já estou aqui apegada e torcendo.

+ VEJA TAMBÉM:
O fim da série “Girls”: o que esperar da última temporada?

Veja os 5 motivos para você assistir a série “Girls”:

1. O elenco e as personagens

Lena Dunham (Hannah), Allison Williams (Marnie), Zosia Mamet (Shoshanna), e Jemima Kirke (Jessa) tem uma química incrível em cena e é difícil não se identificar rapidamente com algumas delas. Apesar da personagem principal Hannah Horvath ser escritora, a garota nada tem a ver com a já conhecida heroína Carrie Bradshaw e muitas vezes seu senso de humor mal colocado a tira do centro das atenções, para não dizer que a torna a “vilã” da história.

Por outro lado, é difícil não querer ter a auto-confiança e o jeitinho cool de Jessa. Por isso mesmo, creio que ela está muito mais longe da realidade que a própria virgem aos 20 e tralálá, Shoshanna. Já Marnie é um capítulo à parte: você deve conhecer várias.

2. Amor e sexo reais

Aqui as pessoas são felizes ou infelizes na cama, pegam DSTs, saram, e nada é um grande problema. O mais engraçado é que ao mesmo tempo em que ninguém está feliz, ninguém está realmente triste com o que está acontecendo e continua empurrando os relacionamentos com a barriga (seria esse o retrato do que a geração dos 20 e alguma coisa faz com toda e qualquer questão delicada?).

Cada capítulo tem seu “that awkward moment when…” e é impressionante o quanto as cenas de sexo servem para desencadear conversas absurdas. Em entrevista ao “New York Times”, a atriz/roteirista/diretora Lena Dunham fez questão de dizer que “Girls” tenta retratar a bagunça que a vida sexual pode ser aos 20 e poucos anos. Essa época em que ninguém está realmente satisfeito com nada, mas tem que fingir que está no controle de tudo e ainda gozando horrores.

3. As frases geniais

É inquestionável que Lena Dunham tem talento para escrita: ela sabe colocar na boca de seus personagens algumas verdades doloridas e é bem provável que, ironicamente, você fique se coçando pra soltar alguma frase da série no Facebook. Destaco aqui três momentos importantes para pegar o espírito da série:

1. Não é vida adulta se os seus pais pagam metade do seu blackberry;
2. Ficadas tem que durar no máximo 6 meses ou até que alguém pare de se divertir;
3. “Por que você vê pornografia? Por que você não imagina nós dois transando?” e a resposta: “Porque isso me deixaria triste”.

4. A direção mais “crua”

Gravada com apenas uma câmera, “Girls” tem um ar de vida real que não está só presente nas situações e no figurino das personagens, mas no próprio formato da série. Alguns planos longos com as personagens simplesmente conversando com pouca ou quase nenhuma maquiagem vão fazer os homens no sofá se sentirem dentro de um banheiro feminino, ouvindo até o que não queriam.

5.  Trilha sonora

Ah, nada como acabar um episódio e querer caçar as músicas que tocaram. E a trilha dessa série é bem difícil de achar se você não tiver um Shazam por perto. Bom passatempo! rs ;)

As quatro em cena, curtindo um “showzinho” de rock

E um motivo para não assistir:

Se o seu negócio é glamour, estilo das personagens, gente linda o tempo todo, intrigas e histórias que só aconteceriam com mulheres bem sucedidas ou bem nascidas, esqueça. As “Girls” tem bom humor e inteligência, mas pouco dinheiro e muitos problemas: mais vida real, impossível. Por isso mesmo, a série tem sido vista como uma aposta corajosa da HBO e tem tudo para ganhar lovers & haters: não tem como ficar indiferente.

.

ps: apenas um adendo: antes de conseguir todo esse espaço na HBO, Lena Dunham escreveu e protagonizou o filme “Tiny Furniture”, tratando do mesmo tema. Ainda não assisti, mas deixo a dica para quem curtir a série também.

Os livros “The Carrie Diaries” e o seriado na CW

seg

UPDATE:Escolheram a atriz que vai viver Carrie Bradshaw, é AnnaSophia Robb de “A Fantástica Fábrica de Chocolates”; mais detalhes aqui. O que você achou da escolhida atriz? Comenta aí!

pra ler numa tacada só!

Depois de ler “Os Diários de Carrie” no final de 2010 rapidamente e apaixonadamente, devorei o segundo livro da série “The Carrie Diaries” na semana passada. A nova série volta ao passado da protagonista de “Sex And The City” dos livros e da TV e revela como foi nossa destemida conselheira fashionista na adolescência.

O spin-off escrito também por Candace Bushnell nos leva até a Carrie no último ano do colegial que nos narra daquele jeitinho íntimo e delicioso seus últimos momentos de vida interiorana antes de ir para a Big Apple. Entendemos a paixão dela pela moda, vemos a forma como lidava com as amigas, com os garotos e, obviamente, com o sexo.

Apesar de “O Verão e a Cidade” ser uma continuação imediata da série, sentimos que ao por os pézinhos em Nova York nossa Carrie amadurece anos de idade em apenas alguns meses. É interessante ver como tudo aquilo é possível e ao mesmo tempo maluco, coisas que realmente parecem só ser possíveis em Nova York. E nos anos 80. Isso, claro, sem contar os diálogos ótimos característicos do universo criado por Candace!

O segundo livro mostra o primeiro sucesso e o primeiro fracasso da garota na cidade grande e, mais importante, conta como as quatro amigas se conheceram – e é hilário ficar imaginando todas elas jovenzinhas. O mais engraçado é que a primeira a conhecer Carrie é Samantha, que acaba cedendo um quarto para a novata na Big Apple. Você acaba de ler o livro e fica querendo mais, especialmente com o suspense que fica no ar – quando sai o terceiro? hehe

Se você não estiver afim de ouvir histórias de Carrie na escola, digo que até dá pra pular para o segundo livro de cara, mas você vai perder alguns detalhes importantes da construção da personagem e eu não perderia a oportunidade de fazer o tour completo pela adolescência de Miss Bradshaw.

É muito interessante ver como essa personagem superpop é extremamente rica. Com tantas informações que já acumulamos nos livros e nos episódios de TV, dá pra se sentir que ela existe mesmo e que ainda por cima é sua amiga. Eu sempre me identifiquei mais com Carrie Bradshaw do que com as outras do quarteto, então taí um motivo a mais para amar tanto esse flashback! ;)

O SERIADO

Embora os criadores da série de TV terem achado o recomeço sem nexo (um dos produtores disse que não imagina porque deveria retratar a Carrie “menos evoluída antes dos 30”), a CW comprou  os direitos dos novos livros e os mesmos criadores de “Gossip Girl” devem levar a Carriezinha para TVs e computadores do mundo todo.

Um piloto já está em produção e, apesar das poucas informações confiáveis disponíveis, já dá pra ter uma certeza no elenco: a atriz Stefania Owen irá viver uma das irmãs mais novas de Carrie. 

Há boatos também de que Blake Lively estará no elenco, mas não creio que ela deva ser a Carrie, está mais para Samantha, já que nos livros fica bem claro o quanto ela é mais velha que as outras.

Só sei que vai ser tarefa difícil produzir esse elenco, especialmente porque o rosto de Sarah Jessica Parker é muito marcante! Na minha opinião, a atriz vai ter sim que lembrar a Sarah pelo menos vagamente, não vai colar se uma morena de cabelos lisos pegar o papel, por exemplo. Sem pensar muito, eu diria que Kaya Scudelario, Elizabeth Olsen e Emma Roberts dariam boas Carries, se o visual fosse adaptado pra valer.

Em quem vocês apostam para viver a personagem? Vocês acham que ela deve ou não se parecer com a Sarah?

.