Guias de viagem cinematográficos, literalmente!

qua

Eu pirei quando vi isso – e torço para que eles estejam à venda logo por aqui!

Os Film + Travel Guides da Museyon vão virar objeto de desejo para pessoas que gostam de viajar e são amantes da sétima arte. Por que? Simplesmente porque mostram locações de filmes famosos no mundo todo, curiosidades desses locais e um pouco da história das filmagens que aconteceram por lá.

Já existem três edições do guia, uma com locações da Asia, África e Oceania, outro com lugares na Europa e, claro, um só para as Américas, que inclui Argentina e Chile como representantes latinos, mas nada de Brasil ou México.

As ilustrações dos guias são ótimas! Desenhos representando cenas dos filmes são sobrepostos a fotografias da locação original, resultando em artes como as dessas capas:
.


.
no guia da Europa, Fontana di Trevi e a famosa cena de La Dolcce Vita, em Roma.
na capa do guia “das Américas”, a cena de Vertigo na Golden Gate em San Francisco.
.

E se você for curioso com relação a locações de filmes e etc e tal, visite o Movie Locations: eles contam onde ficam exatamente os cenários de cada produção nos mínimos detalhes, dando enfoque para como foram as filmagens por lá (os guias obviamente falam pelo lado mais turístico da coisa).

Se não fosse esse site, eu jamais saberia que as cenas da escola em Crepúsculo foram divididas em três cidades diferentes. Também não saberia que algumas locações de Mullholand Drive não eram em Hollywood. Só fiquei decepcionada de não encontrar Blindness por lá (eu queria ver São Paulo, ué?). De qualquer forma, vale a visita, principalmente quando você estiver entediado numa tarde chuvosa, pedindo algo no estilo “guia dos curiosos”… 8)

Consultoria para recém-formados (e uma campanha genial!)

qui

Certo, você acabou de passar uns bons anos da sua vida numa faculdade e, caso seja gringo, é bem provável que tenha se tornado mocinho(a) e tenha vivido no campus da universidade por todo esse tempo de imersão em apredizado. Agora, você tem de encarar o mundo além dos muros da “facul” e fazer dar certo num mercado de trabalho em crise… Só que toda a experiência profissional que você tem se resume a conhecer o primo de um amigo de  alguém meio influente.

A proposta do Graduate Carreer Coaching é ensinar os recém-formados a interagir corretamente em entrevistas e dar um tapa em seu currículo, além de promover workshops e esse blablabla empresarial super útil. Mas foram os absurdos no “curriculum vitae” de jovens que inspiraram a campanha publicitária genial do serviço americano.
.

Olha só (e clica pra ler direitinho):
.

.

Continue lendo →

Guia de Viagem: 10 dicas para a Europa

seg

Post para ler com calma, salvar, guardar, compartilhar e enviar para os amigos que planejam viajar.

Esta é a última parte dos posts de 100 fatos sobre a Europa e espero sanar todas (ou quase) dúvidas que me foram enviadas. Se você tiver algo a perguntar, pergunte aqui nos comentários, de forma que a resposta fique disponível para quem quiser saber o mesmo.

Vai viajar para Buenos Aires? Veja 10 dicas para visitar a capital da Argentina!

.Baseando-me em meu mochilão de 23 dias pela Europa, passando por 7 países e 9 cidades, escrevi aqui as minhas principais dicas de viagem para vocês. Como já tenho um certo tipo de experiência com viagens internacionais, agreguei aqui alguns toques que também servem para qualquer lugar do mundo, principalmente no que diz respeito a dinheiro, às malas, às bebidas, a passeios culturais e equipamentos eletrônicos.

Se você procura por informações específicas de cidades ou países, veja estes posts: Lisboa e Madrid, Paris e Amsterdam, Berlim e Frankfurt, Salzburg e Veneza e, por fim, Roma. Se você estiver indo para os Estados Unidos, especificamente para Nova York ou San Francisco, leia também este meu post sobre minha viagem ano passado.

(Só não falo de “Disney” ou América Latina por aqui porque viajei para esses lugares há alguns anos, portanto torçam para eu ter verdinhas e viajar mais, assim dou conselhos fresquinhos! rs)


1. DINHEIRO

 

Roma

eu, “desperdiçando” 0,50€ na Fontana Di Trevi, em Roma

 

Vamos começar pela parte chata, já que várias coisas legais você já sabe. Depois de quebrar seu cofrinho e passar horas pesquisando hotéis ou indo até uma agência de viagens encomendar um pacote tradicional (ou um pacote mochilão, tipo o que fechei com a CI), você terá de calcular seus gastos.

Quando você viaja por diversos países europeus, a média de gastos com transporte público, museus e comida giram em torno de 50€ por dia, e pode inclusive sobrar se você não fizer questão de ir em restaurantes chiquetérrimos. Aliás, se você tiver condição pra isso, pode pular para o item 2.

Certo, você que também é gente como a gente mas quer ir pra Zoropa, faça o cálculo dos 50 por dia baseando-se em quantos lugares você irá. Digo isso porque algumas cidades são caras e outras super baratas. Por exemplo, se você for passar 20 dias apenas e exclusivamente em Paris, saiba que você irá gastar mais que 50, com certeza.

Em cidades “baratas” como Lisboa, Madrid, Amsterdam ou as alemãs que conheci, Frankfurt e Berlim, você certamente vai gastar menos de 50 e vai sobrar uma quantia razoável para equilibrar com as cidades caras que vierem pela frente, como Paris e Veneza. E, sim, Paris é a mais cara (das que visitei). Nós sentimos bem a diferença, pois ficamos lá 6 dias, enquanto que nos outros lugares ficamos no máximo 3 – minha viagem foi super frenética.

Com relação a gastos com compras: tudo depende do seu poder aquisitivo, mas souvenires geralmente são razoavelmente caros para o que são (a não ser na Itália, sei lá porque cargas d’água!). E uma observação idiota, mas importante: nunca, NUNCA, nunca compre postais, miniaturas e breguedet’s do lado do monumento/museu/etc. Aí ficam os pega-turistas e eles chegam a cobrar o dobro do preço de lojinhas em regiões centrais.

Última coisa: vai levar cartão de crédito? Calcule o limite de reais para euros antes de sair daqui, para não ter surpresas. Se vai viajar com traveller check ou com o Visa Travel Money (cartão de débito pré-pago), tenha cuidado também. O traveller check pode não ser aceito e o Visa Travel Money pode travar, dar uma falha, ou qualquer merda – aconteceu com a minha amiga.

Na dúvida? Leve dinheiro vivo, pelo menos para cobrir o básico (alimentação e transporte). Seja esperto e ande com a grana com você, dentro daquelas “bolsinhas” que vão por baixo da roupa. Não tem erro e você não precisa alugar cofre do hotel. Até porque, mizifio, você tá na Europa. Podem até bater sua carteira, mas jamais vão rasgar sua roupa e descobrir a “pochetinha” do dinheiro. ;)



2. FAZENDO AS MALAS

Tudo certo com a grana? Vamos à mala!

 

 

lisboa

esperando no terminal de trem, em Lisboa, apoiadas nas nossas mochilonas (eu sou a galocha de onça! hehe)

Primeira coisa: pense sinceramente no estilo de viagem que você fará. Mala ou mochilão? Se for mochilão, tenha consciência que sair daqui com mais da metade da mala cheia te dará prejuízo e você comprará uma mala nova.

Se você for de mala, IDEM. Por que? Porque, sim, você vai encontrar promoções incríveis lá e vai querer encher o resto da mala. Por mais duro que você esteja, alguma coisa você sempre acabará trazendo, então nessas horas é bom treinar o desapego e ser compacto.

Eu viajei com mochilão, porém lá pelo 18º dia da viagem troquei para uma mala de rodinhas de qualidade, que comprei com a certeza de que ela seria muito bem vinda e duraria mais várias outras viagens. Se possível, faça o mesmo.

Geralmente, malas boas no exterior custam muito mais barato do que aqui e você pode fazer um bom negócio. E não seja bobinho: ao comprar uma mala nova, considere se ela conseguirá comportar com folga tudo o que você já tem no momento além da própria mala que você viajou primeiramente, já que nem sempre ela poderá ser usada como bagagem de mão ou poderá ser despachada, conforme o peso da mala nova.

– Como escolher o que levar?

Outra parte difícil. Depois de checar a temperatura de seus locais de destino, comece a escolher roupas alguns dias antes de viajar. Depois disso, tire metade da pilha – principalmente se você for exagerado(a) – e capriche nos acessórios. Se o seu cachecol for rosa hoje e branco amanhã, o foco nas fotos vai pra isso, e não pra sua roupinha igual. Got it?

Se você for no inverno, leve boas blusas cacharrel (ou bem quentes, no caso dos meninos) e uma jaqueta, ou no máximo duas. Mais que isso é exagero e muitas vezes os tecidos daqui não nos protegem o suficiente, pois lá o frio é diferente. Sendo assim, se ao chegar lá a sua jaquetinha não agüentar, você só vai ter ocupado espaço na mala com ela e não com duas.

Tenha algumas camisetinhas básicas para ir trocando por baixo da “blusa quente”. Elas não irão sujar e você com certeza consegue usar por mais de um dia, pois por mais que você ande, confia em mim!, você não vai suar, já que o frio deles é seco (com exceção de Veneza, por motivos óbvios!).

Quanto aos sapatos? Keep it simple, a não ser que você já saiba que terá algum tipo de evento fino por lá. Um bom tênis quentinho e uma bota sem salto já são o suficientes. Para os homens, tênis e pronto! Sortudos.

(calcinhas, cuecas e meias vocês podem contar sozinhos né? 8) )


Continue lendo →

Vamos trabalhar no twitter?

qui

Que google, que nada! Olhem só algumas fotos da sede do twitter, num loft em San Francisco – cidade incrível que me desperta muito mais o instinto de imigração ilegal do que Nova York:
.

Bicicletário style: todos os funcionários devem ser mega-atléticos, porque pra ser ciclista em San Francisco você tem que ter perninhas fortes! O sobe-desce é pior que pelourinho baiano – acreditem!

Espaços arejados, pé direito considerável, nada de cubículo. Reparem no adesivinho na parede ali à esquerda: pixelado!

A cozinha: todo bom escritório moderninho agora tem que ter jeitinho de “minha casa” – o que também é uma boa desculpa pra todo mundo trabalhar 14h por dia em novos projetos e sobreviver de cafés e cigarros. Mas… Estamos falando de San Francisco! Lá todo mundo é saudável, e eu realmente prefiro acreditar que os twitteiros sejam cools e ajam de boa fé para com seus funcionários.
.

As fotos e informações são do Circuito Integrado, blog da Folha que visitou a sede do sistema mais bombado de mini-blog esta semana. Quem quiser ver mais fotos e ler a matéria completa, passa lá!

Depois desse escritório lindo, só tenho que perguntar uma coisa: quem trabalha no twitter pode trabalhar twittando? Se puder, estou fazendo as malas! 8)

Rolê internacional

ter
Rufem os tambores, que finalmente vem o post mais aguardado (e maior) do mês (do ano).
Tudo o que descobri nos 12 dias que eu me ausentei, divididos em top’s 5 de cada cidade e mais algumas considerações finais sobre minhas compras. E, claro, as fotos, mas só de SanFran por enquanto, porque virei PRO no flickr ontem e ainda não deu tempo de arrumar tudo!

SAN FRANCISCO

1- O clima. Califórnia. Você pensa em calor, mas não foi bem o que aconteceu em plena primavera… Em San Francisco é sol o dia inteiro, dias lindos, mas o vento é de arrepiar até os ossos. Tá, exagerei. Mas venta MUITO. Esqueça seu cabelo ao tirar fotos e abuse do charme do cabelo ao vento.

2 – Castro. San Francisco não é inteiramente gay, obviamente. A cidade é sim super liberal e sem preconceitos (maconha sob prescrição médica). Lá cabem todos os tipos de expressões e de pessoas: é um choque de cultura incrível. Mas, mais especificamente, San Fran abriga um reduto gay, o bairro Castro, cheio de gente bonita, artistas e cachorrinhos fofos. No cenário, bandeiras de arco íris por todo lugar, sex shop’s explícitos e o bondinho tradicional. Outro choque belíssimo. Ah, é nesse bairro que é realizada a maior parada gay do mundo também.

3 – Golden Gate. Dourada só no nome, ela fica numa espécie de “reserva”, chamada Golden Gate Park. Lá muita gente vai para andar de bicicleta, fazer um lanche e, claro, comprar souvenirs. O lugar é lindo e sim, é a vista mais bonita que eu já vi na vida. Sem a menor dúvida. É emocionante: quando você entra na ponte, o vento parece que te leva junto, e aquilo treme que só! Você sente nos pés, no corrimão da passarela de pedestres, é muito surreal…
4 – O transporte público. Funciona. Além dos lindos bondinhos, cuja passagem é cara: $11 pra andar o dia todo, a cidade tem um sistema de ônibus que nunca atrasa, uma espécie de ônibus-metrô chamado Müni, que anda tanto embaixo da terra quanto fora, e um metrô com nome de BART (Bay Area Rapid Transit), que circula por todas as cidades da baía de SanFran e passa até de baixo d’água. É super legal: você sente a pressão no ouvido quando o trem entra/sai do mar.
5 – As pessoas. Completamente diferentes do lado leste dos EUA e da imagem geral que se faz dos americanos. Lá você se sente num filme (juro!), porque todo mundo é mui-to legal, gentil, alegre e sorridente (e bonito. hehe). É uma sensação de tranqüilidade que paira no ar, mesmo a cidade sendo grande e tão cosmopolita (conheci latinos, italianos, orientais, indianos e até egípcios). Eu moraria lá. Tudo é realmente apaixonante e eu entendi o porquê da música que diz “When you´re going to San Francisco / Be sure to wear some flowers in your hair” .

NEW YORK

1 – Nightlife. New York é mesmo a cidade que nunca dorme. Eu fiquei ao lado da Times Square, num hotel super barato (quem quiser a dica, só pedir), e cheguei lá 9 da noite. Guardei as malas e já fui bater perna. Passei por 500 mil lojas, que ficam abertas até meia-noite/uma da manhã (isso em plena quarta-feira) As luzes são tão fortes que, no fim da tarde, parece que o sol está nascendo, e não se pondo. Aliás, essa impressão sobre as luzes era o que eu mais me lembrava de NY, já que fui pra lá com apenas 9 anos. Nunca esqueço de mim dizendo pra minha mãe: “nossa, parece que tá de dia!”. :D

2 –Rappers. Pode parecer preconceito, mas eu fiquei chocada como os negros de Nova York (pelo menos os que circulam pelo centro), são “padronizados”. Todos andam à la 50 Cent e falam com o mesmo sotaque das músicas. As negras não são tão estereotipadas, ainda bem! Ah! Para completar, os aprendizes de 50 Cent são mais atirados que qualquer maninho ZL de sampa. Ouvi todas as cantadas do mundo, desde “beeeaaauuutiful” até “Good job, mamma, she’s hot!” – minha mãe viajou comigo.

3 – Chinatown. Não tinha ido para lá quando era novinha, e acho que minha mãe fez certo, já que lá é um formigueiro à la 25 de março, com indianos e chineses disputando pau-a-pau pelas barracas. Mas dessa vez eu fui e dei sorte. Estava uma chuva do cão e nós resolvemos então, passear de metrô. No começo parecia idéia de louco, mas eu fiz as maiores pechinchas da viagem!Os chineses/indianos/árabes estavam loucos porque não tinha quase ninguém comprando e, para não sair no preujuízo, eu dei aquela chorada e fiz verdadeiros negócios da China. :D O perfume da Vera Wang, que custava $50 na Sephora, eu paguei apenas $20. $20! Sucesso. E sim, é original, mas antes de levar, tem que conferir, porque lá eles dão golpe.

4 – Comida. Como eu já imaginava, me alimentei muito melhor em SanFran do que em NY. Lá eu acabei recorrendo ao Subway e a restaurantes italianos especializados em pizza. E, claro fui tomar café da manhã no MC Donald’s também. O incrível é que o Subway custa absurdamente barato (tipo, $3,50 o lanche de 30 cm) e o MC serve capuccinos/hotchocolates mais baratos que o Starbucks. Aliás, qualquer MC de São Paulo dá de 10 a zero nos de lá: são bem feios e mal cuidados (os de SanFran são mais bonitos). O mais legal que eu entrei era o da Times Square, por motivos óbvios.

5 – Metrô. O metrô de NY é famosérrimo, leva para todo o lugar, mas desculpa aí! Que coisa mais lusitana! As linhas lá se dividem, tem bifurcações e às vezes a mesma estação está presente em mais de uma linha. É como se existisse, sei lá, a estação “Trianon – MASP” na linha azul, na vermelha e na verde e você escolhe em qual das “cores” é melhor parar. É claro que pra quem mora lá fica fácil, mas eu, acostumada com a organização do metrô de São Paulo, fiquei um pouco perdida. Acabei me achando, afinal metrô continua sendo universal. E, bom, o metrô daqui é melhor: o de NY é imundo (leia-se: pacotes e copos de MC Donald’s jogados no vagão) e até caro, se você considerar a falta de limpeza – a passagem custa $2.

Considerações finais:

Eu abandonei o ipod por lá. Vi a quantidade de roupas legais que eu deixaria para trás se gastasse $200 no Nano e me libertei. E não me arrependo! Mas, se você realmente quiser comprar eletrônicos, NY é mesmo o melhor lugar. Eu comprei minha handycam na Chinatown de San Francisco, mas deveria ter trazido de Manhattan. Não, não fui enganada e nem perdi dinheiro, mas enfim, é melhor comprar por lá: tem mais opções.

Roupas? Fiz as melhores compras em San Francisco! Lá é a sede da GAP, da Banana Republic e da Old Navy, então as lojas são imensas e cheias de promoções enlouquecedoras. Mas… O lugar onde eu vi a maior quantidade de vestidos lindos por metro quadrado foi na Forever 21. Se eu tivesse que escolher uma loja pra ter filial aqui, seria essa! (L)

E sapatos: Não compre lá! Só os tênis valem à pena (valem muito!), a não ser que você esteja nadando no dinheiro e traga algo tipo Manolo Blahnik ou Jimmy Choo. De resto, fique com Via Uno, Arezzo, Melissa e Picadilly daqui. A qualidade brasileira é absurdamente superior e você não ocupa lugar na mala de bobeira.

Quando o assunto é compras, meu destaque vai para as roupas: você consegue comprar muita coisa boa com apenas $10 (ou menos!). Os eletrônicos também são em conta, mas se você pára pra pensar na conversão do dólar, já não é tão barato assim.

Ufa. Com mais de 7000 caracteres, termino aqui o maior post desse blog.
Para as fotos, visite e adicione meu flickr (lá tem as fotos do JUCA também! hehe). E se você não estiver cansado do meu jeito de escrever, visite o ELES 3: lá tem post sobre a Vanilla (L) e outro post sobre a viagem (bem resumidinho).

That’s all folks :)

Férias fora-de-época

ter
Algumas pessoas já sabem, e está na hora de avisar aqui não? :)

Amanhã embarco pra San Francisco (à passeio) e ficarei por lá 9 dias, conhecendo coisas como:


Os tradicionais bondinhos, a Alcatraz, prisão de segurança máxima desativada,
a Golden Gate e a Lombard Street, uma das ruas mais curiosas do mundo!

Lá a temperatura está em torno de 20ºC, muito sol e ventinho frio. Vou me divertir muito, ir nas praias (de tênis e sem bronzeador) e voltar cheinha de fotos (e louca mais ainda pra ter uma conta PRO no flickr).


Depois…
Vou pro extremo oposto do país, a cidade mais badalada do universo. Sim, sim! Como cantaria Sinatra: New York, New York!

Lá eu vou pra Times Square, farei compras na Macy*s e na Victoria’s Secrets, irei no Central Park ver esquilinhos e terei overdoses múltiplas de Starbucks e salada ceasar. Sim, porque tirando os fast-foods, a comida em NY é muito agridoce e eu pessoalmente não curto (mas as saladas ar-ra-sam!)… Já em San Francisco, as comidas tendem a ter temperos mais fortes ou apimentados, influência dos negros na costa oeste. Mas, vamos lá! O que eu pretendo visitar por lá…


Estátua da Liberdade (óbvio!), memorial do World Trade Center,
Macy’s, Sede da ONU.

Eu já fui pra Nova York, mas era novinha e pequena demais pra entender o que era a Nasdaq, a sede a ONU ou sentir a total magia da Macy’s. Mas tive a oportunidade de conhecer o World Trade Center (em pé, claro!). E a Estátua da Liberdade é o tipo do lugar que vale a pena voltar, mesmo sendo sempre a mesma coisa. É um *clássico*, e a visa é impagável.

Infelizmente vou ficar só 3 dias por lá, e não sei se vou conseguir assitir algum musical, mas vou tirar fotos de todos os teatros, no mínimo! E na viagem vou aproveitar e comprar meu cd da Madonna por lá, com direito a músicas extras e caixinha de doces! Ah, Ipod Nano 2ª Geração pink também está na lista. E Nike vintage também. hehe (*shopaholic*).

Enquanto isso… Acompanhem o final do ELES 3! Provavelmente minha edição começa quando eu voltar! Desejem-me boa viagem e fiquem de olho no meu fotolog e no meu twitter! Quem sabe algo não aparece por lá durante a viagem? ;)

Beijinhos, sentirei saudades, até daqui 13 dias!

PS: Deu vontadinha de ir pra Nova York, né? Sabia! Entra no site da Melissa, participa da promoção e indica o Fake-doll.com! Eu agradeço! ;)
PS2: Aguardem 21839712983755 fotos. Em 98347328947 ângulos. :D