Vamos no Mistura Fina?

sex

Amanhã rola na Vila Madelena, aqui em São Paulo, o “Mistura Fina“, evento que une gastronomia, arte urbana, música e moda no Bardot, um salão de beleza puro luxo que cedeu espaço para a Mayra e para a Dani realizarem o evento!

fotos do Lookbook da Joulik, uma das marcas que vai estar no Mistura Fina

A Dani é amiga do Rafa e já nos encontramos em vários rolês por aí. Além de organizar o “Mistura”, ela é estilista da Lola Pimenta, que também vai estar expondo com preços especiais  por lá amanhã e ainda deve lançar sua nova coleção.

A lista de marcas você confere no flyer aqui em baixo (clique para ver maior), mas eu estou super ansiosa para ver as batinhas que a própria Dani usa (ela sabe fazer marketing!), as camisetas mega trendy da Joulik e os camisões xadrez da Santa Zi. E, claro, vai ter expositores para os meninos também! Dá pra comprar presentes de Natal para todo mundo.

E, enfim, além de todas as lojas que estarão no bazar, também vão rolar shows de música, grafite, temakis e cupcakes. Quer dizer, ou eu saio de lá pobre por comprar tudo – ou por comer tudo!

Vamos? A entrada é franca e, como o lugar é lindo, vou tirar muuuita foto! Até amanhã! 8)

.


SERVIÇO:

“Mistura Fina”
Sábado, 5 de dezembro, das 14h às 22h
Espaço Bardot: R. Girassol, 481 – São Paulo, SP – Vila Madalena
Entrada franca, pagamento nas lojas em dinheiro ou cheque.

Para maiores informações, acesse o blog do evento clicando aqui.

.
.
.
.
.
.

Show do Prodigy – Imagens da Semana

qua

Quase que eu não faço o “Imagens…” por falta de tempo. Finalmente estou mandando meu TCC pra gráfica e ficando maluca com os ajustes finais. Mas, olha, terça-feira, dia 3 (anotem!) ele estará entregue na mão dos meus mestres e eu vou postar até vocês enjoarem.

.

prodigy.

Aquilo lá no fundo é o Prodigy, eu juro.

Sexta-feira, eu e o Rafa imendamos o show do Prodigy no Via Funchal diretão do trabalho.  Ganhei convites de presente e fui com a única esperança de ouvir “Smack My Bitch Up” ao vivo – e, sinceramente, tive medo que eles não tocariam, já que sempre existe aquele estigma das bandas detestarem suas músicas velhas.

Mas, não foi o caso! Ouvi trocentas músicas e inclusive “Smack…”! O som dos caras é muito mais pesado ao vivo e eu me senti num capítulo a parte de “Trainspotting” o tempo inteiro, já que todas as músicas tem aquele quêzinho épico e parecem uma viagem de ácido com uma bateria quase drum ‘n bass às vezes (palavras de Rafa, o DJ).

Vídeo sem edição mesmo, só para mostrar o clima do rolê  e o maluquinho fazendo um belo rebolation!
(e não, esse vídeo não foi feito com a Kodak ZX1.  Sentiram a diferença?)

Depois de mais ou menos uma hora e quarenta minutos de show, tudo acabou, as luzes acenderam e saímos pensativos para comer no Burdog. Enquanto devorei um cheese bacon (é, fazer o que!), fiquei pensando que ok, o show foi bom” mas não sei se eu realmente pagaria para assistir, já que não sou maníaca por eles.

Em todo caso, para os fãs da banda deve ter sido bem bacana, já que ouvi vários comentários na fila de quem estava indo para o Rio de Janeiro assistir a apresentação novamente.

Por mim, valeu! – e, se for pra recomendar uma faixa do último álbum deles, o “Invaders Must Die”, fico com “Warrior’s Dance“, que também é excelente ao vivo.