Forquilha, comida que aquece: Imagens da Semana

qua

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

Se no verão a gente procura lugares para comer ao ar livre aproveitando a brisa quente da noite, no inverno queremos justamente o contrário: um ambiente quentinho, confortável e aconchegante. Ah: e se tiver boas opções de vinho e formas diferentes de serví-lo além da tradicional garrafa completa, melhor ainda.

Encontrei tudo isso no Forquilha, em Pinheiros. O cardápio tem uma boa seleção de massas além de muitas opções para os amantes da comfort food. O ambiente, escurinho e acolhedor, fica completo com  um grande forno à lenha logo ao lado do bar. Nele são executados muitos pratos da casa, como as lasanhas.

.

Forquilha: ambiente ideal para o inverno

Estive duas vezes na casa antes e em nenhum dos casos as entradas me chamaram muito a atenção. Já os pratos (bem servidos!) e a sobremesa merecem espaço extra no seu paladar. Se quiser algo para começar mesmo assim, a porção de burrata (R$38) é uma ótima pedida. A carta de vinhos é extensa, mas quem quiser economizar ou provar diferentes tipos da bebida vai curtir as opções da Enomatic da casa, com taças de 25ml, 75ml ou 150 ml.

Gnocchi Concordióla e Carbonara Forquilha

Entre os pratos que já provamos, está o Carbonara Forquilha (R$38), que leva o nome da casa e, de fato, é uma versão diferente da tradicional. A receita aqui tem creme de leite e coloca o ovo com gema molinha aí no topo, à mostra, para encher os olhos. Se você é um purista, talvez prefira outro prato, mas não desista dele ainda: ele merece respeito justamente por não esconder que é diferente, mas igualmente delicioso.

Já o meu prato favorito é o Gnocci Concordióla (R$42), um verdadeiro achado para os amantes de queijo. A massa no ponto certo vem acompanhada de molho com presunto cru à base de gorgonzola. O sabor é super intenso e o prato muito bem servido – ou seja: quem gosta de um bom gorgonzola, se esbalda.

.

tigelada de goiaba: a sobremesa que você não dá nada e é tudo

Para fechar a refeição, fomos na “tigelada” de goiaba. Confesso que pelo preço de R$21 do cardápio, fiquei bem receosa de estar jogando dinheiro fora, já que trata-se de uma colherada generosa de uma sobremesa pré-pronta numa tigela – algo bem fácil de dar errado caso o alimento resseque demais. Porém, para nossa surpresa, a sobremesa estava divina e no ponto: a mistura da goiabada bem caseira com uma massa leve, amendôas e cream cheese é mais um carinho para a alma. Eu não dava nada e era tudo. Podia vir o dobro!

.

as taças do dia


VAI LÁ:
 Rua Vupabussu, 347 – Pinheiros, São Paulo – SP. Horários, cardápio com preços e demais informações no site deles.

*preços de acordo com o cardápio exibido no site oficial do restaurante e sujeitos à alteração.

Testei: hidratante Effaclar H, da La Roche-Posay

sex

O que é? Effaclar H, hidratante compensador calmante da La Roche-Posay
Quanto custa? Por volta de R$100 no Brasil
Onde encontrar? Em grandes farmácias brasileiras ou lojas online gringas (sai mais em conta!)

.

Já sou fã há muitos anos do gel de limpeza para pele da linha Effaclar, da La Roche-Posay. É realmente o produto que eu sinto que mais limpa minha pele diariamente sem agredir ou deixar ainda mais oleosa por aquele efeito “rebote” chato. Sabe quando você usa produtos muito agressivos para diminuir a oleosidade e a pele te responde brilhando em dobro? Então! Odeio.

Por gostar muito deste gel, já usei diversos outros produtos da linha, sou fã <3 da água termal (é um milagre na garrafa, gente!) e resolvi investir num bom hidratante deles para salvar minha pele que estava gritando por socorro ultimamente. Há mais ou menos duas semanas, tive uma crisezinha de acne (elas não me deixam! #eternamentejovem) ao mesmo tempo em que outras áreas do rosto estavam completamente ressecadas e sensíveis, mais avermelhadas ainda que o normal.

Foi aí que, por um milagre, li o rótulo deste hidratante na farmácia, cof cof: “Hidratante compensador calmante. Desenvolvido especialmente para peles fragilizadas pelos tratamentos antiacne”. Os anjos bateram o sino e eu fechei os olhos e passei o cartão, acreditando na promessa de milagre engarrafado & cremoso que estava ali na minha sacolinha.

Usei o produto, com ótima textura e rendimento, e fui dormir. No dia seguinte, as três espinhas gigantes que estavam no meu queixo haviam secado. Sumido, assim, bye bye! Continuei então usando o produto, dia e noite, e percebi uma hidratação intensa e ao mesmo tempo nutritiva para a pele. Sinto como se o produto realmente fosse absorvido, não é só um “sebinho” parado em cima do rosto ou um creme em gel tão leve que mais serve como protetor solar do que como “cuidador”.

textura divina!

Paguei bem caro na brincadeira, mas realmente faz tempo que não vejo algo cair tão bem para mim e dar resultados tão rápidos. No entanto, ele me parece um produto bastante específico, até por isso fiz questão de fazer uma resenha aqui, porque falar nas redes sociais poderia fazer muita gente seguir a dica sem saber realmente do que se trata.

Minha pele é fina, oleosa, acnéica e sensível (!) e a água termal power no hidratante com certeza também contribuiu para ter um resultado tão bom. Nesta mesma linha da La Roche-Posay existem outros cremes hidratantes bem específicos para problemas diferentes. Eu inclusive já usei um deles e não gostei, o Effaclar Duo. Ele é uma espécie de sérum para pele oleosa que promove a renovação celular e promete reduzir imperfeições. Não vi diferença alguma no meu rosto e acordava de manhã com uma sensação de “pele suja” desagradável. Acabei parando de usar e, depois de conhecer o H, talvez eu realmente nem volte a usar mesmo.

A parte ruim? Claro que é o preço. Eu certamente vou continuar usando, mas assim que essa crise dermatológica passar, é bem provável que eu passe a alternar com meus outros cremes.

RESUMINDO?

Se teus problemas de pele batem com a descrição do produto, vá sem medo. Poucas vezes encontrei algo tão específico que deu tanto resultado desde o primeiro uso! Pena que é tão caro… Quem for viajar já sabe: faz estoque! rs

Vídeo – Tô jogando: PvZ Garden Warfare

qui

.

Ninguém imaginava que o próximo vídeo viria tão rápido, não? No de hoje, conto um pouco do jogo que ganhou meu coração e tá dominando meu Xbox One: o “Plants vs. Zombies – Garden Warfare”. Para quem não sabe, é a versão para videogames daquele jogo incrível de celular e tablets, o “Plants vs. Zombies”.

O jogo é simplesmente viciante e os personagens são um charme à parte! Conto tudo direitinho no vídeo aí embaixo – e se gostou, já sabe: dá uma força e assina meu canal! ;)

.

.

ps: a luz tá AQUELA COISA, eu sei!, mas já estamos providenciando melhorias que estão vindo diretamente da China num contêiner! Agradecemos a compreensão e a preferência! hahaha

Rex Restaurante, para comer e beber até tarde: Imagens da Semana

qua

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

Um dos jeitos mais espertos de se escapar do caos da cidade é adotar um horário alternativo. Dá para evitar um pouco do trânsito, do pico do transporte público e até mesmo da fila do cinema – chegar e comprar o ingresso sem preocupação é luxo para poucos em São Paulo! O problema é quando alguns serviços da cidade não acompanham o ritmo de quem já adotou um horário diferente para viver.

Quer exemplos? Bares e restaurantes com cozinhas que fecham, impreterivelmente, à meia-noite. E o que dizer dos lugares que nem abrem aos domingos à noite para o jantar? Não sou ninguém para aconselhar donos de restaurantes, mas nestas horas, mesmo estando na maior capital do país, o público se sente numa cidadezinha do interior.

.

Rex: cheio até altas horas

Pois foi justamente numa situação difícil – domingão e tarde da noite – que visitei, finalmente!, o Rex. Ele estava sempre ali, no jeito e de portas abertas na Consolação, mas nunca havíamos parado para lhe dar atenção. Que erro grotesco! Foi só colocar o pé ali dentro e provar o primeiro drink para saber que vou voltar muitas e muitas vezes.

.

bloody mary: meu favorito bem preparadinho

O ambiente descontraído e com trilha sonora bem pensada faz você se sentir à vontade. O serviço é bacana e amigável, também te deixa livre para escolher o que estiver afim. Você não vai se sentir pressionado a pedir um prato ou um drink. Você pode só beber ou só comer, ou então pedir uma cerveja e pular para sobremesa. O clima de acolhimento, aliás, faz a casa ficar cheia mesmo num tal domingo de madrugada, deixando claro que há público para mais estabelecimentos com essa proposta em Sampa.

.

cogumelos puxados na manteiga

Steak tartare acompanhado de pãezinhos e batatas

Os pratos tem preços variando entre 40 e 60 reais, drinks em torno de 20 e entradas de 20 a 30 reais. Provamos a porção deliciosa e bem servida de cogumelos puxados na manteiga e também dividimos um steak tartare, que é servido como entrada compartilhável, mas eu recomendaria para uma pessoa só – talvez você ache gostoso demais para dividir. ;)

.

decoração cheia de detalhes

Quero voltar para provar os pratos, que são servidos mesmo a este horário – e não se espantem por eu estar batendo nesta mesma tecla, viu? Quem tenta jantar depois das 11 da noite em São Paulo sabe bem do que estou falando. Vida longa ao Rex, um lugarzinho especial que também faz a gente se sentir em outro lugar – yeah, New York, I’m looking at you! 

VAI LÁ: Rex Restaurante – R. da Consolação, 3193 – São Paulo, SP. Horários e demais informações aqui.

Testei: escova de cabelo Tangle Teezer

ter

O que é? Escova de cabelo poderosa para desembaraçar os fios
Quanto custa? Entre R$69 e 75 reais no Brasil
Onde encontrar? Sephora Brasil e em sites gringos como o Ebay

.

Ganhei de presente de uma amiga a Tangle Teezer Compact no final de 2013 e venho testando desde então. Famosa por desembaraçar qualquer negócio, a escova cumpre o que promete, não quebra os fios e ainda massageira o couro cabeludo com estes dentinhos ~diferenciados~. Há diversos modelos disponíveis na gringa (um deles é feito pensando especificamente em cabelos molhados!), mas digo que esta resolveu com louvor os meus problemas mesmo depois de mergulhar no mar. Sim, eu levei a escovinha até pra areia da praia, nem sei se deveria ter feito isso! rs

dentinhos milagrosos

Amores à parte, fato é que a escovinha-celebridade chegou ao Brasil com o preço bem alto. Apesar de ser eficiente, não sei se vale: com paciência e boa hidratação, é possível desembaraçar e dar vida aos cabelos da mesma forma. Vale a pena pensar em investir se você tem um problema crônico com nós nos cabelos e não pode usar muito leave-in para não pesar – alô moças de cabelos finos!

.

RESUMINDO?

Se você tem fios finos, quebradiços e carentes de carinho pós-banho, pode por na wishlist!

.

“O Futuro de Nós dois”: e se você pudesse ler pedacinhos do seu futuro daqui a 15 anos?

ter

booktrailer de “O Futuro de Nós Dois”

O ano é 1996, muitos estão comprando seu primeiro computador pessoal e a AOL é o provedor de internet mais popular dos Estados Unidos. Um CD deles na mão e pronto: você está conectado e pode criar a primeira conta de e-mail da sua vida. Emma e Josh são amigos de infância prestes a experimentar a web pela primeira vez, mas por algum motivo aleatório do universo, eles conseguem acessar o Facebook dali 15 anos. Ao lerem pedaços de suas vidas e das vidas de seus amigos postados em atualizações de status, os dois passam a mexer com o presente tentando melhorar a vida no futuro.

A premissa de “O Futuro de Nós Dois”* é assim um tanto fora da caixinha, mas a relação entre presente e futuro criada pelos autores, Carolyn Mackler e Jay Asher, é interessante e até verossímil. A partir do momento em que os dois personagens ficam vidrados com o que vai acontecer daqui uns anos, vão aos poucos se esquecendo do presente e preferem tomar atitudes para serem felizes só depois.

É claro que não fica explicado porque eles conseguem acessar o Facebook, o que é uma licença poética bem ok, mas não dá para entender como uma das personagens simplesmente desiste de investigar como ela consegue “ver” o futuro na internet. Emma resolve pesquisar o assunto, mas no maremoto de emoções causadas pelo “oráculo” online, acaba deixando pra lá. Não sei vocês, mas acho que isso me intrigaria mais do que o futuro, algo tão volátil. rs

Continue lendo →