“50 Tons”: BDSM na cultura pop e a gente finalmente falando sobre sexo

qui

e aí gatinha? Curtiu?

Finalmente acabei de ler “50 Tons de Cinza”. Demorei, mas confesso que foi um conjunto de enrolação com a tentativa de terminar perto do lançamento do segundo livro, que chega às lojas nos próximos dias. Afinal se a obra já é “enrolona”, para que sofrer esperando a segunda parte, não é mesmo?

Falando na leitura, quando eu estava no meio do caminho escrevi o post “10 Questionamentos de quem está lendo ’50 Tons de Cinza'”, e é engraçado que quase nenhuma das minhas observações mudou desde então, o que quase me fez não escrever sobre o livro de novo. Mas resolvi que valia por um único e simples motivo: estamos finalmente falando de sexo; olha só!

A escrita de E.L.James não é das melhores, a série não é um primor da literatura, mas o livro é inexplicavelmente viciante para a maioria dos mortais que são cativados por amores imperfeitos. Junte a isso o tempero velho-novo do sadomasoquismo e tá aí o motivo do best-seller: para quem gosta de ler amor, tem amor, para quem gosta de ler sexo, vai ter muito sexo. E digo tempero velho-novo porque BDSM é coisa das antigas e a esperteza foi tratar o tema de uma forma leve, com a inexperiência de uma virgem, resultando num fenômeno de cultura pop. Aliás, quem acessar a Wikipedia sobre o assunto vai logo ver que os reais praticantes da coisa devem estar revoltados, se sentindo como indies que vêem sua banda do coração assinar com uma gravadora.

Após a leitura, continuo sem entender porque precisamos de uma virgem de classe média e de um príncipe encantado safado e milionário para falar de sexo, e continuo sem entender também como essa menina goza tanto desde o primeiro dia – magia? Tecnologia? -, só que, vamos perdoar, estamos falando de sexo e isso é ótimo. Estamos falando, pensando e discutindo tabus. Sendo o livro pobre ou não, não dá pra negar que podemos lucrar mais com esse tema do que com o sobrenatural que ninguém nunca viu brilhando à luz do sol. Num viés mais prático, digo que podem chamar de “pornô para mamães” à vontade: pelo menos é algum pornô feito para mulheres.

A trilogia vai ser condensada em apenas um filme e provavelmente teremos aí um dos raros casos de filme melhor que livro, já que a enrolação da autora é irritante – aparentemente ela deu uma corridinha apenas no final da primeira parte, o que já foi uma evolução imensa. Pergunto-me porque o livro todo não foi assim, de uma vez, mas aí seriam menos páginas e menos dinheiro no bolso, talvez.

.

“50 TONS”, o meme, o filme

Agora a melhor coisa mesmo tá sendo ver as loucurinhas dos fãs em torno do livro. Christian Grey e Anastasia ganham mil fan arts por segundo e as apostas de quais atores viverão o casal na telona estão altas. Aparentemente, Ian Somerhalder ou Ryan Gosling devem levar o papel do bonitão – eu prefiro o Ryan pela cara de perigoso, mas ver o Ian desfilando em trajes mínimos não seria o menor problema. Quanto à protagonista, Lucy Hale é cotada e até já falou a respeito, mas nada definido.

Enquanto isso, as mina pira:

.

AI INTERNET, eu te adoro. Agora vamos esperar os próximos, né? Tudo pra entender o santo Grey no final – tomara que não vire um “segredo de Gerson”.

*todos os memes estão na fanpage “50 Tons de Cinza Brasil”, cheia de fanáticos pirando nas apostas pro filme! hahaha

Quarteto fantástico: produtos milagrosos que funcionam

qui

Quanto mais leio sobre beleza e quanto mais consumo cosméticos e maquiagem, mais tenho vontade de escrever sobre o assunto por aqui. Por isso, resolvi agrupar neste post quatro produtos que comprei recentemente e que funcionaram de uma forma fantástica para mim. Alguns são mais “milagrosos” que outros, mas todos estão no meu pódium de dinheiro bem investido!

Quatro produtos “milagrosos” que cumprem o que prometem: uma água termal com preço bacana, um spray para o cabelo secar mais rápido, o fixador de maquiagem da MUFE e um gel para fortalecer e ajudar as sobrancelhas crescerem.

 1. Água bioativa – Vita H2O


.

A primeira vez que usei água termal foi na verdade com uma maquiadora. Antes de começar o processo, ela preparou a pele com alguns jatos do produto da Vichy e, enfim, sinceramente não sabia o quanto aquilo poderia fazer a diferença, especialmente porque eu estava sendo produzida por uma profissional.

Na verdade, eu achava que o produto era uma bela de uma frescurinha (e na real é frescura sim, porque você pode viver sem ele! rs), mas comecei a perceber os efeitos quando passei a aplicar no rosto todos os dias. Recebi a minha “água bioativa” na Glossy Box e fui testando sem esperar nada, porém para minha surpresa exatamente nos dias em que eu borrifava a águinha, minha pele ficava menos oleosa e consequentemente a maquiagem do dia-a-dia durava mais. Ainda quero testar também na praia para ver se funciona bem antes e depois dos efeitos do sol.

Hoje aplico a minha de manhã e à noite, sempre após limpar o rosto, e sinto que a textura da pele fica muito macia e a oleosidade controlada.  De manhã, aliás, eu borrifo o produto e antes de secar totalmente já passo meu hidratante, para ajudar na absorção. Segundo o site da Glossy Box, o produto custa R$40, mas não sei aonde vende – se alguém souber, já avisa nos comentários!

.

2. KMS California FreeShape Quick Blow Dry


.

Este spray bifásico ajuda a secar o cabelo mais rápido, como o próprio nome já diz, e ele é uma ótima alternativa para os dias de correria. Não sei dizer o quanto mais rápido o cabelo seca, mas dá diferença quando todo minuto perdido é pouco.

O meu único porém com o produto é que, enfim, eu queria mesmo era poder usá-lo para facilitar uma escova poderosa, mas o que acontece é que às vezes o cabelo seca antes de estar modelado. Logo, se você também tem cabelos ondulados, melhor usar quando você não pretende deixar lisão. Já quem tem o cabelo mais liso vai conseguir deixar o visual “organizado” rapidinho. rs Não sei se isso é uma característica deste spray ou se todos são assim, mas logo mais chega o meu do Lee Stafford e eu tiro a prova, afinal fazer escovão mais rápido é simplesmente um sonho! hehe

Comprei o meu spray totalmente no escuro no Feel Unique, uma loja com vários produtos para o cabelo e cosméticos. O preço estava bom e a proposta do produto é ótima pra quem depende de secador, mas não sei o que rolou que agora o site não entrega mais várias coisas aqui. Foi lá que comprei também o meu óleo Moroccanoil, que eles também não enviam mais pra cá. Estranho!

3. Fixador Mist and Fix – Make Up Forever


.

Esse é basicamente um fixador de maquiagem muito bom da Make Up Forever. Você espirra, a pele fica um pouco molhadinha, mas basta esperar secar e o resultado fica bem legal, dá a impressão que o rosto “absorveu” a base, a cobertura fica bem lisinha.

Eu uso não só depois da maquiagem inteira completa quanto logo após fazer a pele, para fixar a base e o corretivo e preparar para o que vem depois. Também já usei de um jeito diferente quando fiz uma maquiagem power para um casamento (vou mostrar a foto aqui depois!), quando usei mais de uma camada de base e dei uma borrifadinha no fixador entre cada etapa e depois quando estava tudo pronto.

Apesar do vidrinho ter apenas 25ml porque é o tamanho travel, já deu para perceber que rende bastante: uma borrifada em cada lado do rosto é o suficiente para o make durar o dia todo tranquilamente, vale a pena. Quem usa primer para fixar a maquiagem e não para disfarçar os poros pode até dispensar o primeiro produto, só o fixador já garante. Comprei o meu na Sacks por R$40,00 e talvez este seja o único produto da Make Up Forever que chegou com preço ok por aqui! hehehe

.

 4. Gel Alongador Eyebrow Condition Lipocils Conditioning – Talika


.

Por último, mas nem de longe menos importante, este gel foi simplesmente a melhor solução que já encontrei para as minhas sobrancelhas: ele fortalece os fios e estimula o nascimento de mais pelos. E merece negrito mesmo, porque numa escala de milagre entre todos esses produtos, digamos que este é o mais absurdo em termos de resultado.

Não tenho fotos de antes/depois porque sempre, sempre, sempre corrigia as sobrancelhas, mas o resultado é surpreendente, a ponto de eu não precisar mais fazer isso se não quiser (ganhei uns minutos a menos na frente do espelho! yes! rs).

Estou usando o gel religiosamente ao acordar e antes de dormir há dois meses e minhas sobrancelhas não só ficaram mais cheias quanto começaram a nascer mais pelinhos nos cantos externos, o que fez muita diferença, porque as sobrancelhas pareciam um pouco curtas antes. Se você tem sobrancelha ralinha, vale a pena dar uma chance. Comprei o meu na Sacks aqui.

.

Depois de todas essas declarações de amor, é claro que eu também devo dizer que tenho alguns produtos que prometeram, não cumpriram e ainda fizeram o favor de dar errado bem num dia em que eu estava atrasada e nada poderia dar errado – tem uma oportunidade “melhor” que essa para pegar ódio de alguma coisa? rs Por isso mesmo, podem aguardar um próximo post com os produtos que prometeram, não crumpriram e, em alguns casos, ainda custaram caro demais. hehe

.

Tributo ao Legião: Imagens da Semana

qui

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

.

Nesta terça e quarta, Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos se uniram ao ator Wagner Moura para os shows promovidos pela MTV num tributo ao Legião Urbana. Depois de oferecer alguns pares de ingressos em parceria com a Fiat para leitores sortudos (alô meus lindos que foram ao show! Curtiram??), tá na hora de contar como foi.

o ingresso

Preciso dizer que me diverti. E não me diverti pouco, me diverti foi bastante, especialmente porque nunca tinha ouvido algumas daquelas canções ao vivo. Se Wagner Moura não é (e nem quis tentar se parecer com) Renato Russo, os fãs originais da banda estavam lá presentes e se encarregaram de fazer do show uma ocasião digna de nota, cantando sem parar mesmo quando os instrumentos eram encostados.

Cantei junto também, me emocionei também, paguei um pau para a iniciativa do “reencontro” e acompanhei brevemente a chuva de críticas à performance do grupo e do vocalista no Twitter. Lembrando da equalização do som e do ritmo da coisa, realmente, quem acompanhou pela TV pode não ter apreciado, mas quem estava lá, no calor da coisa, curtiu do começo ao fim.

.

Há algo que precisa ser lembrado: Wagner realmente não é cantor, apesar de ter uma banda. É sim um excelente ator, eventualmente vocalista e, mais que isso, uma bela de uma presença de palco, pois faz parte da arte que ele domina. Mesmo com a vida ganha,  foi lá, topou o convite e se arriscou ao vivo para quem quisesse ver. Não sei quanto dinheiro ganhou e se ganhou, mas acho a coragem louvável.

Se a homenagem à banda não foi digna o suficiente, infelizmente jamais saberemos. Só que talvez não tenha sido mesmo. O maior ídolo do grupo já nos deixou, os tempos são outros e cada um seguiu sua vida. Vi o tributo como um flashback suave, como um jeito de reviver sentimentos de anos atrás. Acho isso inclusive até mais interessante que retorno de bandas “caça-níquel” em que os membros faltantes são substituídos por meros artistas imitadores.  Renato sempre teve muitos cantores imitando-o; mas duvido que os fãs mais xiitas gostariam disso no tributo também. Foi uma escolha, nada mais.

.

Foram  dois shows, apenas duas noites, e quem estava lá com certeza não vai se esquecer.

*fotos da banda: Reprodução/Veja

10 linhas para: o game de iPhone “Song Pop”

seg

“SONG POP”
O QUE É: Game para iPhone, Android e cia.
QUANTO CUSTA: Grátis
PÚBLICO: Tem Facebook, curte social games e ama música em seus mais variados estilos
ONDE VER MAIS? Na app store.

as telas do Song Pop

EM ATÉ 10 LINHAS

Este final de semana o joguinho “Song Pop” bombou! Bem parecido com o outro sucesso “Draw Something”, o game se baseia em convidar seus amigos do Facebook para desafios musicais.

O esquema é bem “qual é a música”: você tem 10 segundos para tocar na tela e responder quem é o intérprete da canção ou qual é o nome da música. E são muuuitas categorias, indo desde divisões por gênero musical até categorias mais genéricas, como “love songs” e “female singers”.

O game é super viciante e é bem provável que você se afobe e acabe até escolhendo a resposta errada sem querer – quem responde mais rápido, pontua mais – e boa parte da diversão está também em ver os amigos passando um pouquinho de vergonha e confundindo Cindy Lauper com Madonna, Led Zeppelin com Beatles… hehe Mas se isso for acabar com sua reputação, melhor só jogar com quem você pode se explicar ao vivo! ;)

EM UMA LINHA
Tem que jogar nem que seja pra ter o prazer de descobrir que você sabe mais que seu amigo “DJ”! rs

.

ps: a tag tava mofada, mas vai voltar à ativa! Tenho mais apps e coisas rápidas pra recomendar! rs

Os livros “The Carrie Diaries” e o seriado na CW

seg

UPDATE:Escolheram a atriz que vai viver Carrie Bradshaw, é AnnaSophia Robb de “A Fantástica Fábrica de Chocolates”; mais detalhes aqui. O que você achou da escolhida atriz? Comenta aí!

pra ler numa tacada só!

Depois de ler “Os Diários de Carrie” no final de 2010 rapidamente e apaixonadamente, devorei o segundo livro da série “The Carrie Diaries” na semana passada. A nova série volta ao passado da protagonista de “Sex And The City” dos livros e da TV e revela como foi nossa destemida conselheira fashionista na adolescência.

O spin-off escrito também por Candace Bushnell nos leva até a Carrie no último ano do colegial que nos narra daquele jeitinho íntimo e delicioso seus últimos momentos de vida interiorana antes de ir para a Big Apple. Entendemos a paixão dela pela moda, vemos a forma como lidava com as amigas, com os garotos e, obviamente, com o sexo.

Apesar de “O Verão e a Cidade” ser uma continuação imediata da série, sentimos que ao por os pézinhos em Nova York nossa Carrie amadurece anos de idade em apenas alguns meses. É interessante ver como tudo aquilo é possível e ao mesmo tempo maluco, coisas que realmente parecem só ser possíveis em Nova York. E nos anos 80. Isso, claro, sem contar os diálogos ótimos característicos do universo criado por Candace!

O segundo livro mostra o primeiro sucesso e o primeiro fracasso da garota na cidade grande e, mais importante, conta como as quatro amigas se conheceram – e é hilário ficar imaginando todas elas jovenzinhas. O mais engraçado é que a primeira a conhecer Carrie é Samantha, que acaba cedendo um quarto para a novata na Big Apple. Você acaba de ler o livro e fica querendo mais, especialmente com o suspense que fica no ar – quando sai o terceiro? hehe

Se você não estiver afim de ouvir histórias de Carrie na escola, digo que até dá pra pular para o segundo livro de cara, mas você vai perder alguns detalhes importantes da construção da personagem e eu não perderia a oportunidade de fazer o tour completo pela adolescência de Miss Bradshaw.

É muito interessante ver como essa personagem superpop é extremamente rica. Com tantas informações que já acumulamos nos livros e nos episódios de TV, dá pra se sentir que ela existe mesmo e que ainda por cima é sua amiga. Eu sempre me identifiquei mais com Carrie Bradshaw do que com as outras do quarteto, então taí um motivo a mais para amar tanto esse flashback! ;)

O SERIADO

Embora os criadores da série de TV terem achado o recomeço sem nexo (um dos produtores disse que não imagina porque deveria retratar a Carrie “menos evoluída antes dos 30”), a CW comprou  os direitos dos novos livros e os mesmos criadores de “Gossip Girl” devem levar a Carriezinha para TVs e computadores do mundo todo.

Um piloto já está em produção e, apesar das poucas informações confiáveis disponíveis, já dá pra ter uma certeza no elenco: a atriz Stefania Owen irá viver uma das irmãs mais novas de Carrie. 

Há boatos também de que Blake Lively estará no elenco, mas não creio que ela deva ser a Carrie, está mais para Samantha, já que nos livros fica bem claro o quanto ela é mais velha que as outras.

Só sei que vai ser tarefa difícil produzir esse elenco, especialmente porque o rosto de Sarah Jessica Parker é muito marcante! Na minha opinião, a atriz vai ter sim que lembrar a Sarah pelo menos vagamente, não vai colar se uma morena de cabelos lisos pegar o papel, por exemplo. Sem pensar muito, eu diria que Kaya Scudelario, Elizabeth Olsen e Emma Roberts dariam boas Carries, se o visual fosse adaptado pra valer.

Em quem vocês apostam para viver a personagem? Vocês acham que ela deve ou não se parecer com a Sarah?

.

Lady Gaga e sua máquina de clipes: veja “Judas”

qui

Gaga e seu Jesus

O novo clipe de Lady Gaga vazou antes da hora, do jeitinho que o povo gosta. Como já havia sido divulgado anteriormente, em “Judas” a cantora interpreta Maria Madalena e reproduz cenas bíblicas, mas o resultado acabou não ficando tão polêmico quanto era esperado.

Dirigido pela própria Gaga, o vídeo de certo não é o melhor da carreira dela, mas não é uma total bola fora como alguns estão dizendo. Talvez por ter sido pensado e executado pela própria cantora, a mensagem transcedental de toda sua música aparece bem viva: o tal born this way.

Não sei qual a ligação exata de Gaga com Deus, mas é fato que ela adora falar de predestinação e destino. À essa altura, já está bem claro que ela se sente predestinada a todo este sucesso, assim como gosta de falar de pessoas que não conseguem fugir de sua própria natureza (“Bad Romance”) – e de como algumas realmente não deveriam nem tentar fazer isso (“Born This Way”).

Enquanto “Born This Way” tem o espírito de hino “carpe diem” da pista de dança, “Bad Romance” tem seu tom meio sombrio de não conseguir lutar contra desejos íntimos, elemento retomado em “Judas”.

A direção de arte está bem interessante, tirando alguns “gagaísmos” dispensáveis, como 550 mil roupas para a dona Maria Madalena, enquanto Judas e Jesus ficam bem representados numa boa de jaquetão o clipe todo.

As coreografias estão aí para quem gosta e diversos cenários também. Eu não sou muito fã dessa coisa de acrescentar um ambiente novo até o final do vídeo, mas pelo visto a Lady Gaga gosta e enquanto se auto-dirigir é isso que teremos.

A maior surpresa é o ator que veste o jaquetão de Judas e deixa a gente babando com tamanha sensualidade, o Norman Reedus. Ele já fez alguns filmes, mas recentemente é famoso pelo rapaz grosseirão que interpreta no seriado “The Walking Dead”. Tem futuro ele, viu?!

Mas, chega de conversa: assista “Judas”, o novo clipe da Lady Gaga:

.
E vocês aí, o que acharam? Contem!

[UPDATE] O Alberto comentou aqui no blog e descobrimos o nome do ator que faz Jesus, ele se chama Rick Gonzalez! Conhecem? rs