Abaixo-assinado pelo amanteigamento dos cinemas.

sex

mensagem subliminar.
.

Hoje é sexta-feira, hoje estreiam vários filmes, como “Chico Xavier”, “Atraídos pelo Crime”, “Os EUA x John Lennon“, “Os Famosos e os Duendes da Morte”, “Surpresa em Dobro”, “Pecados da Carne”, “Sede de Sangue”, e deve ter pelo menos mais uns três em cartaz que, pessoalmente, gostaria de ver.

Só que agora vamos rasgar logo essa lista e esquecer das “coisas em cartaz”, porque nada disso importa, já que você pode baixar tudo isso e não ir ao cinema, seu ilegal! Agora, se você for, o mínimo que você espera é uma boa poltrona.

Trailers bacanas, uma boa poltrona, um refri geladinho, um vizinho de assento que não seja cuzão o suficiente para roubar os dois apoios para braço e assim atrapalhar você e o outro vizinho, musiquinha ambiente antes de apagar a luz, óculos para visão 3-D confortáveis, um projetor não tão barulhento, crianças silenciosas… Ah, sei lá, você quer e espera N coisas – afinal está comprando o ambiente cinema – e uma destas coisas é a boa pipoca.

Diz a lenda, a regra, os bons modos (ou algo assim) que não se mastiga nada ao assistir filme cult. Esqueça o chiclete, o chocolate, a pipoca, o cachorro quente ou a pipoquinha de frango. Se for ver filme iraniano, chinês ou de qualquer micropaís europeu, contente-se com sua saliva e vá jantado. Mas ó, taí uma regra que eu faço questão de quebrar.

Muito timidamente, me dirigi até a lanchonete do HSBC pela primeira vez justo quando fui ver “2046 – Os Segredos do Amor”, de Wong Kar Wai, um cara, assim, bastante conceituado e que ficou mais popular quando lançou “Um Beijo Roubado” (My Blueberry Nights), filme aquecedor de coração com Norah Jones, Rachel Weisz, Natalie Portman e Jude Law.

Fugindo totalmente do assunto, “Um Beijo…” é um filme bem mais simples de ser engolido que os outros da carreira de Wong, e eu basicamente devo ter cometido uma heresia das grandes ao decidir provar a pipoca justo numa sessão deste cineasta, só que ! Eu tava morta de fome. E quer saber? A pipoca do HSBC é bem boa, fato que muitos frequentadores devem desconhecer.

Então, a pipoca era boa. Mas sem manteiga. Pequena, e sem manteiga. Matou a fome e tudo mais, mas… Sem manteiga?!

Olha, um dos motivos que me faz comprar e continuar comprando o ambiente cinema, mesmo pagando entrada inteira e sabendo que tem mil e um estudantes que não são estudantes, é a possibilidade de sair de casa preparada para duas horas de diversão e reflexão muito bem acompanhadas por coca-cola e pipoca com manteiga, tanto que minha primeira opção nunca é um cinema sem manteiga.

Cinemas sem manteiga são tão sem graça que prefiro jantar um salgadinho com gosto de isopor do que comer uma pipoca light, igualzinha a que eu faço no microondas de casa e por metade do preço.

Se você também é deste time, integre aqui o meu apelo: quem sabe um dia todos os cinemas do mundo, inclusive os alternativos, serão amanteigados. Deliciosamente amanteigados.

Você aí dono de cinema, não invista só no 3-D, invista também na manteiga! Acredite nesta ideia. 8)

Blackberry e Hannah indiana, Casperito, Nike e mini Listerine – Imagens da Semana

sex

Vou te falar que este é o “Imagens…” mais atrasado da história. Primeiro porque quarta-feira de manhã perdi horas num posto de saúde porque fui tomar a vacina da febre amarela para viajar e, guess what, simplesmente  os atendentes chamam uma senha a cada meia hora e coçam enquanto observam a fila aumentar.

Só que eu estava lá “mamando nas tetas do governo” mesmo tendo um plano de saúde e  todos sabemos que serviço público é assim mesmo, demorado e etc, etc, etc e tal, apesar de teoricamente ter de ser bom e ter de atender toda a população, inclusive quem pode pagar outro serviço.  Política à parte, o que me deixou revoltada mesmo é que o lugar não estava lotado, não tinha filas, todos os velhinhos aguardavam muito bem sentados, só que os funcionários “burocráticos” da recepção é que tinham má vontade. Daí não dá,  né Brasil?

Bem, segundo motivo. Eis que quinta-feira acordei atrasada e toda zo-a-da da vacina ainda, que tem uma série de efeitos colaterais. Vim direto para o trabalho, camelei bastante e, ao chegar em casa à noite, babando pra postar, adivinha? Sem internet. Só que isso eu pago e não pago barato, não.

Tudo bem, fui dormir. Acordei hoje e adivinha? Sem internet. A Net e o vírtua tão totalmente cagados na minha região e, olha, eu já nem ligo mais na central, já que eles nunca tem a menor condição de me dar explicações e querem enviar um técnico na minha casa, só que até eu que não fiz o mais ínfimo cursinho técnico em eletrônica sei que  o problema é na rede mal instalada da região e não dentro do meu apartamento – até porque já me visitaram N vezes e o problema nunca é no apartamento.

And that’s it. Precisava desabafar, principalmente com relação à Internet, já que até o Ombudsman da Net me enviou e-mail e ainda assim a região continua uma droga.

Em todo caso, existe uma notícia boa: fui tomar esta vacina porque vou viajar para a Bolívia e para o Peru no Reveillon. Sim, podem aguardar em janeiro um post com dicas sobre Machu Picchu, Cusco e La Paz! 8)

.

BLACKBERRY E HANNAH INDIANA

brinquedo novo!

meu Blackberry com a Hannah de indiana de novo! hehe

Se vocês acompanham meu twitter ou meu flickr, repararam que eu ando postando freneticamente de todo o lugar e a culpa toda é desse Blackberry pretinho aí! Eu e mais vários blogueiros recebemos aparelhos da Nextel para testar tudo sem limites por três meses!

Adorei o aparelho e já tô pensando em fazer um plano da Nextel pra mim, até porque vou poder falar com o Rafa de graça pra sempre (dá-lhe D.R.!). Além de existirem um montão de aplicativos geniais para instalar no telefone, ele ainda conta com um GPS incrível que salvou minha vida hoje quando eu precisava verificar um mapa e a santa Internet de casa não estava funcionando.

Posso falar? Já estou mal acostumada! E como eu acho que qualquer um que pegue esse bichinho aí na mão fica apaixonado, acessem o hotsite “Não tenho Limites”, conversem com Fernanda Young ao vivo (!) e participem da promoção para ganhar um desses! Eu já recomendo!


CASPERITO

casperito 2009

TCC de Rádio 2009

Tô mais que formada agora, tô duplamente, triplamente formada. No sábado passado rolou a última festa da faculdade, o Casperito, que é organizado pelos alunos de Rádio e TV, e além de nos dar a possibilidade de usufruir de boa música e open bar (ui!), ainda faz uma premiação dos melhores trabalhos do ano. Pois então, tá vendo isso aí? Ganhei o prêmio de “TCC de Rádio – 2009”. E, como sempre, mais fotos no flickr! 8)


NIKE E MINI LISTERINE

Recebi um kit super bacana da Listerine com esses “minis” dentro da bolsa! Comecei a usar a maldita e não consigo mais parar! O problema é que, claro, ela é gigante, e já estou eu carregando 50 kg nas costas. Mas isso não importa, o que importa é que quem entrar no site aí do mini Listerine corre um sério risco de ganhar um Mini Cooper.

Sim, um Mini Cooper. Eu nem tinha ganhado nada e já tava inscrita na promoção! Agora vocês se cadastrem e não contem pra mais ninguém, pra não aumentar a concorrência e a gente conseguir ganhar o carro, tá?! 8) hehehe

Tá numa crise? Não liga para a Onofre.

qua

Conversa às 15h com o centro de atendimento da Onofre:

– Boa tarde, eu gostaria de pedir um medicamento.
– Pois não, a senhora tem cadastro?
– Sim.
– Qual o número de seu CPF?
– XXX.YYY.ZZZ-XX
– Certo. A senhora confirma o endereço….
– Este é o endereço da minha casa, gostaria que o medicamento fosse entregue em meu trabalho.
– Claro. Qual endereço?
– Av. Brigadeiro Faria Lima.
– Correto. Qual o medicamento?
– Rinosoro spray 3%.
– Está certo, senhora. O valor é de R$13,98 e a taxa de entrega é de R$3, totalizando R$16,98.
– Obrigada. Você pode trazer troco para R$20?
– Claro, senhora. Tenha uma boa tarde.
– Igualmente!


Conversa às 19h:

– Boa tarde, sra. Fernanda?
– Sim, eu mesma.
– Aqui é Joãozinho da Onofre, nós gostaríamos de confirmar o seu pedido. É um Rinosoro 3% spray?
– Exatamente.
– Correto. A entrega estará sendo feita (sic) em até duas horas e meia, tudo bem?
– Como assim,  duas horas e meia?
– É o prazo, senhora, provavelmente o medicamento deve chegar antes.
– Mas está errado, vocês dizem no site que o prazo máximo de entrega é de quatro horas!
– É, infelizmente não foi possível. Mas o remédio está a caminho tudo bem?
– Sim, que eu posso fazer?

Fiquei matutando: vou me negar a pagar o frete e tal e coisa, mas nem precisou, sabe?

Não precisou, porque saí do trabalho 21h45 sem remédio, quase arrancando o nariz de alergia e nada do meu spray 3%. E as meninas do trabalho disseram que ele chegou logo que fui embora. É pra rir, né?

Moral da história: ainda bem que eu não era uma psicótica alucinando por abstinência de remédios, ou em seis horas e quarenta e cinco minutos eu já tinha me atirado da janela do prédio.

ps: Onofre, continuo te amando para maquiagens e afins na loja física, mas delivery nunca mais.

http://bp.imguol.com/out/editorial/ana_carolina_08122009_03.jpg