5 Motivos para você começar a nadar hoje

ter

Post totalmente influenciado pelas minhas queridas aulas de natação matinais.


Michael Phelps fotografado por Ryan McGinley; veja mais

.
1. A natação trabalha todos os músculos do corpo, e quando você menos esperar, seu abdômen estará fortificado e o seu peitoral também – o que, para as meninas, pode significar peitos maiores, e não “largos”, como a maioria acredita;

2. Você compete com você mesmo – e com os outros: enquanto em exercícios repetitivos comuns você sofre com seu próprio suor, cansaço e conta os segundos para a aula acabar, na natação é bem provável que você se pegue criando competições mentais contra os outros alunos, e isso só te ajuda a ficar cada vez mais ágil;

3. O nado aumenta seu fôlego e também sua capacidade respiratória, de forma que pessoas que sofrem com bronquite ou rinite podem até estranhar no começo, mas certamente terão suas alergias amenizadas depois de um tempo de prática;

4. A piscina é quentinha, então mesmo no frio não há porque fugir!;

5. Ninguém sai da aula suadinho, fedidinho ou grudandinho. A única questão do pós-aula é o tal “clima de vestiário”, em que todo mundo pode ver sua buzanfa a todo momento. Para resolver isso, faça natação bem perto da sua casa e tenha o prazer de tomar banho no seu próprio chuveiro logo em seguida. (eu prefiro!)

5 passos para se purificar da balada

ter

É terça-feira mas você ainda está sentindo os efeitos do final de semana? Ficam aqui algumas dicas para mandar o ar de fim de festa embora…

.

Esta semana várias blogueiras fizeram posts com molduras, como a Renata do Moda para Usar, que contou como espantar o stress! Quer entender tudo isso? Pois o mistério será revelado hoje à noite numa super festa em São Paulo. E amanhã tem banner novo por aqui! 8)

Este post é um publieditorial.

5 Motivos para tomar um café hoje

seg

Um dia os especialistas acreditam que o café é “do bem” e  no outro, “do mal”, mas ficam aqui cinco fatos comprovados  para te fazer levantar do computador e tomar um gole desta bebida quentinha para começar a semana:

1. A principal característica do café no organismo é seu poder estimulante. Então, tomar uma xícara pela manhã vai ajudar a dar um up nos seus neurônios que ainda estão em ritmo de final de semana;

2. O café praticamente não engorda e, para melhorar, ele acelera a queima de calorias pelo organismo. Para se ter uma ideia, uma xícara de 50 ml sem açúcar tem só 2 calorias.

3. O café melhora o seu estado de espírito: sua fórmula contem ácidos clorogênicos que reduzem a quantidade necessária de endorfina para garantir seu bom humor;

4. Segundo estudo realizado pelo Ministério da Saúde do Japão, mulheres que tomam café três vezes ao dia tem 60% menos chances de desenvolver câncer no útero;

5. Desmistificando uma lenda antiga  sobre a bebida, médicos garantem que tomar café não faz mal ao estômago, a não ser que a pessoa já tenha gastrite e esteja de jejum.

Resumindo? Café espanta o mau humor, ajuda a emagrecer e ainda contribui com a sua saúde. Mas aprecie com moderação: quem toma mais de 4 xícaras ao dia pode ter seu sono afetado e hiperestimular seu organismo, o que acarreta sintomas como tremedeira e sudorese.

Fonte: UOL

Em busca dos domingos chuvosos

sex

Scarlett Johansson, “Lost In Translation”

Domingos, sábados ou feriados, mas para ficar perfeito, eles tem de ser chuvosos. Eu não gosto de chuva, pra falar bem a verdade, odeio. Uma chuva é capaz de destruir meu dia, mesmo que eu não me ensope nela. Só que é fato que se eu ganhar um beijo embaixo dela até molhar as meias, vou ganhar o dia. Vai entender.

Dias chuvosos são aqueles dias de filme, em que você se imagina com um short de algodão, uma blusa de malha folgada, bonita e confortável. Trança no cabelo e um chá quentinho na caneca. Um bom livro, uma rede, uma poltrona, um sofá e pensar na vida. Ou então uma folha de canson A3, um ipod recheado e muitos lápis para desenhar, porque em domingos chuvosos todo mundo desenha bem.

Também é dia de comer bolinhos de chuva, de comer pipoca em baixo do edredom, de ficar acordada, acompanhada, sem sair da cama e estar muito feliz por isso. É dia de dar uma olhada em fotos antigas, naquela caixa do guarda-roupa e quem sabe aproveitar pra fazer uma faxina rápida nas gavetas.

Dá pra pegar uma reprise do programa favorito, ver uma pancada de DVDs, assar um bolo que demore horas para ficar pronto, fazer uma sopa deliciosa e nada light ou pedir sushi pelo telefone, porque está chovendo, é claro. É um bom dia pra cuidar da sua hortinha caseira, ou de começar uma. Ou de plantar um pézinho de feijão com o seu melhor amigo menor de dez anos.

Os dias sagrados e chuvosos são quase como feriados, mas que infelizmente terminam em segunda-feira, porque tudo que é bom dura pouco, e o que é muito bom, menos ainda.

Domingos chuvosos, na verdade, podem cair até em dias úteis. Só sei que preciso encontrar os domingos chuvosos nos dias ensolarados mais vezes. Quero essa calmaria de ficar quieta fazendo tudo ou nada, esse primetime. Essa paz.  Tô querendo.

(E se aqui fosse frio o suficiente e só chovesse congelado, eu também faria anjinhos na neve.)

Minha casa é um poço de óculos (fazendo a limpeza no quarto de bagunça, parte 2)

dom

Lembram daquele Ray-ban aviador?

É, continuo insistinto em fazer limpeza no quarto de bagunças, pois achei uma cópia bastante interessante do wayfarer agora – e verde azulado, da Solar Accents:

Mãe, obrigada por ter tido tanto bom gosto para óculos nos 80’s.

Sozinha no cinema: “Jean Charles” às 15h.

sex

post longo, diversão garantida. 8)

Eu sempre tive curiosidade de ir ao cinema sozinha. Curiosidade mórbida talvez, mas que não se aplica quando o assunto é comer sozinha. Estou habituada a almoços e cafés “reflexivos” e entretenho-me facilmente assim, inclusive porque uma vez aprendi num livro incrível como se deve comer sozinha com classe.

Não sei se vocês já ouviram falar do Como andar de Salto Alto, mas é praticamente uma bíblia cor-de-rosa para mulheres (jura?!) não fazerem feio nunca, em lugar algum. Traz dicas de todo o tipo, dada pelos mais diferentes figurões, e é provável que você se lembre vagamente desta bibliografia obrigatória porque é lá que Giselinha revelou seus truques modeléticos de como posar pra foto. Rapidamente? projete-o-queixo, coloque-uma-das-pernas-a-frente, abra-bem-os-olhos, não-olhe-de-frente-pra-câmera e, o plus, olhe-sempre-por-baixo. Outras gentes importantes também abriram seu baú por lá, mas são gentes que não vou citar porque o assunto não é esse, mas dica pra foto todo mundo quer.

Só pra fechar o assunto, antes que alguém diga que isso aí é livro de mulherzinha-inha: sim, Camilla Morton, autora do livro, te ensina a andar de salto alto (!), mas também te ensina a apostar no Jockey Club. E te ensina a jogar poker. E, sim, foi com ela e com o livro que  aprendi  a jogar poker de verdade e hoje estou apta  para as jogatinas deste mundão e pronta para tirar até as cuecas de qualquer adversário. Hit me!

O fato é que, numa de suas lições de elegância, Camilla ensina como lidar com diversas situações em que você está solitária, mas “ir ao cinema sozinha” não é uma delas.
.

por R$2,00 e ainda correndo o risco de ser bom? tô lá.

Como eu estava com bloqueio criativo e descobri a sessão promocional das 15h do Cinemark por apenas R$4,00 (valor que dividi pela metade com o uso de minha carteirinha universitária), resolvi partir para um experimento empírico que deveria me render algum tipo de inspiração, já que eu nunca tinha ido sozinha ao cinema antes. E o melhor: se a experiência toda fosse ruim, eu não ia me arrepender tanto, já que não ia doer neste bolso universitário. Mas, a experiência foi boa. Ótima..

Eu sempre imaginei que ir ao cinema sozinha fosse uma das expressões máximas de independência. Mais até do que ir para uma festa ou cair na noite all by yourself, porque, chegando no evento noturno, você vai esquecer até de você mesma, dependendo do nível birita da coisa. No cinema, não.

No cinema você vai se aturar sozinha por uma hora e meia. Ou duas. Ou três. Você não só vai ser “boa companhia pra você mesma”, mas vai ver aqueles casais melosos, adolescentes em grupos e turmas de amigos animadas – atenção para não se deixar levar por este último grupo!

Sim, porque você poderia ver um filme qualquer em casa, sozinha. Você poderia simplesmente aguardar ter uma companhia. Você poderia se esquivar de ser objeto de olhares curiosos. Mas, não! Você resolveu ir porque tá afim. Você resolveu se arrumar e sair de casa porque você quer ver essa p&¨% de filme logo.

Você não quer esperar o DVD. Você não vai aguardar a boa vontade do Telecine. Nem dos seus amigos – ou amigas. Ou talvez, sei lá, talvez você queira um pouco de quality time só pra você. É. Bem provável que você nem queira companhia! Capaz que isso nem seja um problema. Aliás, possível que isso não seja nem uma questão a ser feita: “companhia? Pff! Hoje quero me agradar”.

Aí eu fui, nessas de me agradar. O preço era agradável, como eu já disse, e eu acabei pagando 4 vezes o preço numa pipoca média e numa coca pequena, mas tudo bem: eu não resisto à pipoca no cinema. Nem em cinema cult. É algo que eu simplesmente não dispenso. E, falando nisso, não é ridículo pagar mais caro na coca-cola do que no ingresso? …

Continue lendo →