Plus size, no-retouching e essa fábrica de cabides.

sex

Britney sem Photoshop ainda deve mandar melhor que a sua vizinha neurótica

Toda mulher neurótica gosta de pensar que não está tão neurótica. Um bom jeito para isso é enfiar seus dilemas embaixo do tapete passando seu questionamento adiante. Logo, as ciumentas conseguem enfiar minhocas na cabeça das não-tão-ciumentas, as obcecadas com o cabelo fazem brotar frizz até na mais lisa e auto-confiante, e as minhas  favoritas mesmo são as que não estão contentes com o próprio corpo e gostam é de comentar o corpo alheio.

Um dia fala-se sobre a bunda de fulana, no outro sobre silicone feio de ciclana e no dia seguinte sobre um culote, um pneuzinho, um bracinho mais avantajado. Ou seja, coisas nada anormais no mundo dos humanos com formas e tamanhos normais – mas tudo fora do tal padrão estético.

Teoricamente, padrão estético é algo bastante variável, mas todo mundo sabe que as mais cheinhas  não voltam à moda há séculos. Podem dizer que Marilyn Monroe era avantajada, mas ela era um belo 90x60x90, aproximadamente. Avantajado? Sei não. Para mim, ela era gostosa, tinha um corpo saudável e até onde eu saiba isso nunca deixou de ser bonito, ou algum homem aqui não pegaria essa loira? Ahan que não.

Apesar disso, repete-se exaustivamente que esta fase já foi, ao mesmo tempo que o império da magérrima Twiggy parece nunca ter fim. Com apenas 1,67m de altura e um peso pena que eu realmente não faço a menor questão de saber (42kg, para quem faz), esta “pequena” modelo se tornou grande nos anos 1960 justamente por representar o oposto da voluptuosidade de Marilyn.

Desde então, o “padrão” estacionou nas magrinhas, embora os homens e trocentas pesquisas científicas continuem reforçando que na esmagadora maioria dos casos eles gostam mesmo é de um belo quadril cheio (chamada da revista “Nova”, tá?).

Um dos editoriais mais legais de todos os tempos, da “V Magazine”: uma modelo “do padrão” e outra mais “girl next door”. Qual fica melhor?

Os críticos de moda dizem que o final dos anos 1990 foi marcado pela volta das “sexy curves”, tendência comprovada com a ascensão de la Bündchen e devidamente atestada pela Vogue em 1999 quando publicou que Gisele era a grande responsável pela nova tendência.  Só que aonde estas tais “sexy curves” chegam perto das de Marilyn?

Tirando Gisele da parada, manequins 36 e às vezes até 34 são os que desfilam, chegando ao ponto de modelos serem engordadas e terem seus ossos proeminentes apagados em processos de pós-produção. Hoje a moda é de “não-retocar”, e a pergunta é  onde vão esconder os ossos que aparecem até no meio dos peitos siliconados.

Se estas garotas são saudáveis, não é o meu ponto aqui: em qualquer extremo  sempre haverá gente doente. Assim como sempre existirão gordinhas “nascidas”, sempre existirão as “magras de ruim” e, olha!, está aí a diversidade. O que não é nada diverso é o tal “padrão”, que só serve à meia dúzia de manequins, alguns estilistas e alguns heróis  que se julgam capazes de acompanhar fisicamente tudo isso e se sacrificam.

Depois da tendência do não-retocar, outro grito da moda são as modelos 46, que já colocam seus pézinhos no outro extremo da balança. Quanto ao meio termo, esqueça! Também pegou chamar manequim 40 de plus-size. E por que não “normal size”? “Medium size”? (E vale incluir aqui qualquer nomenclatura que não seja puxa-saco dessa tal fábrica de cabides.)

Quando até Twiggy afirma que gostaria de ter nascido com as curvas de Marilyn Monroe, só cabe uma pergunta:  somos grandes ou elas são pequenas demais?

.

ps: e este foi um mero comentário vindo de uma garota que também gostaria de perder mais 2kg e “photoshopar” algumas coisas, mas que não abandona a cerveja ou a sobremesa por isso. Não vale a pena.

Editores de foto online: um polaroid maker e um corrige-tudo

ter

Rápido e rasteiro, post para compartilhar dois links super úteis para quem não estiver com saco de Photoshop.


PICTREAT


Sabe quando você quer apenar tirar um olho vermelho da foto? Quando só quer dar um leve UP nas cores? Quando sardas, espinhas e marquinhas aparecem mais do que a pessoa em si? Então: Pictreat.com. Você sobe a foto, escolhe se quer alta ou baixa resolução e pronto. Mais rápido que miojo!

.

ROLLIP

.
Vocês já sabem da minha paixão por polaroids, né? E que eu adoro actions que imitam as fotos instantâneas e o  Poladroid, gadgetzinho da própria marca? Então, existe outro meio ainda mais fácil de polaroidizar sua foto: é o Rollip. Lá você seleciona que tipo de revelação você quer, qual será o efeito do filtro e pode até colocar uma legenda na imagem e escolher a fonte e a cor do texto, como eu fiz na foto acima. O único problema é essa assinaturazinha chata “created at rollip”.  De resto, 100% aprovado!

Mashups de pôsteres de cinema

qui

A onda da misturinha não acaba na mixtape, muito menos na colagem ou na photoshopagem maldosa!

Eis que o forum BT3A tem uma espécie de competição de “montagens”, e um dos temas é misturar cartazes de filmes para ver no que dá. Tem  mashups hilárias e dá pra perder um bom tempo navegando no site.

Foi difícil escolher as 10 mais, viu? Dá uma olhada:

Wally + Wall-E
(porque na gringa o Wally é Waldo!)

Spice World + Dune (ri alto com esse)

Amnesia + Cara, cadê meu carro? (ri mais alto ainda com esse)

American Pie + “Pi” = American PI

Continue lendo →

Ao Natural: elas não usavam photoshop.

qui

Os meninos vão gostar. E lá vou eu falar mais de fotografia…

Photoshop hoje é ferramenta fundamental para qualquer finalização de imagem profissional, seja em revistas, em propagandas, em editorias de moda… Isso todo mundo sabe.  Agora imagina voltar no tempo e ver como eram as fotos originais de ensaios sensuais e eróticos sem photoshop, tipo nos 50’s e 60’s?

Pois sim. Descobri um blog recheado de scans de revistas safadinhas das antigas e vou dizer uma coisa: elas eram gostosonas e não tinham “stamp” e “liquify” a seu favor.

.

.

Quem curtiu esse aperitivo censurado e tem mais de 18 anos aninhos, visite o Vintage Girly Magazines.
O blog não é atualizado há algum tempo, mas dá pra perder umas boas horinhas fuçando nos arquivos. Eles têm inclusive scans completos dos Private Peeks da Betty Page, eterna musa pin-up que abusava do bondage.

Preciso dizer mais alguma coisa? É sexy demásss da conta. 8)

Top 10: Photoshop Actions!

qua

Como muita gente já veio me perguntar que “tipo de efeito” é esse que eu uso nas minhas fotos, eu decidi postar e indicar aqui as minhas 10 Actions de Photoshop favoritas! Se você perde horas mexendo e remexendo nos levels das suas fotos, seus dias de tortura acabaram e aposto que você vai acabar viciando neste arzinho vintage, ou pelo menos vai gostar bastante de poder poupar tempo pra corrigir uma imagem!

Escolhi esta foto como padrão e fui aplicando minhas actions favoritas pra vocês compararem os efeitos. Quem quiser baixar, o link vem logo embaixo. Como usar? É super fácil, apenas descompactem os .zips e carreguem o arquivo reconhecido pelo photoshop na janela de Action do programa.

Se pra você eu falei grego, dê uma olhada neste tutorial, que ainda traz 15 actions extras. Enjoy. 8)

.

Color Enhancing Actions – Download
(este pacote contem 10 actions diferentes para corrigir detalhes das imagens, como a luz ou o contraste)

.

Polaroid Action – Download
(se bem que eu ainda prefiro o programinha da própria Polaroid. É ótimo! Baixem aqui.)

.
Continue lendo →