E se as redes sociais estivessem no colegial?

sáb

social media high school

Se há um tempo atrás nossa vida se resumia em checar scraps no Orkut, hoje o próprio fica de lado diante de tantas outras opções – e melhores opções. Para os fãs de música, há last.FM, MySpace, Hype Machine. Para os fotógrafos e “aspiras”, Flickr, Tumblr e Instagram. Para os blogueiros, WordPress, Livejournal, Blogger e muitos outros. Para quem fala pelos cotovelos, Twitter. Para quem não tem paciência para nada disso, Facebook. E, claro, para todos os mortais, Google e Wikipedia.

Não é preciso nem dizer que cada pessoa usa aquilo com o que mais se identifica, então que tal transformar as redes sociais em “panelinhas” do colegial? Pois sim: o infográfico resume o perfil de cada usuário de acordo com aquelas turminhas do colégio.

Várias definições são geniais, mas meus favoritos são os twiteiros, gossip girls de plantão, e os orkuteiros, alunos de intercâmbio!

Clique para ver maior:

Class Of 2011: If Social Media Were a High School

.

Se você gostou muito, deixo a dica de decorção: tem poster desse infográfico para vende por $16,99 na Flowtown!

.

Alô, Sorocaba!

qua

azarão.

Não se fala de outra coisa na rede mundial de computadores – pelo menos no que diz respeito à fatia paulista. Fora um ou outro que ainda lembram da Copa ou dos preocupados com a resolução do absurdo “caso Bruno”, o que tem chamado a atenção são duas ex-famílias sorocabanas que acabaram de ruir após um fatídico vídeo postado no orkut de um dos envolvidos.

Não quero ser repetitiva, porque, bem, porque todo mundo já viu, mas se você não viu ainda, veja agora pra não ter spoiler depois. São dez minutos de muita discussão acalorada e áudio ruim, mas o que interessa você vai ouvir – e ver:
.


(não está vendo o vídeo? clica aqui)

Ficou até o final, né? Então, Juliana e Vivian se conheciam há cinco anos aproximadamente, Juliana era madrinha de um dos filhos de Vivian e eis que a dona Ju estava mantendo atividades fornicatórias com requintes de sexshopismo com Cícero, esposo da dona Vivian, a traída e também conhecida como Felipe Melo de saia depois deste episódio.

Inconformada com a situação, parece que a Vivi quis contar mesmo pra todo mundo e colocou um trecho editado do vídeo em seu orkut, já que a versão completa tem basicamente mais de uma hora. Por pressão dos filhos, tirou do ar, mas já era tarde demais, como se pode ver.  Os desdobramentos da história não interessam muito para as linhas que escreverei a seguir, portanto o google está a disposição para eventuais curiosidades. Aos interessados, a situação toda atende pela alcunha de “barraco sorocaba” ou #sorocabarraco para os tuiteiros.

Quando a coisa começou a viralizar, me perguntei se era pela “cat fight” ou pela vingança da mulher traída. É claro que os machos encaminhram pelos puxões de cabelo entre mulheres (que alguns consideram até sexy por aí), mas bem acho que a coisa espalhou pela mão das moçoilas que já sentiram na cabeça o peso de um chifre ou o punhal por trás de uma “amiga”.

Entendo totalmente o sentimento que um vídeo assim move em alguém que já passou por isso e  compreendo a vontade que dá de passar para “todas as mulheres”, mas gostaria de saber quando é que a ala feminina vai deixar de ser tão competitiva e pouco fraterna e finalmente perceber que, num caso como esse, quem jurou ser fiel foi o marido?

Discussão velha, eu sei, mas  não foi sua amigona que te deu a mão no altar. A frase “brothers before whores” só funciona para homens, porque obviamente foi por eles criada e é assim que funciona na tal sociedade secreta  e invisível masculina: lá a maior parte das mulheres de amigos são homens.

Logo, só queria dizer uma simples e única coisa: a traição sempre vai ser uma constante na vida do ser humano,  especialmente quando falamos de moças que acham o marido alheio mais interessante.  Então, pelas barbas do profeta, nada melhor que ser justo(a) e cobrar de quem de fato lhe prometeu amor eterno ou alguma coisa do gênero. Por mais que isso signifique comunhão de bens ou “perder a casa na praia”, é uma atitude um tanto mais digna que colocar para dentro da sua casa  alguém em condição ainda mais frágil unicamente para tomar tapa.

Por fim, deixo aqui a frase sábia me dita ontem pela Juliana enquanto falávamos sobre esta treta da high society de Sorocaba:  “colocar na internet é igual fazer xixi na piscina – você pode até limpar, mas pra tirar tudo, só esvaziando a piscina inteira”.

.

Por que nós somos “amigos”?

sex

imagem de divulgação de “The Network”, também conhecido como o ‘filme do facebook’
.

Mais uma vez abri meu facebook e me deparei com diversos rostinhos. Mais de mil nomes e rostos conhecidos e desconhecidos, pessoas que vejo menos, outras que nunca mais vi, mas todas lá. É o mal da rede social iniciante (pelo menos no Brasil): você adiciona todo mundo que não vê há eras com a proposta de retomar o contato e “marcar de sair”.

O Orkut foi assim também, mas talvez eu esteja sentindo tudo isso de novo com o facebook porque 1 – o Orkut não me serve mais de muita coisa, 2 – optei por usar o facebook pra divulgar as outras redes sociais pelas quais passeio e isso significa aceitar pedidos vindos de todos os lados, principalmente do pessoal que acompanha o blog por lá também. Resumindo? Foi uma escolha transformá-lo num arquivo e sei disso.

No Orkut não fui assim, só adicionava conhecidos, sempre tive a proposta de manter a coisa o mais pessoal possível, enchia de fotos das festas e ficava esperando avidamente os comentários dos “amigos”, até que isso enjoou. Agora, nem sei mais onde encontrar meus conhecidos, não estão mais nem em um lugar nem no outro, e é uma balela das grandes colocar “o que eu estou pensando agora” no caralivro esperando interação, esperando que alguém comente, curta ou mesmo odeie qualquer coisa.

Observo usuários com, digamos, metade dos amigos que tenho e que são infinitamente mais comentadas ou curtidas. O perfil lá pode ser sim uma boa vitrine e um bom lugar para guardar links favoritos também, mas quem sabe as pessoas gostem tanto, tanto, da exposição alheia que prefiram mais quem realmente posta alguma coisa esperando outra? Estilo “as fotos da festa ficaram ótimas, comenta aí, amigue”.

Assim sendo, o orkutcídio está se tornando uma possibilidade real (wow, que drama) e espero ainda o momento do facebook se tornar útil em seu sentido original, de ser uma ferramenta para conectar pessoas, caso contrário, por que raios nós seríamos “amigos”?

Podemos criar níveis de interação ou de afeto? Enumerar por listas de proximidade? Chamar uns de  “contatos”,  conhecidos, outros de bff? Não. E chamar toda essa massa de amigo é criar uma ilusão absurda de popularidade, e uma noção real de isolamento moderno.

Não dá para curtir isso, Facebook.

Dica para quem curte, mas não completou a saga “Crepúsculo”…

seg

… Se você não leu todos os livros, ou simplesmente não completou esta pequena coleção, a dica é pra você:
.


.

A Visa e o Wallmart estão com uma promoção super bacana: quando a comunidade do “Juntos Pelo Desconto Visa” no Orkut chegar a 3.000 (três mil!) membros, o preço do livro no site do Wallmart cai de R$39,80 para R$19,80 e aí é só correr para garantir o seu, pois os estoques são limitados!

Para acompanhar quantas pessoas faltam para o preço despencar, é só entrar no site da promoção. Fácil, não? Queria eu ter tido essa mamata… Acho que paguei R$50,00 no meu livro. ¬¬.

Esse post é um publieditorial.

Fake-Doll nas redes sociais!

ter

Eu sempre quis ter um contato (muuuito) maior com vocês, e finalmente tomei algumas atitues para isso! Agora criei um perfil no Orkut exclusivo para vocês adicionarem, uma comunidade pra gente trocar ideias e uma página no facebook pra vocês mostrarem que passam sempre por aqui! 8)

Vamos aos links?


Perfil
Comunidade do blog

.


Perfil

Página do blog
Seguir o blog e tornar-se fã via Networked Blogs

.

E, claro, tem também meu twitter, meu Youtube, meu Flickr e outras coisinhas que vocês encontram reunidas no meu MeAdiciona ou no meu Flavors!

ps: depois dessa, ninguém mais pode ter vergonha de comentar aqui, tá? Não quero mais saber de gente falando “acompanho seu blog faz tempo e só agora resolvi comentar mimimi”…. SEI! Vai todo mundo levar bronca! LOL ;)

5 Coisas que Você Não Deve Fazer no Compartilhamento do Google Reader

sex

O Google Reader está mais sociável. Agora você pode escolher seguir os feeds compartilhados de uma pessoa, des-seguir outras e ocultar mais algumas – assim, só para não ficar feio de fulano perceber que você parou de bizoiar as coisas que ela põe na roda.

Como em todo bom ambiente internético de socialização, tem gente que torra seu saco de vez em quanto, mas também coloca coisas interessantes de vez em quando, o que te faz continuar seguindo-a. Portanto, como todo mundo quer ver é coisa boa e não notícia do mês passado, resolvi compartilhar também essa listinha de etiqueta feita unicamente por mim, viciada em reader – mas não em perda de tempo com “1000+ não lidos”.

5 Coisas que você NÃO deve fazer no compartilhamento de feeds do Google Reader:


1. Compartilhar tudo

Nem todo mundo tem tanto tempo para ler tudo isso – a não ser que você tenha um olhar brilhante para descobrir coisas sensacionais diariamente e saiba muito bem disso.  Do contrário, não compartilhe.

2. Compartilhar itens do seu próprio blog

De novo: você só posta coisas geniais? A última novidade do último segundo? Textos incrivelmente dignos de orgulho próprio? Pense: estou compartilhando para mostrar o que é meu ou passaria isso pra frente se viesse de outro blog? Daí sim. Caso contrário, deixe que as pessoas digam que o seu conteúdo é bom. ;)

3.  Compartilhar feed da semana passada no domingo da semana seguinte

Ficou confuso? Eu também. Compartilhar a notícia que todo mundo já leu ou sabe é uma desinformação: quem te segue acha que vai ler algo novo porque o reader se baseia em coisas fresquinhas e não é bem isso que você vai proporcionar. A gente entende que você não tem tempo. Eu não tenho, ninguém tem. Então se atualize no seu tempo, mas nada de passar o “jornal do peixe” como se fosse jornal novo.

4.  Compartilhar coisas que só fazem sentido para você e 2 pessoas

Auto-explicativo e dou sugestões: use o twitter, o msn, o facebook, o orkut, e olha! Tem uma coisa chamada e-mail que costuma ser bem útil para isso também.

5. Deixar o Youtube compartilhar por você

Não só o Youtube, mas qualquer outro site que permita compartilhamento automático. É bastante chato ficar lendo “Fulana assinou o canal de Ciclana” ou “Beltrano agora favoritou o vídeo ‘Pedro, devolve meu chip'”.

Lembre-se que metade desses viraizinhos que você guarda aí no Youtube são lixo, que  nem todo mundo gosta dos mesmos clipes e que provavelmente pelo menos 30% da população mundial não vê utilidade alguma em tutorial de maquiagem.

.

… E, enfim, considerando que eu mesma sou capaz de infringir minhas regras, deixo aqui o link para os meus itens compartilhados – sigam por sua própria conta e risco. 8)