5 motivos para assistir ao ursinho “Ted” no cinema

qua

Ted, o ursinho ex-celebridade que pode transformar a vida de um cara num inferno! hehe

A comédia “Ted” de Seth Macfarlane conta a história de um urso de pelúcia que ganha vida após seu dono fazer um desejo numa noite de natal e mostra o que aconteceu 27 anos depois, quando o rapaz simplesmente tem que tomar uma atitude, abandonar seu brinquedo vivo e virar adulto o suficiente para assumir um relacionamento com a mulher de sua vida.

É basicamente humor dos bons com texto rápido e inteligente, Mila Kunis linda na telona e um urso que se torna uma celebridade em decadência e adora ficar chapado com seu dono, interpretado por Mark Wahlberg. Só isso já seria motivo para muita gente ir ao cinema, mas ao contrário de muitos filmes do gênero que estrearam nos últimos tempos, esse aqui vale a pena mesmo e digo o porquê.

festa no apê like a boss

.

5 motivos para assistir “Ted” no cinema:

1.É uma das únicas comédias recentes em que o filme é, de fato, melhor que o trailer. Depois que Hollywood aprendeu de vez a magia de condensar as melhores coisas em 3 minutos, muita “comédinha” meia boca já me fez sair de casa à toa – inclusive o último de Tim Burton & Johnny Depp. Essa aqui certamente vale a pena.

2.As referências rápidas com elementos da vida real fazem toda diferença ao longo do filme e, por isso mesmo, a melhor recomendação é ver o filme legendado e não perder nada que tenha sido adaptado.

3. Como boa parte da obra do humorista Seth Macfarlane (criador de “Family Guy” e “American Dad”), “Ted” também é cheio de humor negro, mas conta com a magia de um ursão que ganhou vida para contar a história. No fundo, a fórmula é a mesma dos desenhos: criticar e fazer piada de um jeito ácido usando personagens “meigos” por fora. A diferença é no fim das contas só a linda Mila Kunis e os pêlos do Ted é que são fofinhos. rs

4. Por mais que o filme tenha milhares de “piadinhas pra macho”, em algum momento as moçoilas vão se identificar. Ou melhor: vão ver no ursinho aquele amigo mala e infantil do seu namorado, aquele “parceiro das antigas” que mais atrapalha do que ajuda. Com sorte, seu namorado também vai entender o recado.

5. O Ted é simplesmente hilário! E apesar de chegar até a ser estupidamente grosseiro com alguns de seus comentários, o bicho conquista todo mundo. Sei lá, é o único caso que eu já vi no cinema de um bicho de pelúcia falido que consegue pegar loucamente uma gatinha AND ter um caso com a Norah Jones.

.

“Amizade Colorida”: sexo na sessão da tarde

ter

Kunis e Timberlake em “Amizade Colorida”

“Amizade Colorida” é um daqueles filmes que capricha muito mais no lançamento do que na produção em si, especialmente pelo casal de atores protagonistas escolhidos a dedo pra causar bastante fora da tela. Acho que esse fenômeno pode ser lembrado pelo lançamento + buchicho de romance que empacotou muito bem a ação sensual de “Sr. e Sra. Smith”.

Para lançar “Friends With Benefits”, toda a estratégia de divulgação do filme foi focada em explicar como Mila Kunis e Justin Timberlake se sentiram rodando as cenas de sexo, se pintou um clima, se ficaram tímidos – e nada mais.

Como a imprensa também adora um climinha por trás das câmeras, os boatos de que os dois estariam juntos ajudaram a apimentar as notícias – uma mão pesada talvez desnecessária, já que comédias românticas sempre tem lugar no coração de mocinhas machucadas, por mais previsíveis que sejam (essa em especial).

Em todo caso, se não fosse um ou outro take mais ousado nos corpinhos, diria que o filme é 100% sessão da tarde. O longa basicamente gira em torno dos personagens de Timberlake (Dylan) e Kunis (Jamie) e pouco fala sobre a vida extra dos dois. Tudo se resume ao casinho de sexo sem compromisso, como se nenhum tivesse uma vida interessante o suficiente para ser mostrada além disso.

Para não dizer que o filme ignora sumariamente o mundo fora das quatro paredes dos amigos que transam, as famílias desestruturadas de ambos vêm à tona para explicar porque eles se dão tão mal nos relacionamentos, o que também justifica de uma certa forma porque eles se “merecem”. Enquanto Jamie tem uma mãe mente aberta e meio maluca, o pai de Dylan é abandonado pela mulher por ainda gostar de outra e o trauma acaba fazendo com que ele desenvolva Alzheimer.

os “desestruturados” sempre tem que se merecer? hm.

A dupla de protagonistas se conhece quando Jamie, uma headhunter muito inverossímil, recebe a tarefa de encontrar um novo diretor de arte para a revista GQ, que ganhou uma bela publicidade (paga?) pro finzinho desse ano com o filme. Dylan é o candidato perfeito e acaba topando se mudar de Los Angeles para Nova York pelo emprego. É na redação, enfim, que suge o personagem mais sensato do longa: o editor de esportes gay que insiste em tentar tirar o protagonista do armário, mas tem as falas mais interessantes e sábias de todo o roteiro.

A questão é que “Amizade Colorida” insiste em lições velhas sobre relacionamentos, além de ter divulgado muito e chegado atrasado: várias outras comédias românticas sobre “sexo sem compromisso” são melhores; caso de “Amor à Distância”, mais divertido, e “Amor e Outras Drogas”, mais elaborado e, ouso dizer, profundo.

É sessão da tarde, tem muito diálogo e pouca história, mas tem também uma cena impagável dos dois tentando jurar que vão transar sem se apaixonar em cima da bíblia no iPad.

Se eu não fosse fã do Timberlake, fato que me fez correr para ver, diria que é um bom filme para esperar passar na TV e assistir numa tarde à toa. Caso você não seja, já sabe!

.

Novo status no Facebook: friends with benefits!

seg

amizade + sexo e nada de sentimentos, tá? Ah tá!

“Friends With Benefits” é o novo filme de Mila Kunis e Justin Timberlake. Vários trailers safadinhos do filme já foram lançados, mas agora os dois estrelam uma campanha hilária feita especificamente para as redes sociais.

Como no filme os dois interpretam uma dupla de amigos que só quer saber de sexo sem compomisso e nada de paixãozinha mela cueca, neste vídeo a dupla pede um novo status de relacionamento no Facebook: o de friends with benefits!

.

A expressão em inglês que dá nome ao filme equivale ao que a gente chama por aqui de “amizade colorida” (status este que já até existe no nosso Facebook!) e este é o título que o longa ganhará no Brasil. Achei bem razoável, afinal imagina que boring se fosse “Amigos Com Benefícios”? rs

A estreia de “Amizade Colorida” está prevista para o dia 30 de setembro e é bem provável que venha aí uma comédia romântica divertida e com dois desiludidos derretendo o gelo no coração e encontrando o amor verdadeiro.

A gente já até imagina o final, mas com certeza vai ao cinema ver, certo? Até porque Justin Timberlake na telona sempre vale o ingresso – e para os meninos tem a Mila Kunis de eyecandy, é claro. ;D

Via Papel Pop