Etiqueta de elevador

sex

esse chão… é pegadinha ou o “mesmo” tá aí?

Há algum tempo gosto de dissertar sobre metrô, ônibus e passageiros enlouquecidos por assentos, ou enlouquecidos pela falta deles.

Hoje, ando mais de carro e infelizmente o trânsito de São Paulo pode ser ainda mais surpreendente de uma forma negativa quando você está ali dentro, sozinho.

Em todo caso, opto por falar de um meio de transporte que nem deve ser tão meio de transporte assim, e aí eu levanto uma questão: elevador é meio de transporte?

Sempre lembro de uma aula do jardim de infância em que a professora pediu para abrirmos revistas e recortarmos fotos de meios de transporte. No meio da atividade, um amiguinho recortou uma escada rolante – e a tia disse que escada rolante não era meio de transporte. Não é e pronto, “por que sim, Zequinha”.

Então, como eu discordo da minha professora, vou é falar sobre o primo da escada rolante, sobre o meio de transporte que permite que cheguemos inteiros e em bom estado ao último andar do edifício do trabalho. Afinal, quem subiria feliz e contente 20 andares sem suar e sem pressa diariamente? Ninguém.

O elevador é uma espécie de metrô pra cima com estações a cada cinco metros e, geralmente, nos horários de pico, tão lotado por metro quadrado quanto.

O elevador, como toda boa aglomeração cheirosa de pessoas, também demanda um mínimo de bons modos que até engravatados educados na França parecem esquecer em casa só para sentarem em suas mesas três minutos mais rápido. (mentira, os franceses não empurram nem em horário de pico – e por pico eu me refiro ao nível estação Sé.)

Na faculdade (a Cásper fica num prédio, portanto, elevadores!), até tinha um motivo para entrar duma vez e sentar o dedo no botão. Vai que o fulano tinha prova? Respeito provas. Não respeito é empurrão com papo de elevador.

Conversinha de hall é aquela coisa: começa com a chuva, emenda com “família vai bem?” e continua dentro do cubículo móvel, mas, né? Papos de elevador nunca devem ser – nem são –  tão importantes assim.

Aí  o pobre mortal encolhido em seu quadradinho de 50 cm² acaba sendo socado por dondocos ou dondocas cujo assunto é way too important para que o olho no olho seja interrompido e assim se verifique que, puxa, há um ser humano aqui atrás!

A solução: fique em silêncio por cinco segundos, olhe para o lado antes de tropeçar no ascensorista, no motoboy, no estudante ou na mocinha do RH cujo salto você acabou de batizar.

Placas de “verifique se o mesmo encontra-se parado neste andar” deveriam ser substituídas para “olhe mesmo antes de entrar”.

Eu já… Comi flores!

qua

Este post é um publieditorial.

É… Se eu já tive ou se eu ainda tenho estômago de avestruz, é uma incógnita! Só sei que quando pequena eu adorava pegar florezinhas e plantinhas exóticas para experimentar. Ou lamber sabão (juro que aconteceu! Só que não tenho foto provando!). Com sorte eu nunca pus nenhuma “frutinha vermelha” na boca, cresci feliz e contente e sempre comi de tudo. Não tenho o menor embasso pra comer e, enfim, já misturei coisas que até Deus duvida. Também já comi uma pizza inteira, mas isso é outra história… hehe

A história de hoje é que tem uma promoção novíssima no site de Doritos! É só você se cadastrar e contar alguma coisa surreal que você já fez. Aquele micão que você já pagou. Aquele negócio inacreditável que só tendo uma foto pra provar. Sabe? Pois é! Então corre lá, se cadastra, conta sua historinha e deixa sua foto!

Além de poder ver todas as histórinhas já publicadas e votar (e rir) nos melhores micos, você corre o “risco” de ganhar um suprimento de Doritos para todos os dias do ano e mais 50 pacotes do salgadinho customizados com a foto do seu mico! Serão 5 premiados e a promoção vai até dia 15 de abril! Então vai lá porque ainda dá tempo e, claro, porque Doritos é muito bom! 8)

.

ps: hum.. Doritos com mostarda, guacamole, maionese e ketchup… Tá, tá. Eu não sou tão estômago de avestruz assim! :D

Pódium de gafes – parte 1

sex
Não sou uma pessoa que paga muitos micos/fala bobagens por aí, mas a maior parte das minhas gafes foram no trabalho – acho que um dos piores ambientes pra falar bobagem. :P

Vamos aos três melhores momentos… (ou não!)

1) Medalha de Ouro

Participei de um piloto aqui na tv com o novo apresentador (que não posso revelar quem é, mas estréia semana que vem no Combo Fala + Joga e já é conhecido! :D). A idéia era que eu fosse a “entrevistada” do programa e ele foi perguntando sobre a minha vida, enquanto jogávamos Wii.

O apresentador sabia que eu era atiz e eu contei que queria fazer musicais. Em seguida, ele me perguntou:

– Você já participou de algum reality show?
– Não e você?
– Eu já.
– Ah é? Qual?!!
– Casa dos Artistas. (Silêncio constrangedor por alguns segundos)

Mas, segundo os presentes do estúdio o ponto alto foi quando ele lançou:

– E você posaria nua?
– Ah! (super simpática) Depende do cachê :D

(bola de feno voa por todo lugar)

2) Medalha de Prata

Quando trabalhei na Capricho, como era de se supor, quase toda a redação era mulher. Quem não era mulher, gostava de homem (quase sempre). Me chamaram pra dar opinião sobre uns modelos para o editorial de moda…

– Fê, o que você acha desse?
– Esse é boniton.
– E esse?
– Aff! Cara de viadinho!

Olho pro lado e o maior exemplar de “gosto de homem” está ali me olhando com cara de padre da Inquisição olhando pra Bruxa de Salém.

(grilos cantam uma ópera praticamente)

3) Medalha de bronze

Na festa de fim de ano da firrrrma, aqui na Play TV, rolou uma entrega de prêmios. Uma espécie de “Framboesa de Ouro” com as categorias: “cala a boca, deixa eu trabalhar”, “gatão de meia idade”, “amigo bêbado” e etc. Eu tinha entrado na empresa há dois meses e era super desconhecida (e também ném sabia o nome das pessoas!). Logo, ganhei por unanimidade de votos o prêmio “vem cá, te conheço?”.

A “hostess” da premiação me chamou a frente e uma horda de homens dos estúdios começou a gritar “uhu”. Cheguei ao microfone:

– E aí fê! Se apresenta aí pra galera.
– Oi gente. Eu sou a Fernanda (timidaçaaa). Cheguei na empresa há dois meses, tô achando muito legal. É isso, obrigada. (saindo)
– Nãoo! Espera aí! Passa seu curriculum pra gente! (risos) Você fala inglês?
– Faaaalo. (com cara de “posso ir agora?”)
– Tá namorando?
– Nããooo, tô solteira! (toda sorridente)

(homens berram enlouquecidos, eu viro um pimentão, o feno voa na minha mente e acho que estou ouvindo grilos ao longe…)

Já votaram em mim pra ganhar o prêmio da Rexona hoje? Não?! Então clica aqui e dá a nota máxima pra titia! :D

PS: ah! Parte 1 porque pretendo voltar a isso num futuro próximo! :)
PS2: o rapaz da Capricho não trabalha mais lá, portanto nem adianta tentar descobrir quem é! hehe