Mixtape do coração partido: músicas para curar o fim de um amor

seg

Ah, o amor! Esse sentimento tão delicioso e precioso quanto devastador. Como lidar quando um relacionamento acaba? Quem mais poderá estar ao seu lado para te confortar em todos os momentos se não uma boa música? Pois é isso: uma seleção de músicas para superar, fase a fase, o coração partido. Em que degrau você está? Traga a caixa de lenços, dê o play e segure firme: isso vai passar.

.

Nível 1: O término

“A Strange Arrangement”, Mayer Hawthorne

A notícia é um baque: o outro lado já não quer mais ou você finalmente toma a decisão de falar o que já vinha remoendo há algum tempo. Uma briga pode ter sido a causadora, uma traição ou só o tédio do dia-a-dia mesmo. Não importa: é a hora dos pratos limpos, de chorar, de conversar, tentar entender e virar as costas para algo que, de tão íntimo, se tornou estranho.

 

Nível 2: A negação

“Big Jet Plane”, Angus and Julia

Você não acredita que isso aconteceu com você. Nega até a morte. Até esquece do ocorrido, afinal você está morrendo de saudades e acredita piamente que a pessoa vai ligar daqui a 5 minutos para irem jantar no restaurante favorito de vocês. Você tem certeza que em algum momento o parceiro vai se tocar que cometeu um erro e voltar. E se foi você quem tomou a decisão, aqui é aquela hora em que você rói todos os dedos possíveis pensando se tomou a decisão certa. Se ele aceita se você pedir de volta. Se isso não era apenas uma crise. Se, se, se…

Continue lendo →

Mallu Magalhães e seu momento “baba baby”

ter

Mallu em foto de divulgação de seu último disco, “Pitanga”

Mallu Magalhães não é Sandy nem Kelly Key, mas cresceu e agora virou mulher. O mais recente clipe da cantora “Velha e Louca” tomou todos os blogs no último final de semana e chega com certo atraso nesse blog aqui, só que não teve como não postar:


.

Não foi nem por causa do corpo esguio, do figurino interessante, da maquiagem sessentinha ou dessa franjinha marota que fez todas correrem para a frente do espelho dar uma olhada pra ver se ficaria bom, foi mesmo por causa da música, já que é muito difícil eu gostar de música brasileira – e quando acontece geralmente é com banda feita pra exportar, cantando em inglês e tal e coisa. Shame on me, mas é verdade.

Dessa vez eu não só gostei, quanto fiz questão de dar o play no making of, onde o jeitinho desengonçado e sexy de Mallu fica mais evidente e Marcelo Camelo fala todo bobo sobre o trabalho da amada:

.

Com sorte, Marcelo, ela continua com você depois dessa repaginada, viu? hehe Agora o jeito é pegar o resto do CD da moça para ouvir. A ver!