Mil Casmurros: a leitura coletiva de Machado de Assis

sex

… Por que tem coisas bacanas e culturais que só a web 2.0 pode fazer por você. A Web 2.0 e a pátria-mãe Globo, é claro.

A minissérie Capitu da Globo, baseada no romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, será exibida do dia 9 ao dia 13 de dezembro e uma das estratégias de publicidade da emissora para sua nova atração foi um projeto de leitura coletiva da obra do mestre Assis.

No site Milcasmurros.com.br a obra foi dividida em mil partes, de forma que mil pessoas gravem seus vídeos com uma webcam ou uma câmera digital lendo um trecho do livro. Sendo assim, ao final do projeto, a Globo terá promovido a maior leitura coletiva de Machado de Assis.

Além de Fernanda Montenegro, Tony Ramos e outros figurões, alguns blogueiros também já gravaram seus vídeos. Bom, eu não sou muito fã deste livro, confesso. Eu prefiro Machado escrevendo contos, fazer o que? Mas, enfim, é um clássico e eu, como atriz (e nerd), jamais resistiria a ficar fora dessa.

Escolhi um trecho que me marcou desde a época em que li o livro, há uns 4 anos (vestibular, né, benhê!):

“Não lhe bastava ser casada entre quatro paredes e algumas árvores; precisava do resto do mundo também. E quando eu me vi embaixo, pisando as ruas com ela, parando, olhando, falando, senti a mesma coisa. Inventava passeios para que me vissem, me confirmassem e me invejassem.”

Acho essa passagem absolutamente linda. Ela mostra a forma de amar do feminino, aquela coisa de “eu te amo e vou gritar para todo mundo ouvir”, e o momento masculino de assumir o amor. Afinal eles sempre demoram mais do que a gente, não?

Bom, chega de blablabla. Quem quiser conferir a minha leitura no site, corra até o trecho #713 ou clique aqui. Mas como eu sou chique, enviei meu trecho para o youtube com trilha sonora, filtro branco e preto e tudo o que tem direito. Então… Assistam! 8)