Descobertas musicais

seg

Vida indo de vento e popa, por isso fiquei sem postar. :D Quando as novidades vierem chegando, eu conto. (L) Enquanto isso, o TOP 5 com tudo de melhor que descobri a-ver-com-música nos últimos dias. Catch your headphones and enjoy ;)

Bleeding Love, por Leona Lewis

A reinvenção da música romântica: excelente voz, mas sem gritaria. Boa letra, nada de refrões repetidos à exaustão. Um bom clipe e uma cantora que provavelmente reconhece que não atuaria bem algo tão dramático e deixa a tarefa para quem é competente no assunto. Senão me engano, ela era do American Idol. You go, girl!

Relax, take it easy, por Mika

Eu já devia ter conhecido esse cara há tempos. Me recomendaram mas eu não dei ouvidos. Ok, agora eu dou o braço a torcer. Ele é MUITO bom. Lembra todos os caras de voz estridente que você já ouviu, só que é melhor e muito mais feliz. E eu tô super numa fase de música feliz, então , me deixa. :D

Comercial da Apple + Nike + Cansei de ser Sexy

Eu baixei o cd delas faz tempo, mas acabei sempre ouvindo as mesmas músicas e nunca dei muita atenção para “Music is my hot hot sex”. E estou me sentindo extremamente culpada: acho que a música é uma das melhores do cd. Quem se animar com a propaganda, vale a pena dar um search no youtube e ver o clipe da música.

Hot, por Avril Lavigne

Ok, não é novidade e muito menos uma descoberta, mas acho que é a música mais madura do cd dela. Me lembra algum roquinho besta dos anos 90, mas não sei exatamente. Ah, gostei da direção de arte do clipe e do corpetinho verde. Detestei a franja loira.

Adultério, por Mr Catra


(desconsiderem o vídeo, ok? )

É funk, a letra é pornográfica, a voz do cara é horrível, a batida é viciante e com certeza você vai dançar essa música bêbado com os seus amigos. Dancei na última balada e foi divertidíssimo. É só ficar de calcinha que tudo certo. Tá, agora falando sério, tinha que ter algum lixo viciante na minha lista. Essa bosta²³²³² vicia tanto quanto o “para pa pa pa para pa pa pa pa ca ti bum” do Tropa de Elite (Rap das Armas).

Se você está achando que esse subproduto da indústria cultural não vai te atingir, espere até chegar o fim da sua festinha de reveillon, a baladinha na praia, e, digo mais, o carnaval. “O bagulho tá sério… Vai rolar um adultério… “