Ney e Post-It – Imagens da Semana

ter

muuuito mais fotos.


Dan Nakagawa apresenta Ney Matogrosso

Dan Nakagawa apresenta Ney Matogrosso - Show no Teatro Oficina

para ver mais fotos, flickr djá!

Terça passada fui convidada para conferir o show do Dan Nakagawa cantando juntinho com ninguém menos que Ney Matogrosso no primeiro Festival de Outono do Teatro Oficina! A apresentação deles foi incrível e eu agradeço horrores o convite do pessoal de lá! Além de eu adorar o teatro (um dia tenho que contar a história deles!), foi uma oportunidade excelente pra ver de pertinho um dos maiores cantores da música brasileira, carregar mamãe junto e ainda conhecer o Dan, que tem uma puta voz e é um verdadeiro poeta – até porque cantar com o Ney não é pra qualquer um, não. Visitem o Myspace dele!


Post-It, a festa do Papelpop

post-It @Vegas

post-It @Vegas

dançando e tomando só uma cervejinha, porque eu tava dirigindo. Juro!

post-It @Vegas

mãos pra cima pra se jogar ao som da Stephany! Veja todas as fotos.

Eu sempre morri de vontade de ir nas festas do Phelipe Cruz, dono do ótimo Papel Pop e meu ex-primeiro-chefe na Capricho. Eis que finalmente deu certo! Sexta à noite peguei o carro (peguei o carro!!!), peguei a Luísa, pegamos a fila do Vegas e nos acabamos com a tchurma ao som de Britney, The Gossip, Blur, Beyoncée e da diva absoluta, Stephany. Sim, Phelipe Cruz botou Stephany e a pista foi ao chão com as mãos para o alto! Comoção geral. Timais. Quem perdeu, perdeu mesmo. Cheguei em casa quase 7 da manhã do sábado, sem pernas, sem cabelo, sem voz, porém feliz. Parabéns pelo sucesso, Phê!

Nylon de maio

Quando vi no SkinsBrasil que a Nylon de maio traria uma matéria com os queridos da segunda geração de Skins, eu já corri para comprar. O melhor mesmo é que a capa traz  a querida da Kat Dennings – sim, do Nick and Norah’s Infinite Playlist que eu indiquei semana passada – e a Olivia Thirlby, a melhor amiga da Juno em, ahn.. Juno.
.

Para quem não sabe, a Nylon é uma revista americana muderrrninha que faz uma mistura delícia de moda com música. É claro que, exatamente por isso, cada edição vai ser sempre irresistível e você vai querer devorá-la aos pouquinhos para que ela dure o mês inteiro… Mas eu não resisti! Corri direto para a matéria “45 Stars of the New Generation” que traz um montão de atores que nós ainda vamos ouvir falar bastante e os lindos de Skins: Lily Loveless, Lisa Blackwell, Jack O’Connell, Kaya Scudelario (linda!), Ollie Barbieri (alta vocação para beleza nerd), e o meu favorito, Luke Pasqualino, que ficou escondidinho na sombra da foto. Queremos 4ª temporada now! 8)
.

ps: sim, por N motivos eu ignorei toda a programação da Virada Cultural. Ano que vem tô lá – ou não.

Sabe aqueeela noite?

qua

o filme que me fez querer casar com Michael Cera, definitivamente.

.

Norah, Nick, playlist.

Sabe aquela noite em que, mesmo enquanto você ainda está nela, já tem certeza de que será inesquecível? Aquela noite que você já sabe que irá lembrar e talvez contar para os seus netos, ou pelo menos rir dela no mês que vem? Uma noite emocionante com um final, assim… Bem, não vou contar!

Essa noite é o tipo da noite mostrada em “Uma noite de amor e música”, tradução sessão-da-tarde-style dada a Nick and Norah’s Infinite Playlist, filme inspirado no livro homônimo de David Levithan, trazendo Michael Cera, o nerd apaixonante de Juno, como Nick, e Kat Dennings, de “O Virgem de 40 anos”, no papel de Norah – é claro.

Extremamente cool, “Nick and Norah’s” tem um humor leve, despretencioso e uma trilha sonora que você vai ter vontade de baixar antes mesmo dos 20 minutos de filme. Além de ter me apresentado a Vampire Weekend, a soundtrack do filme vai do indie à românticas voz e violão, enquanto acompanhamos o herói Nick, um quase loser, porém nice, que vive fazendo mixtapes para sua namorada odiosa que joga tudo no lixo.


a-ex-super-bitch.

Quem acaba ouvindo as tais gravações é sua colega de escola, Norah, que se apaixona pelo cara sem jamais tê-lo visto mais gordo. Para deixar a história do jeito que a gente gosta, Nick tem um excelente gosto musical, é um xuxu de fofo, é chifrado até e ainda tem uma banda. Para se apaixonar de vez, é claro que a namorada é uma patricinha-bitch-sem-coração, que chuta o moço e o deixa prontinho para Norah atacar quando finalmente conhecê-lo. É claro que você vai torcer por eles! E torcer para o Nick se vingar da ex-nojo!

Junte a tudo isso os (ótimos!) integrantes gays da banda de Nick, os “Jerk Offs”, e a amiga bêbada da mocinha, que vai aprontar a noite inteira, se perder por Manhattan e mascar um chiclete dos jeitos mais nojentos possíveis. Para fechar, todo mundo ouve boa música e é fã da banda mais cool do momento, “Where’s Fluffy?”, que só faz secret shows e provoca uma verdadeira comoção nos fãs, fazendo-os se locomoverem pela Big Apple a madrugada inteira atrás da próxima apresentação!


os Jerk Offs em ação!

Eu não tive essa adolescência de ir em showzinhos e tudo mais, mas quem teve vai vibrar loucamente lembrando os “velhos tempos” (nem tão velhos assim!) e rever “altas confusões” que todo mundo passa, já passou por ou fofocou sobre. Só como estímulo final: o filme me deixou tão, tão curiosa que eu passei quase dois meses aguardando para ver os 20 minutos finais! Adivinha só? Eu comecei a assistí-lo no avião, voltando da Europa em janeiro, e é óbvio que não deu tempo de terminar. Daí até a espertinha aqui, que não usa torrent, encontrar o link pra baixar, o tempo foi passando e eu louca pra saber se o final era feliz… 8)

Nick and Norah’s Infinite Playlist é absolutamente adorável, leve e provavelmente o retrato de uma geração recheado de “awns”. Infelizmente, aqui no Brasil, além de terem cagado o título, lançaram o longa direto em DVD no começo do mês. Portanto, aluguem, baixem e assistam comendo pipoca. É delicioso!


ps: como eu realmente quero que vocês vejam, um link para download do filme aqui, e o link para download da trilha sonora aqui. Só para constar: não sou responsável pelo upload destes arquivos, apenas encontrei ambos por aí.
.