As músicas de Natal de 2011

qui

all i want for christmas is… good music

Quando a dupla She & Him lançou um álbum natalino em outubro, eu não só achei que eles estavam adiantados quanto subestimei os ouvidos do público. Pensei: “quem quer ouvir CD de Natal?”, mas aí me vi completamente equivocada quando vários outros artistas lançaram singles e álbuns para narrar a noite feliz cheia de neve.

Como hoje começa o mês do Papai Noel, os shoppings já estão decorados e jájá funcionando até meia-noite, chegou a hora da trilha sonora natalina. Deve ser coisa que americano gosta e a gente não faz muita ideia disso por aqui, mas, se for assim, melhor que sejam artistas legais cantando!

Do She & Him, recomendo “It’s Cold Outside”. Dá o play nessa fofura:


.

Depois deles, Lady Gaga lançou seu CD natalino, o “Very Gaga Christmas”. Apesar do EP ter apenas 4 músicas (e duas serem versões de suas músicas “profanas”, “You And I” e “”The Edge of Glory”), a versão da cantora para “White Christmas” também vale ser ouvida:


.

Agora esta semana a banda The Killers lançou o single “The Cowboy’s Christmas Ball”, que eu achei meio caça-níquel, mas bonitinho:


.

E se você estiver no clima, mas só se você estiver no clima MESMO, aproveita para dar o play no clipe natalino de Justin Bieber e Mariah Carey.

A dupla regravou a canção natalina superpop “All I Want For Christmas Is You” – e depois desse vídeo recheadinho de merchants, só consigo sentir saudade de Lindsay Lohan em “Meninas Malvadas”:

.

Enquanto Justin não volta, temos Brett Domino.

seg

É, versões são bem vindas:


.

Brett Domino, esse carinha de óculos cantando e tocando, tem 26 anos, mora em Leeds, na Inglaterra, e mostra que é um músico (e um editor de vídeos!) de mão cheia, pois mantem um canal super atualizado no Youtube, cheio de versões de músicas, todas devidamente realizadas de uma forma inusitada.

Adorei este medley homenageando o querido J. Timberlake, e quem animar aproveita e dá play neste outro medley pop gigante, com Jay Z., Justin Bieber,  30H!3, Katy Perry e Kei$ha, tudo com um toque nerd muito interessante:


.

Já me inscrevi no canal do cara. Muito bom! 8)

E o girl power? Será que eu sou louca?

sex

Justin Bieber.

Vamos pensar nessas manias teen. Justin Bieber, Restart, Cine, Luan Santana, Fiuk, colíros da Capricho e sabe-se lá quem vem na próxima semana. Na minha época tinha Backstreet Boys, ‘N Sync e 5ive e a  gente estava contente. Também teve o Twister, que no fim foi uma leve brisa, mas nem coceguinha fez. Bom, nunca fui maníaca por nenhum, então não conseguia gritar ou soltar a franga quando um mero clipe passava na televisão.

Tive amigas dessas que choravam pra comemorar o Nick loirinho no primeiro lugar do Disk e eu achava uma grande babaquice já naquela época. Quer dizer, por que raios dar bola pro Nick se o importante mesmo era saber se Spice Girls iam terminar mesmo? Poxa, isso sim ia mudar o mundo! Seria o fim do girl power – e, pelo visto, foi o fim do girl power.

Outras bandas adolescentes lideraradas por meninas surgiram, Lady Gaga vem provando toda sua força, mas nada que atinja de fato a mente de pequenas pimpolhas saindo das fraldas e entrando nos absorventes.

a família Restart que não desiste nunca encontra seus ídolos

Conheci os meninos do Restart e o Luan Santana por conta do trabalho e juro que não entendo. Restart tem a questão da música não ser aquelas coisas, mas vou te dizer que ao menos eles são muito, muito simpáticos. São honestos, estão ali tentando pra valer. Já Luan Santana, não. Para bem atendê-lo, creio que seria preciso de duas salas grandes, uma para ele, outra para seu ego, já que com apenas dois anos de carreira ele se refere a si mesmo em terceira pessoa.

E o Justin Bieber, então? O bebezinho é fofo, mas tenho um pouco de dó das garotas vendo tanto potencial sexual no astro que canta “Baby, baby” num clipe em que se esforça para protagonizar cenas de sedução com uma garotinha – sem sucesso. Aliás, com tão pouca idade, será que o Justinzinho estava afim de toda essa atenção voltada para sua masculinidade? E, enfim, será que ele também estava afim de ser questionado sobre ela em entrevistas com a mamãe do lado?

Esse certamente não é o caso dos meninos-colírios. Federico Devito, Dudu Surita e Caíque Nogueira viraram sensação sem prometerem ser talentosos, sem vender a imagem de artistas – e se agora eles se tornarem, pouco importa. Tornou-se uma demanda do público que os levou ao topo.

Vejo tudo isso e ainda estou para entender qual é a desse público, dessas meninas que se dedicam a votar nesses clipes, que choram quando a banda aparece na televisão, que vibram com cada twitada do seu ídolo, que adotam o sobrenome do líder da banda como se fosse seu. Quer dizer, hoje dá pra ver tudo no Youtube eternamente, será que elas se emocionam a cada vez que dão o play? Será que elas reúnem as amigas em frente ao computador para cantarem juntas de olhos marejados? …

Por que, hein? Me respondam. Quanto ao Fiuk, até entendo um pouquinho o porquê do hype. Este sim faz mais o tipo homem de verdade, sedutor, músico, o cara mais bonito da banda da escola, carinha de cafajeste e etc., tudo isso embalado com um papel de presente que já embrulhou muitas gerações, a “Malhação”.

Só que ainda prefiro o girl power. Sou muito mais a identificação positiva, de mulher para mulher Marisa, do que essa paixão platônica que serve unicamente para as meninas criarem príncipes encantados mentais que não estão por aí na banda da escola. E, bom, o Fiuk nem é tudo isso, vai? Ou é? … Sou louca?