Feriado, open bar de Magnum, TCC, DJ Hero e presentinho! – Imagens da Semana

qui

A-ha! Dizia a lenda que o “Imagens…” seria todas as segundas. Com o tempo, a lenda mudou para a terça-feira, afinal, nem sempre as fotos do fim de semana já estão à disposição na segunda, não é mesmo?

Só que de repente percebeu-se que o mais legal era postar na quarta-feira, aí já quebrava essa coisa de mostrar só o final de semana e dava para incluir coisas super recentes que ficariam só para a outra semana… Mas, com a correria, acidentes acontecem e estou eu aqui,  em plena quinta, com muita coisa pra mostrar!

FERIADO

feriado @Toque Toque

eu e o Rafa. Sim, ele vai aparecer muito por aqui também! <3

Eu não sou a maior fã de praia e muito menos louca para “retocar o bronzeado” ou tirar a brancura, simplesmente porque sou morena de sangue e as tais “marquinhas” tão aí o ano inteiro. Ui!  Mas, digamos que com toda essa correria, eu simplesmente desejei areia quente nos pés como se não houvesse amanhã.

No feriado, nós dois e uma tchurmona fomos para Toque-toque  na casa de um dos amigos do Rafa e nos jogamos loucamente sob o sol de 50ºC. Mentira. Mas que parecia 50, parecia – e mais fotos no flickr, com direito a pôr do sol cinematográfico.

MAGNUM

party - Magnum On Stage

open bar de champagne e Magnum? Tô dentro!

Em plena terça tive a oportunidade de ir a uma festa onde eu poderia desfrutar de champagne à la vontê e entupir-me de Magnum acompanhada de meu digníssimo boyfriend e na presença de celebridades, além de um show exclusivo de dona Preta Gil, simpaticíssima.  Só digo uma coisa: su-ces-so. Magnum de avelã é vida no palito! E tem mais foto…

DJ HERO


“Boom Boom Pow”, do Black Eyed Peas, mixado com “Satisfaction”, do Benny Benassi

Vocês já devem ter ouvido ou lido  sobre o novo game “DJ Hero”, que é basicamente o “Guitar Hero” no formato “pick-up”. Além de mixar as músicas, você tem que ter dedos rápidos para mandar bem no jogo, como já era de se imaginar! E, claro, eu vi tudo isso aí sendo testado aqui no estúdio da TV UOL (eu trabalho no UOL, para quem não sabe!).

Meu nerd interior gritou ao ver o jogo sendo instalado e eu fui lá correndo tirar fotos. Infelizmente não deu para jogar porque eu tinha mil e um afazeres, mas observei a galera jogando e parece bem divertido, até porque dá pra misturar guitarra com pick up! Legal, né? Dá uma olhada nos vídeos de análise do game aqui!

Continue lendo →

Eles não ligam pra nós: “This Is It”, eu assisti.

qui

Tudo começou quando recebi em casa um convite lindo para a pré-estreia mundial de “This Is It”. Realmente me senti honrada e, claro, nem pensei duas vezes: terça à noite eu estava lá!

As primeiras exibições do documentário que prometia mostrar um pouco do que seria próxima turnê de Michael Jackson foram no Kinoplex Itaim, que recebeu decoração com o rei do pop por todo lugar e amplificadores bombando os sucessos que estariam nos 50 shows do cantor, como “Thriller”, “Man In the Mirror”, “Beat It”, “Billy Jean”, “The Way You Make Me Feel”, “They Don’t Care About Us” e, enfim, canções que com certeza você já ouviu.

Ao entrar na sala, devorei minha pipoca rapidamente porque queria apreciar o “show” sem distrações. Depois de longos vinte minutos de espera, o filme começa com um aviso silencioso para dizer do que se trata o documentário: “estes são registros dos ensaios da turnê de Michael que foram feitos para acervo pessoal do próprio artista”.

O aviso me soou um pedido de desculpas por algumas falhas técnicas pouco perdoáveis num documentário tradicional, como uma câmera vazando na outra, divergências de qualidade de imagem e até de tamanho do quadro, já que algumas câmeras rodaram em 16:9 (formato widescreen, no qual os filmes são rodados) e outras em 4:3 (formato retangular, é a proporção da televisão com a qual você está acostumado).

Mas quer saber? Isso não fez diferença alguma. Quando o filme começa, você não liga se o som ou o vídeo está assim ou assado. “This Is It” é um registro de Michael que enche de orgulho não só os fãs, mas também serve como referência para qualquer um que queira ser artista, seja músico, cantor ou bailarino.

Logo no início, ouvimos a voz de Kenny Ortega conversando com Michael. Sim, super ok o diretor do show conversar com o artista, mas, para quem não sabe, Ortega é ninguém menos que o coreógrafo e diretor por trás de “High School Musical”. E, olha, não há nada mais MJ do que querer inovar e convidar o responsável por um dos maiores sucessos da Disney para dirigir suas apresentações.

Kenny Ortega no canto esquedo,  Michael Jackson e bailarinos

O documentário começa focado na seleção dos 11 bailarinos, nove homens e duas mulheres, que dividiriam o palco com Jackson, e sobre a emoção de estar ao lado daquele homem. Mais adiante, os músicos falam sobre como é trabalhar com o “Rei” e o diretor musical do espetáculo revela que é difícil conhecer ídolos pop como ele: “ele conhece todas as suas músicas, sabe todos os tons. É fácil trabalhar com ele”.

Em outro momento, Michael insiste que quer ouvir um pouquinho mais de dururunds no baixo e eles ficam ali, se acertando por alguns minutos. Quer dizer,  quantas vezes você imaginou o perfeccionismo de Michael? Agora tá aí, na telona – fora sua obsessão por pausas dramáticas, que estariam presentes em muitas das músicas.

Ao longo do filme, conhecemos o que seriam as coreografias, as versões das músicas e assistimos todos os clipes de introdução que estavam sendo preparados por Kenny e Michael – sim, cada música ganhou uma introdução em vídeo.

Antes de “They Don’t Care About Us”, que me arrepiou de uma forma surreal, entrava um clipe com os dançarinos de Michael multiplicados aos milhares, todos vestidos de robôs e fazendo aquela “batucada” nos metais do figurino. Já para a abertura em vídeo de “Smooth Criminal”, trechos do filme “Gilda” com Rita Rayworth foram utilizados. Michael interpreta o rapaz que rouba a luva da personagem-título e foge pela cidade, enquanto a edição dá conta de misturar com perfeição as cenas originais do clássico com as filmadas para o show.

Enquanto isso, em “Thriller” o cemitério e a coreografia lindona persistiriam, mas o vídeo de abertura seria em 3D, com efeitos especiais primorosos. Durante a performance no palco, a platéia também sentiria um certo “ventinho” em suas cabeças, porque estariam pairando ali alguns fantasmas gigantes, como se saídos do telão. E não adianta explicar: tem que ver o filme para entender – sério.

Continue lendo →

Joan Jett: Modos de Usar

sáb

Referências: Joan Jett no cinema, com Kristen Stewart, e na vida real, com Taylor Momsen.

.
Joan Jett
é uma rocker cinqüentona que fez um super sucesso principalmente na década de 1980. Para quem não conhece, é dona a voz por trás do hit I Love Rock ‘N Roll, regravado por Britney Spears, e lançado originalmente pela banda Joan Jett & The Blackhearts em 1981.

Além de ter 15 álbuns na bagagem, Jett fez hits dramáticos que marcaram época. Os riffs pesados de singles como Bad Reputation, I Hate Myself for Loving You, Do You Wanna Touch me e Crimson and Clover lhe renderam a posição de 87ª melhor guitarrista de todos os tempos, segundo ranking da Rolling Stone americana. .
.

Joan Jett nos 80’s

Em cima do palco e no tempo livre, a moça ainda sustentava (e sustenta!) um estilo super pessoal e defendia causas feministas. Sim, ela é uma das mulheres mais importantes da história do rock e sua história vai virar filme.

Kristen Stewart como Joan Jett:

Kristen Stewart no set de “The Runaways”

The Runaways, nome da primeira banda de Jett, é o título do longa-metragem que será protagonizado por Kristen Stewart. Sim, a garota-Crepúsculo viverá esse mulherão, e aí a referência é óbvia. Mas não é que ela ficou perfeita?


E Taylor Momsen como Joan Jett “na vida”:

.

já vi esse cabelo. Já vi essa jaqueta. Já vi esse “olho”.

No fundo, no fundo, a nossa rebelde de Gossip Girl está tentando ser super original,  mas a verdade é que Joan Jett já saía assim de casa há 20 anos e praticamente inventou a tal da legging de couro. Tudo bem, tudo se reinventa. Só o que me choca é tanta “referência” na presença de palco durante essa apresentação com a sua banda, The Pretty Reckless, que está em turnê pelos EUA:
.


.
Mandou bem no vocal, mas a fonte de toda essa inspiração ainda é bem melhor.
8)

ps: se você duvida, vá ver Joan Jett e me conta, tá?