Kendall Jenner week: os melhores momentos da Kardashian na passarela

ter

Nesta temporada Primavera/Verão 2015, moda começou com a letra K, e não foi de Karl: foi de Kendall. Mais precisamente Kendall Jenner, a primeira integrante do clã Kardashian a entrar com os dois pés direitos no mundo da moda e sem preconceitos – se é que isso é possível. Acompanhada dos batons nude da irmã Kylie e da sensualidade da mais velha Kim, a mocinha fincou seus pés de vez no mercado e deu pinta nos principais desfiles da temporada gringa, além de liderar a fila de Dolce & Gabbana.

Tanto sucesso levantou até boatos de que ela estaria sendo vítima de bullying nos camarins: modelos estariam deixando a mocinha de sobrenome famoso fora das rodinhas e com muita cinza de cigarro em sua coca zero. Como boa mamãe & agente, Kris Jenner lançou um belo deixa disso na imprensa e mandou dizer que a filhota estava super bem com a galera, obrigada.

Agora com tanta confiança no olhar de Kendall, realmente fica difícil acreditar que algo estava errado mesmo. Pegue a pipoka e reveja os 12 melhores momentos da moça nas passarelas!

Conduzindo o exército de Dolce & Gabbana

Continue lendo →

As Barbies da Moschino

sex

pink is the new black!

A Barbie cowgirl, a empresária, a de praia, a patinadora, a de festa, a do baile e a do iate se encontraram todas na passarela do último desfile da Moschino, com coleção assinada por Jeremy Scott. Depois de homenagear McDonald’s e Bob Esponja, o estilista levou o povo em Milão ao delírio com mais um ícone da cultura americana. Quem abriu o desfile foi uma versão em carne e osso de uma das personagens mais icônicas do ocidente, com direito a conjunto de couro pink e mules (!).

Foram mais de 50 looks desfilados e, apesar do universo pink parecer lindo, na prática são os acessórios (sempre eles!) com cara de plástico que devem ganhar mais o gosto da mulherada. Boné, faixa, cinto, capinha de celular, bolsa e mala devem aparecer na vida real, basta aguardar as tags no instagram. No caso dos sapatos, as botinhas tem um jeitão de cosplay que só Anna Dello Russo seria capaz de levar; já os mules vem ensaiando uma volta que até Deus duvida, mas depois de pagar a língua com a birkenstock (to amando nos dias quentes, me deixa!), fico quieta: tudo sempre pode acontecer.

Mas a Barbie não é apenas casual, não. Ela é poderosa, chique, dourada. Até uma versão com um quê de Barbarella ganhou! E vem cá, não dá para imaginar umas três cantoras brigando por esses vestidos? Katy Perry pega o tomara que caia, Nicki Minaj o rosa bebê e o laço gigante fica para o cabelão assinado de Ariana Grande, que tal? ;)

.

pesos de ginástica da Barbie? Só malho assim.

 

– olá, quer conhecer meu home spa?

 

Charlotte Free de BARBIE PATINADORA (!!!!)

.E quem pensa que parou por aí, nananão: dona Barbie está expandindo seus domínios para as redes sociais e tem looks diários no perfil @BarbieStyle. Ela faz selfie igual eu e você. Será o perfil mais seguido do mundo, sim ou sim? rs

.

A moda praia “indie” da Wildfox

sáb

Não nego: nunca me dei bem com absolutamente nada na moda praia. Nunca tive o ~corpinho dos sonhos~, nunca senti aquela diferença usando um biquíni cortininha, uma tanga maior ou menor, e muito menos vi vantagem em pagar caro em busca de uma modelagem melhor ou tecido mais “tecnológico”. Para mim, aquela velha pauta de “encontre o biquíni perfeito para o seu tipo de corpo” é uma grande balela se você não estiver com tudo em dia pra valer. Duas pecinhas de pano não fazem milagre!

Como São Paulo é um oásis de concreto e duas peças de pano não fazem milagre, acaba que meu interesse por praia & biquínis fica quase nulo, especialmente quando quase todas as coleções são feitas para garotas que definitivamente não tem nada a ver comigo – e aqui falamos de personalidade, mesmo. Mas, ah!, a moda, essa danada!

legenda

A Wildfox, aquela grife das camisetas super rebeldes e lindas, desfilou sua coleção de moda praia na Merdeces Benz Fashion Week em Miami e foi impossível não me apaixonar. O desfile contou com alguns corpos mais possíveis e deu mesmo para se ver vestindo muita coisa da coleção. As saídas de praia são incríveis e os maiôs tem uma pegada “cool” maravilhosa, nada daquele 8 ou 80 mala que diz “sou uma vovó” ou “sou uma femme fatale misteriosa”.

Resumindo? Moda praia divertida, descontraída e sem carão. Dá o play no desfile:

.

A coleção tem inspiração no universo de uma Bond Girl moderna e os cabelinhos coloridos dão um visual descolado e levemente seapunk às sereias da passarela. Aliás, poucas vezes vi um desfile tão animado e performático. A fila final foi quase uma festa! rs

Meus favoritos do desfile:

e esses looks boneca-bond-spice-girl da Califórnia? <3
.

.

A Wildfox vende online em sua loja própria e também no Asos, sendo que cada maiô custa em média US$150 (OUCH!). É caro, mas se você estiver viajando e lembrar de que quem converte não se diverte, dá para comprar sem peso na consciência, afinal é difícil lembrar de cabeça se alguém faz moda praia do gênero por aqui…

.

ps: se alguém souber alguma marca brasileira com uma proposta semelhante, aproveita o bonde e faz favor de compartilhar aqui!

O novo “nude” da Chanel

qui

o esmalte nude: agora sim, do jeito que você veio ao mundo

Parece mentira, mas ao invés de levar para a passarela uma cor que muita mulher sairia correndo pra descobrir qual é, a Chanel resolveu decretar o fim da moda do esmalte. Ou pelo menos é isso que parece.

No desfile da coleção balneário para 2012 realizado nesta segunda-feira, as modelos atravessaram a passarela usando única e simplesmente suas unhas como vieram ao mundo.

Eu, que não tenho coordenação motora suficiente pra fazer as unhas em casa – e não tenho unhas boas o suficiente pra segurar o trabalho da manicure por uma semana -, confesso que achei ótimo. Aposto que muitas outras mortais vão agradecer o tempo poupado e o dinheiro não gasto, além de poderem justificar o suposto “desleixo” como sendo última tendência. :B

Será que Lagerfeld quis acabar com a mania que lançou ainda no auge? Será o fim da mania do esmalte? Vamos aguardar os próximos capítulos!

.

A Cobertura da Semana Polêmica

ter

@ SPFW Verão 2011

quem pode ver?

Todo São Paulo Fashion Week levanta uma polêmica. Parece que cada edição traz uma lista de motivos diferentes para amar ou odiar o evento. No inverno, as modelos estão magérrimas; no verão, são celebridades de menos para repórteres sedentos demais; em ambas as estações, é o público cada vez maior e cada vez menos democrático, já que não basta entrar na Bienal se nem um convitinho para lounge você tiver na manga.

Dizem os fashionistas que para sentir o evento e respirar moda, basta circular pelos corredores por ali. As modelos, os famosos, os estilosos, os hipsters, as patricinhas e até quem teve de revirar o armário para encontrar algo digno estão ali, formando uma confusão de mensagens que só é decodificada pelos especializados – ou pelos olhinhos apurados da mídia independente que tem roubado o público cativo de muito diplomado.

Talvez esta seja a questão desta edição de inverno: a cobertura. Quem pode olhar? Quem pode falar alguma coisa? E, aliás, quem é mais relevante? A moda em si ficou um pouquinho para depois, com tantas celebridades gringas dando pinta em meio à desorganização das assessorias das grifes.

Li não um, não dois, mas vários textos de pessoas se sentindo de alguma forma atingidas com variedade de veículos que hoje têm acesso ao evento. Já estive lá apenas de bonita, indo ver desfile e voltando para casa, mas estive lá mais ainda para trabalhar. Conheci o evento para valer cobrindo para dois veículos diferentes (e grandes), e senti na pele a desorganização das assessorias, problema que ganha proporção ainda maior se observarmos que o número de credenciados aumenta a cada estação.

Quase todo backstage funciona na base do berro: entra quem fala mais alto, não necessariamente quem “pode” mais. Em alguns honestos casos existe uma fila, mas quem é amigo do “promoter” é fila A em qualquer ocasião, dentro ou fora da sala de desfile. E, o pior, se foi fácil entrar, é bem provável que exista um outro camarim mais disputado e importante para você estar ao mesmo tempo.

Dado este cenário caótico, vi alfinetadas indo de lá pra cá entre blogs de moda e veículos grandes; gente que tem o olho bem treinado pelas revistas que leu versus quem estudou o assunto para poder escrever “seriamente” para estas pessoas. A discussão é ampla, mas se há alguns anos a internet mal tinha voz no evento, hoje são veículos grandes, impressos e online que estão reclamando de blogueiros credenciados como imprensa.

O buraco é tão profundo que estão colocando até extremos no mesmo saco.  É bonito falar de democracia das fontes de informação, mas quem faz desfile de credencial na semana de moda deveria ser colocado em uma posição justa quando comparado à uma pessoa séria, que abriu um site para divulgar seu trabalho, ou mesmo diante de quem tira o sustento do próprio blog, assim como o editor experiente que vive da revista para qual trabalha.

Quando veículos grandes e tradicionais se predispõem a intrigas com gente independente, fica claro que quem erra na hierarquização das diferentes “imprensas” não é a organização do evento, que está absolutamente correta em sua abertura de horizontes; mas sim as assessorias das grifes.

Os assessores tem a obrigação de conhecer  o mínimo dos veículos credenciados para poder escolher quem é interessante para seu cliente e produz conteúdo relevante; só assim é possível elencar razoavelmente a relevância de cada um numa porta de backstage, por exemplo.

Se a confusão atrás das portas já é tradicional, na sala de desfile a crise também se instalou: imprensa agora só com convite, ao contrário das últimas edições, em que qualquer credenciado podia ver o desfile até de pé se quisesse. E essa nova regra, meus caros, é também absolutamente democrática: vai do blog até a revista que não recebeu convites suficientes para sua equipe.

Quer dizer, o São Paulo Fashion Week é cada vez mais para todos respirarem a moda dos corredores, e cada vez menos para todos olharem de perto.

* foto tirada por mim durante o desfile da Ellus na temporada de julho de 2010

.

ps: desta vez não estou por lá, e até por isso quis escrever a respeito diante do que andei lendo. O que espero, de verdade, é que em julho a organização fique esperta e que todos voltem a falar de moda. Aí sim estarei ansiosa para ler.

SPFW – Fatos dos dias 4 e 5 (compras, Gisele, etc!)

seg

Rápido e rasteiro, porque tirando Gisele ontem, estava tudo bem tranqüilo. Aproveitei para finalmente olhar a lojinha Pop-Up montada próximo ao lounge da Oi e trombei com Evandro Soldatti, o modelo que virou “Alejandro” da Lady Gaga.

.

Sábado, o quarto dia

@ SPFW - Verão 2011

No rolê pela lojinha, encontrei várias coisas lindas e fofas, de enlouquecer qualquer amante de papelaria (veja no flickr!). Mas meus favoritos mesmo foram as escovas de dentes hipster da Curaprox, vindas diretamente da Suíça. Tenho uma verde água com cerdas pink e foi bem emocionante encontrar toda a *paleta de cores* assim, na minha frente e enquadrada. Fora que a escova é  muito boa, tá? Mamãe é dentista e recomenda. Para quem não vai à Bienal, dá pra encontrar na rede de farmácias Iguatemi, no Shopping Iguatemi ou no Market Place.

Alejandro, aka Evandro Soldatti, estava na primeira fila do desfile da Animale e sua booker fofa não deixou o rapaz dar entrevista. Li na Folha um papo com ele, e o rapaz disse que “não dá para destacar um trabalho mais importante”. Tá bom, querido. Todo mundo lá queria falar contigo e tu sabe bem porque. Volta pra Nova York!

.

Domingo, quinto dia

Alexandre Schneider/UOL

Giselão apareceu, causou, o mundo inteiro se estapeou por ela, e nem um fiozinho de loirice eu vi passar. No desfile, também não deu pra ver, já que a Colcci prendeu o cabelo da mulher. Agora, cá pra nós, todo mundo já sabe que Gisele é diferente porque é, certo? Então minha opinião leiga é que a rainha da passarela devia sim estar de cabelo soltão e diferentão. Prontofalei. E ah, sabem um tal Gianecchini? Também desfilou. Ofuscado, mas desfilou.

Fora isso, na segunda entrada da mulher, uma modelo xis quase esbarrou com ela. Quem viu ao vivo, percebeu. Pena que não dá pra no vídeo:

(não consegue ver o vídeo? Clica aqui)

Mudando de assunto, para quem gostou de ver meu look “balada”, dá pra ver um dos meus looks “pra trabalho” no It Girls e um pouco sobre “o que pretendo fazer depois da semana de moda”. A Juliana, colaboradora do It, me entrevistou. Achei legal aparecer por lá e confesso que achei mesmo bem engraçado – e que tô bizarra  na segunda foto.  Em todo caso, estão lá as phynas e… eu! hehe No mínimo inusitado.

.

E é isso, pessoal. Acaba aqui o plantão SPFW, pois depois de camelar bastante, terminei as matérias com antecedência e estarei bem longe da BEE-nal hoje: em casa, quentinha, fazendo nada. Descanso merecido.

Até janeiro, fashionistas.