Páscoa com cerveja e chocolate: Imagens da Semana

qui

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

os redondinhos polêêêmicos!

Polêmica, Brasil, polêmica: chocolate com cerveja! Sim, sim senhor. Recebi um engradado com seis ovinhos de Páscoa com Skol que causaram furor quando postei a foto no Instagram. Os comentários iam desde “É bom?” até “Eca, é sério?” e “Ai que inveja, onde compra?”. Por isso mesmo, achei que valia mostrar aqui.

Os “redondinhos” são uma criação especial da Skol para a Páscoa e vários fãs da marca estão recebendo caixinhas como essa. Os ovos são feitos de chocolate ao leite da chocolateria Folie e a cerveja aparece no recheio, com um trufado de chocolate branco com um gostinho alcoólico bem leve no final. Eu achei os chocolates uma delícia (nhamm!) e, enfim, para dar uma ideia, se eu não soubesse que tinha cerveja, ia chutar que a receita levava licor, parece bastante.

Para quem ficou interessado, a partir do dia 27/3 todo mundo vai poder comprar os kits de “redondinhos” no Facebook da Skol. A brincadeira vai custar caro, R$70 por cada kit, mas a marca também promete lançar promoções para distribuir os chocolates.

provando que tem breja aí dentro!

É super raro um “mimo” aparecer assim por aqui, mas se tem uma marca parceira deste blog há um bom, bom tempo, esta marca é a Skol. Já curti diversas experiências a convite da marca e a parceria rendeu conteúdos diferentes, como os vídeos do festival Skol Sensation, a cobertura do Skol Praia e até mesmo um super jantar para degustar a Skol 360.

Já rolou bastante coisa bacana nos últimos tempos e a galera estava doida para saber mais, especialmente depois da polêmica e da curiosidade que gerou no povo que viu a foto do engradado de chocolate no Instagram! Bom, espero ter respondido as dúvidas. Qualquer coisa mandem aí que a gente vê o que pode faz fazer para todo mundo conseguir  provar o chocolate com cerveja! Desde que eu não tenha que dividir os meus ovinhos, tá tudo certo! hauahuah ;D

A fantástica máquina de cupcakes 24h em Beverly Hills

qui

olha o cupcake saindo no capricho!

Grávidas costumam ter aqueles desejos malucos de comer guloseimas bem no meio da noite e a maioria acaba passando vontade com tudo fechado na alta madrugada!  É claro que todo esse desejo não é privilégio exclusivo das grávidas, mas foi durante a gravidez que uma dona de loja resolveu dar um jeitinho para todo mundo poder comer cupcake 24h por dia!

Depois de passar um aperto de vontade quando estava prestes a ter seu segundo filho, a dona da confeitaria Sprinkles de Beverly Hills decidiu acabar com a falta de bolinhos no meio da madrugada e inventou uma vending machine para que ninguém passasse vontade – nem mesmo ela, dona da loja!

.

A máquina de cupcakes é abastecida o dia todo e recebe sua última fornada pouco antes que a confeitaria feche. O preço é um pouquinho mais caro que o normal e é claro que o bolinho não vai estar hiper fresco o tempo todo, mas ainda assim é melhor que passar vontade, né?

A maquininha de cupcake 24h fica “esmagadinha” entre a confeitaria e a sorveteria Sprinkles, na South Santa Monica Blvd., endereço fácil de ser encontrado pelos turistas de passagem. Se alguém comer cupcake da máquina, me conta por favor! hahaha ;)

Guia de Viagem: as roubadas fazem parte das férias

qua

Supercombo de histórias de viagens, junto com dicas para evitar ter dor de cabeça nas férias! Post gigante, para guardar e mandar para aquele seu amigo de primeira viagem: tem dica sobre como escolher restaurantes, que remédios levar, como contratar seguro de saúde para viajar e o que fazer em caso de roubo. Tem uma dúvida? Deixa aí nos comentários que eu tento ajudar! Mais dicas de viagem você encontra nesta tag!

Todas as imagens deste post são minhas, tiradas em viagens. Algumas estão no flickr; outras estão a caminho!

.

admita: você já pagou um mico de viagem! 

É impressionante como ser turista profissional se tornou um objetivo a ser conquistado por todos. Todo mundo faz viagem perfeita, volta com mil dicas in-dis-pen-sá-veis para dar para os amigos e acha que tem o melhor roteiro de compras depois de ter ido uma única vez para Miami. Já repararam?

Estou exagerando, mas já notou como ninguém conta que perdeu avião, foi enganado pelo taxista ou chegou naquele restaurante hiper cool quando já estava fechado? Pois saibam que estes erros te ajudam sim a se tornar um turista mais esperto com o tempo – e obviamente fazem parte de qualquer viagem, não há nenhum pecado nisso.

Como o Carnaval vem aí e muita gente aproveita o feriado pra viajar, resolvi fazer este post para contar algumas das piores roubadas que já aconteceram comigo e o que aprendi com o erro, para tentar evitar que vocês passem por isso também.

No meu Guia de Viagem sobre Buenos Aires contei que fui roubada no metrô, mas tenho muuuito mais que isso para contar pra vocês… hehe Respirem fundo, riam de mim e vejam se conseguem aprender um pouquinho com o meu top 5 de gafes em viagens:

1 – Sempre vai ter alguém que fala português

aquele carinha ali no canto pode ser brasileiro, nunca se esqueça!

Nunca me esqueço do dia em que encontramos um cara que falava português no meio de uma estação de trem vazia de Paris. Estávamos Larissa, Eddie e eu tentando passar pelas catracas com um bilhete problemático e todos os guichês estavam fechados para que pudéssemos comprar bilhetes novos. Ou melhor, eles precisavam comprar bilhetes novos, porque eu já estava lá do outro lado.

Rindo da nossa desgraça e pensando que teríamos que jogar alguns euros e um passeio no lixo, me surge um cidadão ao longe. O rapaz era um anão de terno, muito bem alinhado, só que a cena foi tão inusitada que começamos a rir feito loucos. E falar português, obviamente. Agora você aí, leitor, adivinhe quem nos ajudou a resolver o caso? O próprio anão. Não sei o que ele fez, mas os tickets funcionaram e ele só disse “vou ajudar vocês, sou português!”. Agradecemos demais e ele disse, com aquele sotaque legal de Lisboa: “não tem de que!”.

Como evitar a gafe: haja como se sempre todos entendessem o que você diz. Isso vale também para aquela vontade danada que dá de gritar mil palavrões enquanto você está de ponta cabeça girando bem rápido num brinquedo de parque temático da Flórida.

2 – Cheguei no ponto turístico fechado – ou faltando meia hora para fechar

o famigerado museu de Frankfurt: fechado!

Essa é um clássico. Mesmo já tendo ido a Buenos Aires e já tendo visitado o Cemitério da Recoleta, cheguei atrasada agora recentemente quando estava com o Rafael para fazer o passeio. Sabíamos bem o horário, mas infelizmente não deu tempo. Ficou para a próxima viagem.

Outro caso foi durante meu mochilão, quando cheguei no Museu de Arte Moderna de Frankfurt louca para ver um Lichtenstein. Era horário comercial, era dia útil, tudo certinho – mas estava fechado. Para obras. Durante 12 dias. Não dizia no site. Bacana, né?

Por fim, teve também o Museu de Orsay em Paris que visitei pela primeira vez em apenas **meia hora**, ouvindo a mulher anunciar que todo mundo ia ficar preso e ver os quadros tomarem vida à noite dali a pouco. Brincadeiras à parte, fiquei feliz de visitá-lo novamente ano passado nas férias e pude perder algumas horas por lá para dar a atenção que  Renoir, Degas, Monet e Van Gogh mereciam.

Como evitar a gafe: confira todos os horários no seu guia turístico e no site oficial do local que você vai visitar. No caso de museus, por exemplo, vale checar até para ver que dias não abrem, se há horários alternativos (alguns abrem mais tarde e ficam até mais tarde, por exemplo), se há dias de ingresso gratuito e se haverá algum evento tipo “noite no museu” enquanto você estiver na cidade. Pesquise direitinho e monte seu roteiro, mesmo que você dê com a cara na porta, igual aconteceu comigo em Frankfurt. Em todo caso, esse nosso problema poderia ter sido resolvido perguntando para alguém do hotel antes de sair. Mas quem ia imaginar, né? rs

3 – Segui uma dica de restaurante “exótico”

um dos salões do meu restaurante favorito em Buenos Aires, o Grand Parrilla del Plata

Antes de embarcar para Buenos Aires em 2010, comprei um guia bem atualizado que me ajudou bastante. Mergulhei de cabeça nas dicas de restaurantes e me prometi que ia comer bem por lá, e que ia comer coisas diferentes também.

No meio do mar de sugestões (Bs As tem muitos restaurantes interessantes!), uma casa chamava a atenção por ter “clima intimista” e “pratos com carne que fugiam da parrilla tradicional”. Fiquei curiosa e marquei para ir. Chegando lá, vi que as carnes fugiam bem do tradicional mesmo: era um menu de alguns passos que incluía carne de tubarão, jabuti e outras iguarias mil.

A parte boa foi que escapamos de lá e descobrimos o restaurante que se tornou meu favorito na cidade, o Grand Parrilla del Plata. O engraçado é que ele também era apresentado pelo meu guia, mas não dei tanta atenção! rs

Como evitar a gafe: sabe o bom e velho cardápio ilustrado? Pois é. In loco não é uma prática super elegante, mas nos sites, certamente é. Esse restaurante inventivo tinha uma página super minimalista e não deu para ter noção do que íamos encontrar. Portanto, se quiser algo diferente do tradicional, já sabe: tente dar uma olhadinha no que é antes de ir. No caso de Bs As, vale dar um search no Guía Oleo, que traz resenhas de praticamente todos os restaurantes da cidade, assim como horário de funcionamento e gasto médio por pessoa no almoço e no jantar. O site é muito bom e usei bastante quando viajei para lá de novo para o Revéillon!

Continue lendo →

2º Jantar da Embaixada Trio: Imagens da Semana

seg

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

.

com meus queridos convidados bebendo, comendo e tuitando!

Lembram que em julho falei sobre o jantar com os outros embaixadores da Trio, nova linha de vinhos da vínicola Conha Y Toro? Pois no finzinho de novembro eles promoveram mais um jantar incrível, só que desta vez na minha casa!

Além de ter levado toda uma produção de vídeo e foto, um chef cozinhou no meu fogão (chique!) e preparou três pratos incríveis para harmonizar com cada um dos vinhos da linha, o Chardonnay, o Merlot, e o Cabernet Sauvignon. Também foi servida uma sobremesa maravilhosa, um crumble de maçã, que infelizmente não tenho foto para por na montagem aí em cima! rs

Para esta noite super deliciosa e especial, convidei meu namorado Rafa, minha mãe (conheçam minha mãe! rs) e a Lia para jantarem comigo e foi simplesmente incrível! Conversamos muito, rimos e comemos e bebemos bem.

Dá pra sentir um pouco o clima da noite pelo vídeo que eles produziram durante o jantar:
.


Mais uma vez, os vinhos caíram super bem com os pratos servidos, só que não tem jeito: o vinho branco, o Chardonnay, continua sendo o meu favorito, especialmente agora que o clima está esquentando e dá para tomá-lo bem geladinho.

Vinho não tem hora nem época para ser apreciado e é preciso esquecer essa história de “vinho tinto no inverno”, porque há muitas opções incríveis para o verão. Sou fã de vinhos brancos e não vou esperar muito para tirar meu Chardonnay da caixa, não! rs

comendo as vieiras, que caíram perfeitamente bem com o Chardonnay!

Cumprindo o que prometi para vocês no post do primeiro jantar da Embaixada Trio, uma caixa com os três vinhos da linha pode ser de vocês!

Desta vez, a promoção rola lá no twitter e é apenas preciso retwitar este twit meu: “RT @loverox: Eu quero o kit com os 3 vinhos da @embaixadatrio. – http://kingo.to/Vv2”. Sério, tá muito fácil e não sei que outro presente seria melhor para um fim de ano! ;)

O resultado sai nesta quarta-feira (14) no próprio Twitter da @EmbaixadaTrio – e, claro, as redes sociais de Trio tem muito mais dicas certeiras de como tomar um bom vinho no verão!

ps: deu pra ver que tô viciada no colar da Acessorize, né? rs.

Este post é um publieditorial.

Almoço no Marcelino: Imagens da Semana

qua

Marcelino Pan Y Vino e suas delicinhas

Este domingo, eu e o namorado resolvemos aproveitar o dia de sol (finalmente!) para almoçar no Marcelino Pan Y Vino na Vila Madalena. O restaurante tem paredes de vidro e o visual é super claro e arejado, ótimo para ir num dia bonito.

O Marcelino tem um preço razoável e mistura pratos de vários países no cardápio, todos com uma pegada contemporânea. A especialidade são os sanduíches e porçõezinhas, mas os pratos não ficam nada atrás.

Desta vez pedi um ragu de pernil com purê de batata e adorei – da primeira vez que fui, comi um risoto de pato com azeite trufado (também imperdível!). O namorado, que nas duas idas apostou nos sanduíches, também adorou, mas preferiu o hot dog “cachorrão” ao invés do hamburguer aí na montagem.
.

a minha escolha: ragu de pernil com purê de batata

Como além de ter “pan” no nome o restaurante tem o “vino”, é claro que a carta de vinhos é excelente. As garrafas são descritas separadamente por suas qualidades e isso é ótimo para quem não é super entendido do assunto. Outra coisa bacana é que você não é obrigado a pedir a garrafa inteira, já que a maior parte da adega também está disponível para ser tomada uma taça por vez.

A TAL DA LEGGING CROPPED…

Aproveitando que o dia estava quentinho e ensolarado, resolvi experimentar a legging rasgadinha que peguei durante a maratona de compras. O resultado foi esse look meio rockinho – e, obviamente, despreocupado e confortável para um domingo à tarde. O detalhe: encontrei um grafite dos Ramones para a foto! rs

camiseta: Truly, Madly, Deeply na Urban Outfitters; colar: Acessorize
legging cropped: Q-Vizu; botas: Zara; bolsa: lojinha aleatória de Barcelona

Harmonizando comida com música

qui

Se você gosta de cozinhar e gosta de música, se você gosta de comer e escolher trilhas sonoras para pequenas coisas da vida, o Turntable Kitchen tem que entrar para os seus feeds agora – eu já adicionei! rs

O Turntable Kitchen fala bastante de música, divulga alguns lançamentos do mundinho indie e faz mixtapes mensais para os visitantes. Mas, aí vem o lado kitchen da história: eles testam receitas deliciosas e tiram fotos, além de darem dicas de uma bela música como acompanhamento.

A dupla de comida boa com música boa aparece nos posts com a tag “musical pairings” e, realmente, não tem como ver as fotos dos pratos e não se imaginar comendo ao som da música proposta pelos caras.

Para ter uma ideia, que tal comer este belo hambúrguer ao som de The Black Keys?
.

The Black Keys – Tighten Up by HighestCulture
.

Ou tomar uma sopinha de gengibre com cebolas caramelizadas ao som de Washed Out?
.

Washed Out – “Eyes Be Closed” by Stereo/Pirate
.

E aí, ORNOU? ;) Vou confessar que, como comilona que sou e DJ que quero ser, gostei tanto da ideia que fiquei com vontade de fazer igual! lol