Axe Girl, Temaki GG, Cervejas Curiosas, VH1, headband – Imagens da Semana

qui

Semana tranqüila, curtinha e só com foto de celular – e webcam! 8)
.

AXE GIRL

live no @axetwist!

Calma, não posei com pouca roupa pra lugar nenhum! rs Maaas tô vivendo uns dias de Axe Girl! A Axe está lançando o novo Axe Twist, com fórmula especial que muda seu perfume ao longo do dia, e fui convidada para ficar ao vivo no streaming deles uma hora por dia dessa semana e ver se a galera também consegue me manter interessada ao longo do tempo.

Tem cantada, tem gente engraçada e teve até mulher interessada hoje (?!). Amanhã a campanha encerra e convido vocês a entrarem também, pra fecharmos com chave de ouro! Fico online no perfil do twitter @axetwist das 11 ao meio dia e vocês acompanham o streaming aqui.

.

TEMAKI GG

Sábado almocei este belo temaki gordo e sem salmão triturado. No Natural da Terra, mercado especializado em coisas naturebas, tem um restaurante com boas e rápidas opções de pratos orientais. Eu e o Rafa demos uma passadinha lá, e enquanto ele devorou um beirute, eu mandei o temakão e uma porção de shimeji. Preço bom, atendimento rápido e um dos melhores temakis que comi nos últimos meses (e olha que eu vou em japonês, viu?).

.

CERVEJAS CURIOSAS

Dia 17 de março foi o dia de St. Patrick’s e aproveitando a data, gravamos uma matéria para a TV UOL no Bar Melograno falando sobre algumas cervejas excêntricas com a beer sommelier Ana Gorete. Ela provou um gole de tudo isso aí da foto (!) e eu aproveitei e experimentei também!

Apesar de ter amado o chop Walls, primeiro chopp brasileiro a ser filtrado triplamente, imperdível mesmo é a cerveja de chocolate que ela experimentou. Vejam a matéria aqui!

.

VH1

Ganhei este kit mara da VH1, enviado para divulgar a nova ação deles, em que você pode ganhar TVs de 42” full hd entrando no site deles e criando uma música. Super fácil!

Apesar da camiseta com os reis do rock ter ficado grande pra mim – o que significa que o Rafa vai ganhar um presente! -, adorei a caixinha de ipod e, aliás, o que é essa capa de notebook da Madonna, hein? Agora quero ainda mais comprar meu notebook! >.<

.

HEADBAND


Sim, viciei nas headbands. E eu mesma fiz essa aí! O que acham? Tá aprovada? 8)

O que eles querem dizer quando…

qui

Numa versão extra-sincera e bem (ou mal) humorada, a tradução de 10 clássicos que você já ouviu ou ainda vai ouvir de um homem.  Baseado em fatos reais.
.

.

“Você cheira bem, quer me cheirar, neném?”
.

.“Estou precisando conversar com alguém e você é uma boa amiga. Vamos sair?”
Tradução livre: Se rolar mais que isso, melhor ainda. Tá afins?  Hoje, agora?
Observação: o pior mesmo é o que fica duas horas conversando com você para finalmente adentrar no papo do sexo para finalmente ouvir um não. Pelo sim ou pelo não, tem horas que é melhor poupar o precioso tempo, não acham?

“Eu gosto de você, mas é que eu tenho medo de me envolver. Não conseguiria lidar com um compromisso agora.”
Tradução livre: Não quero te apresentar pra minha mãe, mas tá ótimo continuar com as terceiras intenções.
Observação: Dispensável.

“Nossa noite foi ótima. Vamos sair amanhã?” (e some em seguida.)
Tradução livre: Adorei te comer, mas tô chamando só pra ser simpático.
Observação: Amanhã ele vai sair com outra, faça o mesmo. Ou amanhã ele vai passar o dia coçando e vendo futebol: não importa, continue fazendo o mesmo da primeira sentença.

“Nossa, mas você é tão inteligente!”
Tradução livre: Incrível, dá pra fazer de tudo com você!
Observação: Por enquanto, tudo bem. O problema é quando ele começar a achar que vocês são de “mundos diferentes”…

“Te vi na comunidade do Adobe Premiére e… Ah, eu não manjo nada disso. Mas poderia ser o começo de uma
grande amizade, huhuh?”
Tradução livre: Oi, não temos nada a ver mesmo, mas suas roupas ficariam ótimas no chão do meu quarto. Bora?
Observação: Só se eu achar que as suas também vão ficar ótimas no chão do meu…! Essa soa chaveco furado, mas é mais honesta e menos dramática. 8)

“Me desculpe. Eu sou muito pior do que você pensa”.
Tradução livre: Saí fora sem ter que mover um dedo! Yes!
Observação: Ainda bem que você fez o favor de exemplificar toda a sua cuzonice e me chutar com uma desculpa horrível antes que eu descobrisse o quão pior você é.  Em todo caso, obrigada por poupar meu tempo precioso.

“Você é a melhor que já tive na cama!”
Tradução  livre: dispensável.
Observação: é um elogio que pode ser verdadeiro, mas exercer uma desconfiança saudável nunca fez mal a ninguém, até pra não deixar seu ego nas nuvens, né gata? E, enfim, geralmente são as mulheres que fazem elogios mentirosos, tipo “Que grande!”, e não os homens.  Não podemos nos esquecer disso.

“Isso nunca me aconteceu antes!”
Tradução livre: dispensável.
Observação: Jura? … Eu vou fingir que você falou sério, você finge que eu sou compreensiva.

“O problema está em mim, não em você”
Tradução livre: Quero terminar, não tenho uma boa desculpa, não tô afim de te magoar falando a verdade.
Observação: sinceridade é uma boa. Sinceridade crua não. Não precisa dizer que comeu minha vizinha, mas não precisa vir com filosofia de porta de banheiro.

“Foi rápido porque eu tava com muito tesão!”
Tradução livre: dispensável.
Observação: Tá jóia! Quando você perder o tesão por mim a gente sai de novo, tá? :)

.

Inspirado no fantástico mundo desta que vos fala, no mundo das melhores amigas e nos causos discutidos didaticamente no Gravata Responde.
.

ps: eu morri de rir escrevendo isso, então não vamos nos levar tão a sério, certo?

Cantada nova: “oi, quer fazer o teste do sofá?”

qui

… Porque tem coisas e situações bizarras do mundo e da vida que só a autora desse blog pode viver. Ou não, ou talvez eu seja só uma exagerada. Mas, enfim, acompanhem o meu causo:

Saindo do trabalho, às 21h na Vila Olímpia. Apesar das ruazinhas ali terem alguns barzinhos, o episódio aconteceu ontem, terça-feira, que não é o dia favorito dos engravatados para happy hours. Logo, ruas vazias. E ruas vazias são sinônimo de Fernanda-andando-rápido. Então, estava eu andando rápido quando começo a ouvir passos atrás de mim. Naturalmente que fui olhar. Era um tiozão no melhor naipe “cinqüentão-malhado” do Abílio Diniz.

Não dou bola e continuo andando. De repente ele acelera o passo, me ultrapassa e fala rindo:

– Eu ando mais rápido que você!

Nisso, ele tropeça. Eu, simpática como mamãe mandou:

– Nossa, toma cuidado!

Ele começa a puxar papo, é óbvio.

– Você trabalha por aqui?
– Trabalho na rua de trás.
– Ah, eu tô vindo da academia, eu moro aqui perto e faço ali na Rebook Sports Club. Mas, nossa, lá tá sempre lotado, aí não dá pra ir de carro, melhor ir a pé mesmo.

E eu perguntei, fio?!  Ele continua…

– E você faz o que?
– Trabalho numa agência de publicidade.
– Eu tenho uma construtora aqui. Eu me chamo Roberto, posso saber seu nome?
– Ferr.. Nanda.
– Fernanda, prazer. Você gostaria de trabalhar no meu escritório? A gente tem o administrativo lá…

Pára tudo! Ele tá me chamando pra um teste do sofá no meio da rua?

– Se você tiver interesse, eu posso pegar seu telefone, a gente agenda. Ou você fica com o meu, tanto faz.
– Ah, é que eu trabalho com vídeo. Não tem muito a ver.

Duh! Se for pra ser ASPONE na Vila Olímpia, eu vou ser ASPONE na Móoca. Pelo menos é perto. hehe

– Bom, mas posso ficar com seu telefone assim mesmo?
– Ahn.. Na verdade.. Acho melhor.. Não.

Dei um sorrisinho. Ele aceitou bem e me deu  a mão, disse “prazer” e desejou boa noite. Adoro. Acho que tomei chá de sinceridade. Se fosse há um tempo atrás eu simplesmente daria meu telefone errado, só pra encurtar a conversa.

Depois disso, eu ainda enfrentei o metrô cheinho de casais. Não há nada pior que pegar o vagão cheio de gente fofa se beijando quando você passou por um dia pesado, estressante e quer um abraço, um beijo, um carinho, um… Vou parar. hehe

Pódium de gafes – parte 1

sex
Não sou uma pessoa que paga muitos micos/fala bobagens por aí, mas a maior parte das minhas gafes foram no trabalho – acho que um dos piores ambientes pra falar bobagem. :P

Vamos aos três melhores momentos… (ou não!)

1) Medalha de Ouro

Participei de um piloto aqui na tv com o novo apresentador (que não posso revelar quem é, mas estréia semana que vem no Combo Fala + Joga e já é conhecido! :D). A idéia era que eu fosse a “entrevistada” do programa e ele foi perguntando sobre a minha vida, enquanto jogávamos Wii.

O apresentador sabia que eu era atiz e eu contei que queria fazer musicais. Em seguida, ele me perguntou:

– Você já participou de algum reality show?
– Não e você?
– Eu já.
– Ah é? Qual?!!
– Casa dos Artistas. (Silêncio constrangedor por alguns segundos)

Mas, segundo os presentes do estúdio o ponto alto foi quando ele lançou:

– E você posaria nua?
– Ah! (super simpática) Depende do cachê :D

(bola de feno voa por todo lugar)

2) Medalha de Prata

Quando trabalhei na Capricho, como era de se supor, quase toda a redação era mulher. Quem não era mulher, gostava de homem (quase sempre). Me chamaram pra dar opinião sobre uns modelos para o editorial de moda…

– Fê, o que você acha desse?
– Esse é boniton.
– E esse?
– Aff! Cara de viadinho!

Olho pro lado e o maior exemplar de “gosto de homem” está ali me olhando com cara de padre da Inquisição olhando pra Bruxa de Salém.

(grilos cantam uma ópera praticamente)

3) Medalha de bronze

Na festa de fim de ano da firrrrma, aqui na Play TV, rolou uma entrega de prêmios. Uma espécie de “Framboesa de Ouro” com as categorias: “cala a boca, deixa eu trabalhar”, “gatão de meia idade”, “amigo bêbado” e etc. Eu tinha entrado na empresa há dois meses e era super desconhecida (e também ném sabia o nome das pessoas!). Logo, ganhei por unanimidade de votos o prêmio “vem cá, te conheço?”.

A “hostess” da premiação me chamou a frente e uma horda de homens dos estúdios começou a gritar “uhu”. Cheguei ao microfone:

– E aí fê! Se apresenta aí pra galera.
– Oi gente. Eu sou a Fernanda (timidaçaaa). Cheguei na empresa há dois meses, tô achando muito legal. É isso, obrigada. (saindo)
– Nãoo! Espera aí! Passa seu curriculum pra gente! (risos) Você fala inglês?
– Faaaalo. (com cara de “posso ir agora?”)
– Tá namorando?
– Nããooo, tô solteira! (toda sorridente)

(homens berram enlouquecidos, eu viro um pimentão, o feno voa na minha mente e acho que estou ouvindo grilos ao longe…)

Já votaram em mim pra ganhar o prêmio da Rexona hoje? Não?! Então clica aqui e dá a nota máxima pra titia! :D

PS: ah! Parte 1 porque pretendo voltar a isso num futuro próximo! :)
PS2: o rapaz da Capricho não trabalha mais lá, portanto nem adianta tentar descobrir quem é! hehe

Estranho contato imediato

sex

(Reconstituição de fatos reais. Vale a pena ler. Garanto risadas.)

Ontem, véspera do feriado, só eu saí mais tarde do trabalho. Enquanto todo bom ser humano se programa pra sair mais cedo nessas vésperas, a espertinha aqui chega mais tarde no serviço por conta da locução num trabalho da faculdade e tem que sair mais tarde para compensar. Ok. Aí, às 18:50h deixei a redação, passei na cafeteria da Ed. Abril, peguei um salgado quente e um del vale light de pêssego gelado para comer/tomar no busão. Demoro duas horas para chegar em casa e a minha fome era para esperar meia hora, no máximo. Dirijo-me ao ponto de ônibus. São 19:00h.

…. espera.
…. espera.

Olho no relógio: 19:17. Nada de ônibus.

… espera.

Surge um rapaz sorridente (“por que será?”) de camisa azul, bermuda, cabelo meio desgrenhado, sem bigode mas com muita barba. Ele se aproxima.

Rapaz: Oi. O “Parque D. Pedro” passa por aqui?
Eu: Sim. Não passou ainda, estou aqui há uns 20 minutos. Deve chegar logo.
R: Ah tá. ( Ele sorriu e eu pensei: “tá, agora é a hora que você volta para o seu lugar e espera o seu ônibus longe de mim) Você pega esse ônibus também?
Eu: (de saco cheio) Só de vez em quando. Hoje eu vou pegar outro.
R: Que outro?
Eu: O Metrô Armênia.
R: Ah. Esse ônibus é bom né? Porque ele sobe toda a teodoro sampaio e cai na dr. arnaldo, perto do metrô. (sinto um cheiro forte de vinho vindo dele)
Eu: É. (silêncio)
R: Onde você mora?
Eu: (achando que fosse ser assaltada) Por que você quer saber?
R: Ué, por nada.
Eu: (achando que ia por um fim na conversa) Na zona leste.
R: Na zona leste onde?
Eu: Perto da Móoca.
R: Hum legal. Quer ir comigo num concerto de música contemporânea? (ele se aproxima)
Eu: Ah não, tô muito cansada hoje. (eu dou um passo pro lado)
R: Vai ser lá no Ibirapuera, é de graça!
Eu: Legal. Eu era mais ligada em música quando fazia aula, agora não mais.
R: Pô, que massa. O que você faz? (ele se aproxima)
Eu: Trabalho aqui na abril e faço Rádio e TV na Cásper. (eu dou um passo pro lado e penso que já tô falando demais para um desconhecido meramente bêbado)
R: Pô, tem vários amigos meus que fazem lá. Eu faço Audiovisual no SENAC.
Eu: Ah, eu ia prestar lá também, mas desisti.
R: É, lá o curso é novo, somos meio cobaias. Você conhece o Guti, o Raul?
Eu: Sim, tão na minha sala.
R: Pô, que mundo pequeno! Imagina, conhecer no ponto de ônibus! (ele se aproxima)
Eu: É… (dou um passo pra trás, esbarro numa mulher, me dou conta do quanto já andamos nesse “pega-a-pega” lerdo na calçada e penso “TÁ, é agora que seu ônibus chega!”)
R: Você foi na festa do Guti ano passado, a Gutorgia?
Eu: Não. Eu ia ir, mas não fui.
R: Foi muito foda! A Gutorgia! (ri desesperadamente)
Eu: Deve ter sido mesmo. (ele tenta chegar perto de novo e eu interrompo com um outro assunto) Você também é aqui da Editora Abril?
R: Não.
Eu: Você mora aqui perto?
R: Não. (eu pensei: “porra, que diabos então ele tá fazendo nesse fim de mundo, me enchendo o saco?”) Eu trabalho ali na Av. Sto Amaro, mas aí peguei o trem, desci aqui. Aí passei ali no bar, tava rolando um samba e eu parei (eu entendi o bafo nesse momento). Mas aí começou a tocar um sertanejo e eu vim embora. (Eu dou uma risadinha amarela)

O ônibus dele vem vindo e o meu, NADA.

Eu: Olha seu ônibus.
Ele: É. (ele dá um beijo e fala um “tchau” alto demais no meu ouvido, que me deixou surda por uns 5 segundos.)

Ele entra no ônibus e eu fico aliviada. Aleluia. Espero mais uns 5 minutos e nada do MEU ônibus. Muito estranha essa demora. Aí passa outro “Parque D. Pedro” e eu acabo entrando. Afinal, vai que aparece outro louco?!

Moral da história? Demorei pra chegar em casa, andei uns 10 m na calçada fugindo discretamente, comi meu salgado gelado e tomei meu suco quente, fui obrigada a tomar o ônibus errado e neste exato momento estou rezando para este cara não querer saber mais sobre mim através dos nossos amigos em comum.

Ah sim: eu sei como ele chama e ele sabe como eu chamo, mas resolvi não incluir esta parte da conversa neste trecho aí por motivos de segurança – leia-se: ele pode descobrir meu orkut e entrar aqui.

——-

Obrigada a todos que assistiram meu vídeo da Ilhabela. Não foi dessa vez, mas tudo bem. Sempre acredito que existem outras oportunidades bem melhores reservadas pra mim. Não vou entrar no mérito da “eterna procura da mídia por um rosto+corpo bonito apenas” (ainda mais por publicitários), mas fica registrado. hehehe

Eu, agora
Humor com muita, MUITA preguiça
Pensando repassando os acontecidos de ontem, inconformada.
Comendo em breve, um espaguete a bolonhesa que está cheirando lá na cozinha
Ouvindo/Assistindo algum clipe da MTV.
MSN
Navegandonada.