Kirsten Dunst virando japonesa

qua

Tem gente comentando que esse é o “primeiro vídeo de toda a internet que preferia esquecer”, tem gente dizendo que se casaria com ela se ela aparecesse deste jeitinho com uma cerveja na mão na porta de casa.

Eu não sei o que eu acho. Só sei que neste curta-metragem-clipe, Kirsten Dunst canta uma versão de “Turning Japanese”, do The Vapors, toda trabalhada num figurino kawaii e abalando total as ruas de Tóquio.

Quem teve a ideia e dirigiu a coisa toda foi Takashi Murakami, artista plástico que deu um passo além na pop art de Andy Warhol e passou a retratar de forma exagerada a própria cultura otaku, que, por sua vez, engole os elementos da cultura americana.

Deixando a antropofagia de lado, dá o play no “Akihabara Majokko Princess”!

.

Para ver obras de Murakami e entender mais sobre o clipe, vai lá no Rosebud é o Trenó!

Pop Art: modos de usar

sex

O Díptico Marilyn, de Andy Warhol (1962):


.

A capa do novo cd da Madonna, coletânea que será lançada dia 28 de setembro, feita por Mr.  Brainwash:


.

Gostei muito. É uma bela referência para uma coletânea de uma artista pop, ainda mais tratando-se de Madonna. E Marilyn tá em todas, hein? Falei dela à beça dela nesses últimos tempos. Pelo menos com Madonna ela deve se revirar menos no túmulo do que com Lindsay

ps: coloquei a foto do díptico e não dos retratos porque, enfim, todos nós conhecemos, não? Se você não conhece, veja aqui. É bom lembrar que Warhol se inpirou também de outras formas na musa loira (e em telas maiores!).