Música pra treinar #1: glúteos dos sonhos

seg

– Vê um set para a aula de glúteos no capricho!

Se você não foi impactado pela “Anaconda” ambulante de Nicki Minaj, certamente estava fora da internet esta semana. O vídeo da cantora desbancou “Wrecking Ball” de Miley Cyrus e se tornou o clipe com mais visualizações em 24h da história! Parece que achamos algo que faz mais sucesso do que bacon e gatos na world wide web, hein? ;)

Como o grande tema da poesia da música é, bem, um belo GLÚTEO, resolvi montar uma bela playlist para homenagear nosso esforço com caneleiras. E ah: começa agora também uma série de playlists temáticas para dar aquele gás no treino semanal. Bota o fone e vamos arredondar essa poupança!

.

ps: aproveita aí e me segue no Spotify! ;)

.

5 mitos e uma grande verdade sobre academia e musculação

qua

Parece que foi ontem que comecei a musculação… Perdida no meio dos aparelhos, envergonhada diante dos alunos experientes e medrosa quando o professor botava um tijolinho a mais no aparelho. Será que eu aguento? Será que eu posso? Será que eu devo? Vou acordar amanhã parecendo o Hulk de saia? Socorroooo!

Depois de diminuir uns bons números do meu percentual de gordura corporal, venho desmentir 5 mitos que eu jurava de pé junto que eram reais – e, bem, também vou confirmar uma grande verdade….

.

.

Os mitos:

 “Faço exercícios, como direito e mesmo assim não emagreço”

Você é humano? Digo, tem certeza que está treinando certo? Está dando seu melhor? Está fazendo pra valer ou comprou um monte de roupas novas e usou para fazer amigos perto do bebedouro? Anda se entupindo de barrinha à tarde e está tomando o mesmo whey que a sua amiga toma? Ops, pode estar tudo errado – ou pior: a sua “máquina” pode estar precisando de uma regulagem. E só um profissional pode dizer o que está errado. Vá a um médico, faça exames, e converse com um  bom nutricionista.

“Só dá para ter resultado com personal trainer”

Se você já ouviu esse papo na secretaria da sua academia, fuja correndo. Ninguém é obrigado a pagar por um personal para ter um atendimento bacana. É claro que há vantagens em ter alguém dedicado só a você, mas bons profissionais podem te passar um ótimo treino mesmo não estando por perto o tempo todo – e não sei você, mas só de pensar de ter que ficar de papo todo santo dia com o professor, já tenho preguiça. hehe No meu caso, tenho um ótimo treinador nos horários que frequento a minha academia e, segundo ele, já tive até mais resultado que alguns alunos particulares! Quem não tem esse mesmo tipo de atendimento ou quer treinar numa academia pública ou do prédio, pode também pedir uma consultoria de treino por fora; há vários professores especializados nisso.

“Uma academia bonita/roupa bonita/tênis bonito/squeeze bonito são ótimos incentivos”

Quem é que vai acordar cedo para se enfiar no chuveiro maravilhoso da academia? E o tênis lindo pendurado, incentiva quem a sair da cama? Ninguém. Ter uma série de coisas “legais” para te atrair para o universo fitness pode ser até interessante no começo, mas depois de dois meses as roupas já não estão tão novas e o vestiário lindo perdeu o encanto. O que vai te manter motivado são os resultados, portanto procure uma academia com bons profissionais (experimente perguntar onde eles são formados!) e, antes de se inscrever, faça uma visita no horário em que você pretende frequentar. De que adianta o vestiário lindo se às 8h da manhã fica tudo lotado e o barulho de secador vai te deixar maluca?

“Vou dormir princesa e acordar do tamanho da Fiona”

Essa eu custei para entender. Uma mulher não fica “grande” sem tomar suplementos ou levar uma alimentação extremamente regrada. Em resumo? Se você não “vive” para isso, não tem com o que se preocupar, você só vai secar e delinear as curvas. Peça um treino de acordo com o seu objetivo e não fique com medo da palavra “hipertrofia”: com mais músculos, a sua porcentagem de gordura vai cair e o seu metabolismo basal aumentar. A longo prazo, a musculação deixa o corpo não só mais definido, mas mais forte e saudável: seus ossos agradecem! No caso das mulheres, então, o treino com pesos é também uma arma especialmente importante para prevenir a osteoporose.

“Musculação não emagrece”

Emagrece, sim! Mas não entre na sala da musculação contando calorias. O treino com pesos traz gasto calórico durante a realização como qualquer atividade física, só que também faz o corpo continuar gastando energia durante todo o dia, enquanto os músculos trabalhados se recuperam. Fora isso, quanto mais músculos você tem, mais energia vai gastar para fazer qualquer atividade, inclusive ficar sentado em repouso aí no computador. ;)

Continue lendo →

Alguns kilos depois: como transformei meu pessimismo em resultados

qua

Ah, a academia! Tantas emoções matinais, tantos desencontros e, quem diria!, agora tantas felicidades. Depois de uma ou outra leitora me perguntarem o que mudou na minha vida desde que reclamei por aqui, resolvi escrever novamente. Tudo isto porque, no final de setembro de 2012, publiquei um post em que eu esbravejava bem forte sobre os resultados que não aconteciam. 9kg mais magra e agora com o corpo mais definido do que nunca na vida, volto pra contar o que mudou.

.

no dia-a-dia: levanta e vai!

Lá na época do post, resumindo brevemente, eu tinha acabado de tomar um belo de um susto: tinha percebido que tinha engordado praticamente 10 (eu disse DEZ) kilogramões, sendo que eu já estava fazendo natação (e, teoricamente, tentando levar uma vida mais saudável e ativa). Com o susto, veio a mudança: vamos correr, então. Três meses depois de começar a tentar correr, veio então o post em que eu arrancava meus próprios cabelos porque eu não tinha emagrecido absolutamente nada. Ou melhor, apenas 100 gramas. Isso tudo somado ao sentimento de miséria causado por não conseguir correr dois minutos seguidos na esteira (sim, é difícil para todo mundo no começo! Não me vem com essa de ‘comecei ontem e já fiz 5 km’. Amanhã você vai conseguir repetir?).

Neste momento, meu sentimento de derrota conseguiu ficar maior que a decepção com a balança. Antes que, só de raiva, eu desistisse de tudo, pus aquele post no ar. Recebi comentários (muitos comentários!) e resolvi seguir alguns conselhos que recebi aqui no blog e foram muito valiosos. E o primeiro, principal e definitivo foi: não dá para emagrecer sem fazer dieta, sem regular a alimentação, sem tomar cuidado com o que come ou sem ao menos se conscientizar sobre o que pode estar sendo o grande vilão da sua rotina.

Eu não sou um excelente exemplo, pois não fui a um nutricionista até agora, mas foi com a corrida e o cuidado com a alimentação que consegui emagrecer 9kg entre outubro de 2012 e abril deste ano e venho mantendo. Eu comecei a usar o aplicativo My Fitness Pal, que uso até hoje, e passei a observar melhor o que ia no meu prato contabilizando as calorias. Comecei também a ler mais sobre o assunto e sobre os mecanismos de satisfação do nosso corpo com determinados alimentos (essa matéria é ótima!) e passei a fazer escolhas: posso comer de tudo, mas quando e o que? Com o tempo, acredite: você começa a optar por ingerir as calorias de forma inteligente. Se é pra comer um chocolate, então que seja o melhor do mundo, não um bombonzinho sem graça que você só come porque vem sempre junto com o café expresso. É um exemplo banal, mas que hoje faz todo sentido para mim.

Quando falei sobre o aplicativo, já dei um pouco dessa visão, mas digo e repito: dieta requer regularidade e comprometimento de participante do alcoólicos anônimos, com a diferença que geralmente não somos recrimidados pelo que comemos. Quando o assunto é comida e não bebida, a luta é mais interna ainda: você e você. A maior lição que tirei disso tudo foi que é preciso fazer uma boa escolha para o prato de hoje. Para o prato desta refeição. A próxima eu não sei – e a próxima pode estar liberdada, já que só fiz boas escolhas e não quero deixar de provar nada gostoso nessa vida. Meus restaurantes vão todos bem, obrigada! ;)

.

braços “aparecendo” depois de começar a musculação, quadril mais comportado e meu copão de whey pós-treino

Depois de conquistar a perda de peso com a dieta e de ir melhorando aos poucos na corrida, no final de abril troquei de academia e finalmente comecei a musculação. Segundo minha avaliação física mais recente, eu precisava ganhar massa para ontem, até mesmo para diminuir o porcentual de gordura corporal, e eu mesma via a necessidade de dar um formato bonito ao corpo, já que depois de tanto aeróbico fiquei me sentindo um verdadeiro *pudimzão*. rs

Embora eu tivesse medo de virar uma panicat da noite pro dia (hehe!), esse preconceito se foi e em 20 dias comecei a ver resultados nítidos, especialmente nos braços, no culote e no quadril. Agora, com quase dois meses de treinos com frequência de quatro vezes por semana, vejo as costas e o abdome começarem a entrar também nos eixos, fora minha força para correr, que simplesmente dobrou. Para completar, algo mágico aconteceu: não é que comecei a gostar e muito de puxar os ferros? A rotina pra mim se tornou um ritual diário e me ajudou a criar disciplina até com outras tarefas do dia-a-dia – fora que os resultados também são um estímulo e tanto!

.

o suplemento e meu prato que prova que é possível ser saudável no kilão <3

Atualmente continuo seguindo o mesmo controle dos últimos meses de emagrecimento, mas, com a chegada da musculação, passei a tomar suplemento de proteína whey após o treino (o meu é o Beauty Workout). Sinto meu corpo melhor do que nunca e certamente meu próximo passo agora é finalmente ir ao nutricionista e conversar sobre algo mais personalizado para mim,  já que até meu metabolismo está bem diferente com o ganho de massa dos treinos diários! ;)

Depois de tudo isso, acho que ainda fica uma pergunta: como ter pique para manter o ritmo? Boa pergunta. Eu também não sei, sei apenas que me condicionei a isso e separei tempo pra isso. Depois que coloquei na cabeça que o treino é essencial para o meu corpo e até mesmo para minha imagem, já que trabalho um pouco com isso, até a preguiça matinal diminuiu. Não sou viciada nos exercícios em si, mas amo os resultados e amo mais ainda a sensação de dever cumprido. E, claro, eu aprendi a lição: nosso corpo é uma máquina sem tantos mistérios. Se não está funcionando para você, sem dúvida alguma é hora de verificar as engrenagens para um ajuste, seja com um médico, com um personal ou com um nutricionista.

.

Espero que vocês gostem desse loooongo relato. Senti a necessidade de vir contar que tudo tinha mudado e que transformei meu pessimismo em força de vontade. Foi assim que finalmente consegui os resultados que nunca tinha tido na vida. É possível SIM, e sua vida vai mudar para melhor SIM! Não tem que entrar na onda de #geraçãocoisanenhuma ou #projetobundaempinada, tem é que fazer o que é possível para você e só para você. Eu poderia ter ido mais rápido? Talvez. Poderia ter feito diferente ou até melhor? Provavelmente. Mas foi como eu consegui encontrar meu caminho.

Se mais alguém for inspirado da mesma forma que os comentários que li aqui, naquele post, e que me inspiraram, ficarei muito feliz. É meu jeito de dizer obrigada! <3

Mixtape: músicas para correr – e para dançar, pular e se mexer!

sex

Toda vez que coloco os pés na academia me pergunto como eu seria capaz de treinar (e ter resultados) sem o meu celular: controlo a alimentação com o app My Fitness Pal, depois armazeno como foram as minhas corridas com o chip da Nike no tênis e o aplicativo Nike Plus e, é claro, sem a música eu não sou ninguém. Entro em desespero só de pensar que posso ter esquecido o fone em casa, porque sem uma coisa bombando no ouvido logo cedo, tenho certeza que rendo muito menos.

Por isso, finalmente chegou a hora de fazer uma mixtape com músicas para correre para se exercitar, de uma forma geral, é claro! Se você não corre ainda e tem vontade, não desanime: pouco a pouco você chega lá. Desde meu desabafo aqui, comecei a usar os apps, aumentei a disciplina e já atingi metade da minha meta. E o mais importante: sem neura, sem maluquice e sem passar fome. ;)


.

Como vocês vão sentir, essas músicas partem do aquecimento até um grande punch final e o desaquecimento. É realmente o que tenho ouvido agora na esteira de todo dia e tentei incluir músicas novas bacanudas para animar. O sprint é mesmo em “212” da Azealia Banks: já estou a todo vapor e antes de botar o coração pra fora, só foco em ficar com o corpo da negona gata! rs

Então, levante este traseiro gordo e dê o play: 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

1. Charli XCX – You (Ha Ha Ha)
2. Friendly Fires – Hawaiian Air
3. Kris Menace & Miss Kittin – Hide
4. Sam and The Womp – Bom Bom
5. Ke$ha – Warrior
6. The Young Professionals – D.I.S.C.O.
7. Kat Graham – Put Your Grafitti On Me
8. Icona Pop – I Love It
9. Kreayshawn – Go Hard
10. Azealia Banks – 212
11. Santigold – Disparate Youth

E um recado da pessoa mais descrente do planeta, até pouquíssimo tempo atrás: devagar e sempre já é melhor que não fazer. No fim das contas, você vai agradecer por ter tomado esta atitude por você!

se o Ryan Gosling tá pedindo, dê 5 minutos de atenção!

Como emagreci 100 gramas em três meses (ou como abracei a raiva indo à academia 4 vezes por semana)

qui

Tenho que confessar: não sou a pessoa mais positiva do mundo. Sou uma mestra na arte da auto-sabotagem e como toda pessoa racional que age irracionalmente consigo mesma, sou capaz de encontrar os mais variados motivos para me jogar num poço sem fundo. Dito isso, aí vem a minha história de hoje, cof cof.

ok!

Há três meses re-comecei a fazer exercícios. Eu me matriculei na academia tentando mudar alguma coisa em novembro do ano passado, fiquei indo nadar duas vezes por semana, não vi grandes diferenças, parei dois longos meses no inverno e aí, quando o cheque da academia zerou minha conta e eu tomei um sustinho com a balança, finalmente resolvi retornar.

Apesar de ter sim aqui uma nota mental de quantos kilos eu gostaria de emagrecer – até mesmo porque engordei páporra -, resolvi ir várias vezes por semana e ver no que dava. Sem meta, comendo o que eu como, esperando colher calmamente os resultados e torcendo para que eles me estimulassem.

Bem, recomecei caminhando e nadando. Passei a correr, comecei a conseguir correr mais. Já corro bastante. Faço aulas de jump, nado de vez em quando. Fui pelo menos 3 vezes por semana, geralmente quatro à academia. Para quem estava sedentariazona, belo avanço! Minha ~deusa interior~ (HUAHUAUHA) comemorou a virada: nunca na minha vida tinha conseguido fazer exercícios quatro vezes num espaço de sete dias.

Aí no segundo mês resolvi que ia me pesar toda quinta e, logo no meu primeiro encontro com a balança, uma surpresa: eu não tinha emagrecido uma única grama. Um nada. Nem 0,0001. Saí da academia derrotada. Fiquei com raiva, com ódio; corri mais pra compensar e bati um papo com o professor.

Na semana seguinte, com a mesma roupa, me pesei. 100g a menos. E nada mais, na semana seguinte, na outra… Finito, parou aí: eliminei um prato do kilão. Reclamei no Twitter, reclamei na orelha do namorado, xinguei, chorei, me senti a última das mortais, tive depressão vendo fotos de antes & depois alheias. Pode me chamar de derrotista, pessimista e qualquer outro “ista”, mas a academia conseguiu diminuir ainda mais minha auto-estima.

Antes de você me dar qualquer conselho, devo explicar. Eu amo comer. Eu amo comer e comer bem. Pra mim, comida não é gula, é cultura. Eu não sei quando foi a última vez que fui a um Mc Donald’s, Burger King foi há mais um ano, não sei quando foi a última vez que abri um pacote de salgadinho, adoro salada, não tenho fúria por doce nem por chocolate. Tenho ovos de páscoa mofando na geladeira. Só sou trash quando viajo – e, coincidentemente!, sempre emagreço. Mas viagem é momento mágico pra mim, em todos os sentidos, sei lá o que acontece.

Voltando ao desabafo, é por gostar de comer bem e por adorar cozinhar que não me animo nem um pouco com o primeiro conselho que me dão quando conto a história: “vá a um nutricionista”. Ok. Procurei alguns bem contra a minha vontade e sei que aumenta a chance de ter resultados, mas ainda não quis ir me consultar, até mesmo porque vou viajar (você pode inserir sua desculpa aqui, caso se identifique com o meu caso). E, ah, também não quero fazer nenhuma dieta restritiva “só pra me animar” com o retorno rápido – fiquei uma semana sem comer carboidrato, tomei bronca na piscina e ainda fiquei com fama de “a louca da dieta” na natação. Ah, sim, claro: nem assim emagreci nada, tá? E os hormônios vão bem, obrigada.

Sabe, comida pra mim é um prazer e esse próximo passo seria como contratar alguém para ficar regulando meus orgasmos. É claro que eu não sou tão babaca e sei que a auto-confiança de um corpo melhor ajuda até os orgasmos-orgasmos, mas meu bode inflacionou e está do tamanho de um trem neste exato momento, especialmente com a recente descoberta da minha vocação pra panicat sem precisar de suplemento.

Para não dizer que não falei das flores, a pele tá melhor, o humor tá melhor, o reloginho tá funcionando, todas essas coisas que te falam e me falam são verdade e acontecem. Eu continuo indo e treino mesmo com raiva. Ultrapasso minhas próprias marcas, sorrio. Fico sem saber o que fazer com esse impasse, continuo com raiva.

A questão é que eu inventei que quinta é o dia de me pesar, o que significa que hoje é dia. Então vou decidir que é dia de finalmente se amar, e não só passar raiva.

.

5 Motivos para você começar a nadar hoje

ter

Post totalmente influenciado pelas minhas queridas aulas de natação matinais.


Michael Phelps fotografado por Ryan McGinley; veja mais

.
1. A natação trabalha todos os músculos do corpo, e quando você menos esperar, seu abdômen estará fortificado e o seu peitoral também – o que, para as meninas, pode significar peitos maiores, e não “largos”, como a maioria acredita;

2. Você compete com você mesmo – e com os outros: enquanto em exercícios repetitivos comuns você sofre com seu próprio suor, cansaço e conta os segundos para a aula acabar, na natação é bem provável que você se pegue criando competições mentais contra os outros alunos, e isso só te ajuda a ficar cada vez mais ágil;

3. O nado aumenta seu fôlego e também sua capacidade respiratória, de forma que pessoas que sofrem com bronquite ou rinite podem até estranhar no começo, mas certamente terão suas alergias amenizadas depois de um tempo de prática;

4. A piscina é quentinha, então mesmo no frio não há porque fugir!;

5. Ninguém sai da aula suadinho, fedidinho ou grudandinho. A única questão do pós-aula é o tal “clima de vestiário”, em que todo mundo pode ver sua buzanfa a todo momento. Para resolver isso, faça natação bem perto da sua casa e tenha o prazer de tomar banho no seu próprio chuveiro logo em seguida. (eu prefiro!)