Os problemas que a Barbie teria se fosse uma mulher de verdade

sex

Barbie: linda e mais que impossível

Um corpo como o da Barbie, na vida real, simplesmente não existe. Talvez uma medida ou outra possa ser reproduzida naturalmente numa mulher, mas exibir todos os atributos da loirinha mais famosa do mundo é algo não só impossível, mas desumano. Desumano no sentido de que, se Barbie fosse real, ela não teria espaço para um fígado adulto no corpo (!), não conseguiria andar de pé (!) e provavelmente só teria alguns centímetros de intestino (!).

É isso que prova a série de infográficos lançada pelo site Rehabs.com, que tem como uma de suas especialidades tratar de pessoas com desordens alimentares. O trabalho reuniu um grupo com características de uma americana média e comparou suas características e proporções com as da boneca Barbie, com modelos famosas e também com pacientes anoréxicas. O resultado é, no mínimo, surpreendente, já que a boneca tem medidas menores que de pessoas doentes.
.

comparando as medidas da Barbie com as de uma americana comum (os números estão em polegadas)

Os problemas que a Barbiezinha teria: ela não conseguiria andar de pé, só de quatro (!), só teria meio fígado, não seria capaz de levantar peso e muito menos de levantar a cabeça (!)

Comparando as medidas da Barbie com três perfis de mulheres: a proporção entre peito e cintura é de uma em bilhões e bilhões, ou seja: praticamente impossível

.
Depois dessa, a gente vê que Barbie é realmente um item de colecionador: rara, única e bem longe de estar perto do padrão! rs

 

Comentários via Facebook

7 comentários

  1. Priscila

    Apesar de ter crescido amanado Barbie, e ter amado minha mãe ter me apresentado a Barbie kkkk’ e ainda gostar da Barbie ~ não, eu não brinco de Barbie LOL ~ entendo pq eles fazem esse tipo pesquisa

    Responder
  2. Jana

    Apesar de interessante, acho meio besta fazerem isso com fins médicos. É uma boneca, um personagem fictício! Claro que ela tem proporções irreais. Imagina se as Blythes fossem pessoas… Ou qualquer personagem de desenho, como as Meninas Super Poderosas ou uma dessas de desenho japonês…
    Não acho que afete muito a auto-imagem da criança, justamente por serem imaginárias… Acho essa photoshopagem de estrelas muito mais prejudicial, pq aí nós (adultas) pensamos: nossa, que mulher linda, preciso ficar mais bonita. Mas, na verdade, são gente como a gente, apenas hiper produzidas e com uma ajuda digital. Por isso que temos uma visão mais crítica da boneca quando ficamos mais velhas: por refletirmos nela uma insegurança que adquirimos com o tempo, em outros lugares… Quando crianças, víamos apenas como uma boneca qualquer…

    No fundo, acho que gostamos de pegar uns bodes expiatórios e a Barbie faz essa função no mundo dos brinquedos.

    Responder
    1. Fernanda Pineda

      Jana on 20/04/2013 at 2:59 pm said:

      Apesar de interessante, acho meio besta fazerem isso com fins médicos. É uma boneca, um personagem fictício! Claro que ela tem proporções irreais. Imagina se as Blythes fossem pessoas… Ou qualquer personagem de desenho, como as Meninas Super Poderosas ou uma dessas de desenho japonês…
      Não acho que afete muito a auto-imagem da criança, justamente por serem imaginárias… Acho essa photoshopagem de estrelas muito mais prejudicial, pq aí nós (adultas) pensamos: nossa, que mulher linda, preciso ficar mais bonita. Mas, na verdade, são gente como a gente, apenas hiper produzidas e com uma ajuda digital. Por isso que temos uma visão mais crítica da boneca quando ficamos mais velhas: por refletirmos nela uma insegurança que adquirimos com o tempo, em outros lugares… Quando crianças, víamos apenas como uma boneca qualquer…

      No fundo, acho que gostamos de pegar uns bodes expiatórios e a Barbie faz essa função no mundo dos brinquedos.

      Pode ser, Jana! Mas tem uma questão: a Barbie tem o corpo mais adulto entre as bonecas. Uma Blythe, por exemplo, quase não tem seios ou bumbum, se não estou enganada. Embora a gente quando criança não se veja na boneca, a imagem pode acabar ficando no “subconsciente”. Aí é pá-pum pra se identificar de novo quando cresce e vê a famosa inalcançável.

      Mas, ÓBVIO, também acho que não é só isso que faz a gente ser obcecada por um ideal. Você tem toda razão ao dizer que a gente procura bodes expiatórios. É mais fácil culpar os outros do que aprender a se amar, né? rs

      Responder
  3. andreia inoue

    Se bem que hoje em dia,muitas garotas apelam ate para cirurgia, para alcancar a perfeicao impossivel da barbie. :/

    Responder
  4. liana

    Eu acho que A barbie existe sim

    Responder
  5. Decha de se besta kkk so as mulheres q quer tentar ser mas nunca chegarao nem perto pois e uma boneca fictsia..

    Responder

Deixe seu comentário