10 coisas que a segunda temporada de “Girls” mostra sobre os jovens

sáb

A segunda temporada de “Girls” chegou ao fim no último domingo e os episódios fizeram, mais uma vez, um retrato dos jovens adultos, ou pelo menos dos jovens adultos nova-iorquinos. Embora o seriado ainda seja muito criticado por sua visão estreita de alguns assuntos, as verdades estão lá e o sucesso só veio com a identificação do público.

Dito isso, separei as 10 verdades que a segunda temporada de “Girls” escancara sobre jovens homens e mulheres de 20 e tantos que ainda não sabem muito bem a que vieram (contem spoilers pontuais!).

. 

1. Nós AINDA não sabemos o que queremos

Nós não temos a menor ideia. Não temos certeza de nada: Marnie arranja um emprego aleatório para “se encontrar e ganhar dinheiro”, Shoshanna se declara para o namorado e resolve ficar com outro pouco depois, Hannah aceita empregos malucos e Jessa se divorcia. Logo no primeiro capítulo, Marnie resume tudo muito bem: “Eu queria que alguém me dissesse: ‘é assim que vai ser o resto da sua vida'”. Quem nunca desejou isso?

.

2. Nós temos a impressão sincera que podemos fugir dos problemas (e de que isso é aceitável)

Hannah sai para curtir com roupas duvidosas numa bela quarta-feira à noite e Jessa continua desaparecendo a todo momento – além de ter largado a amiga para trás durante uma visita a seus próprios pais.

.

3. Aceitamos propostas absurdas de trabalho porque uma proposta ruim é melhor que não ter proposta

Lembram do link sobre os jovens de 20 anos trabalharem 20 horas por menos de 20 mil ao ano? Então: é Hannah e seu ebook, que deve ser realizado com perfeição até o fim do mês. É Hannah e suas matérias malucas de jornalismo gonzo, que a obrigam a perseguir o vizinho ex-viciado. É Marnie virando hostess porque não pode continuar como curadora de arte. Quem não leu, recomendo novamente aqui.

.

4. E ficamos pirados ao ver alguém que conseguiu realizar até os sonhos que não tinha ainda

No auge da crise, Marnie vira a ex-namorada stalker e não se conforma ao ver Charlie realizado e aparentemente rico após lançar um aplicativo bem-sucedido de Facebook. Digamos que, dramaturgicamente, foi um turning point tirado da cartola, mas quem nunca ouviu ou viveu uma história do tipo?

.

5. Não assumimos nossas fraquezas para nossos melhores amigos

Ao final do episódio 6, Marnie e Hannah se enganam. Uma imagina que a outra está numa situação melhor e a dupla tem uma patética conversa por telefone. Ambas fingem estar perfeitamente bem, a vida segue e os problemas vão para debaixo do tapete. Melhor comemorar apenas as conquistas – coisa que Hannah faz com o jantarzinho do capítulo 4.

.

6. Culpamos nossos pais por nossos fracassos

Embora Jessa seja extremamente avoada e temperamental, ela não falha ao lembrar que só é assim porque viveu numa família problemática. Com tanta personalidade assim, não seria melhor e mais saudável simplesmente tentar mudar?

.

7. Não sabemos nos cuidar

Seus amigos são presentes o suficiente para te levar até o hospital? Para te acompanhar e cuidar de você? Se sim, que sorte. Aparentemente a maioria não pode dizer o mesmo: não sabemos nos cuidar e sempre ligamos para a mamãe e para o papai desesperados para saber qual remédio tomar.

.

8. Não conseguimos lidar com prazos

A geração Y se acha tão produtiva que pensa que pode checar o e-mail, atender o telefone, ver os updates no Facebook, tocar uma apresentação de Power Point e almoçar ao mesmo tempo. Os prazos chegam, os talentosos ficam para trás e os persistentes é que chegam lá. Tudo porque você ficou navegando enquanto deveria estar focado: Hannah e seu Yahoo respostas confirmam a tese. Cena do final da temporada para rir alto!

.

9. Não sabemos lidar com o sexo casual

Marnie e seu affair Booth, o artista plástico, são os exemplos da vez. A pobre garota linda não compreende que não passa de um passatempo e se esquece de aproveitar a situação com a qual tanto sonhou – esquece até de aproveitar o sexo enquanto ele ainda existe. Por outro lado, Hannah não tem limites nem critérios – pelo menos tem a atitude de garantir o seu “proveito”. E isso nos leva ao item número 10, que é….

.

10. Ainda não deixamos de ter preconceito com a garota desajeitada que consegue “o príncipe”

Depois da repercussão polêmica do capítulo de número 5, em que Hannah transa com um rapaz mais velho, rico, bonito e gostoso, e desta série de outras questões, ainda temos que lidar com o fato de que as mulheres são sim grandes propagadoras do machismo. E as “moderninhas” não escapam. Já deu.

.

.

Comentários via Facebook

11 comentários

  1. Loize

    Adorei ! É um dos melhores posts aqui do blog … se você está nessa idade, pelo menos com um item você se identifica. Muito bom !

    Responder
    1. Fernanda Pineda

      Loize on 23/03/2013 at 10:31 am said:

      Adorei ! É um dos melhores posts aqui do blog … se você está nessa idade, pelo menos com um item você se identifica. Muito bom !

      É isso mesmo.. Somos “tão diferentes”, mas no fim, tão parecidos (e problemáticos!!) rs

      Responder
  2. Raquel Arellano

    Fer, eu estendo esses teus comentários para a galera dos 30 também. Aliás, alguns destes pontos são ainda mais complexos quando vc passa dos 30. No quesito “sexo casual” por exemplo, existe toda aquela pressão de que, se vc é solteira, precisa já estar tranquila quanto a isso… porque né, é provavelmente uma mulher feita e segura.

    No quesito “saber o que fazer da vida”, também é algo que só se complica com o tempo. Quem dera todo mundo pudesse se sentir feliz e realizado aos 40, 50 anos… Hoje em dia, o que mais vemos é gente que larga tudo (tipo eu HAHA) pra fazer o que realmente ama.

    Confesso que esperava um tanto mais dessa season finale mas em geral fiquei satisfeita com alguns desfechos… menos com o sumiço da Jessa… sei lá… Vamos ver como a Lena Dunham vai voltar com a história!

    Responder
  3. Luciana

    Fe, o que você achou da segunda temporada? Seria legal ler uma critica por aqui :) Adoro seu blog! Beijos

    Responder
  4. Luciana

    Fe, o que você achou da segunda temporada? Seria legal ler uma critica por aqui :) Adoro seu blog! Beijos

    Responder
    1. Fernanda Pineda

      Luciana on 23/03/2013 at 1:57 pm said:

      Fe, o que você achou da segunda temporada? Seria legal ler uma critica por aqui :) Adoro seu blog! Beijos

      Ai, eu gostei bastante! Acabei querendo dar um viés diferente, será que ainda vale uma opinião sobre o assunto? hahahah Acho que todo mundo já viu né?

      Responder
  5. Giovana

    Simplesmente, adorei! =)

    Responder
  6. Tany

    Assisti o nono episódio ontem e já meio que sei o que vai acontecer no finale, mas a verdade é que eu não entendo quem odeia essa série. Ela é bem realista em vários problemas que lidamos nessa idade e podem sim, ser problemas idiotas, mas são problemas que muita gente pode se identificar, principalmente nós que não somos nem garotas e nem mulheres. É aquele meio termo que deixa todo mundo perdido. A transição de um pro outro não é nenhum pouco fácil e em grande parte do tempo, frustrante.

    E me deixa feliz saber que tem, pelo menos, uma série em que o mundo é mais do que roupas bonitas e garotos.

    Responder
  7. Rebiscoito

    Fe, esse seu post ta ótimo! Acho que descobri Girls lendo seu blog, e nesse post você traduziu muito do que eu senti com a segunda temporada… Coisas que até não tinha parado pra pensar, como o seu ponto de vista sobre o ep 5 no último item.

    Enfim, gostei tanto que deu vontade de comentar mesmo sem ter muito a dizer. hehe beijão!

    Responder

Deixe seu comentário