Será que você está presa na Matrix da Classe Média?*

qua

você já quis comprar o que não precisa com o dinheiro que não tem?

Todos os dias somos bombardeadas com mil e uma imagens de moda, de tendências e, resumindo, de consumo, algo que já era comum no mundo todo e começa a acontecer também por aqui. Só no último ano, quantas marcas e redes chegaram no país – algumas, aliás, com preços exorbitantemente mais altos que no exterior? Se já não é difícil encontrarmos matérias sobre como poupar em revistas estrangeiras para mulheres, aposto como a mesma coisa deve começar a acontecer no Brasil também.

Essa “sedução” faz até a gente parar pra pensar se não vale a pena pagar muito mais caro numa bolsa ou acessório para impressionar, para se sentir “up-to-date”. Às vezes nossa desculpa é dizer para nós mesmas que o item da marca X vai durar muito mais que o da fast-fashion Y, e somos mesmo influenciadas por  aquela amiga incrível, por aquela blogueira incrível e, claro, pelas celebridades, sempre incríveis. Mas quem nunca ouviu a história da colega que estava se endividando para bancar seu “lifestyle”? As “Becky Blooms” e as shopaholics existem em todos os níveis e não é preciso carregar uma it-bag ou um lenço Hermés para entrar para a categoria.

Esse papo todo tem muito a ver com os comportamentos da Matrix da Classe Média. Você sabe o que é isso? Entenda mais aqui.

Quantos desses erros você já cometeu? Resolveu refletir melhor sobre aquele seu “parcelamento inofensivo”? Pois esse é só o começo. Aproveite e veja também o vídeo  sobre os Quatro Cavaleiros da Pobreza que assombram a gente; clique aqui.

*Este post é um publieditorial.

Comentários via Facebook

4 comentários

  1. Camila Lelli

    Fernanda, tenho refletido muito sobre isso ultimamente. No meu caso, não são as marcas que vem pra cá custando 5, 10 x mais que na origem que me seduzem, mas quinquilharias ”inofensivas” que viram lixo em pouco tempo e fazem o dinheiro pingar, pingar, pingar… e acabar. antes de comprar algo eu penso muito, muito mesmo. a ultima coisa que na hora que vi queria mUUUUUITo e depois de olhar bem e pensar eu desisti completamente foi o Pokemon do McDonalds! sei que parece algo bobo, mas fortalecendo a cabeça contra consumismos bobos, no final de 1 mes, 1 ano, pagam um bom jantar, uma boa viagem! somos bombardeados desde pequeninos com marketing forte e bem elaborado, isso dificulta esse raciocionio. outro perigo nessa matrix: credito facil a juros baixos. sera que ate na CRISE queremos imitar os americanos? galera, vamo dar uma segurada! beijo!

    Responder
    1. Fernanda Pineda

      Camila Lelli on 10/10/2012 at 1:33 pm said:

      Fernanda, tenho refletido muito sobre isso ultimamente. No meu caso, não são as marcas que vem pra cá custando 5, 10 x mais que na origem que me seduzem, mas quinquilharias ”inofensivas” que viram lixo em pouco tempo e fazem o dinheiro pingar, pingar, pingar… e acabar. antes de comprar algo eu penso muito, muito mesmo. a ultima coisa que na hora que vi queria mUUUUUITo e depois de olhar bem e pensar eu desisti completamente foi o Pokemon do McDonalds! sei que parece algo bobo, mas fortalecendo a cabeça contra consumismos bobos, no final de 1 mes, 1 ano, pagam um bom jantar, uma boa viagem! somos bombardeados desde pequeninos com marketing forte e bem elaborado, isso dificulta esse raciocionio. outro perigo nessa matrix: credito facil a juros baixos. sera que ate na CRISE queremos imitar os americanos? galera, vamo dar uma segurada! beijo!

      Mas é assim mesmo, Cá. Tem que ponderar, só não vale cortar fora aquelas pequenas coisas (pequenas mesmo!) que te dão prazer. Falo por mim: eu sei bem quanto economizaria se parasse de gastar com os meus cafés espressos – mas e a alma, como ia ficar? E as conversas deliciosas que rolam no café? Também não dá pra ser xiita. ;)

      Responder
  2. Camila Lelli

    Fernanda, nao da mesmo pra ser xiita, especialmente quando se trata de momentos que trazem felicidade e agregam, como um cafe que anima a manha, batendo papo com os amigos. me referi mais a consumos tolos que hoje tem valor, mas daqui uma semana viram tranqueira, e isso vale tambem pra imitacoes de coisas de grife, que parecem boas e aceitaveis mas depois de um tempo vc decide que nao prestou, e ai vira lixo. e’ ate ecologicamente errado, consumir tanto sem pensar

    Responder
    1. Anderson

      Oi,só queria dizer que tu está fazendo muita falta,e que, independente em que plano esteja,estarei sempre pensando em ti. Fique em paz, sempre.????

      Responder

Deixe seu comentário