Gota d’água na mensalidade da faculdade

seg

Inspirados pelo movimento “Gota D’Água” contra a Usina de Belo Monte, alunos de Rádio e TV da Cásper Líbero resolveram fazer um vídeo nos mesmos moldes para criticar o aumento da mensalidade do curso, que vai passar de absurdos R$1500.

O vídeo das celebridades indo contra a usina foi bastante criticado e alguns argumentos foram inclusive contrariados num outro vídeo, também neste mesmo formato, mas o fato aqui é que os meus “bichos” que estão por lá (para quem não sabe, me formei em RTV na Cásper em 2009) resolveram fazer barulho para reclamar:


Eles fizeram contas, escreveram um texto esclarecedor e resumiram os motivos que explicariam o aumento: “melhorar a infra-estrutura”. Esse foi o mesmo motivo do aumento enquanto eu ainda estava na graduação e realmente um novo estúdio muito bacana e moderno foi inaugurado. Pude usá-lo nos meus dois últimos anos de curso. Mas, veja bem, já há motivo para outro investimento? O estúdio novo já está velho? Não visito a faculdade há tempos, mas duvido muito que a necessidade exista.

Resolvi divulgar o vídeo não pelo “divulga o vídeo! Divulga o vídeo!”, mas porque sei bem o discurso que eles estão ouvindo lá dentro e é impossível não se revoltar. É caro estudar sim, é difícil conseguir estágio sim e a Fundação Cásper Líbero já é isenta de diversos impostos por se tratar de uma fundação.

Fica difícil entender, portanto, porque repassar mais uma vez custos tão altos para os alunos, especialmente quando as estruturas inauguradas em 2008 (tão demoradas e tão estudadas antes de sua implantação) não devem ter se tornado obsoletas, mas podem estar mal cuidadas e mal aproveitadas.

O aumento é repassado aos alunos de Rádio e TV, mas a verdade é que todos os cursos acabam usando um pouquinho, naquele “horáriozinho vago”. Só que, acredite, nas semanas de entrega de trabalho de um curso que precisa de avaliações práticas, o “pouquinho” atrapalha legal.

Está na hora de direção e alunos terem uma conversa franca sobre a mudança – e está na hora de aproveitar um pouco melhor o que se tem na mão, cuidando e mantendo. Um trabalho que deve ser feito não só pela equipe técnica e pelo corpo docente, mas pelos próprios alunos que tem de tomar conta do patrimônio que estão bancando.

Cabe dizer que a estrutura técnica oferecida no mercado de trabalho não está tão longe assim do que a Cásper passou a oferecer aos alunos em 2008. Pelo contrário, tem muita infra-estrutura bem pior por aí e gente se virando nos 30 para fazer as coisas acontecerem. Voltando fita pra gravar outra matéria em cima. Aproveito para dizer: welcome to the real world. 

.

ps: mal postei e já fiquei sabendo que as coisas mudaram E MUITO por lá, obviamente para pior. Pelo que percebi, dei sorte de ter pegado as coisas novinhas depois de dois anos e meio com a estrutura antiga. Infelizmente não conheço os alunos que estão fazendo o curso hoje, então convido-os para se manifestarem nos comentários contando o que está de fato rolando.

Comentários via Facebook

9 comentários

  1. Thais

    Obrigada por divulgar!!
    Só quem passou pela Cásper entende.

    Responder
  2. Lucas

    – Resumo de um texto valendo 10 como avaliações bimestrais.

    – Chroma key quebrado.

    – Laboratórios em manutenção sempre.

    – Falta de equipamento pra atender todo mundo (e até o povo de JO).

    – Apresentar seminário o ano todo, todas as aulas, sem a profa. dar matéria.

    – Falta de feedback dos professores.

    E por aí vai…

    Responder
  3. Carol

    Oi Fe! Eu sempre leio seu blog e acabei de me formar na Cásper em RTV! Eu participei daquele game show do Donato que vc apresentou no 4º ano hahaha…Em relação a esse “espaçozinho” dos outros cursos, já virou até uma ilha de edição exclusiva pro pessoal de Jo e PP, e justamente nas semanas de entrega de TCC o pessoal de RTV se ferra e tem que ficar que nem louco pedindo brecha pro pessoal . Além disso, esse ano foi inagurada uma sala com uns 20 MACs novinhos, com o ultimo Final Cut e tudo, mas a maioria que tem acesso de fato é o pessoal de PP pra ficar mexendo no Illustrator da vida…Enquanto isso, a gente precisa de mil autorizações pra usar aquela sala, reservar e tudo, enquanto ela fica vazia durante vários dias…Equipamentos, nós “ganhamos” algumas câmeras da Gazeta, obviamente VELHAS, como se fosse uma puta melhoria, já que eles renovaram o sistema para HD. Quer dizer, pra não jogar fora, vamo lá dá pro povo de RTV…Corpo docente, não preciso nem te falar né? Você sabe os picaretas com quem vc teve “aula”. Felizmente esse ano foram feitas 2 melhorias em relação a isso, ou seja, duas demissões hehe…Realmente o aumento NUNCA foi justificado e demonstrado efetivamente nestes 4 anos em que estive lá, e tenho muita pena de quem tá entrando na facu agora. Pra terminar,mais um detalhe ridículo pra vc se situar: todas as turmas de RTV foram transferidas para o 5º andar (ja que a produção da tv ocupou as antigas salas) e nós estamos na PIOR sala, com a PIOR acústica, e obviamente, até mais da metade do ano, não tinhamos nem COMPUTADOR, ou PROJETOR instalados na sala, afinal nosso curso nem é de audiovisual né? :P se eu lembrar de mais alguma coisa, eu posto! hahah bjs!!

    Responder
  4. Fernanda

    Sou aluna de JO na Cásper, mas acho que as reclamações dos alunos de RTV meio que representam todo mundo. Porque simplesmente não dá pra entender como a fundação consegue ser tão escrota com a estrutura e os funcionários da faculdade. Pra começar, as salas, pelo menos no quinto andar, não têm ar condicionado, poucas têm projetor e várias não têm cortina nem maçaneta. Os equipamentos de vídeo são ultrapassados e são poucos. Eu vou fazer um documentário ano que vem de tcc e vou ter que comprar minha própria câmera, porque o estado das mini-dvs da cásper é bem complicado. Mas talvez o pior seja em relação aos funcionários e corpo docente. É muito revoltante a gente pagar super caro pra ter professores terríveis (nível dar uma tese de mestrado dele incompleta para a gente dar ideias para a conclusão – e isso é a nota bimestral) e ver os sonoplastas e editores de vídeo, que são ótimos e ajudam MUITO, sendo demitidos. Acho que esse vídeo é até muito bem educado em relação a tudo que a gente tem vontade mesmo de falar.

    Responder
  5. Clarice

    Primeiramente obrigada por divulgar o vídeo!
    Bom, já que você abriu o espaço para nos revoltarmos aqui [haha], vou aproveitar.
    Bem, eu entrei na Cásper esse ano, to indo pro segundo ano e sou aluna de RTV. Na época que prestei vestibular deixei bem claro que só prestaria em faculdades que REALMENTE entraria. Pois bem, sempre ouvi falar bem da Cásper e decidir tentar e no final foi pra lá mesmo que eu fui. Eu não acho a Cásper uma faculdade ruim, não acho mesmo, mas acho que temos vários problemas que não deveríamos, mas sinceramente, que faculdade não tem? Nem por isso vamos ficar de braços cruzados. Acho que podíamos ter mais oportunidades e acho que a mensalidade é muito cara para o que temos. Dizem que vai entrar uma grade nova pra 2013 [não tenho certeza dessa parte, foi o que ouvi] e talvez as coisas acabem mudando. Eu também só fiz o primeiro ano e talvez com os próximos anos as coisas mudem. Temos uma sala cheia de MAC. O grupo que eu normalmente faço trabalho vivia tentando ir lá editar, pergunta se conseguíamos? Autorizações aos montes, sala sempre reservada pra aula de outros anos e outros cursos… Tem também aquela coisa de muita matéria teórica. Eu acho que precisamos sim de matérias teóricas, mas umas ali não são tão necessárias assim [humilde opinião].
    Enfim, eu espero que o vídeo ajude a melhorar a faculdade. Só quem passou pela Cásper sabe. Dizer que a faculdade é uma completa porcaria é um absurdo, mas há coisas em que podemos sim melhorar.

    Responder
  6. Ana Carolina Neira

    Sou aluna de JO na Cásper e muito do que o pessoal disse aí em cima é verdade, não preciso nem repetir. Uma das coisas mais absurdas pelas quais passei lá dentro foi quando precisei de uma câmera profissional para fazer um trabalho de fotojornalismo no primeiro ano da faculdade. O cara do laboratório me deu uma mas pediu para que eu levasse uma segunda comigo, pois segundo ele a primeira estava com defeito em um lugar “x”. O problema é que a outra câmera também tinha algum problema. Quando eu perguntei se não havia nenhuma em bom estado ele disse que não e abriu o armário para me mostrar: umas 10 câmeras inutilizadas e quebradas, outra meia dúzia emprestadas e mais uma meia dúzia disponíveis mas daquele jeito, faltando algo, com pequenos problemas. Aí eu perguntei porque não mandavam para o conserto e ele disse que da última vez que haviam feito isso tinha ficado muito caro para a Fundação, cerca de R$800 reais por menos de 10 equipamentos. Peraí! O que são R$800 para a Fundação? Por equipamentos que os alunos precisam? Eu pago mais de mil reais por mês e preciso escutar isso.
    Fora as salas sem datashow que nos obriga a ficar trocando de sala, professor brigando porque precisa usar o equipamento ao mesmo tempo, salas abafadas, ventiladores quebrados, carteiras velhas, um laboratório de Mac que não podemos usar sempre, equipamentos de RTV herdados da Gazeta.

    Responder
  7. Daniele Yamamoto

    Lucas, entendo tb que pela pouca concorrência/vaga (2 a 3 c/v nos cursos diurnos de RTV, RP e PP, segundo o site) se os professores começarem a exigir dos alunos (que entram com? muita facilidade), muitos vão abandonar a faculdade e o problema vai ser ainda maior. Por isso é uma faca de 2 gumes, não tem como dar um ensino rígido, entendeu?

    Não é culpa só dos professores e sim do “mercado”.

    Beijos!

    Responder
  8. Daniele Yamamoto

    Lucas on 19/12/2011 at 8:39 pm said:

    – Resumo de um texto valendo 10 como avaliações bimestrais.

    – Chroma key quebrado.

    – Laboratórios em manutenção sempre.

    – Falta de equipamento pra atender todo mundo (e até o povo de JO).

    – Apresentar seminário o ano todo, todas as aulas, sem a profa. dar matéria.

    – Falta de feedback dos professores.

    E por aí vai…

    Lucas, entendo tb que pela pouca concorrência/vaga (2 a 3 c/v nos cursos diurnos de RTV, RP e PP, segundo o site) se os professores começarem a exigir dos alunos (que entram com muita facilidade), muitos vão abandonar a faculdade e o problema vai ser ainda maior. Por isso é uma faca de 2 gumes, não tem como dar um ensino rígido, entendeu?
    Não é culpa só dos professores e sim do “mercado”.
    Beijos!

    Responder
  9. Fernanda

    Daniele Yamamoto on 20/12/2011 at 5:50 pm said:

    Lucas, entendo tb que pela pouca concorrência/vaga (2 a 3 c/v nos cursos diurnos de RTV, RP e PP, segundo o site) se os professores começarem a exigir dos alunos (que entram com muita facilidade), muitos vão abandonar a faculdade e o problema vai ser ainda maior. Por isso é uma faca de 2 gumes, não tem como dar um ensino rígido, entendeu?
    Não é culpa só dos professores e sim do “mercado”.
    Beijos!

    Lucas on 19/12/2011 at 8:39 pm said:

    – Resumo de um texto valendo 10 como avaliações bimestrais.

    – Chroma key quebrado.

    – Laboratórios em manutenção sempre.

    – Falta de equipamento pra atender todo mundo (e até o povo de JO).

    – Apresentar seminário o ano todo, todas as aulas, sem a profa. dar matéria.

    – Falta de feedback dos professores.

    E por aí vai…

    É, muita coisa mudou. Quando eu entrei o nível não era esse e a própria concorrência era maior. O descaso dos professores também pode ser fruto de uma outra crise que talvez ninguém saiba ainda, já que a Cásper já passou por algo parecido há anos atrás quando diversos professores resolveram deixar a fundação.

    Responder

Deixe seu comentário