Analista profissional de “Playboy”

sex

“me olha que eu gosto”

Eu queria não começar essa texto de um jeito clichê, mas vou ter de começar assim e vocês me desculpem. Todos os dias somos bombardeados pela publicidade, pela imprensa, pela indústria da moda, dos cosméticos e até da cirurgia plástica, com modelos.

Resumos, rascunhos e best-sellers de obras primas da forma humana se multiplicam na sua frente e você ali, consumindo; consumidores passivos de imagens que somos. Neste quesito, aliás, até quem acha que é um ponto fora da reta desse borogodó de influência se engana. Mesmo mantendo seu gostinho pessoal excêntrico e blasé, uma hora a mídia te empurra uma verdade universal e você tem de admitir: qualquer ser humano pegaria Angelina Jolie.

Não sei como isso começou, mas vou aqui confessar um segredinho de Gerson (sim, o doentinho sexual da novela) – e também um prazerzinho mórbido. Estão aí todos sentados? Prontos? …

Então: eu curto ficar olhando para tudo isso. Não, não me dá prazer sexual e eu não tenho sonhos molhados com isso à noite, eu simplesmente curto. Sabe aquele prazer idiota de ficar com os olhos repousados sem focar a visão em nada? Tipo isso.
.

“e continua olhando”

Para mim, são visões de paisagens, paisagens que relaxam, mas que ainda assim não fazem bem. Bater o olho em tanta foto de bundas lisas e biquínis cavadinhos me fazem imediatamente começar um exercício de comparação com meu próprio corpo. Na esmagadora maioria dos casos, meu corpo perde, óbvio, até porque só vejo gente bonita aprovada pelo padrão, tá? Ainda não sou (tão) masoquista.

É como um check-list: cabelo liso? não tenho; lábio cheinho? não tenho; silicone no peito? não comprei; barriga lisa? HAHAHA. E aí a vida continua: basta fechar a janela da foto ou jogar a revista longe para se certificar de que tudo (meu) continua em seu lugar e nada mudou.

Não conheço mais ninguém que tenha essa mania bizarra, ou que pelo menos confesse, mas me sinto muitas vezes simplesmente analisando corpos femininos. Também tenho certa preferência pelas poses o mais desnudas possível, ok? Relatório de “Playboy” é comigo mesma: vejo todas as edições, e não é para ver se fulana é bonitinha ou se depila tudo.

Lógico que, durante uma análise, reconheço a beleza e gostosura da pessoa, como no caso da supracitada Jolie, mas não fico observando-a para isso. Observo as mulheres para me observar.

O sentimento de derrota diante de uma imagem é gigantesco e talvez isso não seja absolutamente nada saudável, mas um pouquinho de confissão não faz mal; pelo contrário, ajuda. O terapeuta do Gerson e também a minha dizem que “só o fato de falar sobre já é bom”.

Portanto, confesso: “vejo fotos da Megan Fox quase pelada só para me sentir feia”. Tá. E agora, que eu faço com isso?!

Comentários via Facebook

42 comentários

  1. Giu

    Ajuda dizer que é muito photoshop e maquiagem? Logico que elas são bonitas, mas ainda são “normais”, é só se cuidar, que chegamos ao nosso melhor, mas não o melhor que nos empõe!

    bjs fe

    Responder
  2. Fernanda

    Giu on 07/01/2011 at 8:43 am said:

    Ajuda dizer que é muito photoshop e maquiagem? Logico que elas são bonitas, mas ainda são “normais”, é só se cuidar, que chegamos ao nosso melhor, mas não o melhor que nos empõe!

    bjs fe

    Sempre ajuda! Já aconteceu diversas vezes de ver ao vivo depois uma menina capa de playboy, uma atriz, etc, sei lá, e eu ver que a pessoa no fim das contas não é grande coisa (ou só é gostosa na foto! hahaha).

    Só é um saco como a gente se deixa levar por uma foto. É o que disse: ser derrotado por uma imagem, não por alguém de carne e osso. heheh

    Responder
  3. Roberta

    Eu faço o mesmo. To sempre atrás das fotos da ultima playboy, comento em rodas quase inteiramente masculinas as fotos, e se fulana é gostosa e o porque. Gosto de analisar artisticamente as fotos, o que poderia ser melhor, onde e como ela arrasou.
    E é claro, as vezes isso deixa minha autoestima lá no fundinho do poço, porque eu sou do tipo de menina que quer se sentir a mais linda, a mais inteligente a mais tudo pro “homi”. Eu sei que isso é impossível, ainda assim…

    Responder
  4. Fernanda

    Roberta on 07/01/2011 at 8:49 am said:

    Eu faço o mesmo. To sempre atrás das fotos da ultima playboy, comento em rodas quase inteiramente masculinas as fotos, e se fulana é gostosa e o porque. Gosto de analisar artisticamente as fotos, o que poderia ser melhor, onde e como ela arrasou.
    E é claro, as vezes isso deixa minha autoestima lá no fundinho do poço, porque eu sou do tipo de menina que quer se sentir a mais linda, a mais inteligente a mais tudo pro “homi”. Eu sei que isso é impossível, ainda assim…

    Te entendo completamente, no início ao fim. HAHAHA
    É bem por aí. :P

    Responder
  5. Ana Pozzani

    Não é exclusividade sua, eu adoro ver foto dessas mulheres lindas, não tem nada de sexual envolvido, a questão é que é bonito mesmo (paisagem, como vc mesmo disse). Sou heterossexual, mas é inegável que mulher desnuda é muito mais bonito que homem, visualmente falando.
    A comparação com a beldade é inevitável, afinal, ela nasceu ‘igual’ a mim porque eu me tornei ISSO, e ela se tornou ASSIM.
    No meu caso o que me ajuda, (além de pensar que contém uma boa dose de Photoshop) é pensar que alguma coisa ali tá errada, se ela foi tão fisicamente/geneticamente beneficiada, ou é burra, ou tem bafo, ou -adicione aqui o defeito não visível que desejar-, aí eu acredito nessa ‘verdade’ e sigo minha vida, afinal já tive incontáveis tentativas para ser escrava da aparência, mas eu sempre acabo preferindo ser tornar escrava da felicidade (lê-se: não dispenso minha cervejinha porque ‘dá barriga’)

    Responder
  6. Ana Pozzani

    ops erro no comentário acima […] preferindo ser escrava da felicidade […]

    Responder
  7. @mulhervitrola

    Isso me lembrou o filme “Cashback”, rs.
    Mas acho que também há uma curiosidade do não-habitual, sei lá… mas sempre digo que mulheres gostam de observar outras mulheres. Aquela velha piadinha “mulher não se arruma pro namorado, se arruma para outras mulheres” acho válido. é quase como se fosse necessário uma aprovação. E se somos obviamente analisadas, porque não analisar também? Seja pra ficar com a auto-estima baixinha mesmo, ou pra acabar vendo que às vezes, porque não mudar um pouquinho… rs.

    Responder
  8. Dani Cruz

    olha, fê… dinheiro, fama e photoshop tornam qualquer pessoa linda. mas nem tanto – você já viu a mão HORROROSA da megan fox? o problema é que a gente não vê os defeitos dessas filhas da puta e fica achando que é toda cagada quando no fundo elas são pessoas normais também. só que pessoas normais que tem personal trainer, lipo, silicone, maquiador mara, roupas incríveis. e a gente não. estamos no time dos fudidos, minha amiga!
    no mais, nós nascemos assim… elas compraram. ;) hihi

    Responder
  9. gi

    Pensei que só eu fazia isso. Acho que vejo mais Playboys do que meu namorado O.o

    Responder
  10. Jacqueline França

    Obrigada por escrever isso. Sério.

    Lembro que eu era, sei lá, 6ª série e já olhava Playboys, pra ver como eu queria “ser” quando fosse mais velha. Aí uma vez saí com uns amigos, e no meio da galera tava o carinha dos meus sonhos, que me rejeitava. Me meti no meio da conversa dos meninos na hora que alguém falou de uma coelhinha da última capa: “Ai gente, mas ela é feia.”

    Lógico que, pra foder tudo e eu me importar, meu interesse amoroso fala: “mas que tipo de menina vê playboy?”

    Acho que esse cara bloqueou um pouco minhas olhadelas nas revistas, faço menos. Mas todo o resto, e todo o sofrimento de comparação com a imagem, tamo junta.

    E não tamo só, pelos comentários, haha.

    Beijo!

    Responder
  11. Uaba

    Uma vez meu namorado achou um arquivo no meu computador com fotos da playboy de alguém. Ele disse: “eeeei, vc tá vendo mulher pelada”. E eu perguntei: “vc viu essa?” Ele disse: “Vi, pq?” E eu: “Se vc viu, pq eu não posso ver?”.
    Eu posso com isso? Eu vejo algumas por curiosidade mesmo, pra saber se ela é isso tudo, e até mesmo para me comparar, como vc disse.
    Adorei o post.
    Bjs

    Responder
  12. Bia

    Oi! Conheci o blog esses dias e gostei do post!
    A cara da Megan Fox é falta de educação, isso sim! E a Jolie é a única mulher no mundo que não tem um ângulo ruim…
    Mas sabe que eu também adoro olhar fotos dessas mulheres, fico procurando defeitos pra pensar “hmmm, ainda bem que eu não sou assim, ufa”!!! rsrs
    Alguém comentou ali em cima das mãos da Megan Fox…imagina, do jeito que eu gosto ter mãos bonitas e unhas feitas, seria um suplício! Nunquinha que eu trocaria as minhas mãos lindas por essa cara de femme fatale! Convenci?

    Responder
  13. Deby

    Vou confessar que sempre que tô vendo revistas de moda ou feminina sempre paro nessas fotos e fico reparando na magreza, nas formas, às vezes invejando, às vezes tentando enfiar na minha cabeça que ali tem photoshop e ninguém é perfeita. Mas não adiantar, quando eu vejo uma foto da Megan Fox.. eu fico de queixo caído, acho ela linda, uma das mais lindas mulheres famosas sabe? Não é uma obssessão, mas é incontrolável, quando vejo já tô me comparando com essas mulheres que parecem ter um corpo perfeito!

    Responder
  14. Lola

    gi on 07/01/2011 at 10:29 am said:

    Pensei que só eu fazia isso. Acho que vejo mais Playboys do que meu namorado O.o

    HAHAHAHAHAHAHA É engraçado, porque às vezes eu chego pra ele e pergunto “Já viu a Playboy da fulana?”.
    Eu também vejo todas, ou a maioria. E é mais questão de comparação mesmo. Às vezes dá vontade de sair correndo pra academia, às vezes eu tento me convencer, como a Ana disse, que elas devem ter bafo absurdo ou chulé horroroso e sigo vivendo.
    E ultimamente a Playboy tem dado um show na produção das fotos, é bonito mesmo de ver!

    Responder
  15. Alyce Takai

    Eu faço a mesma coisa há anos, desde uns 14 ou 15 anos, não me recordo bem, mas sempre tratei muito naturalmente.

    Admirar mulheres acho que é um feito grande num mundo onde a maioria delas vestem-se pra competir umas com as outras e querem sempre estar melhor que a amiga do lado.

    Eu compro Playboy, Trip, Vip e amo ver mulheres bonitas, se elas forem “reais” como você (aquelas acessíveis aos nossos olhares loucos pra achar um defeitinho!) melhor ainda.

    Amo ver mulher bonita, gostosa, bem arrumada e de bem com a vida.
    Me inspira.
    Não tem nada a ver com opção sexual, apesar de achar muitas delas um tesão!

    Tem a ver com um certo auto flagelo e ao mesmo tempo um remédio para isso, uma cura, porque acabo ficando feliz e me incentivando a fazer uma academia, comer na medida ou simplesmente cuidar da pele.
    Você não é anormal e se for… quem hoje em dia não é, não é mesmo?!

    Responder
  16. Suzane

    Suuuuuuuuuper normal!
    Também faço isso, e por pura análise.
    Os mais assustados podem até achar que gostamos de mulheres, mas como você disse… “não me dá prazer sexual e eu não tenho sonhos molhados com isso à noite”.
    Vejo algumas não todas, mas é como um estímulo pra se cuidar, ir a academia, tentar ser melhor por simples comparação.

    Responder
  17. Eduardo Henrique

    Meninas, na boa, o que uma Playboy ou uma revista de moda nos mostram, é bemmm longe da realidade, vocês nem deveriam perder o tempo de vocês com isto.

    Claro, comparar é natural, mas não se deixem levar pelas fotos editadas e jogo de luz, estas modelos estão lá para isso. No mundo real, seu namorado/marido pode até achar a fulana gostosa e você ter ciúmes, mas é contigo que ele está e é contigo que ele quer continuar (desconsiderando os canalhas, lógico, :D).

    Se eu fosse vocês, e isto vale para os homens que se preocupam exageradamente demais com o corpo (entendam, não estou falando para se descuidar) também, enfim, se eu fosse vocês, se preocuparia muito mais em se sentir bem como é e principalmente, se sentir bem ao lado de quem te quer bem.

    Responder
  18. Fabiana

    Haha! Eu não costumo ver as playboys não, mas adorava assistir o Girls Next Door, com as namoradas do Hugh Hefner. Era muito engraçado!

    E quem precisa do Gikovate, quando se tem comentários tão fofos?! Vale por uma terapia e não dói no bolso ;) hahaha!

    Responder
  19. Tatti

    Oi, Fê!

    Bom, se a Playboy quiser abrir o cargo de analista oficialmente, te vejo nas entrevistas! Hahaha!

    Acho que é super normal fazermos isso e, como você disse, não há nada de pervertido ou errado nisso!

    Tomar como base pra comparação é quase inevitável, mas eu acho que aprendi a simplesmente achar bonito, elogiar e fim, sem ficar me martirizando por não ter aquele corpo ou aquela cara linda da revista!

    A verdade, por mais clichê que seja, é que beleza é uma coisa totalmente relativa. É verdade! Cada um tem a sua! E onde eu só vejo horror, sempre tem alguém pra ver beleza! E o contrário também é real!

    Enfim: quando quiser discutir o corpo de fulana ou a plástica nova de alguém, pode me chamar!

    Responder
  20. Fefa

    relaxa, a megan fox tem o dedão das mãos extremamente bizarros! aposto que os seus não são. ^^
    (e, na boa, nem acho ela grande coisa não)

    Responder
  21. Amanda

    Má ôe, você conseguiu definir exatamente o motivo pelo qual vejo todas essas coisas e nem sequer tinha parado pra pensar.

    Só que eu me limito a não comentar nas “rodinhas masculinas”, simplesmente porque não sou tão masoquista assim. Gosto de pensar que elas nem são tudo isso de verdade, depois de algumas horas de auto-estima lá embaixo. Então vamos combinar que ver um monte de marmanjos oblívios ao fato de que há muito retoque, maquiagem, luz e bons fotógrafos por trás da imagem final não é nem um pouco legal pra meu amor próprio.

    Hanusahuhasua Eu repito:

    “vejo fotos da Megan Fox quase pelada só para me sentir feia. Tá. E agora, que eu faço com isso?!”

    Responder
  22. Fernanda

    Fernanda on 07/01/2011 at 8:51 am said:

    Te entendo completamente, no início ao fim. HAHAHA
    É bem por aí. :P

    também sou assim! Não dispenso, mas não tem como evitar querer uma barriga igual a delas! ahahah

    Responder
  23. Fernanda

    Fefa on 07/01/2011 at 1:13 pm said:

    relaxa, a megan fox tem o dedão das mãos extremamente bizarros! aposto que os seus não são. ^^
    (e, na boa, nem acho ela grande coisa não)

    ah, mas nem é só por ela, foi só uma analogia (e, é, ela tem um problema nas mãos, já li o nome da síndrome! haahah)

    Responder
  24. Fernanda

    Tatti on 07/01/2011 at 1:12 pm said:

    Oi, Fê!

    Bom, se a Playboy quiser abrir o cargo de analista oficialmente, te vejo nas entrevistas! Hahaha!

    Acho que é super normal fazermos isso e, como você disse, não há nada de pervertido ou errado nisso!

    Tomar como base pra comparação é quase inevitável, mas eu acho que aprendi a simplesmente achar bonito, elogiar e fim, sem ficar me martirizando por não ter aquele corpo ou aquela cara linda da revista!

    A verdade, por mais clichê que seja, é que beleza é uma coisa totalmente relativa. É verdade! Cada um tem a sua! E onde eu só vejo horror, sempre tem alguém pra ver beleza! E o contrário também é real!

    Enfim: quando quiser discutir o corpo de fulana ou a plástica nova de alguém, pode me chamar!

    BORA LÁ discutir! hahaha
    Mas pelo menos eu não me martirizo. Tem gente que corre mesmo atrás dessa perfeição (com plásticas, tratamentos, academia, etc) e é infeliz. Eu, pelo menos, não estou fazendo esforço em vão, e nem tenho tempo pra isso. É um consolo! hahah

    Responder
  25. Fernanda

    Alyce Takai on 07/01/2011 at 12:36 pm said:

    Eu faço a mesma coisa há anos, desde uns 14 ou 15 anos, não me recordo bem, mas sempre tratei muito naturalmente.

    Admirar mulheres acho que é um feito grande num mundo onde a maioria delas vestem-se pra competir umas com as outras e querem sempre estar melhor que a amiga do lado.

    Eu compro Playboy, Trip, Vip e amo ver mulheres bonitas, se elas forem “reais” como você (aquelas acessíveis aos nossos olhares loucos pra achar um defeitinho!) melhor ainda.

    Amo ver mulher bonita, gostosa, bem arrumada e de bem com a vida.
    Me inspira.
    Não tem nada a ver com opção sexual, apesar de achar muitas delas um tesão!

    Tem a ver com um certo auto flagelo e ao mesmo tempo um remédio para isso, uma cura, porque acabo ficando feliz e me incentivando a fazer uma academia, comer na medida ou simplesmente cuidar da pele.
    Você não é anormal e se for… quem hoje em dia não é, não é mesmo?!

    tens toda a razão:
    Tem a ver com um certo auto flagelo e ao mesmo tempo um remédio para isso (2)

    Responder
  26. Fernanda

    Jacqueline França on 07/01/2011 at 11:06 am said:

    Obrigada por escrever isso. Sério.

    Lembro que eu era, sei lá, 6ª série e já olhava Playboys, pra ver como eu queria “ser” quando fosse mais velha. Aí uma vez saí com uns amigos, e no meio da galera tava o carinha dos meus sonhos, que me rejeitava. Me meti no meio da conversa dos meninos na hora que alguém falou de uma coelhinha da última capa: “Ai gente, mas ela é feia.”

    Lógico que, pra foder tudo e eu me importar, meu interesse amoroso fala: “mas que tipo de menina vê playboy?”

    Acho que esse cara bloqueou um pouco minhas olhadelas nas revistas, faço menos. Mas todo o resto, e todo o sofrimento de comparação com a imagem, tamo junta.

    E não tamo só, pelos comentários, haha.

    Beijo!

    não estamos NEM UM POUCO sós. Cheo a pensar que algumas edições dessas revistas são focadas totalmente no público feminino, ou ao menos estão contando com isso. Exemplos? Playboy da Fernanda Young e da Letícia Birkheuer, agora de dezembro – esta, aliás, ficou linda nas fotos, mas o ensaio não dá nem um pingo de tesão, é apenas plasticamente belo…

    Responder
  27. Marcella Frnnd

    “O sentimento de derrota diante de uma imagem é gigantesco e talvez isso não seja absolutamente nada saudável, mas um pouquinho de confissão não faz mal;”

    É o que acontece toda vez que eu me pego fazendo essa bizarrice também, o que é algo bem frequente, tenho que dizer.
    Mas enfim, você não está sozinha nesse mundo, haha.

    Responder
  28. Celinha

    Oi Fê, visito seu blog já faz um tempo, nunca comentei, mas agora que vi este post não poderia deixar passar em branco kkkkk. Estava pensando nisso (juro por Deus) exatamente hoje olhando pras fotos da Talulah de biquini, a participante do BBB, e agora vejo que não só vc, mas várias pessoas nos comentáriso fazem o mesmo kkkkk. Muita gente acha doideira quando falo que dou Playboy de presente pro marido e que eu também gosto de ler. Fiquei feliz em saber que vc entende isso, que não tem nada a ver com sexualidade, e sim com a comparação que fazemos com nosso próprio corpo. Minha Playboy preferida é da Mel Lisboa, achei as fotos super cute (a lazarenta tem tudo no lugar/desabafo mode on) pq não faço a linha das popozudas. Seu post foi praticamente de auto ajuda e agora já posso dormir tranquila sabendo que outras pessoas entendem esse tipo de comportamento, ou seria, esquisitisse?

    Responder
  29. Jacqueline França

    Fernanda on 07/01/2011 at 2:02 pm said:

    não estamos NEM UM POUCO sós. Cheo a pensar que algumas edições dessas revistas são focadas totalmente no público feminino, ou ao menos estão contando com isso. Exemplos? Playboy da Fernanda Young e da Letícia Birkheuer, agora de dezembro – esta, aliás, ficou linda nas fotos, mas o ensaio não dá nem um pingo de tesão, é apenas plasticamente belo…

    É mesmo, tem lógica…

    Responder
  30. Rafael Telefone

    Ah, isso é o de menos. Mania bizarra é menino hétero que lembra do sapato e meia calça da Grazi, do chapéu rosa do primeiro ensaio da Debora Secco, ou dos patins da Alessandra Scatena na frente do trailer, mais do que qualquer outro atributo físico das beldades.

    O primo do amigo de um vizinho que eu tinha era assim…

    Responder
  31. Fernanda

    Rafael Telefone on 07/01/2011 at 5:05 pm said:

    Ah, isso é o de menos. Mania bizarra é menino hétero que lembra do sapato e meia calça da Grazi, do chapéu rosa do primeiro ensaio da Debora Secco, ou dos patins da Alessandra Scatena na frente do trailer, mais do que qualquer outro atributo físico das beldades.

    O primo do amigo de um vizinho que eu tinha era assim…

    o primo do amigo do vizinho, hein! … hahahah

    Responder
  32. Karina

    Eu também olho fotos de mulheres!!! hahahaha
    Olho tanto que sei lá, as vezes as pessoas poderiam achar que sou lésbica, mas não! hahahahaha =P
    Acho legal saber que outras mulheres fazem isso, valeu pelo post! hahahaha

    Responder
  33. Anonimo

    eu tenho nojo do beiço da Angelina Jolie.

    Responder
  34. Taís

    Ai que confissão ótima!!
    Eu também passo um bom tempo olhando cada milímetro das modelos das fotos comparando-as comigo e não tinah reparado nessa mania até vc mencionar…
    E aí eu faço uma lista mental do que eu teria que melhorar e no final fico deprimida.
    Mas sempre que a comparação é feita junto com uma amiga (naquelas conversas “olha esse corpo! Meldels, ela tem quase a nossa idade e é tão mais linda! Deve ter sido moldada a vida inteira para isso! Nunca deve ter comido tanto chocolate na TMP… etc”) e ela começa a se lamentar “Por que não somos assim também?”, eu consigo ter um distanciamento maior e lembrar que o que separa aquela beldade de nós, meros mortais, é o $$.
    Sim, a conta bancária delas com muitos (MUITOS!) zeros a mais que a minha permite que ela tenha os melhores tratamentos do mundo, o melhor personal trainer, o melhor cirurgião, o melhor stylist, o melhor dentista, o melhor maquiador e, claro, um ótimo profissional em photoshop!
    E mais: a gente não vive da nossa imagem. Temos que ralar, estudar e gastar boa parte do nosso tempo buscando nosso lugar ao sol.
    Essas criaturas maravilhosas não ficam 2 horas na condução, não vão para a faculdade, não fazem hora extra no trabalho, etc, etc…
    O trabalho delas é cuidar no corpo, da pele, da imagem.
    Então vamos sim continuar nos comparando com elas, mas lembrando de tudo isso que nos deixa a quilômetros de distância daquela beleza de deusas.

    Responder
  35. Bruna

    Oii!!
    Então, infelizmente a mídia, os veículos de comunicação e etc.. impõe esse modelo de perfeição, como se fosse proibido ou feio ser diferente.
    Acho que todos temos que nos amar do jeito que somos, se não vamos ficar escravos dessa ditadura de beleza para sempre.
    bjs e até mais

    Responder
  36. Israel

    Isso é um problema exclusivo das mulheres! Não vejo meus amigos discutindo o tanque de tal cara e comparando com o seu. Ou falando do peito dos caras da academia ou que passam pela praia. O máximo é um ‘que corpo massa’ ou ‘altas moral ter a barriga trincada desse jeito’. Mas é raro esses comentários, tem que ser muito amigo para confessar que notou o corpo de um homem, mas mulher já não, pergunta na lata. Tem garotas que ficam se comparando com outras na rua e isso é chato. Minha irmã fica dando ataque de ciúmes com as garotas que estão saindo com o ex- namorado dela, (é, ela ainda o ama!) Ainda ouço comentário dela: ”Cada vez que eu vou para jurere fico deprimida” Por conta das centenas de mulheres lindas que frenquentam a praia.
    Comparação, sem ela não ia ter evolução (saco o raciocínio? ), mas mesmo assim, sendo saudável acho masoquista para quem pensa que seu nariz é enorme e fica reparando de outras pessoas. E, que fique claro que esse não é meu caso.

    Beijos! Ficou demais esse post.

    Responder
  37. Jana Rosas

    Huahuaha. Adorei!
    Faço a mesma coisa, só que com mulheres na rua também. E nem é só com relação ao corpo que faço comparações – vai do esmalte a bolsa, da maquiagem ao sapato bapho. Não vou mentir – as vezes dá uma deprimidinha MESMO, mas na maioria das vezes só me ajuda a melhorar. Observando e entendendo melhor aquilo que eu admiro/tenho invejinha é mais fácil chegar lá também (se não “lá”, pelo menos perto rs).

    Responder
  38. Hugo Labanca

    a perfeicao estah no imperfeito,
    mas confesso q parei no post por causa da foto. rs

    Responder
  39. Briana Espinoza

    Oii!! Então, infelizmente a mídia, os veículos de comunicação e etc.. impõe esse modelo de perfeição, como se fosse proibido ou feio ser diferente. Acho que todos temos que nos amar do jeito que somos, se não vamos ficar escravos dessa ditadura de beleza para sempre. bjs e até mais

    Responder
  40. Yagho

    Hey, eu também faço o “checklist” qaudno vejo um menino tão bonito que faça eu me sentir um feioso.
    Mas sabe o que ajuda? Pensar que -como diria minha amiga Manoela- “com um banho de loja e cremes caríssimos, qualquer pobreco fica um colírio”. ;p
    E

    Responder
  41. Yagho

    Hey, eu também faço o “checklist” qaudno vejo um menino tão bonito que faça eu me sentir um feioso.
    Mas sabe o que ajuda? Pensar que -como diria minha amiga Manoela- “com um banho de loja e cremes caríssimos, qualquer pobreco fica um colírio”. ;p
    E, querida.. não esquenta. Experimenta ver umas polas dessas “divas” aí.. a FAMA e o DINHEIRO embelezam qualquer um.

    I BORN THIS WAY (hahahahah)

    Responder
  42. Carla

    O outro lado. Será que a gente pensa pelo outro lado? Porque depois de ler os comentários daqui, foi só essa persepção que eu tive. Como será que essas pessoas se sentem? As bonitonas, capas de revista, exemplos de umas e repugnação de outras. Ao se verem perfeitamente simétricas, maquiadas e poderosas estampando as principais publicações mundiais e, nem sempre, sendo “tudo aquilo”. Sinceramente? Eu não quero essa responsabilidade em cima de mim. Assim como vocês, eu também pratico essa (auto) análise, sempre me usando como objeto de comparação. Mas eu, diferentemente, atingi um patamar meio obsessivo. Passei a rejeitar elogios, me sentir deprimida, pois não era “o suficiente”. Eu as vejo como excelentes pinturas, que estampam quadros de uma beleza admirável – independente dos sexos. É como se suprissem uma necessidade que, na verdade, nem por a gente mesma é definida. Peito no lugar, ângulo onde deve estar… Mas esses quadros possuem molduras que as permitem serem assim. Elas vivem essa realidade da fama, do luxo, do glamour. Uma simples mortal recorrendo a tratamentos estéticos, almejando a perfeição, não passa de estupidez, sendo que uma atriz famosa é perfeitamente compreensível porque a vida dela pede isso. A imagem precisa estar sempre o melhor possível E impossível. Agora, as consequências de baixa auto-estima, cobranças e até auto-crítica, são todas responsabilidades nossas. É isso. A Megan tem, sim, inúmeros motivos para ser considerada linda. Mas se vocês verem as fotos antes x depois na internet, nem sempre foi assim. Ela passou de uma transformação exigida pela troca de realidade. Deixar de ser uma anônima ‘comum’ para um símbolo sexual. A beleza é essencial sim – em um mundo que vive disso. Por aqui, onde eu vivo, funciona muito ser uma pessoa boa, cheia de qualidades. Assim se dá motivos reais para que gostem de ti, e não só te desejem. Desculpem o comentário extenso e obrigada pela reflexão! :)

    Responder

Deixe seu comentário